Fundação Cidade das Artes

Memória

Memória

A Fundação Cidade das Artes é um espaço concebido para abrigar múltiplas atividades artísticas, como exposições, apresentações de dança, teatro e música. Este complexo cultural também é utilizado para palestras, oficinas, congressos, conversas com autores, lançamentos de livros e outras atividades de formação cultural e artística.

Eventos Passados

RIO WEBFEST 2021 | Festival de Webséries 25/11 a 28/11 Festival Vai começar o principal festival de webséries do mundo O Rio Webfest chega à sua sétima edição em 2021 com programação gratuita voltada para criadores e amantes das series. O evento acontecerá de 25 a 28 de novembro na Cidade das Artes - Rio de Janeiro. Além da exibição das mais de 230 webséries indicadas a prêmios, o evento oferece palestras, masterclasses, painéis, oficinas, mesas redondas, rodadas de negócios, eventos de gala, networking e muitos prêmios. Pioneiro em transmissões ao vivo pela web, o primeiro festival internacional de webséries do Brasil levará para o público de todo o mundo sua programação, através do site oficial: www.riowebfest.net. A maior celebração das webséries no mundo vai acontecer nos dias 25, 26, 27 e 28 de novembro de 2021, presencial e on-line, na Cidade das Artes. [+] saiba mais Nilze Carvalho Trio | O Melhor do Samba 20/11 Música Nilze Carvalho com repertório voltado a sua especialidade, samba & choro. A cavaquinista mostra ao público, uma versão diferente da habitual. Normalmente acompanhada de grandes bandas, Nilze traz, desta vez, apenas 2 músicos: Magno Júlio, percussionista e Hudson Santos, violonista 7 cordas, dividem o palco com ela. O trio dará ao público o deleite de poder aproveitar toda a sonoridade de cada um dos instrumentos levando o samba ao choro com muito swing. Esta é a ideia. “Criamos uma formação minimalista, mas não significa que o show é leve. As nuances serão diversas, assim como o repertório”. O público pode esperar um show eclético com músicas dos últimos trabalhos: O CD/DVD "Nilze 40 anos de carreira", o projeto “Choro Canção” e “Tributo a Jobim” . Canções como “Me deixa em Paz”, “Verde Amarelo Negro Anil”,” 1 x 0”, “Chega de Saudade” e “Acreditar” não vão faltar no set list. SOBRE A ARTISTA Ao ser flagrada pelo irmão mais velho tocando "Acorda Maria Bonita" no cavaquinho, Nilze Carvalho, aos 5 anos, começava uma história de amor com a música. Dos 11 aos 14 anos, gravou, como bandolinista, a série de LPs “Choro de Menina”. Foram 4 volumes (1°e o 4° acompanhada pelo conjunto Época de Ouro). Iniciou carreira internacional aos 15, fazendo turnês em países como Itália, Espanha, França, Suíça, Holanda, Estados Unidos, Japão, Argentina, China e Austrália. De volta ao Brasil, em 2000, Nilze e seus colegas de faculdade fundam o grupo Sururu na Roda , eleito o Melhor Grupo de Samba no Prêmio da Música Brasileira 2014. Em 2002, Nilze lança o CD “Estava Faltando Você” (Fina Flor) com o qual foi indicada ao Prêmio Tim para melhor cantora de samba. Em 2010 lança “O que é Meu” CD lançado pela gravadora Biscoito Fino e ganhou em duas categorias no Prêmio Música da Lapa: Melhor CD e Melhor Cantora. Nos últimos anos Nilze participou do DVD Samba Social Clube (2 e 4) e do DVD Gafieira, de Zeca Pagodinho. Fez diversos shows pelo país e no exterior em países como Itália, França, Espanha, EUA, China, Japão, Austrália, Equador, Senegal (Dez/10 - III FESMAN), Portugal (2013 - Ano Brasil-Portugal). Com o Sururu na Roda viajou para Costa Rica, Guatemala, Tunísia, Belize, EUA e Japão. Nilze cantou e tocou ao lado de grandes nomes da música popular brasileira e internacional, como: Dona Ivone Lara, Zeca Pagodinho, Jair Rodrigues, Martin ́ália, Olívia Hime, Monarco, Nei Lopes , Nelson Sargento, Hamilton de Holanda, Elton Medeiros , Hermínio Bello de Carvalho, Dudu Nobre, Zélia Duncan, Fátima Guedes, Roberta Sá, Stefano Bollani, Marvio Ciribelli, Nicolas Krassik, Ana Costa, Teresa Cristina entre outros. Recentemente dividiu o palco com o pianista e arranjador Cristóvão Bastos num show em homenagem a Ataulfo Alves. Seu último CD, produzido pela própria Nilze e Zé Luis Maia, "Verde Amarelo Negro Anil” foi indicado ao GRAMMY LATINO 2015 pela categoria melhor Álbum de SAMBA/PAGODE. Além de cantora, instrumentista, compositora e produtora Nilze fez licenciatura em música pela UNI-Rio e foi apresentadora do programa CENA MUSICAL da TV Brasil. Atualmente Nilze se dedica ao lançamento do CD & DVD “Nilze Carvalho 40 anos”, entre outros projetos paralelos. [+] saiba mais Os Irmãos Rebouças I Lançamento de livro 20/11 Música Há dois anos atrás, a editora Mostarda de Campinas/SP publicava os primeiros livros de Júlio. Profundamente imbuída da compreensão de que a sociedade brasileira tinha uma dívida a ser paga com a população negra, lançaria os primeiros quatro volumes da coleção Black Power voltada para a apresentação aos jovens afrodescendentes brasileiros de grandes nomes nacionais e internacionais de homens e mulheres que contribuíram para o progresso da humanidade, muitos deles absolutamente desconhecidos para aquadrelamento dessas mesmas crianças e jovens. Dentro deste propósito, a Editora Mostarda lançará os três novos volumes da coleção Black Power, sendo o primeiro, a empolgante biografia dos Irmãos André e Antônio Rebouças, os dois primeiros engenheiros negros brasileiros e sua notável família. Escritos pelo autor Júlio Emílio Bráz, “Os Irmãos Rebouças “ resgata a vida e obra desses excepcionais engenheiros que revolucionaram a engenharia na época do Império e foram destacados membros do movimento abolicionista que lutou pelo fim da escravidão em nosso país. Principal aspecto da coleção é escrever a história que ainda não foi contada do negro no Brasil a partir de seus principais protagonistas. Neste dia, além da tarde de autógrafos com Júlio Emílio, teremos o prazer de escutá-lo contando um pouco sobre o processo do livro, da coleção, da importância e relevância da "Celebração do Dia Nacional da Consciência Negra" no Brasil e contação de histórias africanas com Silvia Castro. SINOPSE DO LIVRO Tudo começa com um imigrante português que chega ao Brasil nos últimos anos do Século XVIII e estabelecendo-se inicialmente em Salvador, casa-se com uma ex-escrava com a qual terá vários filhos, três dos quais estarão entre os homens mais importantes do Império Brasileiro décadas mais tarde. Proeminentes nas artes, na medicina e na justiça, será exatamente da família do terceiro desses três notáveis, o fabuloso rábula, deputado e posteriormente, político e ministro do Império Antônio Rebouças que nascerá os dois maiores e mais importantes engenheiros de todo período imperial, responsáveis pelas mais importantes e complexas obras de várias partes do Brasil, bem como de outros tantos momentos de nossa história, tais como a Guerra do Paraguai e a luta pelo fim da escravidão. Antônio Filho e André Rebouças seriam esses dois nomes tão extraordinários quanto desconhecidos de nossa história que “Os Irmãos Rebouças “, o mais recente lançamento da coleção Black Power, pretende apresentar as novas gerações de afrodescendentes brasileiros. As grandes obras, o interesse em investir e influir no progresso e crescimento social, econômico e científico que tomava conta dos grandes centros europeus de sua época, erradicando a pobreza e a já impressionante desigualdade social, mas principalmente a grande chaga do país dos olhos do resto do mundo: a escravidão. [+] saiba mais Concerto em homenagem ao Dia da Consciência Negra 20/11 Música ORQUESTRA SINFÔNICA JOVEM DO RIO DE JANEIRO HOMENAGEIA O DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA A Orquestra Sinfônica Jovem do Rio de Janeiro, sob a regência do maestro Leonardo Bruno, se apresenta sábado, dia 20 de novembro, às 17 horas na Cidade das Artes, homenageando o Dia da Consciência Negra. A soprano mineira Elizeth Gomes é a convidada especial para este programa que mescla composições clássicas com pérolas da nossa música popular, numa celebração do talento que emerge das comunidades carentes. Com este concerto, a Ação Social pela Música, reafirma seu propósito de facilitar o estudo da música para jovens oriundos destas comunidades, em sua maioria negros, para que possam alcançar um dia o status de músicos profissionais. A peça que abre o concerto é “Abertura em Ré”, do Padre José Maurício (1767 - 1830), um descendente de escravos que rompeu as cadeias do preconceito para se tornar o primeiro grande nome da música orquestral brasileira. Para o “Concerto para 4 violinos em B menor”, (Vivaldi), os quatro solistas - Dyana Paiva, Gabriel Paixão, Ryan de Paula e Samuel Galvão – são afrodescendentes e moradores de comunidades. Assim como o jovem violoncelista Jean Barreto, nascido e criado no Morro dos Macacos, solista do “Concerto nº1 op. 33 em La menor” (Camille Saint-Saëns). A soprano mineira Elizeth Gomes é a convidada especial, para interpretar “É a Ti Flor do Céu” (Teodomiro Pereira) e “Summertime” (George Gershwin). O jovem clarinetista João Manuel, nascido no Chapadão, Baixada Fluminense, interpretará “Corcovado” (Antonio Carlos Jobim). É do mestre Pixinguinha (1897-1973) as duas próximas composições – “Naquele Tempo” e “Um a zero”, ambas com arranjos do maestro Leonardo Bruno. E “Batuque”, da Suíte Brasileira nº4, de Alberto Nepomuceno, (1864-1920), um grande defensor da causa abolicionista, encerra o programa com esta composição que exalta a presença da cultura afrodescendente em nosso país. Com o objetivo de aperfeiçoar a prática orquestral e conduzir os jovens músicos à universidade e à profissionalização, a Orquestra Sinfônica Jovem do Rio de Janeiro proporciona a inclusão social, a democratização do acesso à música clássica e a cidadania. A  Ação Social pela Música acredita na manifestação artística musical como um instrumento de transformação social e de expressão para a redução das desigualdades sociais.   [+] saiba mais Curso de atuação para as câmeras com Ricardo Connti 09/09 a 16/11 Em tempos onde as câmeras deixaram de ser apenas para a arte e tornaram-se instrumento de reuniões online, aulas, consultas, divulgação de trabalho e entre outras funções, Ricardo Connti - ator, diretor com mais de 25 anos de experiência em televisão, teatro e cinema - ampliou as fronteiras de seu projeto “O Poder da Câmera”. O curso ganhou uma nova casa e chega à Fundação Cidade das Artes. "O Poder da Câmera" é um Curso de Treinamento e desenvolvimento através das câmeras. Ricardo Connti, ator, diretor e preparador de atores, utiliza as ferramentas de preparação de atores no audiovisual para auxiliar na comunicação, desinibição e desenvolvimento de crianças e jovens, e auxilia adultos a melhor sua performance nas suas atividades profissionais diante das câmeras. Com a expansão de um espaço virtual como forma de comunicação, criação de vídeo marketing, vendas de cursos gravados, cursos on-line, divulgação de seus negócios através das câmeras, todos tivemos que nos reinventar e o aperfeiçoamento das técnicas audiovisuais tornaram-se urgentes para alcançar com excelência: clientes, pacientes, funcionários etc, mesmo a distância. "O Poder da Câmera" é um treinamento prático de todas as técnicas para sair na frente e encontrar o seu maior poder através das câmeras. As aulas serão realizadas às terças e quintas, com turmas para crianças, jovens e adultos. Segundo Ricardo, as técnicas aplicadas com profissionais do audiovisual serão utilizadas para desenvolver profissionais de quaisquer áreas. “Forneceremos ferramentas para atuarem com desenvoltura, segurança na comunicação, foco, memorização, trabalho em equipe e uma exploração constante da criatividade, ampliada através da lente da câmera, do professor e do grupo”, diz. Já para crianças e jovens, o objetivo é otimizar todo o desenvolvimento pessoal, utilizando as artes dramáticas adaptadas à linguagem audiovisual. Ricardo explica: “o curso irá contribuir para desinibição, melhor comunicação, foco, memorização, trabalho em equipe e, também, na indução da criatividade”. De profissional para profissional Para quem já trabalha com audiovisual ou está iniciando a carreira, “O Poder da Câmera” vai além de apenas ensinar técnicas artísticas. De acordo com Connti, o curso será um treinamento que permite a sensibilização, o desenvolvimento e o autoconhecimento do ator, derrubando mitos que afastam o artista do teatro de atuar em televisão e cinema. No mais, o preparador afirma: “Queremos estimular uma percepção mais completa das ferramentas disponíveis para que atores possam ser donos dos próprios projetos, desenvolverem seus curtas, séries, canais na internet, enxergando o audiovisual como uma forma mais democrática de expressão da sua fala”. [+] saiba mais X Semana Internacional de Música de Câmara 11/11 a 13/11 Música CIDADE DAS ARTES APRESENTA X SEMANA INTERNACIONAL DE MÚSICA DE CÂMARA Música de câmara é acima de tudo, encontro. No retorno dos concertos e da experiência comunitária da arte de performance, comemoramos 10 anos deste festival único na Cidade do Rio. A X Semana Internacional de Música de Câmara será bem eclética e com uma atenção ao centenário de morte de Camille Saint-Saens, compositor que mais influenciou a cena carioca do fim do século XIX . Simone Leitão, Lisiane de los Santos e a violinista Austríaca Edua Zadory, tocam o lindo e quase desconhecido trio no 2 na abertura. A música de câmara francesa continua sendo celebrada com o quarteto no 1 de Gabriel Fauré na noite de encerramento. Arvo Pärt, Estoniano e um dos maiores compositores vivos da atualidade será homenageado desta edição. Quarteto de cordas de Villa-Lobos e a monumental sonata para piano e violino do compositor fluminense Leopoldo Miguez, trazem a robustez da produção de música de câmara do Rio. O clássico trio de Mikhail Glinka e o trio op 11 de Beethoven, são a celebração da música de câmara para clarineta. A X Semana Internacional de Música de Câmara vem em formato menor este ano, mas traz pela primeira vez ao Rio, a especialista em Bach e premiadíssima pianista Estoniana Irina Zahharenkova, o celista Aare Tammesalu, a violinista Austríaca Edua Zadory além dos músicos cariocas renomados Cristiano Alves, Samuel Passos, Andrea Carizzi, e a gaúcha Lisiane de los Santos. O violinista paraibano Ramon Feitosa é destaque jovem do festival. A direção é da pianista mineira Simone Leitão. Os concertos acontecem na Sala de Câmara da Cidade das Artes, nos dias 11, 12 e 13 de novembro. Sempre às 20h. A 10ª edição da SIMC recebeu apoio do Instituto de Cultura da Estônia, e da Embaixada da Áustria, além do apoio da Cidade das Artes. Uma produção e realização da Agência Olga e Brasil Classical. [+] saiba mais Projeto Interlocuções - Travessia d' Olhar 12/11 Arte e Conhecimento Há sete anos a psicanalista Gilda Pitombo Mesquita, desenvolve o projeto “Interlocuções: Psicanálise e Literatura”, dentro da Cidade das Artes com a finalidade de dialogar com os outros saberes e transmitir a Psicanálise para quem desejar. A cada encontro Gilda Pitombo e a psicanalista Rita Mendonça fazem a interseção da psicanálise com outras linguagens. Neste dia, teremos uma mesa de conversa indagada pelo tema “Travessia d’ Olhar”, tema da tese de doutorado de Gilda Pitombo. A tese foi escrita por questões que surgiram a partir do arrebatamento causado em Gilda pela obra de Victor Arruda, levantados na antessala do consultório do seu analista, que fez com que propusesse uma pesquisa de doutorado na UERJ em Arte. O estilo nada estético da obra de Vitor, conversou com a psicanalista de forma muito singular, promovendo uma discursividade jamais vivida. A obra a olhou de um lugar desconhecido e muito estranho, fazendo com que descortinasse questões pessoais a partir desse transbordamento de emoções. Percorreu o conceito de estranho-familiar, hoje traduzido diretamente do alemão por Infamiliar. Neste encontro, a psicanalista trará a pesquisa para discutir junto de Rita Mendonça e Vitor Arruda. [+] saiba mais Escola de Teatro I Cia. Teatral ArteGrimberg 02/09 a 11/11 Teatro A Companhia Teatral ArteGrimberg foi fundada pela diretora Natalia Grimberg no ano de 1993, quando começou a ministrar aulas no espaço do extinto Teatro de Lona da Barra. Nos anos seguintes ministrou aulas no Teatro dos Grandes Atores (Shopping Barra Square), no também extinto Teatro do Barra Shopping e no Teatro Antônio Fagundes. Já em 2001, junto com seus irmãos Nado Grimberg e Tatiana Grimberg, decidiu abrir as portas de um espaço próprio, dedicado ao exercício das artes, e oferecer o Curso Livre de Teatro para todas as idades. Somos uma escola de reconhecida competência e tradição, com professores qualificados e capacitados, e com a missão de garantir a melhor experiência de aprendizado aos seus alunos. Temos orgulho de já ter formado muitos dos atores mirins que atualmente são profissionais reconhecidos e fazem sucesso na mídia. O curso tem duração de 4 meses e é dividido em duas etapas. Na primeira, as aulas de teatro são compostas por exercícios teatrais, improvisação, trabalho de corpo e voz, dinâmicas e noções de palco. Na etapa seguinte inicia a prática dos ensaios para as apresentações de fim de ano. Todas as turmas se apresentarão e todos os alunos receberão um personagem para interpretar. O curso de teatro é coordenado por Nado Grimberg e conta com uma qualificada equipe de professores e assistentes, que tem como objetivo desenvolver a criatividade, a forma de se expressar, e o auto-conhecimento. [+] saiba mais a - corda | Marguerite Duras: O Amante, livro autobiográfico 09/11 Arte e Conhecimento O projeto A - Corda se propõe a revisitar o espaço de vida e obra de grandes nomes da literatura abordando a temática do feminino. Inaugurando, assim, um debate sobre as questões feministas e humanas de seu tempo e as questões íntimas de cada autora ou autor. Costurando desta forma a arte da escrita e a psicanálise.    O estranhamento no Amor –“ Marguerite Duras: O Amante, livro autobiográfico”, será o tema desse encontro.   “Jamais escrevi, acreditando escrever, jamais amei, acreditando amar, jamais fiz coisa alguma que não fosse esperar diante da porta fechada”.   Claudia Sehbe e Gilda Pitombo convidam para uma roda de conversa sobre a loucura feminina no Amor.     [+] saiba mais HACKTUDO 2021 I Festival de Cultura Digital 06/11 a 07/11 Festival HACKTUDO promove edição híbrida em 2021 com ATRAÇÕES PRESENCIAIS na CIDADE DAS ARTES nos dias 6 e 7 de novembro. Hackathons serão VIRTUAIS entre 15 e 24 de outubro e as inscrições já se encerraram Além das competições online que buscarão soluções inovadoras para problemas reais, festival de cultura digital terá edição física com conferência, corrida de drones, batalha de robôs, exposição, trabalhos de cultura maker e atividades para público infanto-juvenil Rio de Janeiro – Considerado um dos principais festivais de cultura digital do país, o HACKTUDO está de volta em 2021 com uma edição híbrida. Nos dias 6 e 7 de novembro, o público poderá acompanhar de perto, na Cidade das Artes, o HackConference, assinado pela patrocinadora master Petrobras e pelo Governo Federal; conferência de painéis e talks que reunirá profissionais renomados de diversas áreas, torcer no HackDrones, a corrida de drones, assinada pela co-patrocinadora Norsul; ou no HackRobot, as batalhas de robôs – que acontecem em três arenas com combates e partidas de hockey –, participar das atividades do HackLab, assinado pela patrocinadora Escola Parque, voltadas para o público infanto-juvenil, visitar a exposição do duo VJ Suave – com a instalação em realidade virtual, Floresta Encantada, e o cinema expandido, Folclore Digital – ou conhecer de perto os trabalhos de cultura maker dos artistas Jota Azevedo, Henrique Ventura, Marcio Nehrebecki e Mau Maker.  Os tradicionais Hackathons, que deram origem ao evento, acontecem de forma virtual entre os dias 15 e 24 de outubro e já estão com as inscrições encerradas. Ao todo, as competições vão distribuir mais de R$70 mil em premiações. “Estamos muito felizes em retornar com um formato híbrido para o nosso público. Parte do nosso evento funciona muito bem de forma virtual, como é o caso dos Hackathons e as oficinas do HackLab. Mas nada substitui a emoção de estarmos juntos ao vivo, torcer para o seu robô preferido”, entrega Miguel Colker, diretor e um dos realizadores do festival.   [+] saiba mais GOLDHERANÇA | Golden Boys, Evinha e Trio Esperança 05/11 Música Os irmãos Correa em um encontro raro da família de cantores que marcaram gerações. Os Golden Boys, a cantora Evinha e o Trio Esperança apresentam canções de sucesso que marcaram a carreira de cada um dos artistas no projeto GOLDHERANÇA. O show tem repertório que há muito estão no inconsciente nacional e são considerados verdadeiros clássicos da música popular brasileira. O público vai ouvir canções eternas como “Filme Triste”, “O Passo do Elefantinho” e “A Festa do Bolinha” (hits do Trio Esperança), "Casaco marrom", "Cantiga por Luciana" e "Teletema" (imortalizadas na voz de Evinha), "Alguém na multidão", “Fumacê” e "Erva Venenosa", obrigatórias em shows dos Golden Boys. Renato, Ronaldo e Roberto formaram os Golden Boys no final dos anos 50 com o primo Valdir. Com o falecimento de Valdir em 2004 o grupo seguiu na formação de Trio e em 2016, com o falecimento do irmão Roberto, o irmão Mario tornou-se o novo Golden Boy. Já Evinha, Mário e Regina são da primeira formação do Trio Esperança, que passou a contar com a caçula Marizinha, em 1968, quando Evinha seguiu em carreira solo. A oportunidade para os artistas estarem juntos é algo raríssimo, pois Evinha, Marizinha e Regina estão radicadas há anos na EUROPA, onde o Trio Esperança é sucesso em sua terceira formação (só com as mulheres da família Correa). O clima familiar estará visível no palco. A começar pelo cenário, que reproduzirá com sofás e luminárias uma típica sala de estar. A banda é formada por seus herdeiros musicais: os próprios filhos - o baixista Beto Filho (filho do Roberto Correa), os irmãos Rodrigo e Diego Saldanha (guitarrista e baterista, respectivamente - filhos de Renato Correa e ex-integrantes do grupo infantil dos anos 80 Os Abelhudos) e o cantor e produtor Bruno Galvão (filho de Mário Correa) no violão. A direção do espetáculo é de Gerard Gambus, marido de Evinha, que integra a banda ao piano. Se os caminhos foram pessoais, os laços - familiares e musicais - mantiveram-se firmes. Uma prova disso será dada num lugar onde se sentem à vontade há décadas: o palco. "O compromisso de nos reunirmos no palco vai além do âmbito profissional: é também uma oportunidade de matarmos a saudade",  avalia Evinha. Tá curioso, assista o link do show https://youtu.be/cV5WYOk7eMA [+] saiba mais Cura I Cia de Dança Deborah Colker 06/10 a 31/10 Dança Ministério do Turismo e Bradesco Seguros apresentam Companhia de Dança Deborah Colker no espetáculo "Cura" Deborah Colker dedicou seu tempo, nos últimos anos, a buscar uma cura. No caso, uma solução para a doença genética que seu neto tem, a epidermólise bolhosa. Dessa angústia pessoal nasceu o novo trabalho da Cia. Deborah Colker, um espetáculo que vai muito além do aspecto autobiográfico. “Cura” trata de ciência, fé, da luta para superar e aceitar nossos limites, do enfrentamento da discriminação e do preconceito. A dramaturgia é do rabino Nilton Bonder e a trilha original é de Carlinhos Brown. Bradesco Seguros apresenta “Cura”, que também tem patrocínio do Instituto Cultural Vale, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O espetáculo estreia em 6 de outubro, na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro. A coreógrafa concebeu o projeto em 2017, mas foi no ano seguinte, com a morte de Stephen Hawking, que encontrou o conceito. Embora acometido por uma doença degenerativa, a ELA (Esclerose lateral amiotrófica), o cientista britânico viveu até os 76 anos e se tornou um dos nomes mais importantes da história da física. Deborah percebeu que há outras formas de cura além das que a medicina possibilita. – Quando foi diagnosticado, os médicos deram a Hawking três anos de vida. Ele viveu mais 50, criativos e iluminados. Entendi o que é a cura do que não tem cura – conta. A estreia aconteceria em Londres em 2020, mas a pandemia não permitiu. O adiamento deu ao espetáculo mais um ano de pesquisas, transformações e reflexões. – A pandemia me fez ter certeza de que não era apenas da doença física que eu queria falar. A cura que eu quero não se dá com vacina – afirma Há dores mostradas no palco, mas há esperança no final. Ela diz que procurou preservar a alegria necessária à vida. Um ingrediente para isso foi a semana que passou em Moçambique durante a preparação, quando conheceu pessoas que não perdiam a vontade de viver, apesar das muitas dificuldades.  – Fui procurar a cura e encontrei a alegria. Deborah incorporou ao espetáculo referências das três religiões monoteístas e elementos de culturas africanas, indígenas e orientais. Logo no início, conta-se a história de Obaluaê, orixá das doenças e das curas. – A ponte entre fé e ciência me ajudou muito. Fui experimentar o invisível, a sabedoria do invisível – diz.  Numa cerimônia realizada quando da morte do seu pai, Deborah conheceu o rabino Nilton Bonder, autor de “A alma imoral” e muitos outros livros. Ao planejar “Cura”, decidiu convidá-lo para desenvolver a dramaturgia. Dentre tantas contribuições, ele ressaltou que “pedir é curar”, ideia que gerou uma cena. Também apontou que “a grande cura é a morte”, o que motivou uma coreografia com dois bailarinos dançando ao som de “You want it darker”, de Leonard Cohen. – O espetáculo apresenta todos os recursos imunitários e humanitários em aliança pela cura. A ciência, a fé, a solidariedade e a ancestralidade são o coquetel de cura do que não tem cura. Concebido antes desta pandemia, o título não é um “conceito”, mas um grito! – afirma Bonder. Carlinhos Brown foi convidado, inicialmente, para compor apenas o tema de Obaluê. Acabou criando praticamente toda a trilha, inclusive a canção inicial, dos versos “Traga meu sorriso para dentro” e “Sou mais forte do que a minha dor”.  – A música veio na minha cabeça logo depois da primeira conversa com Deborah. Eu pensei: “Isso é um chamado, não é uma trilha normal”. É um trabalho muito mais profundo do que “Carlinhos está fazendo uma trilha” – diz o músico. Ele canta em português, ioruba e até em aramaico. Os 13 bailarinos também cantam, em hebraico e em línguas africanas. É algo que acontece pela primeira vez nos 27 anos de história da companhia.  Fundador da companhia ao lado de Deborah, o diretor executivo João Elias vê em “Cura” um passo ainda maior que o dado pela coreógrafa no trabalho anterior, “Cão sem plumas” (2017), baseado no poema de João Cabral de Melo Neto. – Quando começou a coreografar, Deborah era mais abstrata, formal. Depois, passou a contar histórias, aprimorar dramaturgias. “Cão sem plumas” já era um espetáculo visceral, emocionante. “Cura” é ainda mais, mostra um grande amadurecimento – analisa ele. Companheiro de Deborah em toda a trajetória, o cenógrafo e diretor de arte Gringo Cardia é outro que destaca a importância de “Cura” para a artista. – Ela era toda ciência. Passou por um crescimento espiritual. Foi conversar com Deus neste espetáculo – afirma. Sua assinatura está nas duas rampas que dão aos movimentos dos bailarinos a sensação de desequilíbrio. E também está nas caixas que, entre várias funções, formam um muro. – O muro passa a imagem de um grande obstáculo, mas ele se divide em vários pedaços. Então, é possível atravessá-lo. É como a gente faz nas nossas vidas – diz Gringo. Nos figurinos de Claudia Kopke – que esteve em “Cão sem plumas” – as pernas podem ter estilos bem diferentes, traduzindo o desequilíbrio que é um dos nortes do espetáculo.  – Os bailarinos têm as cabeças cobertas, usam balaclavas, mas o final é dourado, de alegria – explica. O iluminador Maneco Quinderé, que só havia trabalhado com a companhia em “Vulcão” (1994), também criou uma luz fragmentada, como sugerem as ideias de “Cura”. O final tem brilho, indicando renascimento.  – Cada segmento tem suas características, e eles formam um caleidoscópio – diz ele. [+] saiba mais Reflexões Femininas | Lançamento de livro 30/10 Arte e Conhecimento O livro “Reflexões Femininas” – vol. 1 é um projeto idealizado pela professora Ana Cristina Pinheiro que reúne reflexões de 100 mulheres para inspirar, iluminar, impactar, transformar e empoderar outras mulheres. A coordenadora ressalta a importância da abordagem de temas que envolvem o Universo feminino, que é fruto de um trabalho que reúne 100 textos produzidos por mulheres de diversas idades, profissões, classes sociais, graus de instrução, raça e credo que apresentam suas reflexões sobre a vida, compartilhando suas experiências através de artigos, poemas e textos repletos de propósitos e valores para engajar ainda mais mulheres na conquista de seus sonhos e projetos. Relatos, sentimentos e histórias que se transformaram em livro com o objetivo de deixar um legado para todas as mulheres. A obra conta também com um prefácio, elaborado por Sara Ferreira de Assumpção, mulher com deficiência, graduanda em Direito, estagiária, coordenadora do Grupo de Trabalho Mulheres com Deficiência na OAB Mulher RJ e Embaixadora Oficial do projeto social Sororidade Jurídica. “A não padronização dos gêneros textuais é um diferencial, por ser compreensível que cada compositora possui suas características, suas experiências, e o objetivo não é cientifizar as contribuições, mas enaltecer e levar visibilidade para elas, por meio delas mesmas, é inegável reconhecer o quanto a coordenadora conseguiu ser assertiva e autêntica com essa proposta”, afirma. Em 100 textos, o livro aborda assuntos de grande pertinência para o universo feminino como referenciais de superação, força, coragem, ressignificação, recomeços e muito mais.     Sobre a coordenadora da obra: - Ana Cristina Augusto Pinheiro é advogada, doutoranda e mestre em direito. Especialista em Direito Civil e Processo Civil. Professora da Graduação e Pós-Graduação da Universidade Estácio de Sá. Pesquisadora, mediadora de família, palestrante, membro do IBDFAM (Instituto Brasileiro de Direito de Família), do IBEROJUR (Instituto Iberoamericano de Estudos Jurídicos), do INPPDH (Instituto Nacional de Pesquisa e Proteção dos Direitos Humanos) e do LSA (Law and Society Association). Autora de vários artigos publicados em Congressos Internacionais. E-mail: ana.pinheiro@acpinheiro.com. Instagram: @Prof.AnaCrisPinheiro. Tel.: (21) 99698-9677 [+] saiba mais Yerushalayim Concert 2021 26/10 Música O espírito de um Povo Em uma homenagem à comunidade judaica do Rio de Janeiro, a Orquestra Rio Sinfônica apresenta um espetáculo que pretende emocionar pessoas de todas as idades. O concerto apresentará canções folclóricas judaicas, temas de filmes e musicais, tudo acompanhado de coro e orquestra com arranjos inéditos no Brasil. O Yerushalayim Concert contará um pouco da história do povo judeu, suas lutas, sua contribuição intelectual e cultural através de músicas que remetem a várias nacionalidades e a criação do Estado de Israel.   [+] saiba mais MULHERES IN RIO 2021 I Outubro Rosa 23/10 Arte e Conhecimento MULHERES IN RIO E SETOR DE ARTE E CONHECIMENTO DA CIDADE DAS ARTES Vamos reforçar o alerta ao movimento mundial que tem cor de esperança, cuidado, prevenção, auto-amor e pela vida!. O mês de outubro começa com um alerta: mais de 2 milhões de casos de câncer de mama foram registrados no mundo em 2020. Só no Brasil, foram 66 mil mulheres diagnosticadas. Enquanto isso, o número de mamografias realizadas durante a pandemia caiu pela metade. As fundadoras da Rede Mulheres in Rio, Marcia Thimóteo e Veronique Sales, realizarão a mediação da Roda de Conversa Outubro Rosa, recebendo convidadas para contar suas historias de superação do câncer de mama e especialistas do Instituto Nacional do Câncer, para ressaltar a importância da prevenção e do diagnóstico precoce da doença. CONVIDADAS Dra. Fabiana Tonelotto - Câncer de Mama e Fatores Endócrinos e Imunológicos Dra. Patrícia Arraes - Mitos, Tabus e a relação entre Nutrição e Câncer de Mama. Dra. Sabrina Chagas - Câncer de mama: Mitos e Verdades. Dra. Maria Julia - Quais exames para diagnosticar o câncer de mama? Luana Logatto - Como a autoestima pode ser desenvolvida!   MEDIAÇÃO Márcia Thimóteo e Veronique Sales #ARTEECONHECIMENTO   Tema: Quais exames para diagnosticar o câncer de mama? Dra Maria Julia Calas Mestrado e Doutorado pela UFRJ. Vice Presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia – Rio de Janeiro. Conselheira da Câmara Técnica da Mastologia do CREMERJ. Professora da Saúde da Mulher da UNESA. Idealizadora do projeto Nosso Papo Rosa. Tema: Mitos, Tabus e a relação entre Nutrição e Câncer de Mama. Dra. Patricia Arraes Nutricionista especialista em Oncologia pelo INCA, Nutrição Clínica, Terapia Nutricional Enteral e Parenteral. Nutricionista das Clínicas Oncomed e Pro Onco Mulher, Niterói e Rio de Janeiro. Diretora INPAR- Instituto Patricia Arraes. Tema: Câncer de mama: Mitos e Verdades. Dra. Sabrina Chagas Pós-graduada em Medicina Integrativa pelo Hospital Albert Einstein, médica Oncologista Clínica Oncologia d`Or Professora responsável pela cadeira de oncologia da Pós-Graduação de Mastologista da PUC. Membro da Academia Brasileira de Medicina de Reabilitação. Autora do livro: "Como estamos? Uma história sobre o câncer de mama, fé e coragem”. Co-idealizadora do Nosso Papo Rosa. Tema: Câncer de Mama e Fatores Endócrinos e Imunológicos Dra Fabiana Tonellotto Chefe do serviço de Mastologia do hospital do Câncer III/Inca Ministério da Saúde. Mastologista e Mestre em Oncologia pelo INCA. Tema: Como a autoestima pode ser desenvolvida! Luana Logatto Contadora por formação em 2017 decidiu empreender na área da beleza e hoje atua como diretora sênior da Mary Kay do Brasil, transformando a vida de mulheres levando, auto estima e bem estar através da consultoria de beleza, além de levar oportunidade de negócio e desenvolvimento profissional a suas consultoras de beleza e diretoras descendentes em sua carreira independente. Convida Elena Arreguy: 61 anos, paciente oncológica em tratamento do câncer pela segunda vez após 19 anos do primeiro. #ARTEECONHECIMENTO FUNDADORAS MULHERES IN RIO Márcia Thimóteo: Engenheira, 30 anos como Executiva em grandes corporações, hoje é Empreendedora, Consultora em Gestão Empresarial, Mentora de Negócios especializada em start ups, micro e pequenas empresas. Diretora de Projetos da ACENIL e Mentora voluntária para formação complementar de jovens estudantes de Escolas Públicas, trazendo temas de Inovação, Mindset, inteligência Emocional e Soft Skills. Sócia Fundadora do Hub de empreendedorismo Mulheres in Rio. Veronique Sales: Graduada em TI, Engenheira de Software, Desenvolvedor full stack e Web com expertise em SEO, Bacharel em Administração e se especializou e tem 20 anos de experiência no universo do marketing. Empreendedora e networker líder está à frente na abertura da Janela do Empreendedor no Rio de Janeiro com uma equipe de liderança inspirada e focada em apoiar os empreendedores da Cidade Maravilhosa. Sócia Fundadora do Hub de empreendedorismo Mulheres in Rio. [+] saiba mais BORA RIR | Espetáculo de Comédia Stand-up 22/10 Teatro O mês de Outubro na CIDADE DAS ARTES segue com muito bom humor ! O espetáculo de comédia stand-up BORA RIR(@borarirstandup) continua sempre às sextas-feiras, às 21H30, na Cidade das Artes, apresentando novos talentos do humor brasileiro a cada semana, com direção de PAULINHO SERRA.   O Bora Rir O décimo terceiro  show  trás  “Três conto” @tresconto com Cadu Manhães, Douglas Di Lima e Aarhon Pinheiro . Cada espetáculo é diferente do outro . Bora lá! Bora Rir! [+] saiba mais TRANSITIVIDADE I Exposição 09/09 a 21/10 Arte e Conhecimento Transitividade está associada a movimento, trânsito, deslocamento e geralmente depende de algo ou alguém para que aconteça.  Com a pandemia, os trânsitos físicos ficaram cada vez mais escassos prevalecendo as navegações digitais, em rede. O projeto de exposição Transitividade objetiva reunir 12 artistas visuais cujo ponto comum seja a produção de trabalhos desenvolvidos desde o início da pandemia, ou que ressignifique trabalhos anteriores que reflitam sobre o tema, independente do suporte utilizado, cujas imagens veicularam em redes sociais mediadas por um dispositivo digital. A ideia é que, além dos diálogos entre as obras dos artistas, a transitividade seja uma espécie de passagem do espaço virtual para o espaço físico real e assim sucessivamente em um constante fluxo de meios. A exposição transita por diferentes linguagens visuais entre pinturas, gravuras, objetos, desenhos e fotografias distribuídas entre 12 artistas contemporâneos. Idealização e curadoria: Raimundo Rodriguez e Mirela Luz Artistas: Ana Tavares, Claudia Lyrio, Deneir, Hugo Houayek, Julio Sekiguchi, Ivani Pedrosa, Lourdes Barreto, Mirela Luz, Osvaldo Carvalho, Pedro Sanchez, Raimundo Rodrigues, Viviane Teixeira. [+] saiba mais BORA RIR | Espetáculo de Comédia Stand-up 15/10 BORA RIR TRAZ COMÉDIA STAND-UP PARA A CIDADE DAS ARTES O mês de Outubro na CIDADE DAS ARTES segue com muito bom humor ! O espetáculo de comédia stand-up BORA RIR(@borarirstandup) continua sempre às sextas-feiras, às 21H30, na Cidade das Artes , apresentando novos talentos do humor brasileiro a cada semana, com direção de PAULINHO SERRA. O Bora Rir O décimo segundo show de “Improviso” com Paulinho Serra, Aarhon Pinheiro, Hamilton Dias, Fábio Nunes e Thiago Cardoso.  Depois da experiência de comandar o programa “Quinta Categoria”, na extinta MTV Brasil, Paulinho Serra quer levar um show similar em uma apresentação de humor que usa o improviso como conteúdo! São vários tipos de jogos onde 4 ou mais humoristas improvisadores fazem um show incrível utilizando ferramentas e sugestões de temas com participação o público simultaneamente. Cada espetáculo é diferente do outro . Bora lá! Bora Rir! [+] saiba mais AR I Roda de conversa sobre processos artísticos e criativos + Exposição 11/09 a 14/10 Arte e Conhecimento PROJETO AR O projeto ar tem como objetivo propor a discussão, por meio de encontros presenciais e com transmissão on-line, acerca das novas linguagens que surgiram durante a pandemia: convidando artistas, produtores culturais e críticos para conversar sobre os processos artísticos e criativos durante esse período e sua interseção com os meios de comunicação. Parceria: RIO WEB FEST, na captação de áudio e vídeo, transmissão ao vivo em nosso canal no YOUTUBE [+] saiba mais @CESSO 2021 | Empreendedorismo Digital 18/08 a 13/10 Arte e Conhecimento CIDADE DAS ARTES E RIOWEBFEST apresentam Em parceria com a Cidade das Artes, o maior festival internacional de webseries do mundo - Rio WebFest, apresenta a chamada para quarta turma do @cesso, um projeto com o objetivo de instrumentalizar pessoas com noções inicias de produção através dos princípios do empreendedorismo digital. Todos os participantes receberão passaportes para os eventos do festival que acontece aqui na Cidade das Artes em novembro. Os alunos receberão certificado de participação que será entregue na Abertura Oficial do evento, além de haver uma seleção de jovens talentos para integrar a equipe do Rio WebFest 2021. Esses jovens terão a oportunidade de experimentar as mais diversas funções e receberão ajuda de custo e alimentação. O Projeto atenderá prioritariamente jovens provenientes das comunidades carentes da Zona Oeste do município do Rio de Janeiro. É importante informar se houver casos de alunos com necessidades especiais para avaliarmos e nos prepararmos para uma possível adaptação das aulas. O fundador do Rio Webfest, Sp WebFest e Rio WebMercado, Daniel Archangelo, estará à frente do @cesso. Daniel também é proprietário da Dendrobates Cultura, é Diretor em Artes Cênicas formado pela UFRJ e ator formado pela Escola de Teatro Martins Pena, sócio da Charlote Produções Culturais e da Tentáculos Espetáculos. Sobre a área de ação Majoritariamente comunidades carentes no entorno da Cidade das Artes com expansão possível na Zona Oeste e outros bairros. [+] saiba mais