Fundação Cidade das Artes

Memoria

Memória

A Fundação Cidade das Artes é um espaço concebido para abrigar múltiplas atividades artísticas, como exposições, apresentações de dança, teatro e música. Este complexo cultural também é utilizado para palestras, oficinas, congressos, conversas com autores, lançamentos de livros e outras atividades de formação cultural e artística.

Os eventos que ocorrem neste espaço são filmados e fotografados para que todos os interessados possam ter acesso, através deste site, ao histórico de programação da Cidade das Artes e os programas das peças podem ser pesquisados na Sala de Leitura, local onde serão preservados todos os materiais impressos relacionados à programação.

Eventos Passados

Junta Local | Feira de Pequenos Produtores 13/01 a 14/01 Outros Após uma memorável e inédita feira em julho, a Junta Local chega de vez na Barra da Tijuca, trazendo seu coletivo de pequenos produtores novamente para a  Cidade das Artes, um dos principais equipamentos culturais da Zona Oeste.  As feiras da Junta Local são uma oportunidade única para comer bem e conhecer os produtores que fazem parte da plataforma de aproximação e mudança do sistema alimentar proposta pelo projeto (http://www.juntalocal.com), originado em agosto de 2014 em Botafogo.  Nos dias 13 e 14 de janeiro, mais de 50 pequenos produtores ocuparão a praça da Cidade das Artes, com enorme variedade de produtos.   Como parte da programação, convidamos a todos a trazerem suas toalhas e cestas para realizarmos pique-niques e curtir o por do sol no jardim da Cidade das Artes.   ENTRADA GRATUITA.   [+] saiba mais “Bem Sertanejo” – O Musical 05/01 a 14/01 Teatro   SUPERPRODUÇÃO, ASSINADA PELA AVENTURA ENTRETENIMENTO E MUSICKERIA, VOLTA DEPOIS DE TEMPORADA COM INGRESSOS ESGOTADOS O espetáculo “Bem Sertanejo – O Musical” apresentado pelo Circuito Cultural Bradesco Seguros, e patrocinado pelo laboratório Cristalia, Riachuelo e agora também pela Vivo foi sucesso de público por onde passou durantes os meses de abril, maio e junho deste ano. Foram mais de 32 apresentações em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Brasília, Belo Horizonte e Ribeirão Preto sempre com casa cheia e sessões extras. E agora, depois de lançar também o show Bem Sertanejo, inspirado no DVD de mesmo nome, Michel Teló volta com o musical faz sua reestreia e nada mais justo do que recomeçar na “terra do sertanejo”, Goiânia! “As pessoas nos perguntavam sempre quando seria Goiânia, que esse espetáculo tinha que ir pra lá e agora quando fomos falar de segunda temporada, pedi pra que tivesse Goiânia e estou muito feliz que vai começar por lá.”, diz Michel Teló. Em Goiânia as apresentações serão dias 16, 17 e 18 de dezembro, no Teatro PUC Goiás. E depois vai passar por Rio de Janeiro dias 05, 06, 07, 12, 13 e 14 de janeiro, na Cidade das Artes, em Vitoria nos dias 19 e 20 de janeiro no Espaço de Eventos Shopping Vila Velha, em Campinas nos dias 30 e 31 de março e 01 de Abril no Teatro Castro Mendes e em São Paulo nos dias 16, 17, 18, 23, 24 e 25 de março, no Teatro Bradesco. A montagem conta a história da música sertaneja, desde a sua origem caipira, no século 17, até os dias mais recentes e traz no repertório cerca de 56 sucessos de nomes consagrados, como Tonico e Tinoco, Sérgio Reis, Almir Sater, Renato Teixeira, Chitãozinho e Xororó, Leandro e Leonardo, Zezé Di Camargo e Luciano, Gustavo Lima, Henrique e Juliano, Jorge e Mateus, entre outros. “Bem Sertanejo - O Musical” traz na assinatura do texto e da direção o nome de Gustavo Gasparani e de profissionais consagrados no ramo, como Gringo Cardia (cenografia), Maneco Quinderé (iluminação), Marcelo Olinto (figurinos), Renato Vieira (coreografias), Marcelo Neves (direção musical), Mauricio Detoni (arranjos e preparação vocal) e André Piunti (pesquisador musical). A turnê percorrerá as seguintes cidades brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Goiânia e Campinas. Esse projeto é apresentado pelo Ministério da Cultura, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, e pelo Circuito Cultural Bradesco Seguros e patrocinado pelo Laboratório Cristalia, Riachuelo e também pela Vivo, forte incentivadora da cultura brasileira or meio do teatro e da música. Do “Fantástico” para os Palcos com o mesmo nome do quadro, que foi um sucesso no programa “Fantástico”, exibido pela Rede Globo de Televisão, o protagonista do musical no teatro será o mesmo apresentador da série que foi um sucesso e teve mais uma temporada exibida agora em 2017. Michel Teló fez a sua estreia como ator e se preparou para isso com várias horas de ensaio ao longo dos dias. “Esse é outro mundo para mim. É muito novo ter texto para decorar, ter que interpretar um personagem, aprender as marcações diferentes, estar em cima do palco para um musical é diferente. Mas tem sido um desafio muito bacana”, afirma Michel. O elenco trará ainda nomes de destaque no cenário do teatro musical brasileiro, como Lilian Menezes, que recentemente chamou a atenção ao protagonizar o sucesso “Elis, A Musical”, Sergio Dalcin, cantor sertanejo e ator, com experiência em musicais, e o premiadíssimo elenco de “Samba Futebol Clube” e “Aquele Abraço” que trabalha com o autor e diretor Gustavo Gasparani há cinco anos. São eles: Alan Rocha, Cristiano Gualda, Daniel Carneiro, Gabriel Manita, Jonas Hammar, Luiz Nicolau, Pedro Lima e Rodrigo Lima. “Ao escrever Bem Sertanejo – O Musical, voltei à minha infância na fazenda quando queria ser veterinário. A peça conta a trajetória e a formação da música caipira e da cultura interiorana do nosso país de forma poética e não cronológica. Proponho uma viagem pelos nossos interiores – memórias, infância, descobertas – resgatando, assim, o sertão que há em cada um de nós, e ao mesmo tempo, um contato direto com as nossas raízes culturais. Um sertão mítico, onde o erudito se encontra com a alma popular para criar a identidade de um povo. Um encontro livre de preconceitos e longe da palavra progresso. Onde Tarsila, Mário de Andrade e Villa Lobos se encontram com Tonico e Tinoco, Mazzaropi, Jararaca e Ratinho e tantos outros”, explica Gustavo Gasparani. Resumo do roteiro: “Bem Sertanejo – O Musical” conta a trajetória e a formação da música caipira e da cultura interiorana do nosso país de forma poética e não cronológica. A peça propõe uma viagem pelos nossos interiores –memórias, infância, descobertas – resgatando, assim, o sertão que há em cada um de nós, e ao mesmo tempo, um contato direto com as nossas raízes culturais. Ficha Técnica: ELENCO : - Michel Teló - Lilian Meneses - Alan Rocha - Cris Gualda - Daniel Carneiro - Gabriel Manita - Jonas Hammar - Luiz Nicolau - Pedro Lima - Rodrigo Lima - Sergio Dalcin Equipe criativa: Texto – Gustavo Gasparani Direção – Gustavo Gasparani Direção Musical – Marcelo Alonso Neves Arranjos e Preparação vocal – Mauricio Detoni Coreografia – Renato Vieira Cenografia – Gringo Cardia Figurino – Marcelo Olinto Visagismo – Marcio Mello Assistente de Direção e Direção Residente – Juliana Medella 2º Assistente de Direção – Fabricio Polido Assistente de Coreografia – Marluce Medeiros Assistente de Cenário – Jackson Tinoco Figurinista Assistente – Almir França Pesquisador Musical – André Piunti Redes Sociais Facebook: https://www.facebook.com/Bem-Sertanejo-O-Musical Instagram: @bemsertanejoomusical Twitter: https://twitter.com/BemSertanejoMus Site: www.bemsertanejoomusical.com.br Sobre o CIRCUITO CULTURAL BRADESCO SEGUROS - www.bradescoseguros.com.br/circuito_cultural Manter uma política de incentivo à cultura é compromisso permanente do Circuito Cultural Bradesco Seguros. Nos últimos anos, o Grupo Bradesco Seguros orgulha-se de ter patrocinado e apoiado projetos nas áreas de música, dança, artes plásticas, teatro, literatura e exposições, além de outras manifestações artísticas. Dentre as atrações realizadas recentemente, destacam-se os musicais “Ghost, O Musical”, “Chacrinha, O Musical”, “Elis - A Musical”, “A Família Addams”, “O Rei Leão”, “Garota de Ipanema, O Musical da Bossa Nova”, “Les Misérables”, “60 – Década de Arromba”, “Cinderella” e “Wicked”, além da “Série Dell’Arte Concertos Internacionais”, “Ballet Zorba, O Grego” e a exposição“Cavaletes de Cristal de Lina Bo Bardi no MASP”. Sobre o Cristália Fundado há 45 anos, o Laboratório Cristália é um Complexo Industrial Farmacêutico, Farmoquímico, Biotecnológico, de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação 100% brasileiro. É pioneiro na realização da cadeia completa de um medicamento, desde a concepção da molécula até o produto final. Possui 94 patentes, sendo recordista nacional, e em anestesia, é líder de mercado na América Latina. Na vanguarda quando o assunto é inovação, produz 53% das matérias-primas dos seus medicamentos na planta Farmoquímica. Está presente em mais de 95% dos hospitais brasileiros, e é referência no âmbito internacional com exportação de princípios ativos e produtos acabados para mais de 30 países. Investe há 15 anos em biotecnologia, possuindo as primeiras plantas privadas de Biotecnologia do Brasil. O Grupo Cristália conta com cerca de 5.200 colaboradores, considerando as empresas coligadas, como os laboratórios Sanobiol, IMA e Latinofarma. | www.cristalia.com.br. Sobre a Vivo e a cultura Líder em telecomunicações no Brasil, a Vivo incentiva e promove a democratização do acesso à cultura ao levar espetáculos de qualidade para diferentes regiões. Nos últimos 13 anos, foram mais de 3 mil sessões de teatro e mais de 1 milhão de espectadores em todo o País. A empresa mantém ainda o Teatro Vivo, em São Paulo, que a partir de 2018 torna-se um ambiente multicultural, capaz de receber também shows e exposições. SERVIÇO:  (preços variados e ingressos populares, consulte www.ingressorapido.com.br) Rio de Janeiro Local: Cidade das Artes, Av. das Américas, 5300 - Barra da Tijuca, Rio de Janeiro - RJ, 22793-080 Datas: 05, 06, 07, 12, 13 e 14 de Janeiro Horários: - sexta duas sessões: 17h e 21h30 - sábado duas sessões: 17h e 21h30 - domingo duas sessões: 16h e as 20h30   [+] saiba mais Workshop Afro Zuumba Solidária 13/01 Cursos Workshop Afro Zuumba Solidária – Aniversário do prof. Yemi A dança é uma forma de expressar sentimentos e gerar boa energia. O objetivo deste workshop é reunir dança e solidariedade, com coreografias específicas do ritmo da Afro Zuumba. Em contrapartida, os participantes estarão colaborando com projetos sociais atuantes na cidade do Rio de Janeiro. O evento terá cobertura audiovisual e o material será amplamente divulgado principalmente nas redes sociais. A Afro Zuumba Solidária é uma iniciativa para fortalecer ações sociais através da dança. No mês de janeiro, em comemoração pelo aniversário do professor Yemi, o workshop irá ser gratuito!   O Prof Yemi, da African Pride Company, é nigeriano e tem trabalhado com Afrozumba há 3 anos na cidade do Rio. Com vasta experiência em exercícios aeróbicos, ritmos afro, hip hop, ritmos afro latinos como salsa e merengue. O mestre também é diretor dança profissional, diretor de arte e produtor de eventos.    Organização: African Pride Company Professor: Yemi   *Entrada: Gratuita *Contribuição: 1kg de alimento não perecível     Inscrição:     orgulhodaafrica@gmail.com   Informações por e-mail: orgulhodaafrica@gmail.com Facebook Page: @streetdancenarua [+] saiba mais Pedro e o Lobo 09/12 a 17/12 Dança Pedro e o Lobo  Baseado em um antigo conto russo, ambientado numa pequena aldeia de judeus, sob o peso do Czar Russo e do perigo iminente de serem expulsos de seu vilarejo, havia um menino valente chamado Kefa (Pedro) que tenta salvar seus amigos bichos das garras de um lobo na floresta. O compositor designou uma personalidade sonora para cada personagem ao criar a obra, em 1936. A obra foi escrita originalmente para uma orquestra sinfônica e, neste espetáculo, será executada numa versão reduzida para cinco músicos e sete atores bailarinos, ela apresenta às crianças os instrumentos musicais da orquestra. Cada personagem é representado por um instrumento e um ator bailarino diferente. Venha viajar nesta aventura retratada no ballet Pedro e o Lobo, de Prokofiev, com coreografia de Caio Armstrong, execução musical da Banda Filarmônica do Rio de Janeiro, sob regência de Antônio Seixas, adaptação e direção de Ariel Cohen.   [+] saiba mais Exposição da One by One 02/12 a 16/12 Artes Visuais  A ONG One by One é um grupo que tem como meta proporcionar mobilidade para as crianças de baixa renda com necessidades especiais. O objetivo é a doação de cadeiras de rodas, promovendo com isso uma melhor inclusão das crianças em nossa sociedade. Os grupos de estimulação através das arte proporciona de uma forma lúdica o desenvolvimento neurológico, tentando desenvolver 100% da capacidade de cada criança; oferecendo também apoio às famílias com doação de fraldas, cadeiras de banho, sondas urinárias, leite , cestas básicas e compartilhando um pouco do conhecimento e tratamento com crianças portadoras de necessidades. Projeto Estimulação & Arte Com o objetivo de mostrar com os trabalhos expostos a sociailização e estimulação dos sentidos motores e sensoriais das crianças especiais assistidas pela ONG. Com aulas de arte, assim como brincadeiras, estimulamos a motricidade fina, intelectual e cognitiva de forma individualizada. Compartilhada em grupo, com objetivo de atingir a total capacidade destas crianças, com aulas ministradas pela fundadora Teresa Stengel, artista plástica e todo seu corpo de profissionais capacitados. [+] saiba mais Nadia Figueiredo | Show É Natal 15/12 Música NADIA FIGUEIREDO No show “É NATAL” A soprano Nadia Figueiredo após a bem sucedida  tourneé brasileira em maio e Junho de 2017 com Placido Domingo Jr,  estará se apresentando no dia 15 de dezembro às 21h no Teatro de Câmara da Cidade das Artes - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro. Um show natalino com canções originais de Natal de diversos países, entre elas O Holy Night (J.S.Dwight & dolphe Adam), Silent Night (Joseph Mohr & Franz Gruber), Tonight (Leonard Bernstein), White Christmas (Irving Berlin) dentre outras, tendo as participações especiais de Leonardo Neiva cantor eclético que passeia com maestria pela ópera, musical e repertório sinfônico. Foi um dos protagonistas do musical “Les Misérables” no Brasil e no México e do maestro e pianista João Carlos Assis Brasil que preparou arranjos especialíssimos para estas canções. [+] saiba mais Comida, Diversão e Arte 25/04 a 14/12 Outros A CIDADE DAS ARTES tem prazer em apresentar o seu novo projeto, COMIDA, DIVERSÃO E ARTE. Terça-feira é o dia de falarmos sobre GASTRONOMIA, quarta é pra se DIVERTIR dançando e sábado é o dia das ARTES. A cada semana teremos diferentes atrações como oficinas, bate-papos, aulas de dança, exibições de filmes e muito mais. E o melhor, as atividades são sempre gratuitas! O projeto é direcionado para adultos com energia de sobra para aprender e trocar saberes, sabores e muitas experiências.   Confira a programação: Toda Quarta-Feira | 16h | Aula de dança de salão com o professor Everson Costa.    DIA 09 |Sábado | 15h | Sarau “Maraka ritual indígena com roda de conversa” Venha conhecer um pouco da cultura do "POVO DO MARACÁ", fazer pintura corporal e ainda conhecer artefatos indígenas que estarão à venda.  Realização Projeto "Paixão de Ler".  Maraka: O pensamento mágico dos Pajés Tantehar-Guajajara, com a força do tabaco e do maracá, traz uma consciência ecológica ancestral, com lições de equilíbrio e harmonia com a Mãe-Terra. Mais do que um elemento rítmico, o maraka (Maracá) era tão importante entre os Tupinambá do século XVI que Hans Staden pensou se tratar de um objeto de adoração. Instrumento de poder entre os Tupinambá seiscentistas, o Maracá, com as suas mais distintas denominações, ainda é elemento distintivo das mais diversas etnias brasileiras contemporâneas, dos mais variados troncos culturais Sinônimo de música entre os Kamaiurá, denotativo de uma cultura, como os Guajajara (“Povo do Maracá”), a força do Maracá continuava presente no cotidiano dos mais diferentes Povos Indígenas Brasileiros Mais do que um encontro entre povos de etnias brasileiras, o Maraka, ritual indígena pretende trazer para o espaço da Aldeia Maracanã e do CESAC, no Rio de Janeiro, antiga aldeia de Urucu-Mirim, a expressão cultural, o pensamento e a diversidade de alguns dos Povos que mantém viva a tradição do Maracá. "Eles creem em um objeto que cresce como uma cabaça e é tão grande como uma medida e meia (copo de bebida). É vazio por dentro e atravessam-no com um pauzinho; abrem um buraquinho nele, como uma boca, e introduzem por ele pedrinhas, de modo que produz ruído ao ser sacudido. Tocam esse instrumento enquanto cantam e dançam e chamam-no maraka.” (Ed. facsímile, op.cit. "Woran sie gleuben. Cap. XXIII").   Duração: 2h Classificação: Livre  Local: Sala de Leitura   Informações: saladeleitura.fca@gmail.com (21) 33250448       Dia 12 | Terça | 16h | Aula de Gastronomia | Como fazer uma massa artesanal de panetone e chocotone com a convidada Carol Faccini    Vamos aprender a fazer uma deliciosa massa artesanal de panetone e chocotone, e como fazer o chocotone gourmet recheado com brigadeiro trufado.  Carol é formada em nutrição pela Universidade Veiga de Almeida desde 2009. Trabalhou na área de produção e controle de qualidade em restaurantes e confeitarias, foi quando se apaixonou pela arte de confeitar e decidiu que dali em diante era isso que ela queria fazer pro resto da vida!    "Fundei a empresa Doce Antônia em 2010 e desde então me dedico com muito amor a adoçar a vida das pessoas. Faço doces, naked cakes, brownies e em épocas comemorativas produzo artesanalmente panetones e ovos de Páscoa recheados." Carol Faccini   Local: Café das Artes  [+] saiba mais Aulas de Capoeira 08/08 a 14/12 Cursos  Aulas regulares de capoeira passarão a integrar o quadro de atividades fixas da Cidade das Artes. Serão todas as terças, quartas e quintas-feiras, entre 18h e 21h. A turma das 18h será formada pelo público infantil; as das 19h e das 20h, por adultos. Fundado por Beto Simas/Mestre Boneco em 1989, o GCB é reconhecido mundialmente, estando presente em mais de 40 países, como Estados Unidos, Holanda, Espanha, Egito, Alemanha etc. Além de capoeirista, Mestre Boneco é empresário e ator, e sempre buscou difundir a prática esportiva nas produções das quais participou, seja no cinema, teatro ou televisão. Nos últimos anos viveu nos Estados Unidos, onde realizou diversas atividades com o grupo, entre as quais palestras, workshops, treinamentos de atores de Hollywood, filmes, documentários e outros. “Unindo arte, movimento, som e cultura, a capoeira é um esporte de tradição que honra nossos antepassados africanos. E a missão do Capoeira Brasil é manter viva essa herança”, destaca Boneco.   Aulas regulares a partir de agosto Dias: Terças, quartas e quintas-feiras 18h - infantil 19h - adulto 20h- adulto                                                 MATRÍCULAS ABERTAS Para mais informações: (21) - 98097-0100 - 21 96448.6626 ou gcb.mboneco@gmail.com [+] saiba mais Túnel | Tomás Ribas 06/08 a 14/12 Artes Visuais Venha conhecer a Obra "Túnel - 2013" de Tomás Ribas. Esse trabalho foi feito inicialmente para a Galeria Maria de Lourdes Mendes de Almeida. Tomás Ribas,  artista e iluminador, utiliza a luz como matéria de trabalho criando instalações que exploram a percepção do mundo através da visão. Participou de exposições no Brasil, França, Holanda, Suécia, República Tcheca e Coréia do Sul. Como iluminador ganhou alguns dos principais prêmios do teatro Brasileiro como o Prêmio Shell, o Prêmio Cesgranrio e o Prêmio Questão de Crítica.  Obra Permanente   Informações : 33250448 [+] saiba mais Projeto Jovens Músicos da Cidade das Artes 10/10 a 14/12 Cursos Pensando na responsabilidade social unida ao poder transformador da arte, apresentamos o Projeto Jovens Músicos da Cidade das Artes. Serão aulas de violão e teclado gratuitas para jovens de 10 a 17 anos. A Coordenação do curso é feita pelos músicos, arranjadores e instrumentistas Sergio Knust e Lito Figueroa. Agende sua entrevista através do telefone 3325 0448 ou pelo e-mail saladeleitura.fca@gmail.com. O projeto fará parte do cronograma do setor de Arte e Educação da Cidade das Artes, que vem ao longo desses quatro anos desenvolvendo oficinas, cursos, contação de histórias, cine debates, palestras e workshop entre outros. Nossa proposta é contribuir na formação cultural desses jovens por meio de uma formação musical voltada para o violão ou teclado, passando pelo erudito ao popular. Venha fazer parte dessa história!  [+] saiba mais O Tablado | Curso de Improvisação Teatral 01/08 a 13/12 Cursos O TABLADO Curso de Improvisação Teatral – Iniciou em Agosto   O curso de improvisação do Tablado segue o método desenvolvido pelo francês Charles Dullin e aperfeiçoado por Maria Clara Machado.   "Despertar no aluno a NECESSIDADE de uma atitude criadora é a grande tarefa do professor, é chamar a atenção do aluno sobre sua capacidade de inventar e de transformar."                                                                                                            MARIA CLARA MACHADO   TURMAS: 2º Feira  18h30 às 20h15  - 10 a 13 anos  Professora Viviana Rocha    4º Feira  16h às 17h45 - 14 a 17 anos  Professora Andreia Fernandes    4º Feira  18h às 19h45 - acima de 18 anos Professora Lionel Fisher e Julia Stockler                                                                 INSCRIÇÕES PARA TURMAS 2018 ABERTAS   Contatos para Inscrições: Telefones: (21) - 2294-7847  |  (21) - 2259-7857   ou   E-mail: secretaria@otablado.com.br  de segunda à quinta, de 14h30 às 20h e sexta de14h30 às 18h30.         [+] saiba mais Meditação e Deeksha 19/07 a 13/12 Cursos PROGRAMAÇÃO GRATUITA  CLASSIFICAÇÃO: LIVRE    MEDITAÇÃO DEEKSHA Está corrido o seu dia? Tem coisas demais acontecendo e não dá conta? A mente não lhe dá descanso!  Até mesmo quando está fazendo algo que gosta muito você fica pensando no que tem que fazer amanhã... na chateação que teve no mês passado... ou fica com medo que acabe logo, e tão logo acaba, vem o sentimento que não desfrutou aquele momento prazeroso como devia?   Temos vivido uma vida dentro da mente, um desgastante dreno de energia. Muitas vezes vivendo um sentimento de vazio, se questionando se há um sentido maior para a vida.   Como posso estar mais presente e desfrutar da vida?   A MEDITAÇÃO é um instrumento poderoso de encontro com nós mesmos! É uma experiência de conexão com o Verdadeiro EU, o EU Superior, o EU Divino, a Energia Cósmica, Energia Criadora - o nome que quisermos dar, mas principalmente uma experiência de CONEXÃO, de PERTENCIMENTO! Pertencimento a algo maior que vai além da mente. Não passa pela cognição, é uma EXPERIÊNCIA!   Vamos meditar?    Meditação com Deeksha   Muitas pessoas têm ideias errôneas sobre meditação. Pensam que é uma atividade monótona, que para meditar elas precisam ficar paradas sem se mover.  Meditar é extremamente prazeroso e não tem nada de monótono e alguns tipos de meditação podem ser bem ativas onde as pessoas se movem, pulam, dançam, cantam.   Quem acha que nunca conseguirá meditar precisa experimentar a meditação com a Deeksha. Quem já tem a meditação incorporada na sua rotina irá alcançar estados de meditação mais profundos e perceber que a transformação e os benefícios da meditação se aceleram e se tornam definitivos.    A Deeksha é uma energia inteligente e sutil transmitida por um doador através de um toque suave no Chakra coronário (topo da cabeça).  Ela leva a pessoa a vivenciar o estado de meditação imediata e para isso basta a pessoa se disponibilizar a participar de encontros como esse que teremos todas as Quartas aqui na Cidade das Artes.   Explicando de forma mais técnica a Deeksha: Age progressivamente remodelando e reequilibrando a atividade neuroendócrina - elevando os níveis de ocitocina e serotonina (hormônios do bem estar) e diminuindo os níveis do cortisol e outros neurotransmissores do Stress crônico. Cria novas sinapses no cérebro levando a mudança na percepção dos fatos da vida, nas emoções e no agir. Eleva o Nível de Consciência permitindo VIVER de forma plena e descobrir o extraordinário no cotidiano da vida.   Benefícios: Saúde física, emocional e espiritual Redução da ansiedade Experiência de bem estar, prazer e alegria  PAZ interior  Clareza mental e objetividade Aumento da concentração; Autoconhecimento Harmonia nos relacionamentos Conexão com o EU SUPERIOR / EU Divino (sua verdadeira essência) Expansão de consciência   Público Alvo: Esse é um encontro para todas as pessoas, de todas as idades, sem restrições.   Depoimentos: "Estava com uma dor muito forte no braço direito desde cedo na quarta-feira e quando vim aqui na quarta-feira pela primeira vez e me deitei no colchonete para relaxar, a dor foi embora. Tive uma visão de um lugar maravilhoso que frequento há dois anos, mas nunca admirei verdadeiramente, estava fechada para ver as belezas que este lugar nos proporciona e quando estava deitada aqui no colchonete, consegui vislumbrar toda a beleza deste lugar que antes eu não sentia. O que eu tenho a dizer é que, os problemas continuam, as dificuldades do dia a dia estão ali, mas a maneira de vê-los, de encará-los mudou. E a alegria que eu sentia somente por motivos externos, deu lugar a uma alegria genuína, sem motivos aparentes." Rita B.   "Olá, meu nome é Aline e quero compartilhar o benefício da meditação com Deeksha: Depois que comecei a participar dessa meditação senti melhora no meu sono e na minha intuição. Pude me proteger de um acidente de carro ocasionado por um pneu furado. Sinto minha conexão com Deus cada dia mais forte. Senti uma gratidão no meu coração que eu nunca havia sentido e uma felicidade imensa por estar participando dessa meditação. Já levei meu irmão e uma amiga e eles também estão amando. Pude perceber melhora na minha saúde física, mental, emocional e espiritual. As coisas a minha volta se tornaram mais belas. O sol ganhou novo brilho e minha vida volta a fazer sentido." Aline C.   "Olá, meu nome é Marcia, sou médica, faço Ginecologia e Obstetrícia e Medicina Ortomolecular. Faço psicoterapia há mais de 15 anos, sou apaixonada pela área de autoconhecimento e de prevenção, tento usar isso no meu dia a dia a meu favor e de meus pacientes, tentando entender a integração e cura da mente/doenças. Há algum tempo percebi uma limitação na minha progressão emocional e profissional. Algo me incomodava, mas não conseguia acessar de completo.  Percebi que estava no afeto, e provavelmente na infância. E daí não saia. Isso me causou muita angústia e cobrança em resolver. Tomei conhecimento e não tinha noção por onde começar. A terapeuta dizia que eu tinha muita resistência a chegar no problema. Até que conheci a meditação e a Deeksha há exatamente 30 dias. Na primeira vez não me permiti relaxar. Continuava na agitação e preocupada com tanta coisa a fazer ao sair dali. Na segunda vez senti uma paz, que só havia sentido uma única vez, que foi durante um seminário com Divaldo Franco. Uma sensação de ter me conectado a algo que já conhecia!? A angústia de ter que resolver minhas questões, acabou, e me invadiu uma tranquilidade para aceitar minhas limitações, carências, raiva, medo, tristeza. No dia seguinte parecia que estava em "pós-operatório"...eu me movimentava devagar com medo de perder esse estado de bem estar; tentava estar consciente e conectada com essa energia que eu tinha entrado em contato. Desse dia em diante, não esqueci mais desse caminho para conexão, que de alguma forma, encontrei (difícil explicar essa sensação). Isso mudou completamente meu dia a dia, porque a calma me invadiu. ...  Em 30 dias, o salto de consciência, renovação, bem estar, conexão são impressionantes. Minha casa está calma. Todos estão calmos. É muita mudança. Nenhum medicamento, psicoterapia, passe, estudo, curso, mesmo que aliados, conseguiram me proporcionar isso. Vou agradecer eternamente a Marcia que me mostrou esse caminho, a Maria por sempre nos brindar com seus ensinamentos e ver com tamanha simplicidade e aceitação, as mazelas de cada um, nos ensinando a não ter medo de olhar para dentro, e aos Deeksha givers (doadores da Deeksha)." Marcia P.   "Gostaria de dar o meu depoimento em relação a Deeksha. Simplesmente mudou a minha vida, eu fui convidado por meu amigo Mario Mesquita para conhecer e receber a Deeksha, estava num momento muito complicado, tudo era problema, nervoso, mau humorado, pressão alta entre outros problemas causados pelo stress do momento em que o país se encontra. Fui a Barra e conheci a Maria, recebi a Deeksha e simplesmente, fiquei chocado com o momento de conforto que fiquei, a ponto de não saber explicar. Fui para casa e fiquei 3 dias nesse conforto e contando as horas para chegar logo a próxima quarta-feira, ..."  Gustavo Albuquerque   O que trazer: - Um tapete de yoga para sentar e deitar em Shavasana (relaxamento)  - Água para seu consumo - Um agasalho ou echarpe para se proteger do vento e frio.   Dúvidas e maiores informações: www.despertario.com.br  [+] saiba mais Conversa Literária | Poesia na Cidade 13/12 Arte e Educação Conversa Literária - Poesia na Cidade acontecerá no dia 13 de dezembro, de 15h às 17h30, na Sala 03, na Cidade das Artes e reunirá poetas, atores, escritores, cineastas, produtores culturais, músicos, jornalistas, ilustradores, contadores de histórias, educadores, estudantes, amigos; todos amantes da poesia para um super sarau de poesia, teatro e música. Os Convidados e o público terão espaço para falar, ler, cantar ou interpretar textos poéticos. Será uma Conversa Literária festiva para encerrarmos o ano ao ritmo da poesia. Com microfone aberto, as inscrições serão feitas no local  30 minutos antes de iniciar. Já confirmaram presença o cineasta Alan Minas, o ator Alexandre Damascena, a educadora Bianca Coura, a Diretora Artística da Cidade das Artes Bel Kutner, a atriz Carolina Freitas, a produtora Daniela Vitorino, o cordelista Edmilson Santinni, o educador Fernando Arosa, o poeta Hudson Pereira, o ator Hugo Germano, a poeta Lucília Dowsley, o poeta Mano Melo, o roteirista Marcus Monnerat, a contadora de histórias Sandra Carneiro, a escritora Sandra Lopes, a contadora de histórias Silvia Castro, a ilustradora Thais Linhares.   Curadoria: Cintia Barreto   Após a Conversa, haverá um lanche coletivo próximo ao Café para o qual é só contribuir levando um prato de salgado ou doce e/ou com uma garrafa de refrigerante ou caixa de suco. Será uma verdadeira Confraternização Poética. [+] saiba mais Festival Cervejeiro Carioca 08/12 a 10/12 Festival Festival Cervejeiro Carioca volta à Cidade das Artes nos dias 8, 9 e 10 de dezembro Após duas edições de grande sucesso no ano, a Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, foi escolhida pelo Festival Cervejeiro Carioca para fechar seu calendário de eventos de 2017, nos dias 8, 9 e 10 de dezembro. A entrada será gratuita.   O FCC levará para o espaço 21 cervejarias, mais de 15 opções de gastronomia, muita música com shows e DJs e Flash Tattoo. Como de costume, também abrigará mais uma edição do Silo Criativo, feira de moda independente, arte e design realizados  em paralelo ao Festival.   "Os eventos que realizamos na Cidade das Artes tem um clima fantástico, o que nos levou a escolher o local para fecharmos o ano com chave de ouro. O espaço é perfeito para o Festival. Temos grandes planos para lá em 2018", afirmou Samuel Shor, organizador do evento.   As duas edições anteriores do FCC realizadas na Cidade das Artes este ano tiveram a presença de mais de 25 mil pessoas. O conforto é um dos pontos mais elogiados pelo público: além da grande diversidade de opções de cervejarias e gastronomia, o Festival conta com serviço de Espaço Kids, estacionamento pago no local e parceria com o aplicativo Cabify, além de ser pet friendly.   "O FCC tem atividades e atrações para toda a família. Você pode ir ao Festival para almoçar, passear com o cachorro, levar as crianças para brincar, curtir um som e até fazer compras de Natal. Tudo, claro, acompanhado das melhores cervejas do Rio", disse o organizador Diogo Amaral.   Entre os expositores, a diversidade seguirá como uma das principais marcas do evento. A seleção das cervejarias valoriza as marcas do Rio, buscando a maior variedade possível de estilos e rótulos - na edição anterior, em setembro, foram mais de 70.   Na gastronomia, é certa a presença de pratos de países de todo o mundo. Já passaram pelo Festival representantes das cozinhas árabe, japonesa, mexicana, polonesa, alemã, italiana, peruana, francesa, americana e inglesa, além de muitas opções regionais.     Moda independente, design e arte   Realizado em paralelo ao FCC desde a primeira edição, o Silo Criativo reúne produtores independentes de moda, design e arte do Rio. Sob os cuidados da empresária e designer de estampas Tatiana Ribeiro de Castro – fundadora da marca Pano e membro do coletivo Malha –, o evento apresenta as tendências vistas pelas ruas da cidade através de marcas autorais, com forte identidade.   O Silo oferece uma grande diversidade de produtos, como roupas, sapatos e acessórios, entre os expositores de moda e brechós, e pinturas, serigrafias, ilustrações, cerâmicas e objetos de decoração, entre os de arte e design. Os participantes também serão divulgados em breve.   Festival Cervejeiro Carioca – 7ª edição . Cidade das Artes (Av. das Américas, 5.300 – Barra da Tijuca) . 8, 9 e 10 de dezembro . ENTRADA GRATUITA . EVENTO PET FRIENDLY . Estacionamento pago no local (750 vagas)   ENTRADA GRATUITA.                                                                                                        [+] saiba mais Sarau “Maraka ritual indígena com roda de conversa” 09/12 Arte e Educação Sarau “Maraka ritual indígena com roda de conversa”   Venha conhecer um pouco da cultura do "POVO DO MARACÁ", fazer pintura corporal e ainda conhecer artefatos indígenas que estarão à venda.    Realização Projeto "Paixão de Ler".    Maraka: O pensamento mágico dos Pajés Tantehar-Guajajara, com a força do tabaco e do maracá, traz uma consciência ecológica ancestral, com lições de equilíbrio e harmonia com a Mãe-Terra. Mais do que um elemento rítmico, o maraka (Maracá) era tão importante entre os Tupinambá do século XVI que Hans Staden pensou se tratar de um objeto de adoração. Instrumento de poder entre os Tupinambá seiscentistas, o Maracá, com as suas mais distintas denominações, ainda é elemento distintivo das mais diversas etnias brasileiras contemporâneas, dos mais variados troncos culturais Sinônimo de música entre os Kamaiurá, denotativo de uma cultura, como os Guajajara (“Povo do Maracá”), a força do Maracá continuava presente no cotidiano dos mais diferentes Povos Indígenas Brasileiros Mais do que um encontro entre povos de etnias brasileiras, o Maraka, ritual indígena pretende trazer para o espaço da Aldeia Maracanã e do CESAC, no Rio de Janeiro, antiga aldeia de Urucu-Mirim, a expressão cultural, o pensamento e a diversidade de alguns dos Povos que mantém viva a tradição do Maracá. "Eles creem em um objeto que cresce como uma cabaça e é tão grande como uma medida e meia (copo de bebida). É vazio por dentro e atravessam-no com um pauzinho; abrem um buraquinho nele, como uma boca, e introduzem por ele pedrinhas, de modo que produz ruído ao ser sacudido. Tocam esse instrumento enquanto cantam e dançam e chamam-no maraka.” (Ed. facsímile, op.cit. "Woran sie gleuben. Cap. XXIII").     Informações: saladeleitura.fca@gmail.com (21) 33250448 [+] saiba mais Liberdade - Nossa Riqueza | Um Encontro de Audiovisual e Contação de História 03/12 Arte e Educação Liberdade, nossa riqueza um encontro de audiovisual e contação de história A The African Pride e a Piraporiando uniram-se neste encontro para promover um espaço de reflexão que atinja o público infantil e adulto. The African Pride realiza produções audiovisuais para a TV nigeriana Ojaja TV, criada pelo Ooni de Ifé com o objetivo de veicular conteúdo da afro em todo continente africano e na diáspora. O conteúdo da Ojaja TV é transmitido em TV aberta em 44 países africanos e disponibilizado na internet. A Piraporiando foi fundada por Janine Rodrigues, escritora, educadora, mediadora de leitura e contadora de histórias. Seu trabalho já alcançou 16 estados do Brasil além de países como a Colômbia, Argentina e Chile. Autora de 4 livros infanto juvenis; ‘’As duas bonecas azuis’’; ‘’Histórias do velho Nestor’’, contando seus contos de horror e Contos Piraporianos.    Em 2018 a escritora lança seu novo livro - Nuang - Caminhos da liberdade e também o curta de animação - O filho do vento.    O evento é um caminho de reflexão sobre quem somos e o que entendemos por liberdade. O que possibilita sermos nós mesmos é a liberdade de nos expressarmos. Por vezes barreiras surgem nesta caminha de SER. A história do afro brasileiro é marcada por essas interrupções e esquecimentos que perpassam a memória social. A liberdade física existe, mas, por vezes, a mentalidade ainda está presa em servidões, baixa estima, descrença, racismo. A proposta do encontro Liberdade, nossa riqueza, é criar um espaço de reflexão que atinja o público infantil e adulto acerca do tema de como emanciparmos mentalmente possibilidade sermos quem somos e desenvolver nossos sonhos com maestria. O encontro abarcará pais e filhos, adultos e crianças, com simultaneidade: contação de história e exibição de documentário. Com apresentação do curta documentário Ibejis: Brasil e Nigéria (12´) seguida de uma discussão sobre cultura, herança e liberdade com a historiadora Carolina Morais Osunleye e o coordenador da Ojajatv South America, Ajoyemi Osunleye. E a contação da história Nuang, caminhos da liberdade com a escritora Janine Rodrigues. A história, de autoria de Janine Rodrigues e por ela contada, fala dos Uthando. Os Uthando eram conhecidos por sua sabedoria, pela honra de suas palavras e por sua beleza preta. As mulheres eram detentoras de conhecimentos milenares e tinham grandes cabelos crespos, belos como coroas. Nuang, uma Uthando alegre e talentosa, gostava de deitar no colo de sua avó e ouvir histórias. Um terrível acontecimento mudou o percurso de seu caminho. É a fé em Nzambi, a força da memória, a união e a confiança que darão força para Nuang e seu povo reconquistar a liberdade que até hoje, todos nós, ainda buscamos alcançar.  A apresentação tem duração de aproximadamente 40 minutos. Classificação livre.    Sobre Piraporiando: www.piraporiando.com contato@piraporiando.com    Sobre The African Pride e Ojajatv: www.ojaja.tv orgulhodaafrica@gmail.com [+] saiba mais Wired Festival Brasil 01/12 a 02/12 Outros A marca que é a maior referência em inovação e criatividade vai debater o tema "Futuro do Presente, Futuro do Amanhã" com as mais disruptivas mentes e marcas do mercado.   O Wired Festival Brasil trará dois dias de conteúdo e experiências nos campos da ciência e tecnologia, economia, política, entretenimento e cultura, design e estilo de vida. O evento acontece nos dias 1 e 2 de dezembro no complexo cultural Cidade das Artes e contará com espaço para palestras (cujos ingressos podem ser adquiridos no site do evento, via Ingresso Certo), sala multiuso para workshops, sala de startups, além de experiências gratuitas e abertas ao público de técnicas e produtos inovadores.   Para a série de palestras, nomes nacionais e internacionais estão confirmados, como o especialista em inteligência artificial, o escocês David Levy; o diretor de fotografia da National Geographic, o americano Patrick Witty; o Diretor do SENSEeable City Lab (MIT), o italiano Carlo Ratti; o psicólogo e cientista inglês Charles Spence, entre outros. A lista completa de palestrantes, bem como a programação completa do evento pode ser encontrada no site.   O festival é realizado por Edições Globo Condé Nast e O Globo, com patrocínio da Petrobras e Governo Federal, Embratel, Grupo Pão de Açúcar, apoio de Cerveja Sol e apoio institucional da Cidade das Artes.   Informações e compra em: http://www.wiredfestival.com.br/   DIA 1 – PROGRAMAÇÃO:   MANHÃ Edgard Morya - Diretor de pesquisa no Instituto Nacional de Neurociência, que quer trazer grandes avanços para a medicina por meio da interface cérebro-máquina Marcus Figueredo – CEO da Hi Tecnologies, criadora do Hi Lab, um laboratório portátil que entrega diagnósticos rápidos e baratos David Stark – Diretor médico do Institute for Next Generation Healthcare, do renomado hospital novaiorquino Mount Sinai Fabio Assolini - Pesquisador de Segurança Sênior, Equipe de Pesquisa e Análise Global da Kaspersky, especialista em cybersegurança Robert Muggah - Dir de pesquisa do Instituto Igarapé, ONG dedicada à criação de soluções inteligentes para segurança, justiça e desenvolvimento Daniella Bianchi – Diretora geral da consultoria de marcas Interbrand   TARDE David Levy – Especialista em inteligência artificial e autor de “Love and Sex with Robots: The Evolution of Human-Robot Relationships” Gustavo Severo Borba - Diretor da unidade de graduação da Unisinos e especialista em inovação orientada pelo design Marcos Piangers – Jornalista e influencer, autor do best seller “O Papai é Pop” Rodrigo Sá - Diretor Global de Operações da Hyperloop TT, empresa inspirada no desafio proposto por Elon Musk para revolucionar os transportes de passageiros e cargas Carlo Ratti – Urbanista e Diretor do MIT Senseable City Lab, que tem a missão de entender como a tecnologia vai transformar as cidades e paisagens do futuro Daan Roosegarde – Artista e inovador holandês especialista em cidades inteligentes e com um forte foco em sustentabilidade   DIA 2 – PROGRAMAÇÃO:   MANHÃ Pedro Vilanova – Pedro Vilanova – Fundador da Operação Serenata de amor, ONG que usa a inteligência artificial para fiscalizar gastos do Congresso Nacional Rohit Bhargava - Fundador do Influential Marketing Group e curador de tendências, autor do livro “Non-Obvious: How to Think Different, Curate Ideas & Predict The Future” Patrick Witty - Diretor de fotografia da National Geographic e responsável pelo sucesso meteórico da conta da publicação no Instagram David Levy – Especialista em inteligência artificial e autor de “Love and Sex with Robots: The Evolution of Human-Robot Relationships” Iza Dezon - Business Development Manager Brasil da agência de tendências PeclersParis   TARDE Nicholas Vital – Jornalista e autor do polêmico “Agradeça aos agrotóxicos por estar vivo” Pedro Garcia – O homem por trás do Instagram Cartiê Bressão é também um dos fundadores da plataforma de crowdfunding para shows: Queremos. Abel Reis – CEO da Dentsu Aegis Network Brasil e autor da coluna Sociedade.com, da revista Época Negócios Guilherme Telles – O CEO do Uber Brasil vai apresentar a visão da empresa sobre o futuro da mobilidade urbana Charles Spence – O fundador do Oxford University’s Crossmodal Research Laboratory e professor de psicologia experimental que tem como missão transformar como consumimos comidas e bebidas. Richard Browning – CEO da Gravity.co, empresa que desenvolveu um sistema de voo pessoal Realização: EDIÇÕES GLOBO CONDÉ NAST / O GLOBO [+] saiba mais Aula de Afro Zuumba 04/07 a 30/11 Cursos A dança é uma forma de expressar sentimentos e gerar boa energia. Afro Zuumba é um combinação de dança afro, dança afro contemporânea, danças latinas (salsa, merengue, bachata). As aulas de Afro Zuumba trazem alegria, ritmo e energia ao cotidiano das pessoas.  Dança, Cultura, Informação, Alegria, Diversão, num só lugar, no coração da Barra. Fácil acesso através do Terminal Alvorada com fartura de ônibus e BRT para toda cidade do Rio.   Sobre o professor Yemi: Prof Yemi, da African Pride Company é nigeriano e tem trabalho com afrozuumba há 3 anos na cidade do Rio. Com vasta experiência em exercícios aeróbicos, ritmos afro, hip hop, ritmos afro latinos como salsa e merengue. Também é diretor dança profissional, diretor de arte e produtor de eventos. Para ele a dança é o elixir da vida, capaz de curar fisicamente e emocionalmente as pessoas, proporcionando bem estar para todas as idades. Inscrições:  Presencial - no dia/horário das aulas ou por e-mail: orgulhodaafrica@gmail.com Formas de pagamento: Depósito bancário ou presencial - nos dias/horário das aulas  Informações:     Lilian 966-332-738 Rosana 975-776-405 e-mail: orgulhodaafrica@gmail.com   [+] saiba mais Exposições | O Muro e No Espaço Entre Nós 16/09 a 26/11 Artes Visuais DUAS INSTALAÇÕES DE HÉLIO RODRIGUES COM OS OLHARES INFANTOJUVENIS SOBRE UMA CIDADE PARTIDA EM EXIBIÇÃO NA CIDADE DAS ARTES.   Ação cultural IDENTIDADE e DIFERENÇA reúne obras de crianças e adolescentes da comunidade do Jacarezinho Em meio à violência que assola diariamente o Rio de Janeiro, duas instalações revelam como a arte pode ser (e é!) um caminho eficaz para transformar padrões. Enquanto uma expõe o olhar das crianças e adolescentes que vivem na violenta comunidade do Jacarezinho, a outra apresenta a solução das conversas entre dois grupos divididos socialmente na mesma cidade. De 16 de setembro a 26 de novembro, a Cidade das Artes será palco da ação cultural intitulada Identidade e Diferença, que reúne as mostras interativas No Espaço Entre Nós e O Muro, cujos coautores são os próprios jovens em parceria com o escultor e arte-educador Helio Rodrigues. Desde 2006, o autor desenvolve um trabalho de artes visuais com crianças e adolescentes da comunidade do Jacarezinho, considerada uma das zonas mais violentas do Rio, que estampam diariamente os noticiários. É de Helio também a ideia de reunir as duas obras em um mesmo espaço a fim de se pensar a arte como promotora da paz e de ampliar a discussão sobre a inclusão social de jovens da favela na sociedade. Acontecerão também oficinas de arte, palestras e outras atividades durante os mais de 60 dias de exposição (agenda abaixo). A ação é uma iniciativa do Instituto de Arte Educação, em parceria com a Cidade das Artes e Arte Ação Brasil. Como defende Helio Rodrigues: - A paz é parceira da tolerância, e é no conflito entre as diferenças que ela deixa de existir. Mas as diferenças também são alimentos da arte. A contribuição para a paz está diretamente ligada a dois aspectos: Identidade e Diferença! E a arte se torna fundamental, porque constrói identidades e traz o diverso para o espaço de valor.          NO ESPAÇO ENTRE NÓS: proposta inovadora e desafiadora une obras de adolescentes da favela e do asfalto Universos distantes que se encontram pela arte. A mostra é resultado dessa “improvável união” entre alunos do CEAT (Centro Educacional Anisio Teixeira), em Santa Teresa, Zona Central do Rio de Janeiro, e adolescentes da comunidade do Jacarezinho, localizada na Zona Norte. Os jovens com idade entre 12 e 15 anos foram misturados para compor as 36 mandalas expostas em movimento por meio de animação criada por Marcos Magalhães, criador do Anima Mundi, e sonorizadas em filme por Mauricio Sales, com depoimentos dos participantes. Os dois grupos não se conheciam e só se encontraram às vésperas da montagem da primeira exibição, realizada há um ano no Museu da República. Durante as oficinas, foram realizados vários trabalhos de sensibilização a fim de instigar os adolescentes a se representarem e se comunicarem de maneira subjetiva, utilizando diversas técnicas e materiais plásticos. Para a proposta final, foram fotografadas as sombras de cada um representando com seu corpo a frase “se eu fosse arte, seria....”. Depois, organizadas em mandalas e impressas em grandes papéis, com seus centros vazios. Cada aluno recebeu a imagem da mandala em que participou para trabalhar. – 'No espaço entre nós' é uma instalação otimista, porque aponta para a possibilidade de reduzir conflitos através da arte. A proposta era: 'Como você soluciona em arte o espaço vazio que existe entre nós?’ Apesar de parecer muito simples, a arte pode ligar. Na verdade, a arte salva, porque se nutre e se fortalece justamente com as diferenças - ressalta Helio.  Ao lado da instalação, também haverá uma parte interativa, em que o público poderá brincar com sombras imantadas sobre caixas de luz com cores, formas e o espaço entre elas. Os trabalhos criados serão fotografados e postados no Facebook, e o público poderá guardar e compartilhar sua criação, com a hashtag #noespacoentrenos.   O MURO: instalação fotográfica interativa exibe múltiplos registros da comunidade feitos por quem vive nela O projeto começou antes da pacificação do Jacarezinho em 2011, quando 80 meninos e meninas, de 8 a 17 anos, usaram a criatividade a fim de mostrar um novo olhar de dentro da favela. O resultado da visão dos jovens fotógrafos está na instalação interativa que dá oportunidade a qualquer visitante de enxergar a comunidade através dos olhos de quem vive fora do asfalto.   Construído em 80 blocos, “O Muro” guarda no interior os olhares das crianças (fotos), mas seus olhos estão desenhados do lado de fora, com o objetivo de humanizar ainda mais a mostra e instigar a curiosidade das pessoas de olhar através de um buraco (feito na íris) e descobrir o que há do outro lado. A principal finalidade da obra, como explica Helio Rodrigues, é desconstruir “muros” que existem na sociedade e ampliar opiniões, reduzir preconceitos e aceitar as diversidades. “O Muro” é resultado do projeto “Eu Sou”, que desde 2006 desenvolve um trabalho de artes plásticas com crianças e adolescentes do Jacarezinho. A proposta para montar a instalação era que as crianças fotografassem o lugar onde moram com o objetivo de mostrá-lo a pessoas que não o conhecem, seguindo a estética artística à qual foram apresentadas.  Antes de empunharem as câmeras e retratarem o universo de origem, os jovens participaram de oficinas de sensibilização em que foram estimulados a passar por um processo de transformação do olhar sobre aquele ambiente.  O trabalhou resultou em mais de 200 fotos, das quais oito dezenas estão expostas. Registros de flores, passarinhos e árvores se misturam a fotos que mostram crakeiros e lixo, retratando parte do cotidiano das crianças na comunidade. - Ajudamos as crianças a terem um olhar estético sobre o que já existe e a transformar em arte o que elas veem todos os dias. Mostramos ao asfalto esse novo olhar da comunidade, outros ângulos, novas perspectivas. Afinal, a arte não aceita limites. É um meio para transformar vidas. Atravessa, transgride, rompe ou, até mesmo, absorve os obstáculos e deles faz a ferramenta – conclui o artista plástico. Mais sobre o autor, artista plástico e arte-educador Hélio Rodrigues Aos 20 anos, em 1969, fez sua primeira exposição individual e iniciou sua participação no mercado de arte brasileiro. No ano seguinte fundou o Atelier de Artes Helio Rodrigues, escola de artes para crianças e adultos. Professor de artes e arte-educação em várias instituições de ensino no Brasil, é autor do projeto social “EU SOU” desenvolvido desde 2003, iniciado em Sulacap, que busca a reconstrução da identidade através da arte de crianças e jovens em situação de risco. Em 1987 iniciou sua trajetória no mercado internacional. Participou de 37 exposições individuais e 86 coletivas, salões, leilões e feiras de arte. É autor dos livros “Jogos sem Regras” e “Vertigens do Vazio”.   AGENDA / OFICINAS IDENTIDADE E DIFERENÇA LOCAL: SALA DO HÉLIO NO 4º do BACKSTAGE   31/10 | 18h30  Palestra "Diversidade, arte e cognição " e oficina para Educadores e interessados com Hélio Rodrigues.   Dia 11/11 (sábado) 15h - Oficina de artes para Pais e Filhos   Inscrições pelo e-mail e telefone: saladeleitura.fca@gmail.com ou (021) 3325-0448. [+] saiba mais Se Eu Fosse Iracema 25/11 a 26/11 Teatro SE EU FOSSE IRACEMA - Com direção de Fernando Nicolau e dramaturgia de Fernando Marques. - Monólogo interpretado por Adassa Martins leva à cena a questão indígena. Se eu fosse Iracema surgiu a partir de uma carta escrita em 2012 pelos guarani e kaiowá em que eles pediam que se decretasse sua morte em vez de tirá-los de suas terras. O fato chamou a atenção de Fernando Nicolau e Fernando Marques, que começaram uma intensa pesquisa acerca da questão indígena no Brasil. A eles juntouse a atriz Adassa Martins e os três desenvolveram o espetáculo que estreou em abril de 2016 no Sesc Tijuca, Rio de Janeiro. Desde a estréia, o espetáculo tem tido excelente repercussão junto ao público e à crítica. Foi escolhido como melhor figurino pelos Prêmios Shell, APTR e Cesgranrio no ano de 2017. Além de indicações para Adassa Martins na categoria atriz no Prêmio Shell, APTR e APCA - SP (a premiação ocorrerá em 2018) e indicação para Fernando Marques na categoria autor no Prêmio APTR. Segundo o crítico Valmir Santos, "o tripé composto de atuação, dramaturgia e direção sustenta uma teatralidade notável". A peça lança mão de materiais como trechos da Constituição de 1988, falas inspiradas em discursos de ruralistas ou do poder público, mas estrutura-se fundamentalmente em ritos e mitos de passagem ligados às várias fases da vida. “Escolhemos trabalhar o ciclo da vida: a origem do mundo, a infância, a adolescência, a fase adulta na figura da mulher e o ancião, na figura do pajé chegando ao fim do mundo”, explica o diretor. Esse ciclo, no entanto, não é colocado de forma linear e traz referências a etnias diversas. Fernando Marques ressalta que essa variedade "foi fundamental, porque não queríamos falar sobre uma ou outra etnia, mas buscamos um olhar abrangente sobre os povos originários, que são muitos e diversos". Entre as referências, estão ainda filmes como Índio cidadão?, de Rodrigo Siqueira; Belo Monte, anúncio de uma guerra e A lei da água, ambos de André D’Elia. Recém-lançado no Brasil, o livro francês A queda do céu – Palavras de um xamã yanomami, de Davi Kopenawa e Bruce Albert, também foi uma importante referência tanto para o autor quanto para o diretor. Obras de Darcy Ribeiro, Alberto Mussa, Betty Mindlin e Manuela Carneiro da Cunha também fizeram parte do processo, assim como encontros e entrevistas com estudiosos. O espetáculo não tem a intenção de levantar bandeiras, mas de trazer à reflexão um assunto de extrema importância. Adassa Martins ressalta a necessidade "de ecoar essas vozes tão caladas desde 1500. Olhamos tão pouco para os índios, e as questões permanecem as mesmas até hoje". A atriz conta ainda sobre como desenvolveu uma interlíngua: “Ouvi os pajés e diversos índios falando em documentários e percebi os fonemas mais presentes. A ideia é criar uma fusão do português com uma língua indígena”. Além da interlíngua, há ainda trechos em guarani, traduzidos pelo cineasta indígena Alberto Álvares Guarani. O figurino de Luiza Fardin, assim como o cenário de Fernando Nicolau, aposta no uso de poucos elementos, mas bastante eloquentes, criando um diálogo com a devastação da natureza, das terras indígenas e do próprio índio. A luz, assinada também por Nicolau, cria ambiências que ressaltam a diversidade de momentos e climas propostos pela dramaturgia e pela direção e que se materializam nos vários tons da atuação de Adassa Martins. A trilha sonora original de João Schmidt evidencia transições importantes do espetáculo. Segundo a crítica de Lionel Fischer, "Se eu fosse Iracema fustiga de tal forma nossa adormecida consciência que, após assistir ao espetáculo, certamente todos os espectadores passarão a olhar a questão indígena com outros olhos".      FICHA TÉCNICA  Intérprete: Adassa Martins Dramaturgia: Fernando Marques Direção, iluminação e cenografia: Fernando Nicolau Figurino e caracterização: Luiza Fardin Trilha sonora original e desenho de som: João Schmid Preparação vocal: Ilessi Direção de arte da comunicação visual e projeto gráfico: Fernando Nicolau Escultura do busto: Bruno Dante Fotografia: Imatra Caracterização das fotos: Luiza Fardin Assistente de direção: LuCa Ayres Assistente de figurino: Higor Campagnaro Cenotécnico: André Salles Aderecista: Derô Martin Produção executiva: Clarissa Menezes Realização e produção: 1COMUM Idealização: Fernando Nicolau e Fernando Marque [+] saiba mais
123456