Fundação Cidade das Artes

Destaques da Programação

Dança

26/09

Preciosidades Vivara com Quasar Cia de Dança em O que ainda guardo A quarta edição do projeto Preciosidades Vivara celebra os 30 anos da Cia de Dança Quasar, que volta aos palcos com um espetáculo inédito criado pelo consagrado coreógrafo Henrique Rodovalho...

Dança

28/09 a 30/09

  ‘PRIMAVERA DA DANÇA’ Com BALLET DO THEATRO MUNICIPAL do Rio de Janeiro   Pela primeira vez o Ballet do Theatro Municipal se apresentará na Cidade das Artes em programa popular durante um único final de semana, criado por suas diretoras Ana Botafogo e Cecília Kerche, composto de trechos dos ballets de repertório, entre eles três ballets com música de Tchaikowsky, um dos maiores compositores de música para ballet O espetáculo tem os trechos mais amados do público carioca: O lago dos Cisnes, A Bela Adormecida, O Quebra-Nozes, Sheherazade e Raymonda O espetáculo inicia com o Grand Pas de Quatre, de Cesare Pugni, que desde 1845 mantém seu sucesso inalterado, sendo veículo para o virtuosismo das quatro bailarinas em cena...

Eventos Recentes

Preciosidades Vivara com Quasar Cia de Dança 26/09 Dança Preciosidades Vivara com Quasar Cia de Dança em O que ainda guardo A quarta edição do projeto Preciosidades Vivara celebra os 30 anos da Cia. de Dança Quasar, que volta aos palcos com um espetáculo inédito criado pelo consagrado coreógrafo Henrique Rodovalho. Inspirado na Bossa Nova, o programa foge ao relato linear. As relações criativas entre músicas e movimentos se darão em vários níveis de confronto e harmonia. Um espetáculo intrinsicamente brasileiro, sobre a união entre formas de criação que atingem diferentemente os sentidos da plateia: a energia e fugacidade da dança da Quasar, que dirige os olhares e provoca interpretações; a tessitura da Bossa Nova, estilo musical impregnado da alma de nosso país; o brilho de peças de design exclusivo, criadas com o mesmo cuidado com que os antigos ourives faziam joias eternas. Este conjunto não poderia receber outro nome, já que trata-se de uma tríade formada por riquezas culturais de inestimável valor.   Quando a Vivara convidou a Quasar Cia de Dança para criar um espetáculo que fosse inspirado no estilo musical mais originalmente brasileiro, a Bossa Nova - que também é tema de sua nova coleção de joias -, a reação foi de inquietação e alegria. Ao completar 60 anos, estas canções, nascidas de encontros entre compositores da Zona Sul do Rio de Janeiro, tornaram-se admiráveis em todas as partes do mundo, e só isso já bastaria para serem desafiadoras a qualquer coreógrafo. Unindo-se a isto a memória emotiva que cada uma das letras e notas deste cancioneiro provoca, é tarefa vigorosa produzir movimentos que desabrochem em novos significados e sentidos.   Tendo tudo isto em mente, nasceu em nós a primordialiade de assumir esse desafio, principalmente por este ser o ano em que a Quasar completa três décadas de existência e de uma trajetória reconhecida nacional e internacionalmente. Um trabalho legitimamente brasileiro, que dialoga com grande parte das manifestações culturais de nosso tempo, incluindo a própria Bossa Nova.   Este é um trabalho que antes de ter sido inicado suscitou diversos questionamentos, principalmente sobre como a música move a dança da Quasar, e sobre como é possível traduzir uma obra musical tão própria em um espetáculo cênico instigante e hodierno. Em resumo, a busca foi continuamente por produzir um resultado final sensível, belo, fascinante, pleno em sua forma e em sua importância para o mundo das artes.   E o momento para esta emersão da Quasar não poderia ser mais apropriado. A preciosidade do espetáculo também está envolta em uma aura de ressurgimento, de ressignifcação, de rebrotagem, de um grupo que presencia momentos delicados de sua história, mas que também encontra na tarefa de produzir uma nova criação, um instante de frescor, de contemplação de novas possibilidades e novos encontros.   “Preciosidades” não será um relato linear. A coreografia não será uma história ou uma ideia que se desenrolará no tempo da encenação. As relações criativas entre músicas e movimentos se darão em vários níveis de harmonia ou confronto. As letras das canções de Bossa Nova foram pontos chave para que um tipo de movimento se arquitasse entre coreógrafo e intérpretes. Os temas abordados pelos compositores, muitos deles singelos e ligados a um cotidiano ingênuo e pueril, nesta trilha sonora são cantados como se fossem conversas entre amigos, e esta maneira coloquial de fazer poesia inspirou um tipo de movimentação que permeia toda obra. A partir daí o espetáculo foi se revelando como um diálogo provocativo e nada previsível, entre as canções e seus temas, e as coreografias que foram criadas e seus movimentos. O corpo se tornou, então, linguagem em si e expressão de algo maior.   O espetáculo ainda faz uma homenagem aos 30 anos da Quasar, resgatando imagens que retomam a essência da Companhia. Instantes de espetáculos que se tornaram preciosos e únicos em nossa trajetória, e que cintilam nesta nova criação, provocando uma espécie de reminiscência em nossos espectadores.   Com este precioso convite da Vivara, Preciosidades é o tema, Preciosidades é o nome!   Henrique Rodovalho [+] saiba mais Dia da Música Colonial Brasileira | José Maurício Nunes Garcia | Temporada de Câmara 29/09 Música Dia da Música Colonial Brasileira – José Maurício Nunes Garcia    O mês de setembro é da música colonial brasileira e a Associação de Canto Coral, na sua obrigação perante a memória musical brasileira, reverencia o principal compositor do período: José Maurício Nunes Garcia. Para os concertos do mês separamos músicas de diversas fases do padre mestre: As Vésperas de Nossa Senhora de 1797 revelam uma faceta importante do padre: obra da primeira fase do compositor, mostra o gosto do padre pela sonoridade homofônica coral, realçando a mistura das vozes, pelos contrastes de dinâmica, e pelas intervenções de solistas. O Te Deum de 1809 é da segunda fase do compositor. Como mestre da Capela Real, este foi um momento áureo para o padre e o período em que compôs mais obras. Composto para as matinas de São Pedro, é a obra da fase de maior sucesso. Com um amplo solo de tenor que perdura durante a obra inteira, a música é feita em torno da voz solista. São perceptíveis as diferenças harmônicas em relação às Vésperas de Nossa Senhora, bem como o uso dos uníssonos, tão presente na obra do compositor a partir da segunda fase. O Laudate Pueri de 1821 é obra da fase mais madura do compositor. Escrito nove anos antes de sua morte, mostra o gosto do padre pelas modulações inesperadas; o movimento central põe em evidência a voz solista e finaliza com a mesma música do primeiro movimento, porém com outro texto, mostrando a preocupação com a reexposição dos elementos composicionais, dando sentido narrativo da obra. O concerto também é composto por In convertendo dominus. Obra sem data definida, traz a beleza de seu conhecimento harmônico de José Maurício. Na música, é possível observar os contrastes de mistura e dinâmica vocal e as intervenções solistas próprias do compositor. José Maurício Nunes Garcia é figura ímpar para o brasileiro. Ele representa uma parcela importante da sociedade de sua época e sua maneira de fazer música. Precisa ser reverenciado sempre.     História da Associação de Canto Coral   A Associação de Canto Coral (ACC) foi criada em dezembro de 1941, tendo como patrono musical o compositor Heitor Villa-Lobos e, como diretora artística, a maestrina Cleofe Person de Mattos. A ACC tem o objetivo de divulgar o patrimônio musical brasileiro, sobretudo por meio de concertos no Brasil e no exterior, e gravações das principais obras corais-sinfônicas do período colonial. Até a presente data, a Associação de Canto Coral já realizou mais de 750 concertos. Preocupada com a formação de público, com a preparação de novas gerações de cantores e com a reciclagem de profissionais atuantes no meio musical, a ACC promove palestras, ciclos de leituras de obras corais, vídeos comentados, musicalização infantil, cursos para professores, estudantes de música e comunidade coral, entre outras atividades que venham melhorar a formação da comunidade e estimular o interesse pela música de concerto.  A diretora artística Cleofe Person de Mattos dedicou-se à pesquisa de obras de compositores de nosso passado musical, especialmente as obras do Padre José Maurício Nunes Garcia. Tornou-se papel da instituição a difusão do resultado dessas pesquisas que apresentou em concertos, inclusive em primeiras audições contemporâneas. De 1995 a 2012, a instituição teve como diretor artístico o Maestro Carlos Alberto Figueiredo e a Maestrina Valéria Matos, que continuaram a orientá-la com os mesmos ideais artísticos. E em 2013, a direção musical é assumida pelo Maestro Jésus Figueiredo.  A Associação já atuou com grandes orquestras, sob a regência de maestros internacionais como: Igor Strawinsky, Karl Richter, Victor Tevah, sir Colin Daves, Helmuth Rilling, Jacques Pernoo; e maestros brasileiros como Villa-Lobos, Camargo Guarnieri, Francisco Mignone, Isaac Karabtchevsky, Alceo Bocchino, Benito Juarez e Henrique Morelenbaum. Sua numerosa discografia inclui autores nacionais como José Maurício Nunes Garcia e os setecentistas mineiros; os nacionalistas Villa Lobos, Francisco Mignone, Brasílio Itiberê e Camargo Guarnieri; e os contemporâneos Almeida Prado e Marlos Nobre. A Associação de Canto Coral é reconhecida como órgão de Utilidade Pública Federal, sem fins lucrativos e não conta com nenhuma subvenção pública, por essa razão se mantém pela contribuição de sócios e pelo eventual apoio de empresas privadas.     Crédito das fotos: Esteban Ibarra [+] saiba mais Duo Interarte | Temporada de Câmara 30/09 Música DUO INTERARTE Paulo Santoro - violoncelo Cyro Delvizio - violão   Um violoncelo, um violão e dois músicos interessados em desvendá-los musicalmente. Nesse espetáculo inédito, os dois instrumentos interagem, dançam, se imitam e entrelaçam. Ora perpassam standards de Villa-Lobos, Tom Jobim e Piazzolla (entre outros), ora os reinventam com novos arranjos. E as vezes até superam seus propósitos iniciais: em “Polichinelo” de Villa-Lobos, o violão (com a fricção de lixa de unha) simula o arco de seu companheiro. Por outro lado, no conhecido “Samba de uma nota só” de Tom Jobim, os instrumentistas se unem em um único violoncelo e o fazem soar como um violão. Paulo Santoro, incansável em sua arte de divulgar o violoncelo, estreia neste concerto seu mais novo grupo de câmara: o Duo Interarte, dividindo o palco com seu ex-aluno de música de câmara na UFRJ, hoje um conceituado profissional.     Paulo Santoro Um dos mais destacados violoncelistas brasileiros de sua geração, é professor de violoncelo do Conservatório Brasileiro de Música e violoncelista do Duo Santoro, do Quarteto Brasiliana, do Quarteto Concertante, da Orquestra Sinfônica da UFRJ e da Orquestra Sinfônica Brasileira. Bacharel em violoncelo pela UFRJ, onde foi professor de música de câmara, é Mestre em Práticas Interpretativas pela UNIRIO. Estudou na Indiana University School of Music com os professores Emilio Colón, Tsuyoshi Tsutsumi e Janos Starker. Fez parte da Indiana University Philharmonic Orchestra e da Indiana University Concert Orchestra sob a regência dos maestros Kurt Masur e Mstislav Rostropovitch. Participou ainda do Indiana University Cello Ensemble. Apresentou-se em recitais por todo o Brasil e em países como África do Sul, Paraguai, Bolívia, República Dominicana, Alemanha, Suíça e Estados Unidos, além de ter tocado como solista de várias orquestras, dentre elas a Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Sinfônica Nacional da UFF, Orquestra Sinfônica da UFRJ, Orquestra Sinfônica da Paraíba e Orquestra Sinfônica do Espírito Santo. Vencedor do XIII Prêmio Carlos Gomes na categoria conjunto de câmara pelos concertos com a série de 17 quartetos de Villa-Lobos, foi agraciado com o prêmio Rumos Itaú Cultural na edição 2007-2009, lançando um DVD ao vivo em São Paulo. Com o prestigiado Duo Santoro, já se apresentou no famoso Carnegie Hall de Nova York e gravou os CDs “Bem Brasileiro” e “Paisagens Cariocas”, obtendo excelente aceitação do público e da crítica especializada.     Cyro Delvizio Concluiu o curso de Bacharelado em Violão na UFRJ, sob orientação de Graça Alan e do renomado concertista Turíbio Santos, e o curso de mestrado em Musicologia na mesma instituição, sob orientação de Márcia Taborda, com a dissertação “Agustín Barrios e o Brasil: um relato histórico sobre sua interação com o meio artístico brasileiro. Foi professor substituto de violão na Escola de Música da UFRJ entre 2012-14 e 2016. Atualmente, é “Doutorando em Performance” na USP, sob orientação do prof. Dr. Edelton Gloeden, focando-se na pesquisa e execução dos desafiadores "12 Estudos para violão" de Francisco Mignone. Venceu a VI Seleção de Jovens Talentos da AV-Rio, o V Concurso Nacional de Violão Fred Schneiter, o I Concurso de Composição da UNIRIO. Já participou de master classes com Fábio Zanon, Cláudio Tupinambá, David Jerome (EUA), Eduardo Isaac (Argentina), Pablo Marfil (Argentina), Marcelo de La Puebla (Chile), José Antonio Escobar (Chile) e Alvaro Pierri (Uruguai). Integrou o “Conjunto de Violões da UFRJ” e, atualmente, integra o Duo Cancionâncias, junto à soprano dramático Manuelai Camargo. Em 2013, o conjunto lançou seu primeiro CD “Saudades” e participou do projeto “SESC Sonora Brasil”, realizando uma turnê de 130 concertos entre 2013 e 2014. Em junho de 2016 este duo realizou concerto no “GFA International Convention 2016” em Denver, EUA (o mais importante festival de violão país). Cyro realizou turnês pelo México em 2012, 2013 e 2014 para gravação e lançamento de seu primeiro CD solo, “Reminiscências do Brasil” pelo selo TASTO/TEMPUS, cujo repertório faz um panorama dos últimos 60 da música brasileira para violão.     PROGRAMA     G. BOTTESINI  -  Elegia em Ré   A. BARRIOS  -  La Catedral   H. VILLA-LOBOS  -  Melodia Sentimental  -  Choro nº 1  -  Samba-Clássico  -  O Polichinelo   TOM JOBIM  -  Tema de Amparo  -  Samba de uma nota só   A. PIAZZOLLA  -  Ave Maria  -  Café 1930  -  Nightclub 1960  -  Libertango [+] saiba mais Primavera da Dança com BALLET DO THEATRO MUNICIPAL do Rio de Janeiro 28/09 a 30/09 Dança   ‘PRIMAVERA DA DANÇA’ Com BALLET DO THEATRO MUNICIPAL do Rio de Janeiro   Pela primeira vez o Ballet do Theatro Municipal se apresentará na Cidade das Artes em programa popular durante um único final de semana, criado por suas diretoras Ana Botafogo e Cecília Kerche, composto de trechos dos ballets de repertório, entre eles três ballets com música de Tchaikowsky, um dos maiores compositores de música para ballet O espetáculo tem os trechos mais amados do público carioca: O lago dos Cisnes, A Bela Adormecida, O Quebra-Nozes, Sheherazade e Raymonda. O espetáculo inicia com o Grand Pas de Quatre, de Cesare Pugni, que desde 1845 mantém seu sucesso inalterado, sendo veículo para o virtuosismo das quatro bailarinas em cena. Segue-se o Adagio da Rosa do 1º ato de “A Bela Adormecida”, que acontece quando a Princesa Aurora é cortejada por quatro príncipes pretendentes à sua mão em seu 16º aniversário. Em sequência, com Música de Vassily Soloviev, do ballet Taras Bulba, o solo masculino intitulado Gopak. Esta dança popular da Ucrânia tem origem no verbo hopati, que significa saltar e corresponde a exclamação Hop!, entoada durante a dança. Geralmente, é uma dança masculina e de muitos saltos acrobáticos. O 4º Ballet é um trecho do 3º ato d’O Lago dos Cisnes que representa a Hungria  com suas típicas Czardas,  dançadas pelo Corpo de Baile nos festejos de aniversário do Príncipe Siegfried. De ‘O Quebra-Nozes’ teremos o famoso Pas de deux, que exige dos dois bailarinos a mais alta técnica em dança para fazer jus à música de Tchaikovsky, talvez a melhor que ele tenha composto para um balé. Finalmente, o Pas Hongrois, extraído do último ato de “Raymonda”, passa-se no Século XIII e encena o casamento dos dois heróis, no qual todos os bailarinos do Theatro tomam parte, com música de Glazunov.        O Theatro Municipal é vinculado à Secretaria de Estado e Cultura do Rio de Janeiro  Corpo de Baile do Theatro Municipal Direção Ana Botafogo e Cecilia Kerche      PROGRAMA:   Pas de Quatre de Pugni  -  13:38 min Música: Cesare Pugni          Coreografia: segundo Jules Perrot Marie Taglioni: Claudia Mota ou Deborah Ribeiro Lucile Grahan: Juliana Valadão ou Rachel Ribeiro Carlotta Grisi: Fernanda Martiny ou Renata Tubarão Fanny Cerrito: Carla Carolina ou Viviane Barreto     Adágio da Rosa  -  8:34 min Música: P. I. Tchaikovsky                         Coreografia: Marius Petipa Bailarinos: Claudia Mota ou Fernanda Martiny ou Juliana Valadão, Alysson Trindade, Bruno Fernandes, Carlos Cabral, Edifranc Alves, Ivan Franco, Saulo Finelon, Yitzhack Davi     O Quebra Nozes - Pas de deux   -  8:47 min Música: P.I.Tchaikovsky  Coreografia: Marius Petipa Claudia Mota e Filipe Moreira Renata Tubarão e Alef Albert      Gopak  -  1:10min Solo do ballet Taras Bulba Música: Vassily Soloviev Coreografia: Ygor Mosseyev Bailarino: Cícero Gomes     Czardas  -  3:02 min Música: P. I. Tchaikovsky Coreografia: Marius Petipa Solistas: Carla Carolina, Fernanda Martiny, Viviane Barreto, Melissa Oliveira, Aloani Bastos, Rachel Ribeiro, Edifranc Alves, Saulo Finelon, Santiago Jr., Wellington Gomes CB: Ana Paula Siciliano, Bianca Lyne, Elida Brum, Flávia Carlos, Margherita Tostes, Melissa Oliveira, Monica Barbosa, Thais Danello, Vanessa Pedro, Alysson Trindade, Bruno Fernandes, Mateus Dutra, Paulo Ricardo, Saulo Finelon, Sergio Martins, Yitzhack Davi, Michael Willian (EEDMO)     Intervalo     Sheherazade  -  11:25 min Música: Nicolai Rimsky-Korsakov Coreografia: Michel Fokine Deborah Ribeiro e Cicero Gomes Renata Tubarão e Filipe Moreira     Raymonda  -  14:08 min Música: Alexander Glazunov Coreografia: Marius Petipa Cláudia Mota e Cícero Gomes ou Juliana Valadão e Alef Albert, Aloani Bastos, Carla Carolina, Fernanda Martiny, Flavia Carlos, Margheritta Tostes, Rachel Ribeiro, Thaís Danello, Viviane Barreto Alyson Trindade, Bruno Fernandes, Edifranc Alves, Ivan Franco, Santiago Jr., Saulo Finelon, Wellington Gomes, Yitzhack Davi Substitutos: Marcella Borges e Michael Willian (EEDMO) Quarteto Masculino: Edifranc Alves, Wellington Gomes, Alyson Trindade, Yitzhack Davi Quarteto Feminino: Carla Carolina, Rachel Ribeiro, Aloani Bastos, Thaís Danello     [+] saiba mais Duo Debret | Temporada de Câmara 06/10 Música O concerto faz as conexões que existem entre as músicas brasileira, francesa e espanhola.  O repertório foi selecionado especialmente para mostrar as intersecções entre essas três culturas.  O concerto visa também homenagear o centenário de Claude Debussy, bem como sua amizade com Manuel de Falla.     Programa: 1- A Chloris - R. Hahn 2- Três melodias – Debussy • Romance • Beau Soir • Paysage Sentimental 3- Je te veux - E. Satie 4- Prelúdio V - H. Villa Lobos Luiz Mello, violão 5- Ciclo Beiramar – Marlos • Estrela do mar • Iemanjá otô • Ogum de lê 6- Rumores de la caleta - Isaac Albéniz Luiz Mello, violão 7- Cancion de cuna para dormir a un negrito - X. Montsalvatge 8- Siete canciones populares españolas - Manuel de Falla   • El paño Moruno • Seguidilla murciana • Asturiana • Jota • Nana • Canción • Polo         Mariana Gomes   Bacharel em Canto lírico na Universidade Federal do Rio de Janeiro, o soprano Mariana Gomes iniciou seus estudos musicais aos nove anos de idade no Coral das Meninas Cantoras de Petrópolis, onde participou de concertos importantes como o Projeto Aquarius, com a OSB e regência de Isaac Karabtchevsky. Como solista, participou de concertos como: A 9a Sinfonia de Beethoven com Orquestra Camerata SESI em Vitória, sob regência de Leonardo David; Les Mélodies na sala Cecília Meireles, sob direção de André-Heller Lopes; Missa Brevis e Creator Alme Siderum de Padre José Maurício, na Antiga Sé do Rio de Janeiro, com a OSUFRJ sob regência de Ernani Aguiar, entre outros. Em óperas, interpretou personagens como Hansel de Hansel und Gretel de Humperdinck, com a OSUFRJ, sob regência de Ernani Aguiar; A bruxa na ópera O menino maluquinho de Ernani Aguiar, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, sob regência de Roberto Duarte; Nedda da ópera Il Pagliacci de R. Leoncavallo, no Palácio das Artes em Belo Horizonte, sob regência de Silvio Viegas, entre outras. Desde de 2017, Mariana é integrante da Academia de Ópera Bidu Sayão, a qual faz parte do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Pela Academia, solou no Concerto Operetas e na Série Villa-Lobos, ambos no palco do Theatro Municipal. Luiz Mello Luiz Mello graduou-se no curso de bacharelado em performance (violão clássico) pelo Royal Conservatoire of Scotland; curso para o qual recebeu bolsa integral pelo período de quatro anos. Trabalhou como professor na FAETEC Marechal Hermes, como músico no Projeto Mini Concertos Didáticos (Museu Villa-Lobos) e com oficinas de música para dependentes químicos em reabilitação, no Instituto Franco Basaglia (CAPS - Alameda). Como pesquisador, publicou o artigo intitulado O nacionalismo musical na obra de Manuel de Falla e Federico Garcia Lorca, na revista portuguesa Guitarra Clássica. Como concertista, participou de importantes festivais, como o 48° Festival Villa-Lobos, no West End Festival de 2013, em Glasgow, no Fringe de 2014, em Edimburgo, e do festival de música minimalista Minimal Glasgow, em 2015, onde executou a peça Electric Counterpoint, de Steve Reich (com próprio compositor na plateia), no Glasgow Royal Concert Hall. Como teorbista, participou do Music of Spheres Consort, acompanhando as óperas Acis & Galatea (Handel), Il Ritorno di Ulisse (Monteverdi), e novamente no West End Festival (2014) com concerto Jewish Music in Baroque Italy, além de várias cantatas e árias. [+] saiba mais O Rio e Grande Elenco I Teatro 05/10 a 06/10 Teatro "O Rio e Grande elenco” trata-se de uma apresentação de cenas bem humoradas do cotidiano carioca com mais de 30 atores em cena. A proposta do grupo de colaboração coletiva é satirizar casos do dia-a-dia do carioca de forma leve, livre e muito divertida. Tudo isso acontecerá sob a direção do ator e diretor Raphael Ghanem nos dias 05 e 06 de Outubro às 21h, na Grande Sala da Cidade das Artes. Não perca! [+] saiba mais Jovem Mágico Gabriel Montenegro - Show de Ilusionismo 22/09 a 07/10 Teatro   O ESPETÁCULO   JOVEM MÁGICO é um espetáculo de ilusionismo e interpretação de grandes números que vão “bugar” a sua cabeça.   Apresentado pelo ator e ilusionista Gabriel Montenegro, o show traz uma sequência de truques, dança, música e interpretação jamais vistas no Brasil.   Associando anos de treino, uma equipe de primeira linha e os melhores equipamentos do mundo, JOVEM MÁGICO é um espetáculo para todas as idades, públicos e espectadores. Não perca essa mágica.     Foto Helmult Hossmman   Criação: Gabriel Montenegro Direção: Fernando Nipper Produção: Executiva Fatima Montenegro Realização: Montenipper Produções         GABRIEL MONTENEGRO Ator e ilusionista, nascido e criado no meio das artes, sempre teve sua maneira particular de interpretar. Desde criança impressiona amigos e familiares de todas as idades. Carismático e performático, Gabriel encanta a todos com seu sorriso, simplicidade e principalmente pela sua criatividade. Começou sua carreira no Teatro aos cinco anos de idade. No mesmo ano, foi convidado para realizar a locução das Obras de Cândido Portinari, na TV Futura. De lá pra cá, começou a fazer participações em novelas e seriados. Filho da atriz Fátima Montenegro, começou, com 14 anos, a realizar seus filmes pela Montenegro Produções, sendo assim, um jovem realizador, especialista em efeitos especiais, edição, roteiro e direção, Gabriel Montenegro agora, mais do que nunca, se apresentando com o seu Show Jovem Mágico, sem deixar de lado suas obras, idéias e mágicas especiais!       Realização Montenipper Produções   www.montenipper.com.br contato@montenipper.com.br 5521980900717 @montenipper   [+] saiba mais Gisberta | Teatro 12/10 a 14/10 Teatro “Gisberta”, com Luis Lobianco, em três únicas apresentações na Cidade das Artes   O espetáculo mistura política, história, música, teatro, humor, poesia e ficção para falar de Gisberta Na TV Globo, Luis Lobianco faz sua estreia em novelas como a "Segundo Sol", no Canal Gloob o ator está no elenco da série infantil “Os Valentins” e na sexta temporada do humorístico “Vai que cola”, no Multishow. No cinema é protagonista do longa-metragem “Carlão e Carlinhos” de Pedro Amorim, ainda sem data de lançamento. Luis Lobianco é também criador dos espetáculos do Buraco da Lacraia, Rival Rebolado e Portátil A Cidade das Artes recebe Gisberta, nos dias 12,13 e 14 de outubro, o espetáculo “Gisberta, drama musical estrelado por Luis Lobianco, que conta a história ainda pouco conhecida de Gisberta, brasileira vítima da transfobia que teve morte trágica em 2006, na cidade do Porto.   Idealizado por ator Luis Lobianco, com direção de produção de Claudia Marques, texto de Rafael Souza-Ribeiro e direção de Renato Carrera, o espetáculo mistura política, história, música, teatro, humor, poesia e ficção para falar de Gisberta, brasileira vítima da transfobia que teve morte trágica em 2006, na cidade do Porto, em Portugal. Gisberta atravessou o oceano para buscar um território livre, mas morreu no fundo do poço, afogada em ódio e água. Na ocasião o caso ganhou destaque nas discussões sobre a transfobia em Portugal e Gisberta se tornou (e até hoje é) ícone na luta pela conscientização para uma erradicação dos crimes de ódio contra gays, lésbicas e transexuais. Em 2016, dez anos após a sua morte, Gisberta foi amplamente lembrada em Portugal por meio de inúmeras reportagens. Recentemente, em 14 de fevereiro de 2017, Gisberta deu nome ao primeiro centro de apoio a população LGBT do norte de Portugal, “Centro Gis”, em Matosinhos, distrito do Porto.   “Já o Brasil, na contramão, é um dos países que mais comete crimes de transfobia e homofobia, números que não param de crescer junto com uma onda conservadora de intolerância com as diferenças. Se não conseguimos mudar as leis que não nos protegem, que a justiça seja feita no teatro, com música e luzes de Cabaré. Que venham as identidades de humor, gênero, drama, música, tragédia e redenção. O caso de Gisberta não é conhecido por aqui e decidi que Gisberta vai reviver a partir da arte e será amada pelo público.” – afirma Luis Lobianco   Para contar a história de Gisberta, que é praticamente desconhecida no Brasil e que é também a história de tantas outras vítimas da transfobia, Luis Lobianco interpreta vários personagens com texto concebido a partir de relatos obtidos em contatos pessoais com a família de Gis, do processo judicial, de visitas ao local da tragédia e por onde Gisberta passou. De forma muito delicada, a peça transita entre dois gêneros: o humor, pois Gisberta era uma pessoa muito alegre e divertida, e o drama. Em cena, três músicos acompanham o ator: Lúcio Zandonadi (piano e voz), Danielly Sousa (flauta e voz), Rafael Bezerra (clarineta e voz).   “Gisberta não está em cena, o Luis Lobianco não interpreta a Gis, mas nós chegamos bem perto dela.” – afirma o diretor Renato Carrera   “Eu sou em cena o contador da história de Gisberta. Para que o público sinta a sua presença e ausência uso todos os recursos que posso para criar empatia a ponto de tê-la como alguém muito íntima, uma amiga querida.” – conclui Luis Lobianco   Uma breve história de Gisberta   Caçula de uma família com oito filhos, nascida e moradora do bairro Casa Verde, em São Paulo, ainda na infância Gisberta dava sinais de que estava num corpo que não correspondia à sua identidade. Após a morte do pai, deixou os cabelos crescerem definitivamente. Em 1979, aos 18 anos, quando suas amigas morriam assassinadas, na capital paulista, com medo de ser a próxima vítima, deixou o Brasil rumo a Paris. Mais tarde, já depois de realizar tratamento hormonal e fazer implante de silicone nos seios, mudou-se para o Porto, no Norte de Portugal. Muito alegre e divertida, rapidamente enturmou-se na cena gay local. Fazia apresentações em bares e boates. Por 10 anos foi a estrela brasileira da noite portuense. Sem muito jeito com qualquer tipo de liberdade viveu tudo o que nunca experimentou de forma voraz: cantou de Vanusa a Marilyn, bebeu, fumou, cheirou, amou e adoeceu no cabaré. Foi muito feliz, tinha muitos amigos e admiradores. Poupava energia para as cartas e fotos que mandava para a família, queria garantir que estava segura. Um dia os seus dois cães fugiram de casa e foram atropelados na sua frente. Gis definhou de depressão e Aids. Perdeu os cabelos conquistados e o visto de imigrante, passou a vestir trapos sem gênero e foi morar na rua. Num prédio abandonado foi encontrada, no final de 2005, por um grupo de 3 meninos mantidos pela Oficina de São José, uma instituição religiosa da vizinhança. No início as crianças ofereceram comida e agasalho, mas a lógica do grupo se converteu em um ódio súbito e inexplicável quando outros 11 meninos se juntaram ao grupo inicial. A partir de 15 de fevereiro de 2006, Gisberta sofreu vários dias de tortura e finalmente, acreditando que ela estava morta, foi jogada ainda com vida dentro de um poço cheio de água. Conclusão do processo: morte por afogamento. Gis, como ela gostava de ser chamada, já vivia sufocada, sua morte foi síntese da sua vida – culpa do ódio e não da água.   “O mundo passa por uma grande crise de identidade: o que somos essencialmente e onde podemos viver o que somos? Refugiados podem ser inteiros fora de seus territórios sem inspirarem ameaça? Há liberdade para identidade de gênero mesmo que se tenha nascido em um corpo de outro sexo? Gays podem se amar sem exposição à violência? A reação para o rompimento com padrões sociais é uma explosão de violência cotidiana sem precedentes. Quanto mais ódio, mais a afirmação da identidade se impõe. No ar a sensação de um grande embate mundial iminente - não tem mais como se esconder no armário. Ser livre ou servir à intolerância: eis a questão.” – comenta Lobianco   Trajetória do espetáculo “Gisberta”   “Gisberta” estreou nacionalmente no dia 1º de março de 2017, no CCBB Rio de Janeiro, onde permaneceu em cartaz até 30 de abril. Em junho fez temporada no Teatro Dulcina, casa histórica no corredor cultural da Cinelândia, Centro do Rio. Em novembro de 2017 fez temporada no CCBB Brasília e em janeiro de 2018 no CCBB Belo Horizonte, em abril de 2018 Gisberta fez parte das comemora. Ainda em 2018 fará temporada em São Paulo e em 2019 fará temporadas em Lisboa e Porto.   Luis Lobianco, ator de teatro, cinema, TV e internet   Nascido no Rio de Janeiro, Luis Lobianco faz teatro desde 1994. Em 2012, se formou na CAL e foi dirigido por nomes, como: Aderbal Freire-Filho, Moacyr Chaves, Marcelo Saback e Ruy Faria; atuando em mais de 30 montagens teatrais até hoje. Também foi criador dos espetáculos do Buraco da Lacraia, Rival Rebolado e Portátil, todos em cartaz atualmente. Lobianco também é ator fixo do canal Porta dos Fundos desde sua criação há quatro anos. No cinema já esteve em dez produções entre 2012 e 2017. Lobianco foi indicado ao prêmio F5 da Folha de São Paulo por seu trabalho para TV, como o protagonista de “O Grande Gonzalez”, coprodução da FOX com o Porta dos Fundos. Em 2018: É protagonista do longa-metragem “Carlão e Carlinhos”, de Pedro Amorim, ainda sem data confirmada. Está na segunda temporada da série infantil “Os Valentins”, do canal Gloob, que estreia dia 12 de março, interpretando o vilão Randolfo, ao lado de Claudia Abreu, Guilherme Weber e Guida Vianna. Está na sexta temporada do “Vai que cola”, do Multishow. Na TV Globo está em cartaz com o personagem Clóvis em “O Segundo Sol” marcando sua estreia em novelas.   “O Buraco da Lacraia é um projeto que mudou minha vida. Uma ocupação teatral que desenvolve uma linguagem artística completamente nova, diferente de tudo, e ainda me deu uma família artística! É um projeto artesanal, muito respeitado e o lucro é na alma, não no bolso. É o meu brinquedo preferido mas também uma das coisas mais sérias que fiz na vida.” – comenta Luis Lobianco   Ficha técnica   Atuação: Luis Lobianco Texto: Rafael Souza-Ribeiro Direção: Renato Carrera Direção de Produção: Claudia Marques Músicos: Lúcio Zandonadi (piano e voz), Danielly Sousa (flauta e voz), Rafael Bezerra (clarineta e voz) Pesquisa Dramatúrgica: Luis Lobianco, Renato Carrera e Rafael Souza-Ribeiro Investigação: Luis Lobianco e Rafael Souza-Ribeiro Trilha Sonora e músicas compostas: Lúcio Zandonati Iluminação: Renato Machado Cenário: Mina Quental Figurino: Gilda Midani Preparação Vocal: Simone Mazzer Direção de Movimento: Marcia Rubin Assessoria de Imprensa: Ney Motta Programação Visual: Daniel de Jesus Fotos de divulgação: Elisa Mendes Produção e realização: Fabrica de Eventos Idealização: Luis Lobianco     Atendimento à Imprensa Ney Motta | contemporânea comunicação assessoria de imprensa 21 98718-1965 e 2539-2873 neymotta@gmail.com [+] saiba mais Duo AMA | Temporada de Câmara 20/10 Música DUO AMA, formado pelos pianistas, Angela Passos e Mayer Goldenberg; premiados internacionalmente e já tendo se apresentado em mais de 30 cidades da Europa, Estados Unidos e América do Sul. O "4/2 Recital" ou "4 por 2 Recital", é um formato inovador criado pelo Duo em 2006,  onde apresentam um repertório que promove a música brasileira de concerto e os compositores que a influenciaram em obras solo e a 4 mãos.   Angela Passos, jovem pianista brasileira, nascida em Niterói (RJ), iniciou seus estudos de piano aos 7 anos com a professora e compositora Laura Pummar (aluna de Magda Tagliaferro e Jaques Klein), depois continuando com a professora Cely Periard no Conservatório de Música do Estado do Rio de Janeiro, onde concluiu o Curso Técnico. Licenciada em música pela Universidade Cândido Mendes e Bacharel em Piano pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, sob a orientação da professora e pianista Tamara Ujakova. Complementou sua formação participando de master classes e cursos com os conceituados pianistas internacionais: Arnaldo Cohen, Richard Raymond (Mc Gill University-Canadá), Rudolf Kherer (Alemanha), Michael Ude (Karlsruhe-Alemanha), Moderhay Simony, Roberto Bravo (Chile), Pavel Nercessian (Conservatório Tchaikovsky-Rússia), Édson Elias (Ecole Normale de Musique de Paris– França), Menahem Pressler (Alemanha), Jose Luis Juri ( Argentina), Michele Campanella (Itália), entre outros. Tem se apresentado em recitais, concertos e gravações pelo Brasil, America do Sul, EUA e Europa, em locais como: Sala Cecília Meirelles, Salão Leopoldo Miguez, Série Música no Museu, Projeto Cidade da Música, Teatro UFF, Teatro Municipal de Niterói, Salão Dourado do Fórum da Ciência e Cultura da UFRJ, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Espaço Furnas Cultural, Auditório Cultura Inglesa de São Paulo, Teatro Castro Alves, Hoslclaw Hall (EUA), Sala Roma (Italia), Teatro San Giuseppe (Itália), Palacio London (Viena), Clavier-Salon (Alemanha), Teatro del Viejo Concejo ( Argentina), dentre outras. Obteve premiações no I e II Concurso de Piano Espaço Jovem Musiart (RJ), Concurso Internacional “Honorina Barra” (PR), Concurso da OSBA (BA), II Concurso Furnas Geração Musical (RJ). Desde 2006, juntamente com o pianista Mayer Goldenberg, possui o Duo AMA, um projeto focado na música brasileira de concerto e nos compositores que a influenciaram. Em 2012, fez uma tournée pela Italia, juntamente com seu Duo ( Duo AMA), realizando o recital de abertura do Festival internacional “ Mondi Sonori “ em Senago-Milão. No mesmo ano, se diplomou no conceituado Wiener Meisterkurse em Viena, com o pianista Alexander Jenner. Em 2014, participou como bolsista do Encontro de Piano Mercosur, realizado em Bariloche, Argentina. Em 2015, foi premiada com “Merit Award” no "Miami International Summer Piano Festival". Em 2016, se apresentou na San Francisco Steinway Piano Gallery e realizou sua anual turnê européia com seu Duo AMA, aonde se apresentou na Alemanha bem como na Embaixada Brasileira de Paris. Em 2017, realizou a segunda edição do festival Semana Iternacional De Piano se apresentando nas prestigiadas salas da Cidade das Artes e Sala Cecilia Meireles no Rio de Janeiro e se prepara para sua proxima tournee. Atualmente, faz aperfeiçoamento pianístico com a pianista Licia Lucas, ocupa o cargo de professora de piano no Conservatório de Música do Estado do Rio de Janeiro, CTMLA e AMA Piano Studio, e é cofundadora e curadora da Semana Internacional de Piano (RJ-Brasil).     Mayer Goldenberg, jovem pianista brasileiro, natural do Rio de Janeiro e de família russa e romena, iniciou seus estudos de piano no Conservatório Brasileiro. Estudou com a Regente Noemi Seckler e a Compositora Denise Borborema, passando em seguida a estudar com o Pianista Nivaldo Tavares (em paralelo com seu curso de Licenciatura em Piano na Universidade Federal do Rio de Janeiro) com quem aprendeu os princípios da técnica russa. Cursou Bacharelado em Piano na UFRJ sob a orientação da Pianista Sonia Goulart (aluna de Yakov Zak, Bruno Seidlhofer e Stefan Askenase). Complementou sua formação participando de master classes e cursos com os conceituados pianistas internacionais: Arnaldo Cohen, Menahen Pressler (Alemanha), Michail Ude (Karlsruhe, Alemanha), Édson Elias (Ecole Normale de Musique de Paris), José Luis Juri (Argentina), Pavel Nerssessian (Conservatório Tchaikovsky, Rússia), Tali Morgulis (Ucrânia), Richard Raymond (Mc Gill University-Canadá), Roberto Bravo (Chile), Michele Campanella (Itália), entre outros. Tem se apresentado em recitais, concertos e gravações pelo Brasil, América do Sul, EUA e Europa, em locais como: Salão Leopoldo Miguez, Sala Cecília Meireles, Cidade das Artes, Teatro UFF, Teatro Municipal de Niterói, Sala Villa Lobos-RJ, Capela Santa Maria (Curitiba), Auditório Cultura Inglesa(São Paulo),Teatro Rondon Pacheco (Uberlandia), Centro Cultural San Carles (Espanha), Hoslclaw Hall (EUA), Sala Roma (Italia), Palacio Albrizzi(Italia), Teatro San Giuseppe (Itália), Palacio London(Viena), Clavier-Salon(Alemanha), Teatro del Viejo Concejo (Argentina), dentre outras. Atuou com regentes como Ligia Amadio, Ernani Aguiar e André Cardoso. Em 2007 foi eleito pela Série Música no Museu como um dos 10 jovens destaques do cenário da música erudita no Brasil e participou do festival Brasil-Alemanha de 2009. Foi premiado em concursos como: Concurso Internacional de Piano Artlivre 2008, Concurso Internacional Artlivre Jovens Talentos 2009, Concurso de Piano Souza Lima 2009, entre outros. Em 2010 foi o único Brasileiro selecionado para o Concurso Internacional de Piano de Eivissa na Espanha, recebendo diploma de finalista do mesmo. Desde 2006, juntamente com a pianista Angela Passos, possui o Duo AMA, um projeto focado na música brasileira de concerto e nos compositores que a influenciaram. Em 2012 fez uma tournée pela Itália, solo e juntamente com seu Duo (Duo AMA), realizando o recital de abertura do festival internacional “Mondi Sonori” em Senago-Milao, além de ter tocado pela prestigiada Associação Dino Ciani. No mesmo ano, se diplomou no conceituado Wiener Meisterkurse, em Viena, com o pianista Alexander Jenner. Em 2014, participou como bolsista do Encontro de Piano Mercosur, realizado em Bariloche, Argentina. Em 2015 foi premiado com “Merit Award”, no "Miami Internacional Summer Piano Festival". Em 2016, se apresentou na San Francisco Steinway Piano Gallery e realizou sua anual tournée européia com seu Duo AMA, aonde se apresentou em tournée pela Alemanha bem como, na Embaixada Brasileira de Paris. Em 2017, realizou a segunda edição do festival Semana Internacional De Piano se apresentando nas prestigiadas salas da Cidade das Artes e Sala Cecilia Meireles no Rio de Janeiro e se prepara para sua próxima tournée. Atualmente, faz aperfeiçoamento com a pianista Lícia Lucas, se dedica a sua classe de piano no Rio de Janeiro e é fundador e diretor artístico da Semana Internacional de Piano (RJ-Brasil). “Mayer Goldenberg possui uma ampla formação humanista aliada a uma forte personalidade o que favorece a fazer musica de grande nível artístico aliada a necessária competência técnica.” -Licia Lucas- [+] saiba mais Arte & Educação Os Tapetes Contadores de Histórias - 20 anos 09/10 a 21/10 Arte e Educação Os Tapetes Contadores de Histórias - 20 anos   No mês das crianças, grupo carioca comemora seus 20 anos com uma exposição interativa de seu acervo na Cidade das Artes, com uma programação para toda família.   De 09 a 21 de Outubro de 2018, a Cidade das Artes promoverá a exposição interativa Os Tapetes Contadores de Histórias - 20 anos, evento comemorativo que é referência no Brasil e exterior na arte de contar histórias. O evento contempla uma série de atividades que abrangem repertório, acervo e formação com o grupo.   A mostra apresenta o acervo particular do grupo, composto por tapetes, painéis, avental, malas, caixas e livros de pano que servem de cenários para contos tradicionais do mundo inteiro, e autores como Ana Maria Machado, Ricardo Azevedo, Graciliano Ramos e Manoel de Barros. Neste espaço lúdico que une texto e têxtil, os visitantes tiram os sapatos e são convidados a manusear tapetes, bonecos e livros. Desta forma, pais e filhos, professores e alunos, todos podem contar, descobrir e inventar narrativas, brincando e viajando pelo mundo através das histórias.   Atualmente, o grupo conta com um acervo de 60 objetos-cenários. Feitos de tecido e de variados formatos, tais cenários foram criados ao longo de 20 anos – na França, Peru e Brasil. Estarão expostos os tradicionais tapetes do projeto francês Raconte-Tapis (projeto que fundou o grupo no Brasil), painéis e livros de pano produzidos pelo Manos que Cuentan (Lima, Peru) e uma diversidade de obras costuradas pelo próprio grupo no Brasil. Ao lado de cada obra, encontram-se o livro correspondente.   A EXPOSIÇÃO INTERATIVA está sempre acompanhada de uma programação intensa de sessões de histórias. Durante  a semana, as sessões são reservadas para escolas e grupos espontâneos. Nos finais de semana, sessões abertas para o público espontâneo.   [+] saiba mais Confissões de Um Senhor de Idade | Teatro 13/10 a 28/10 Teatro Confissões de Um Senhor de Idade   Confissões de um senhor de idade é um espetáculo idealizado pelo mestre do humor no teatro e na TV Flavio Migliaccio, onde o ator, e também autor, apresenta em cena, através de seu próprio olhar, seus 83 anos de vida, transfere a este trabalho, sua visão, suas experiências, seu bom humor e divide conosco uma vida dedicada a arte de interpretar. Num diálogo com Deus, Flávio conta suas histórias, suas experiências, suas memórias, saudades e até tristezas, tudo com muito bom humor que sempre foi sua marca e continuará sendo nesse mais novo desafio.  Expor sua vida íntima será um presente dado ao público em agradecimento a todo amor recebido por ele em 60 anos de carreira, este espetáculo será uma ponte para que consigamos conhecer mais a fundo a bela alma de Flavio Migliaccio.  [+] saiba mais American Songbook | Temporada de Câmara 28/10 Música “American Songbook um passeio pelos compositores norte-americanos do século XX”   O soprano Marina Cyrino, acompanhada por Flavio Augusto ao piano, interpreta canções e árias de grandes compositores norte-americanos do século XX, como Leonard Bernstein, Samuel Barber, George Gershwin, Gian Carlo Menotti e Aaron Copland, trazendo um apanhado de suas principais composições.   Bernstein, cujo centenário é celebrado este ano, é uma das figuras mais influentes na história da música clássica americana, ficou conhecido mundialmente por suas composições e pela regência da Orquestra Filarmônica de Nova York. Patrocinou obras de compositores conterrâneos e inspirou carreiras de uma geração de novos músicos. Marina trará o ciclo “I Hate Music”, a belíssima “Simple Song” - composta para “Mass”, gravada por grandes sopranos como Renée Fleming -  entre outras obras.   Samuel Barber é um dos mais celebrados compositores do século XX. Dentre diversos prêmios, venceu duas vezes o Pulitzer Prize for Music. Serão apresentadas canções como a famosa “Sure on this shinning night” e “The secrets of the old”.   Gershwin escreveu a maioria de seus trabalhos vocais e teatrais em colaboração com seu irmão mais velho, o letrista Ira Gershwin. George Gershwin compôs tanto para a Broadway quanto para concertos clássicos e canções populares. “Summertime”, uma de suas mais famosas peças, da ópera “Porgy and Bess”, fará parte do repertório.   Gian Carlo Menotti nasceu na Itália mas se naturalizou estadunidense. Começou a escrever canções com sete anos. Marina irá apresentar árias das óperas “O Telefone” e “Médium”.     Programa   1) I Hate Music! A Cycle of Five Kid Songs (Leonard Bernstein) 2) Simple Song (Leonard Bernstein) 3) Piccola Serenata (Leonard Bernstein) 4) At the river (Aaron Copland) 5) Heart, we will forget him (Aaron Copland) 6) Zion’s walls (Aaron Copland) 7) Summertime (George Gershwin) 8) Someone to watch over me  (George Gershwin) 9) The Man I Love / Embraceable You (George Gershwin para piano solo)  10) Sure on this shining night (Samuel Barber) 11) A nun takes the veil (Samuel Barber) 12) The secrets of the old (Samuel Barber) 13) Black Swan (Gian Carlo Menotti) 14) Monica’s Waltz (Gian Carlo Menotti) 15) Hello! Oh, Margaret, it’s you (Gian Carlo Menotti)      Ficha técnica American Songbook Intérpretes Marina Cyrino – soprano Flávio Augusto - piano Direção musical: Vitor Philomeno Direção de Arte: Marc Kraus   Contato: marinacyrino.soprano@gmail.com [+] saiba mais Rio Desperta 2018 | Meditação 04/11 Festival   Domingo 04 nov 08:45  (8h45 às 13h00)   -   R$100 inteira • R$50 meia • R$70 (promocional) Domingo 04 nov 14:00  (14h00 às 20h45)   -   R$100 inteira • R$50 meia • R$70 (promocional até 20/10) Pacote Promocional   (8h45 às 20h45)   -   Passe Livre Inteira R$180 • Passe Livre meia R$90 • Passe Livre Promocional R$120 (até 20/10)         Evento dedicado à arte da meditação, vai reunir pela primeira vez 8 linhas de ensinamento com seus principais representantes. Veja a programação AQUI:        Horários da manhã  Domingo 04 nov 08:45  (8h45 às 13h00)      8:45 - 9:00  Banda Prem Ramam e convidados  9:00 - 9:45  Klebér Tani • Meditação Transcendental  9:45 - 10:00  Abertura e Banda Prem Ramam  10:00 - 10:45  Oberom • Consciência Prânica e Veganismo  10:45 - 11:00  Banda Shivasamba  11:00 - 11:45  Gloria Arieira • Vedanta  11:45 - 12:00  Banda Shivasamba  12:00 - 13:30  Monja Coen • Zen Budismo          Horários da tarde  Domingo 04 nov 14:00  (14h00 às 20h45)      14:30 - 15:00  Banda Arte de Viver  15:00 - 16:00  Lama Jangchub Reid • Mindfulness  16:00 - 16:15  Banda Shivasamba  16:15 - 17:00  Gunatiita e Taruna Deva • UNA Meditação  17:15 - 17:30  Banda músicos Marguiis  17:30 - 18:30  Monje Jinanananda • Anandamarga  18:30 - 19:00  Banda Arte de Viver  19:00 - 20:30   Rajshree Patel • Arte de Viver  20:30 - 20:45  Encerramento com todos os músicos   *Programação sujeita a modificações sem aviso prévio.         O Rio Desperta será realizado na Grande Sala, situada no primeiro andar da Cidade das Artes, com capacidade para 1.250 pessoas.   O evento é dividido em duas sessões (manhã - das 8h45 às 13h30 e tarde – das 14h30 às 20h45), com intervalo para almoço das 13h30 às 14h30 e possibilidade de obter o pacote promocional que inclui as duas sessões.   As palestras serão intercaladas pela prática de kirtans ao vivo com a presença de 4 bandas de música. O momento em que a espiritualidade é trabalhada através do canto coletivo.   Os lugares não serão numerados. O Cidade das Artes oferece ainda estacionamento para 750 carros.   Encontro Literário – Autores darão autógrafos Monja Coen, Oberom e Gloria Arieira também estarão presentes ao Encontro Literário, setor do evento feito para interação com os leitores, uma hora depois de cada uma de suas palestras. Para se aprofundar no conhecimento da prática da meditação, seis editoras (Alaúde, Edipro, Gryphus, Planeta, Record e Gaia) levarão seus principais títulos — todos relacionados à meditação e à sabedoria que esse tema envolve.       Mais informações: www.riodesperta.com.br           PROGRAMAÇÃO DA MANHÃ     KLÉBER TANI – MEDITAÇÃO TRANSCENDENTAL – 9h00/9h45 O professor Klebér Tani, um dos diretores da Sociedade Internacional de Meditação Transcendental do Rio de Janeiro e fundador da MT Brasil, abre as palestras do Rio Desperta. Seguidor de Maharishi Mahesh Yogi (famoso por ser o guru dos Beatles nos anos 60), Kléber Tani foi escolhido por seu mestre para ser o Primeiro Ministro do Governo Global da Paz Mundial para o Brasil (nova instituição criada por Maharishi para a difusão de sua técnica de Meditação Transcendental e das 40 abordagens da Ciência Védica para o mundo).       OBEROM – FOME DE AMOR – 10h/10h45     Formado em Educação Física e pós-graduado em Nutrição Humana e Saúde, com especialização em Yoga, na Índia, Oberom nasceu em 1984, em uma comunidade alternativa no sul de Minas Gerais. Autor dos livros “Viajando na Luz”, “No Fluir da Felicidade” e “Vegan Yoga”, Oberom já palestrou em diversos países sobre temas relacionados à Consciência Prânica, ao Yoga e ao Veganismo. Desde 2003, reúne parte de suas experiências na prática e estudo do Vipassana, da Yoga e do desenvolvimento do Eu Maior. Para o Rio Desperta, ele vai levar a palestra “O mundo tem fome de amor”.       GLORIA ARIEIRA – VEDANTA – 11h/11h45         Nascida no Rio de Janeiro, em 1953, Gloria Arieira é a principal referência brasileira no ensino de Vedanta. Em 1974, conheceu na Índia Swami Dayananda, que se tornou seu mestre. Desde o seu retorno, ensina Vedanta e sânscrito no Brasil e em Portugal. É fundadora e diretora-presidente do Centro de Estudos de Vedãnta e Sânscrito Vidya Mandir, no Rio de Janeiro, um espaço voltado ao ensino de Vedanta, Meditação, Sânscrito e Cultura Védica.       MONJA COEN - ZEN BUDISMO – 12h/13h30  Monja Coen nasceu em São Paulo, em 1947. Foi jornalista profissional — atuou como repórter em jornais brasileiros e no Banco do Brasil — e já escreveu e traduziu livros sobre a filosofia budista, como o Viva Zen e o Sempre Zen. Atualmente, mora no templo Tenzui Zenji, em São Paulo, é presidente do Conselho Religioso da Comunidade Zen Budista Zendo Brasil e do ViaZen/VilaZen, do Rio Grande do Sul.             PROGRAMAÇÃO DA TARDE     LAMA JANGCHUB REID – MINDFULLNESS – 15h / 16h Lama Jangchub Reid é professor de meditação desde 1973. Em 1975 fez sua formação de mindfulness com Namgyal Rinpoche, mestre das principais tradições budistas. Dedicou muitos anos à criação e ao estabelecimento de centros de meditação e criou o Curso de Formação de Instrutores de Mindfulness, oferecido por Mindfulness Trainings International (MTi), fundada por ele. Estudou antropologia Social e também Estudos religiosos em Nova Zelândia, seu país natal. Atualmente ensina no Reino Unido, França, Nova Zelândia e Brasil.       GUNATIITA E TARUNA DEVA – UNA Meditação – 16h15/17h        Fundadores da UNA Meditação e discípulos do mestre indiano Sri Sri Anandamurti, Gunatiita e Taruna Deva ensinam meditação como ferramenta de autoconhecimento, transformação social e bem-estar. Ambos foram iniciados pelos monges de Anandamarga e ministram cursos e palestras em empresas no Brasil. Há mais de 12 anos, Gunatiita se dedica à prática e ao ensinamento do Yoga e Meditação. Já Taruna Deva foi executivo no mercado de audiovisual por 30 anos, mas estuda meditação desde muito jovem, praticando diversas técnicas em busca do autoconhecimento e entendimento da mente.         MONJE JINANANANDA – ANANDAMARGA – 17h30/18h30 Jinanananda nasceu no Congo e pratica Tantra Yoga desde 1986. É monge da Associação Sócio Espiritual Ananda Marga, presente em mais de 180 países. Conduz palestras e formações para instrutores de Yoga e inspira jovens no Brasil a se tornarem praticantes espirituais e se desenvolverem socialmente, por meio da Teoria Sócio Econômica Prout, que será o tema de sua palestra.       RAJSHREE PATEL - ARTE DE VIVER – 19h/20h30 Nascida na Uganda e criada na Índia, Rajshree Patel é uma das mulheres mais influentes do mundo no campo de desenvolvimento pessoal. Ela vem da California para o Rio Desperta. Em busca de realização interna, conheceu o mestre espiritual, Sri Sri Ravi Shankar, fundador da Arte de Viver, instituição humanitária presente em mais de 150 países. Patel ministra grandes eventos, conduz cursos e seminários de notável alcance, incluindo programas em prisões e projetos filantrópicos em escolas e universidades.           Música     SHIVASAMBA BAND -  10h45, 11h45 e 16h Shivasamba é a união de cinco músicos que se permitem experimentar os mantras como potência criativa para oferecer ao público uma viagem sensorial. A banda integra as tradicionais ragas indianas e a repetição milenar dos mantras à liberdade de distorcer uma guitarra ou usa-la como sitar. Pode aquietar a mente, levar à introspecção com o harmonium ou romper a sonoridade com um solo de flauta acompanhando a melodia das cordas havaianas do ukulele.     MÚSICOS DA ARTE DE VIVER – 14h30 e 18h30 (kirtan) Os músicos voluntários da Arte de Viver, inspirados em Sri Sri Ravi Shankar, pelos benefícios dos mantras e pela profunda conexão com a música, irão cantar bhajans, mantras e kirtans, que elevam a consciência e abrem o coração. Reconhecidos internacionalmente pela combinação harmônica entre qualidade técnica e sentimento, o grupo trará um repertório composto por mantras clássicos tradicionais, com profundo efeito sobre o indivíduo e o ambiente.     PREM RAMAM E CONVIDADOS – 8h45 e 9h45 Multi-instrumentista autodidata, o músico realiza desde 2004 pesquisas nas áreas da etnomusicologia e misticismo musical. Seu trabalho resgata práticas sonoras ancestrais de vários continentes que fortalecem o poder da autocura. Nesta linha, Prem Ramam vem se especializando como "terapeuta do som" através de algumas técnicas específicas de canto e toques de instrumentos étnicos.     BANDA DE MARGUIS – 17h15 O mantra universal usado para Kiirtan – estilo musical da banda – é Baba Nam Kevalam, que significa “Tudo é expressão de amor”. Segundo Shrii Shrii Anandamurti, fundador de Anandamarga, o Kiirtan desperta sentimentos humanos e nos ajuda a sentir um prazer superior, porque é através dele que não somos seres insignificantes, nem superiores ou inúteis, somos crianças queridas do Ser Supremo.         E-mail: una@unameditacao.com Site: www.riodesperta.com.br Contato Imprensa: APPROACH COMUNICAÇÃO (21) 3461-4616, ramal 187 Bianca Gomes Sallaberry bianca.gomes@approach.com.br; sauderj@approach.com.br   [+] saiba mais Encontro de Corais do Maestro Luiz Lima 20/11 Música O maestro Luiz Lima, arranjador, pianista, cantor lírico e regente de importantes corais do Rio de Janeiro, já tendo se apresentando em vários locais do Brasil e do exterior, reúne todos os seus corais, para uma única apresentação. Este ano, apresentará músicas ligadas à óperas, operetas e temas de filmes, reunindo composições de renomados autores, tais como: Mascagni, Haendel, Bizet, Verdi, Andrew Lloyd Webber, entre outros. O espetáculo será apresentado em 4 atos, compreendendo 25 minutos casa, sem intervalo, conforme a seguir:   1º Ato Câmara Comunitária da  Barra da Tijuca Grupo Vocal Clave de Sol Coral Ramatis     2º Ato Grupo de Canto e Dança Rosa de Fogo   3º Ato Clube de Regatas do Flamengo Coral Caminhando e Cantando do Hospital Salgado Filho Coral Encanta Rio 2   4º Ato Corais N.a Sra. De Loreto Mater Nostra Júlio Chevalier Zaccaria   [+] saiba mais Abstrai Ensemble | Temporada de Câmara 24/11 Música   O ABSTRAI ensemble é um grupo de música de câmara contemporânea, integrado por instrumentistas e compositores de renomada carreira, todos residentes no Rio de Janeiro. O grupo trabalha principalmente em colaborações com compositores vivos (brasileiros e estrangeiros). Além de peças musicais instrumentais e vocais, o grupo utiliza regularmente nos seus concertos e atividades as últimas tecnologias digitais (eletroacústica e música mista). O grupo também realiza atividades pedagógicas como encontros de composição e práticas interpretativas, oficinas e master-classes, além de concertos comentados para a formação de público. O ABSTRAI ensemble lançou o seu primeiro CD “Experiência” em 2018 pelo selo A Casa, e tem se apresentado nos principais festivais e salas de concerto brasileiras. O ABSTRAI ensemble apresenta no Teatro de Câmara da Cidade das Artes uma estreia mundial do premiado compositor brasileiro residente em Nova Iorque Arthur Kampela, além de uma seleção especial do seu repertório, com obras dos compositores brasileiros Silvio Ferraz, Pauxy Gentil-Nunes, Martin Herraiz e do francês Phillipe Leroux. O ABSTRAI ensemble pode ser visto como um instrumento não só de difusão de cultura, mas também da sua produção, contribuindo pela diversidade musical no Brasil. O ABSTRAI ensemble faz música do século XXI para quem vive no século XXI!   Abstrai Ensemble Saxes e direção – Pedro Bittencourt Voz – Doriana Mendes Flautas – Andrea Ernest Dias Violino – Mariana Salles Violoncelo – Marcus Ribeiro Violão e guitarra– Fabio Adour Percussão – Zeca Lacerda Produção executiva – José Schiller [+] saiba mais BBQ & Beer Festival | 2ª Edição 24/11 Festival   BBQ & Beer Festival | 2° Edição    * Vendas para a segunda edição do evento ainda estão no 1° primeiro lote!   Após estrear em grande estilo na sua última edição, o BBQ & Beer Festival voltará ainda maior e melhor para a sua segunda edição, no dia 24 de novembro, novamente na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca. Agora, o evento contará com 10h de Open BBQ e mais de 30 estações de cortes premium, além de Open Bar Premium, Open Beer e estrutura reforçada.   O primeiro lote de ingressos está à venda no site oficial do evento (www.bbqbeerfestival.com.br). Com preço único de R$ 220 (unissex).   A primeira edição do BBQ & Beer Festival levou quase 2 mil pessoas à Cidade das Artes no início de julho, oferecendo uma experiência churrasqueira até então inédita na cidade. Diante do sucesso e do feedback do público, a organização decidiu ampliar o evento: aumentou sua duração de 9h para 10h, incluiu mais de dez novas estações e reforçou a estrutura para garantir o conforto de todos.   A segunda edição do BBQ & Beer Festival terá ainda outros atrativos, como shows e DJs, Espaço Kids e mais novidades que serão anunciadas até a data do evento. A relação de chefs e assadores, todos entre os principais nomes do país, também será divulgada em breve.   O local   A Cidade das Artes é uma atração à parte: além de ser um marco arquitetônico do Rio, é ampla, coberta, sempre com temperatura agradável, cercada por por jardins e com espelhos d’água internos.   O espaço pode ser facilmente acessado por transporte público (está localizado ao lado do Terminal Alvorada) com táxis e veículos chamados por aplicativos, além de oferecer estacionamento pago para 750 veículos.   Confira as estações já confirmadas:   American BBQ . Brisket . Pulled Pork . Turkey legs . Pork Ribs   Fogo de chão . Costela fogo de chão . Cordeiro patagônico . Porco espalmado . Varal de cupim . Varal de aves . Varal de linguiças . Salmão pranchado   Parrilla & Grelha . Picanha . Ancho . Chorizo . Short Ribs . Fraldinha . Pão de alho . Maminha   Outros . Porco no rolete   INGRESSOS ONLINE . 1º lote à venda: R$ 220  (unissex); . Crianças de até 12 anos acompanhadas dos responsáveis não pagam; . Compre online: bbqbeerfestival.com.br/ingressos       *** BEBA COM MODERAÇÃO *** [+] saiba mais Rodrigo Vila & Pedro Bittencourt | Saxofones | Temporada de Câmara 01/12 Música Os saxofonistas Pedro Bittencourt (Brasil, 1975) e Rodrigo Vila (Espanha, 1977) se juntaram para oferecer um concerto para sax solo, duo com repertório internacional e a participação especial do Conjunto de Sax da UFRJ num trio. No programa de tirar o fôlego, teremos obras do espanhol Mauricio Sotelo, dos brasileiros Alexandre Lunsqui e Martin Herraiz, além do coreano Ysang Yung.   PROGRAMA:   Muros de dolor (2005) 5’ Mauricio Sotelo (Espanha, 1961) Sax tenor solo   Liebeslied (1997) 11’ Mauricio Sotelo (Espanha, 1961) Sax tenor solo   After Telluris II (2018) 5’ Alexandre Lunsqui (Brasil, 1969) Sax barítono solo   Duas elegias para a democracia (2017) 8’ * Martin Herraiz (Brasil, 1980) Sax soprano, sax alto sax barítono   Inventionen (1983-1984) 14’ Ysang Yung (Coréia, 1917-1995) Duo de saxes soprano   Participação de Paulo Vinícius Felix/Conjunto de Sax da UFRJ.   Rodrigo Vila (1977, Vigo, Espanha) começou os estudos de música no Conservatório da sua cidade aos 8 anos. Continuou os estudos com bolsas do Ministério da Educação Francês e do Conselho de Província Pontevedra, no Conservatório Nacional de Bordeaux, França, onde estudou na renomada classe internacional de saxofones com Jean-Marie Londeix e Marie-Bernadette Charrier. Ao mesmo tempo, fez cursos de musicologia e filosofia. Em 2001 ele recebeu por unanimidade a medalla de ouro da cidade de Bordeaux na categoria saxofone, e no ano seguinte em música de câmara contemporânea, com menção especial do juri. Ganhou o segundo prêmio na Competição internacional do Mediterrâneo em Cartagena (Espanha), e o primeiro prêmio na competição de música de câmara de Montserrat Alavedra em Terrassa, Espanha. Desde 2004 é professor do Conservatório Superior de Música e Dança das Ilhas Balneares, Espanha. Seus estudantes têm se destacado individualmente e em diversas formações de câmara nas mais renomadas competições internacionais. Desde que o Estúdio de Mallorca foi fundado, o seu projeto pedagógico ganhou mais de 45 prêmios, se tornando um dos modelos no ensino do saxofone. Já se apresentou como solista e conferencista em diversas classes, como nos Conservatórios de Vienna, Bordeaux, Zurich, Basel, Colônia, Frankfurt, Rochester, Osaka, Pequim, Sidney, Rio de Janeiro, Bankok, Kuala Lumpur, Singapure, Buenos Aires, Lima, Havana, La Paz, Calgary, Natchitoches, Marquette, Conway, Changde, Osnabrück, Aveiro, Vigo, Alicante, Oviedo, Bilbao, Ibiza, Burgos e Santiago de Compostela. A sua influência internacional é reconhecida pela sua participação como membro do júri do 5° Concurso Internacional de Saxofone de Nantes (França) e no 4° Concurso Internacional Jean-Marie Londeix em Bankok.       Pedro Bittencourt (Rio de Janeiro, 1975) é saxofonista, professor e pesquisador dedicado à música de concerto e contemporânea. Se apresentou em diversos festivais no Brasil, México, Chile, Cuba, Canadá, França, Alemanha, Suíça, Portugal, Espanha, Grécia, Eslovênia e China. Professor adjunto de saxofone do Departamento de Sopros da UFRJ. Professor/pesquisador do Mestrado Acadêmico (PPGM) e do Mestrado Profissional (PROMUS). Líder do Grupo de Pesquisa Performance Hoje. Coordenador da Linha de Práticas Interpretativas e seus Processos Reflexivos do PPGM da Escola de Música da UFRJ. Diretor do Conjunto de Sax da UFRJ. Doutor em Estéticas, Ciências e Tecnologias das Artes/Música pelo CICM (Centro de Informática e Criação Musical), na Universidade de Paris 8, França. Sua pesquisa sobre músicas mistas para saxofones teve a orientação do compositor argentino Horacio Vaggione e contou com uma bolsa de estudos da Fundação para a Ciência e a Tecnologia de Portugal. Mestrado (DEA Arts et Societés Actuelles/Musique) na Universidade de Bordeaux 3, França, sobre o Orestes de Iannis Xenakis. Fundador, diretor e saxofonista do ABSTRAI ensemble (música de câmara contemporânea). Artista residente no ZKM, Instituto de Música e Acústica em Karlsruhe, Alemanha, onde criou o projeto multimídia Ondas Segundo Poetas e gravou o CD ENLARGE YOUR SAX pelo selo alemão Wergo. Estudos de saxofone e música de câmara contemporânea no Conservatório Nacional de Bordeaux, França, classe de Marie-Bernadette Charrier (Diplôme d’Etudes Musicales e Perfectionnement). Segundo Grau no Colégio de São Bento, Rio de Janeiro. Iniciou os estudos de saxofone com Mecenas Magno aos 10 anos de idade. Pedro Bittencourt toca saxofones Selmer (sopranino, soprano, alto, tenor, barítono e baixo) com boquilhas e palhetas Vandoren. [+] saiba mais Leréias | Teatro 24/11 a 02/12 Teatro “Se não fosse Valdomiro Silveira, não existiria Guimarães Rosa.” -Guimarães Rosa-   O espetáculo    Jandir Ferrari se encontra com textos de Valdomiro Silveira, acompanhado de perto pela trilha composta pelo instrumentista, compositor e diretor musical Antonio Porto, emoldurados pela luz de Adriana Ortiz, sob a direção de Caio de Andrade. Pedaço de Cumbersa, Força Escondida, Na Folha-Larga e Do Pala Aberto foram os quatro contos colhidos do livro Leréias – Histórias Contadas por Eles Mesmos, editado em 1945, onde sentimos a genialidade de Valdomiro Silveira através de histórias aparentemente confinadas ao universo regionalista que resultam numa literatura cosmopolita, contemporânea, repleta de elementos inusitados.   Oferecer ao público um momento de encontro com a obra Valdomiriana, onde o ator balizado por quatro personagens do escritor recria uma atmosfera intimista, interiorana, para contar histórias extremamente fortes e surpreendentes. Antonio Porto também está em cena, ao lado de Jandir Ferrari, pontuando de forma integrada as inéditas composições que criou especialmente para a peça e que são tocadas ao vivo, pelos inúmeros instrumentos que o músico domina. Caio de Andrade   O autor Valdomiro Silveira   No dia 11 de novembro de 1873, nascia em Senhor Bom Jesus da Cachoeira, Termo de Lorena, na então Província de São Paulo, Valdomiro Silveira ou Valdóro, como ficaria conhecido entre amigos e familiares.   Jornalista e escritor publicou quatro livros: Os Caboclos, Nas Serras e nas Furnas, Mixuangos e Leréias – Histórias Contadas por Eles Mesmos, o preferido de Valdóro, todo ele narrado saborosamente pelo próprio caipira.   Foi desse homem do campo, humilde, recolhido em sua roça distante e incompreendida, de fala própria, de comportamento e costumes surpreendentes que o grande homem de letras se ocupou. Tornou-se um grande nome da literatura nacional vinculada ao estudo do regionalismo paulista, entre outros destaques de peso como Monteiro Lobato e Cornélio Pires.   O autor Valdomiro Silveira   “VALDOMIRO é considerado um dos fundadores do regionalismo brasileiro. Notabiliza-se pelo fato de ter, nos contos sobre o mundo rural, o foco dirigido para o homem caipira. A natureza, os costumes, os valores, tudo o que compõe o universo cultural caipira emerge em sua inteireza através das emoções que sensibilizam a alma de um homem comum, só que pobre e habitante daquele mundo particular. Por isso como qualquer outro, recebe do autor um olhar que, em nenhuma circunstância, o ridiculariza ou o diminui, como acontece quando o personagem é o caboclo.“ Enid Yatsuda Frederico   “... VALDOMIRO optou pelo caminho mais áspero, que só um temperamento portador de desambição caipira podia tomar, utilizou o espírito da linguagem dialetal, de uma forma homogênea e global, não só quando falam as personagens regionais, mas quando a narrativa é feita pelo próprio escritor. Seus contos, pela estrutura, pelo ritmo, pelo tipo de construção frasal, pelas palavras, pela expressão, espírito e estilo, são elaborados e construídos com observância cuidadosa de estrutura de pensamento na cultura do homem-regional-rural, ou seja, do caipira.” Bernardo Elis   Diretor Caio de Andrade Dramaturgo, diretor e produtor, Caio de Andrade criou o Projeto História em Cena, no Centro Cultural Banco do Brasil (RJ), que levou milhares de estudantes ao teatro.   Na Inglaterra, teve encontros com instituições a área de teatro-educação e participou de festivais no Brasil, Áustria, Espanha, Argentina, entre outros.   Um dos profissionais mais atuantes e premiados da sua geração. Ganhador dos Prêmios Maria Clara Machado, Governo do Estado do Rio de Janeiro e indicado três anos consecutivos ao Prêmio Shell. www.caiodeandrade.com.br   Ator Jandir Ferrari Nascido em Presidente Prudente, interior de São Paulo , começou a trabalhar em teatro no ano de 1983 com a peça “O Guarani” de José de Alencar com direção de Carlos Wilson (Damião). A partir daí foram várias peças com direção do próprio Carlos Wilson e também Bernardo Jablonsky, Maria Clara Machado, João Bittencourt, Fernando Peixoto, Roberto Lage, Marcos Caruso, Luiz Artur Nunes, Guilherme Leme, Diogo Vilela, Paulo Biscaia entre outros. Seu mais recente trabalho em teatro, ainda em cartaz, é a peça “Cássia Eller – o musical” com direção de João Fonseca.   Ingressou na televisão em 1987 na novela “Mandala”, com direção de Ricardo Waddington, a partir daí foram vários trabalhos em novelas , minisséries e especiais. Destacam-se os sucessos “Rainha da Sucata” e “Deus Nos Acuda” como Gino (filho de D. Armênia) e ainda “A Padroeira”; “O Profeta” e  “Éramos Seis”.   Direção Musical Antonio Porto Natural de Campo Grande (MS), Antonio Porto é instrumentista, cantor, compositor, arranjador e produtor musical. Trabalhou e gravou no Brasil com artistas como Almir Sater, Renato Teixeira, Pena Branca e Xavantinho, Tetê Espíndola, Alzira Espíndola, Renato Braz, Paulo Simões, Bianca Gismonti e outros. No exterior com artistas como Alegre Correa, Hubert von Goisern, Timna Brauer, Eli Meire, Mohamed Mounir, Willy Sucher, Rubén Goldin e outros. Tocou em Festivais de Jazz como Moutreaux, Wienner Jazz Festival, Red See Jazz Festival, Hildesheim, Paris, Saalfeldner Jazz Festival. Se apresentou em cerca de 40 países, entre eles: Áustria (onde viveu por 13 anos), Alemanha, Itália, França, Suíça, Espanha, Inglaterra, Senegal, Egito, Israel, Marrocos, Burkina Faso, Estados Unidos, Paraguai, Bolívia e Argentina. Produz e compõe trilhas sonoras para filmes, propagandas e espetáculos teatrais.     [+] saiba mais Maquete de LEGO® do Rio de Janeiro I Exposição Permanente 31/07 a 17/12 Artes Visuais LEGO® doa ao Rio de Janeiro a maquete feita com 947 mil peças A maquete do Rio de Janeiro feita totalmente em LEGO foi construída para homenagear de forma criativa e inusitada a cidade-sede dos Jogos Olímpicos de 2016 e ficará exposta permanentemente na Fundação Cidade das Artes como legado cultural.   A construção destaca os 25 importantes ícones da cidade como o Pão de Açúcar, o Cristo Redentor, os Arcos da Lapa, o Maracanã, entre outros   SOBRE A MAQUETE Com quase 1 metro de altura, cerca de 30 m², mais de uma tonelada e meia e com 947 mil peças, a LEGO® montou a sua maior construção já realizada para a América Latina, reproduzindo em blocos 25 ícones do Rio de Janeiro, escolhidos em conjunto com a Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio da Empresa Olímpica Municipal (EOM) em 2016.   Foi a primeira vez que uma construção desse tipo demandou esforços de três equipes de diferentes fábricas da LEGO de forma simultânea, localizadas nos Estados Unidos, Dinamarca e República Tcheca. Foram necessárias mais de 50 pessoas no projeto, comandado pelos Master Builders, designers especializados na criação de esculturas com os blocos da marca.   Durante os Jogos de 2016, a maquete recebeu mais de 85 mil pessoas de diversas nacionalidades e idades, com uma grande presença de famílias inteiras, que a visitaram no Boulevard Olímpico, local onde ficou exposta.   Os 25 ícones representados na maquete de LEGO da cidade do Rio de Janeiro: 1. Cristo Redentor 2. Pão de Açúcar 3. Copacabana Palace 4. Calçadão de Copacabana 5. Arpoador 6. Calçadão de Ipanema 7. Lagoa Rodrigo de Freitas 8. Jardim Botânico 9. Floresta da Tijuca 10. Morro Dois Irmãos 11. Pedra da Gávea 12. Parque Olímpico do Rio 13. Parque Radical 14. Parque Madureira 15. Estádio Olímpico Nilton Santos (conhecido popularmente por Engenhão) 16. Igreja da Penha 17. Avenida Brasil / BRT 18. Estádio do Maracanã 19.  Sambódromo da Marquês de Sapucaí 20. Praça Mauá 21. Arcos da Lapa 22. VLT 23. Aterro do Flamengo 24. Comunidade Dona Marta 25. Catedral Metropolitana   Sobre o Grupo LEGO® O Grupo LEGO® é uma empresa privada com sede em Billund, na Dinamarca, e tem atuação em mais de 140 países. Fundada em 1932, a empresa é de propriedade da família Kirk Kristiansen e, baseada nos blocos da marca, é uma das principais fabricantes mundiais em brinquedos de montar.   AGENDAMENTO ESCOLAR: Favor entrar em contato pelo e-mail saladeleitura.fca@gmail ou pelo telefone 3325-0448 ENTRADA GRATUITA   [+] saiba mais Temporada de Música de Câmara - Segundo Semestre 27/07 a 17/12 Música Dando continuidade a primeira Temporada que iniciamos em janeiro de 2018, a série de concertos de Música de Câmara, volta em agosto e vai até dezembro. Reiniciamos no dia 11 de agosto com os concertos acontecendo sempre aos sábados e domingos.     Setembro Dia 29/09 - Dia da Música Colonial Brasileira | José Maurício Nunes Garcia  (Saiba Mais) Dia 30/09  - Duo Interarte  (Saiba Mais)     Outubro Dia 06/10 - Duo Debret | Mariana Gomes  (Saiba Mais) Dia 13/10 - O Elixir do Amor, ópera de Gaetano Donizetti  (Em Breve) Dia 20/10 - Duo AMA   (Saiba Mais) Dia 28/10 - American Songbook  (Saiba Mais)  Novembro Dia 24/11 - Abstrai Ensemble  (Saiba Mais)     Dezembro 01/12 - Rodrigo Vila & Pedro Bittencourt - Saxofones   (Saiba Mais) 15 e 16/12 - Ópera Gianni Schischi  (Em Breve)       Eventos Passados Dia 11/08 - Quarteto Françaix Dia 19/08 - Sapucaia Ensemble Dia 25/08 - Duo Croma Dia 01/09 - Trio Mignone  Dia 02/09 - Duba Vocal - Petálas  Dia 15/09 - Nadja Daltro   Dia 16/09 - Sapucaia Ensemble | Michael Pradelli    [+] saiba mais Bem Sertanejo - O Musical (Pré-Venda até 28/09) 04/01 a 20/01 Musical MICHEL TELÓ ESTÁ DE VOLTA COM A TERCEIRA TEMPORADA DE “BEM SERTANEJO – O MUSICAL” Superprodução é apresentada pelo Circuito Cultural Bradesco Seguros, com patrocínio master da PagSeguro. O espetáculo “Bem Sertanejo – O Musical” foi sucesso de público por onde passou durante as duas primeiras temporadas, com mais de 60 apresentações esgotadas. Agora Michel Teló está de volta com o projeto que será novamente apresentado em São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba, além de passar por Florianópolis e Maringá. Apresentada pelo Circuito Cultural Bradesco Seguros, a montagem conta a história da música sertaneja, desde a sua origem caipira, no século 17, até os dias mais recentes e traz no repertório cerca de 56 sucessos de nomes consagrados, como Tonico e Tinoco, Sérgio Reis, Almir Sater, Renato Teixeira, Chitãozinho e Xororó, Leandro e Leonardo, Zezé Di Camargo e Luciano, Gustavo Lima, Henrique e Juliano, Jorge e Mateus, entre outros. O musical é uma verdadeira viagem por todas as fases da música sertaneja e pela história do Brasil, mostrando as mudanças que o gênero sofreu, acompanhando a saída do homem do campo para a cidade grande. A estrutura do musical é gigante. São três carretas só para transportar cenário e equipamentos, 100 pessoas trabalhando diretamente e mais de 1000 indiretamente durante toda a turnê. Para o elenco, o musical terá algumas mudanças. Claudio Lins e José Mauro Brant entram no lugar de Cris Gualda e Luiz Nicolau, respectivamente. Lilian Menezes, Alan Rocha, Daniel Carneiro, Gabriel Manita, Jonas Hammar, Pedro Lima, Rodrigo Lima e Sergio Dalcin seguem no projeto. “Bem Sertanejo - O Musical” traz na assinatura do texto e da direção o nome de Gustavo Gasparani e de profissionais consagrados no ramo, como Gringo Cardia (cenografia), Maneco Quinderé (iluminação), Marcelo Olinto (figurinos), Renato Vieira (coreografias), Marcelo Neves (direção musical), Mauricio Detoni (arranjos e preparação vocal) e André Piunti (pesquisador musical). O projeto é apresentado pelo Ministério da Cultura, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, e pelo Circuito Cultural Bradesco Seguros e com patrocínio master da PagSeguro.   Sucesso na TV, nos palcos e no teatro O projeto Bem Sertanejo era um sonho antigo de Michel Teló de contar um pouco da história da música sertaneja. A primeira etapa foi o quadro no programa “Fantástico”, exibido pela TV Globo, em quatro temporadas. Um livro com histórias de bastidores e um DVD com cenas que não foram para o ar também foram lançados. O sucesso do quadro foi para os palcos e Teló criou o “Bem Sertanejo – O Show”, que foi gravado em DVD, e se transformou em uma turnê por todo o Brasil. E o sonho de Michel Teló também virou um musical. O cantor fez sua estreia como ator, em abril de 2017, com o “Bem Sertanejo – O Musical”, depois de muitos dias e horas de ensaio. O resultado você pode conferir nessa turnê. “O espetáculo é um projeto totalmente diferenciado, um musical teatral caipira que por onde tem passado, emociona. Ele traz uma memória afetiva do público que não imaginei o quanto era forte”, conta Michel Teló. “Ver a emoção e alegria das pessoas vale toda a dedicação e amor que colocamos nesse projeto. Estou animado demais em voltar nessa terceira temporada. É um dos projetos que tive mais prazer e honra em participar na minha vida. Quem gosta de música sertaneja e caipira tem que assistir”, completa.     Resumo do roteiro “Bem Sertanejo – O Musical” conta a trajetória e a formação da música caipira e da cultura interiorana do nosso país de forma poética e não cronológica. A peça propõe uma viagem pelos nossos interiores – memórias, infância, descobertas – resgatando, assim, o sertão que há em cada um de nós, e ao mesmo tempo, um contato direto com as nossas raízes culturais.   Ficha Técnica ELENCO: Michel Teló Lilian Menezes Alan Rocha Claudio Lins Daniel Carneiro Gabriel Manita Jonas Hammar José Mauro Brant Pedro Lima Rodrigo Lima Sergio Dalcin   EQUIPE CRIATIVA Texto e direção – Gustavo Gasparani Direção Musical – Marcelo Alonso Neves Arranjos e Preparação vocal – Mauricio Detoni Coreografia – Renato Vieira Cenografia – Gringo Cardia Figurino – Marcelo Olinto   REDES SOCIAIS Facebook: https://www.facebook.com/Bem-Sertanejo-O-Musical Instagram: @bemsertanejoomusical Twitter: https://twitter.com/BemSertanejoMus Site: www.bemsertanejoomusical.com.br   APRESENTAÇÃO Bradesco Seguros   PATROCÍNIO MASTER PagSeguro   Circuito Cultural Bradesco Seguros Manter uma política de incentivo à cultura faz parte do compromisso do Grupo Bradesco Seguros com a conquista da longevidade com qualidade de vida, considerando a cultura como ativo para o desenvolvimento dos capitais do conhecimento e do convívio social. Nesse sentido, o Circuito Cultural Bradesco Seguros se orgulha de ter patrocinado e apoiado, nos últimos anos, em diversas regiões do Brasil, projetos nas áreas de música, dança, artes plásticas, teatro, literatura e exposições, além de outras manifestações artísticas. Dentre as atrações realizadas recentemente, destacam-se os musicais “Bibi – uma vida em musical”, “Bem Sertanejo”, “Les Misérables”, “60 – Década de Arromba”, “Cinderella”,“Chacrinha, O Musical”, “Elis - A Musical”, “A Família Addams”, “O Rei Leão” e “Wicked”, além da “Série Dell'Arte Concertos Internacionais”, “Ballet Zorba, O Grego” e a exposição inaugural da Japan House, “Bambu – histórias de um Japão”. Para conhecer o calendário 2019 do Circuito Cultural Bradesco Seguros, acesse www.bradescoseguros.com.br, clique na opção “Circuito Cultural”. [+] saiba mais Atividades do Educativo 24/09 a 20/12 Arte e Educação CURSOS   Curso de Improvisação Teatral   |   O Tablado DATAS: 05/03 a 19/12 HORÁRIOS: Segundas, Terças e Quartas CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: 10 Anos LOCAL: Cidade das Artes SALA: Eletroacústica CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: 10 Anos Para mais informações:  curso@otablado.com.br  -  secretaria@otablado.com.br  -  Fone: 2294-7847 ou 2259-7857           Curso   |   Aulas de Yoga DATAS: 06/06 a 12/12 HORÁRIOS: Quartas - 7h30 CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: Livre LOCAL: Cidade das Artes SALA: Praça PROGRAMAÇÃO GRATUITA           Curso   |   Fotografia DATAS: 14/08 a 30/10 HORÁRIOS: 19h CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: Livre LOCAL: Cidade das Artes SALA: Sala de Leitura Fotógrafo: Ariel Subira Inscrições para nova turma:  oficinadefotografiacda@gmail.com PREÇOS: Mensal: R$ 180,00             Curso   |   Dança de Salão DATAS: 06/09 a 13/12 HORÁRIOS: Quinta - 15h CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: Livre LOCAL: Cidade das Artes SALA: Sala de Dança Para mais informações e inscrições:  TL: 992626639 ou E mail: Eversoncosta@yahoo.com             Curso   |   Escola de Música da Cidade das Artes DATAS: 01/09 a 15/12 HORÁRIOS: Os horários dependem do curso desejado. CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: Livre  Informações: (21) 2287.5136  (21) 99943.0010 inconcertmusicprod@gmail.com http://www.escolainconcert.com.br LOCAL: Cidade das Artes                 Curso   |   Interlocuções I Psicanálise e Literatura DATAS: 02/02 a 28/12 HORÁRIOS: Sextas - 16h CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: 16 Anos LOCAL: Cidade das Artes SALA: Sala de Leitura PROGRAMAÇÃO GRATUITA               Curso   |   Meditação e Deeksha DATAS: 10/01 a 19/12 HORÁRIOS: Quarta - 20h CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: Livre LOCAL: Cidade das Artes PROGRAMAÇÃO GRATUITA             Curso   |   Projeto Jovens Músicos | Novas Vagas DATAS: 14/08 a 15/12 HORÁRIOS >Turmas às Terças: de 9h às 11h; >Turmas às Quintas: de 9h às 11h; CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: 10 a 17Anos LOCAL: Cidade das Artes Para fazer sua inscrição acesse o link: https://goo.gl/forms/KmS6hQamAoRMwN4N2  -  Informações através do telefone: 3325-0448  PROGRAMAÇÃO GRATUITA               ESPORTE   Esporte   |   Pura Vida Training - By Nike Rio | Esporte DATAS: 31/07 a 20/12 HORÁRIOS: Segunda a Quinta  -  Manhã 7h às 8h  |  Noite 19h30 às 20h30 LOCAL: Cidade das Artes GARANTA JÁ A SUA VAGA, CLIQUE AQUI               OFICINAS   Oficina   |   Projeto Cultura Plural DATAS: 29/09 HORÁRIOS: Sábado - De 10h às 18:30h  -  *Vagas limitadas* Inscrições por palestra: https://goo.gl/forms/ZGK6fnekAZfZJVHZ2  ou  (21) 3325-0448 CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: Livre LOCAL: Cidade das Artes SALA: Sala de Ensaio III PROGRAMAÇÃO GRATUITA             Educação Ambiental | Despertar Agroecológico   |   OFICINA DATAS: 01/08 a 20/12 HORÁRIOS  |  ** Data e Horário a definir no agendamento. ** CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: Livre LOCAL: Cidade das Artes - Jardim Grupos interessados, favor entrar em contato para agendamento: saladeleitura.fca@gmail.com ou 3325-044 PROGRAMAÇÃO GRATUITA             Oficinas de Arte e Inclusão DATAS: 03/10 a 14/12 HORÁRIOS   Quarta - 10h às 13h 10h às 11h20 – Jazz Musical 11h30 às 12h50 - Percussão   Sexta – 10h às 13h 10h às 10h50 – Pedagogia e Psicologia Laboral 11h às 11h50 – Iniciação Musical e Canto Coral 12h às 13h – Dança Cigana CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: 14 Anos  LOCAL: Cidade das Artes  INSCRIÇÕES PELO LINK - https://bit.ly/2xoqWAg PROGRAMAÇÃO GRATUITA             Oficina de Teatro e Vídeo DATAS: 05/05 a 06/10 HORÁRIOS: Sábado - 10h às 13h CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: 9 Anos LOCAL: Cidade das Artes PREÇOS: Valor Mensal: R$ 250,00             Oficina de Percussão DU RIO DATAS: 02/08 a 13/12 HORÁRIOS: Quinta-feira  -  19h45 às 21h45 ** A oficina será realizada na Sala de Percussão, em anexo a Sala de Ensaio I. ** CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: 12 Anos LOCAL: Cidade das Artes SALA: Sala de Ensaio 1 VALOR MENSAL: R$225,00             Oficina   |   Morada das Histórias | Produção de texto e Contação de História DATAS: 29/09 HORÁRIOS: Sábado - 14h CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: Livre LOCAL: Cidade das Artes SALA: Sala de Leitura INSCRÇÕES: cursos.cidadedasartes@gmail.com ou (21) 3325-0448 PROGRAMAÇÃO GRATUITA                 WORKSHOPS   Workshop   |   O Mundo Genial e Psicótico de Salvador Dalí DATAS: 29/09 HORÁRIOS: Sábado - 18h LOCAL: Cidade das Artes CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: Livre SALA: Sala de Leitura PROGRAMAÇÃO GRATUITA                     [+] saiba mais