Fundação Cidade das Artes

Memória

Memória

A Fundação Cidade das Artes é um espaço concebido para abrigar múltiplas atividades artísticas, como exposições, apresentações de dança, teatro e música. Este complexo cultural também é utilizado para palestras, oficinas, congressos, conversas com autores, lançamentos de livros e outras atividades de formação cultural e artística.

Eventos Passados

Projeto Interlocuções | Intuição e Escrita 10/08 Arte e Conhecimento Aniversário do Interlocuções.   A psicanalista Gilda Pitombo irá comemorar os 8 anos do Projeto Interlocuções.   Tema: intuição e escrita Convidada: Emanuelle Sloboda   Profissão: Escritora e Poetisa Resumo do Tema: Lembranças de vidas anteriores, dimensões paralelas, intuições, premonições delineadas em poemas. Descortina-se o véu negro à medida em que a caneta borra o papel, materializando o invisível, o suposto inexistente, o intangível. Escrito, deixa de ser fantasia, criatividade, esquizofrenia, passando a ser ponte para o passado, presente e múltiplos futuros.   Instagram: @slobodaemanuele   Sobre Emanuele:PossuI três livros de poemas: melindre (litteris editora_2016), anamnese (casa do escritor_2018) e indistinto (litteris editora com selo courier brasil_2019).   [+] saiba mais BORA RIR | Bora Improvisar 05/08 Teatro O “BORA RIR” CONTINUA COM A TEMPORADA 2022 COMÉDIA STAND-UP NA CIDADE DAS ARTES BIBI FERREIRA. O Bora Rir é um projeto de stand-up comedy itinerante. A ideia é ocupar todo o Rio de Janeiro com os melhores humoristas do cenário nacional, valorizar a cena carioca e servir de palco para revelação de novos talentos. Sempre um show diferente: Além de dirigir Paulinho Serra também se apresenta nas edições do Bora Rir, junto com humoristas consagrados da comédia nacional, que se revezam pelos shows, fazendo com que cada espetáculo seja sempre diferente. O sétimo elenco da temporada 2022 do “Bora Rir” stand-up comedy apresenta o show de Improvisos com a direção do Paulinho Serra, grupo “Bora Improvisar”. Os integrantes do grupo são: Aarhon Pinheiro, Hamilton Dias, Fábio Nunes e Thiago Cardoso.  Depois da experiência de comandar o programa “Quinta Categoria”, na extinta MTV Brasil, Paulinho Serra quer levar um show similar em uma apresentação de humor que usa o improviso como conteúdo! São vários tipos de jogos onde quatro ou mais humoristas fazem um show incrível utilizando ferramentas e sugestões de temas com participação o público simultaneamente. SOBRE AARHON PINHEIRO Ator e Comediante de talento ímpar. Com duas web séries para o Multishow: "A vida sexual de Babu” e o “O Brasil tá vendo” que ao lado do ator e comediante Léo Castro onde fazem uma retrospectiva super bem humorada, também para o Multishow fez a preparação de plateia para a primeira temporada da série “Acredita na Peruca” protagonizada por Luiz Fernando Guimarães, a segunda temporada do “Trair e Coçar” com renomados nomes do humor como: Cacau Protázio, Marcia Cabrita, Dani Valente e um super elenco e a terceira e quarta temporada do grandioso “Vai que Cola”. Fez participação no espetáculo "Vem Pra Rir", junto dos atores Rafael Zulu, David Lucas e Josie Pessoa. Ex-integrante do Grupo ComéRdia, pioneiro do gênero stand-up comedy em São Gonçalo que, além de stand-up, produzia material para web (Marmita de Ouro) e lançou seu primeiro DVD em 2013. Também é integrante da banda de rock e humor "A Kombi Que Pega Crianças", mostrando todo seu talento como vocalista. E ainda conta com o espetáculo Comédiocracia pela defesa do poder da comédia juntamente com os comediantes Júnior Chicó e Estevam Nabote. Recentemente foi semi-finalista do quadro " Quem chega lá " do Domingão do Faustão.   SOBRE HAMILTINHO DIAS Ator, músico e roteirista. Formado pela Casa das Artes de Laranjeiras (Faculdade CAL). Fez cursos livres no Tablado, de televisão, oficina de Tv da Cesgranrio e com Edgard Miranda, no teatro musical no Ceftem e Cesgranrio. Na TV, esteve no elenco de “Estranha Mente” série com direção de Fernando Caruso (Multishow), além de participações em “O Grande Gonzales” série com direção de Ian Sbf (Fox), e nas novelas “Império”, “Jóia Rara” e “Um lugar ao Sol”. No Cinema atuou em “Ana e Vitória”, “Tamo Junto” com direção de Matheus Souza e “Não vamos pagar nada’ direção de João Fonseca. Na internet atuou e escreveu “O Jeitinho Carioca” (Youtube) e foi apresentador do programa #sóquenão(Série exibida na página da ONU). No teatro atuou no musical “Tropicalinha Caetano e Gil para crianças” concorrendo ao prêmio CEBTIJ de ator Coadjuvante (2018), direção de Diego Morais, em 2020 a peça online “Ensaio Sobre a Perda” direção de João Fonseca. SOBRE FÁBIO NUNES Possui mais de trinta espetáculos no currículo. Foi membro do grupo Avacalhados (ao lado de Tatá Werneck, Rafael Infante e Diego Becker, inicialmente dirigido por Fábio Porchat) e faz parte do grupo Os Inclusos e os Sisos (finalista do Prêmio Faz Diferença 2011 e premiado pela ONU). Na web, atuou nas duas temporadas da série Sobrevivendo à Maioria das Coisas, do canal Anões em Chamas (com atual equipe do Porta dos Fundos), no canal Parafernalha (um dos maiores da internet brasileira) e na série Bem-Aventurados (Cesgranrio). Na TV, participou de Quinta Categoria (MTV), Será que Faz Sentido?, Adorável Psicose, Fred e Lucy, Aí Eu Vi Vantagem e 220 Volts (todas do Multishow), Enredo de Bamba (Canal Brasil), Malhação – Toda Forma de Amar (Rede Globo) e na novela americana com produção e elenco mexicanos La Doña 2 (Telemundo). Roteirizou e atuou no quadro Sem Noção (Esporte Espetacular - Globo), atuou em A Toca (Netflix) e PaPePiPoPu (Record). SOBRE THIAGO CARDOSO Ator formado pela Nova Escola de Teatro (2017). Cursou Dublagem ministrado por Márcio Simões (Personagens: Samuel L. Jackson, Will Smith, gênio do Alladin, entre outros), onde se especializou e desenvolveu a prática de locução e apresentação. Workshop "O Ator Narrador" ministrado por Michele Consendey (2016); Workshop stand-up comedy ministrado por Fábio Porchat (2008) e Fábio Lins (2019) e Workshop de Improviso ministrado por Raphael Ghanem (2017) e Gustavo Miranda (2017). Entretenimento do Palco Carioca e Mestre de Cerimônias da SIPAT do Rock, do Rock in Rio (2019). Comediante, integrante do grupo "Stand-up ruim mas a comida é boa", do grupo "Bora Improvisar" e atua como Assistente de Produção do Rio Retrô Comedy Club, o primeiro Comedy Club do Rio de Janeiro criado por Paulinho Serra. Já dividiu palco com grandes nomes da Comédia nacional, como por exemplo: Paulinho Serra, Júnior Chicó, Hélio De La Peña, Cláudio Torres Gonzaga, Nil Agra, Giovana Fagundes, Rodrigo Marques, Magno Navarro, entre outros. [+] saiba mais O Pirata de Óculos e sua Jornada Aventuresca | Lançamento de livro infantil 30/07 Arte e Conhecimento Com as autoras Claudia e Marcia Ladeira e a ilustradora Elaine Ladeira. SOBRE O LIVRO Gen-Carreaux é um pirata diferente e cheio de mistérios... Certo dia, Gen se envolve no sequestro da princesa Marina e uma divertida aventura nos mares começa! Apesar de muito desastrado, vocês não podem imaginar do que ele foi capaz... Nesta história você vai encontrar, além de Gen e a princesa Marina, vários outros personagens: Capitão Silver, um terrível pirata temido nos mares; o Rei, pai da princesa Marina; Karen, Sir Massegeu e muito mais. A diversão é garantida! Está é uma história escrita em 1981, para crianças, imaginada por Marcia, na época com 10 anos, com a ajuda da sua irmã Claudia, com 8 anos. Hoje, Marcia é médica e professora na UERJ; Claudia é gerente de tecnologia em uma empresa de grande porte. Mas as duas jamais deixaram de lado a paixão pelas histórias infantis, como essa, que ganha uma nova edição mais de 40 anos depois de criada. As ilustrações são da designer e ilustradora infantil Elaine Ladeira.     [+] saiba mais Entre Impermanências e Resíduos | Dança 23/07 a 24/07 Dança O solo de dança “Entre Impermanências e Resíduos”, colaboração entre a bailarina Bruna Fiuza e a diretora Paula Águas, rodeia questionamentos sobre tudo aquilo que está em constante transformação, e o residual, tudo aquilo que se tornou acervo. Na resistência de manter o acervo vivo se constrói a história individual à medida que também se esvai. A pesquisa acontece dentro de um sistema de improvisação em temas referentes às fases da vida: nascimento (rompimento) e seus ritmos de tensão de fluxo interno; infância (aprendizagem) e reconhecimento de seu corpo individual; juventude (liberdade) e sexualidade; adulta (questionamentos) e a possibilidade de ser outro e ancião (maturidade e paciência). De forma cíclica, porém não linear, a intérprete vai revisitando esses temas, entremeados numa constante atualização da memória, criando novos fraseados e narrativas. 'A cada vez que refaço vou me desvendando, poderia assim dizer que me reconheço, mas não me conheço.'   [+] saiba mais Oficina de Canto e Percussão Bossa Nova | Projeto Partícula 23/07 Arte e Conhecimento Breve introdução da história da Bossa Nova, principais representantes, elementos rítmicos e melódicos. Introdução de exercícios de voz e percussão instrumental com ‘ensaio’ de uma música ao final da oficina. EQUIPE Miguel Contrucci – Baterista e professor de percussão Wallace Lopes - Backing vocal, Arranjador vocal e Professor de canto. Sobre o Instituto Eté Ao longo de seus 14 anos de fundação, o Instituto Eté desenvolveu e coordenou negócios inclusivos, projetos socialmente responsáveis e inovadores para a iniciativa privada e pública, entre eles o Grupo Cultural do AfroReggae, Maravilhas Gastronômicas do Estado do RJ, Grupo Nós do Morro, Coletivo Trama e o Projeto Recriar. Dessa forma, contribui na efetivação de ações que gerem resultados focados em transformações sociais, seja por meio do voluntariado, ações culturais ou movimentos artísticos. Atua também em projetos ligados ao audiovisual. RELEASE DE WALLACE LOPES O cantor carioca Wallace Lopes com 36 anos, já mostra uma trajetória de sucesso como backing vocal, arranjador vocal, professor de canto. A música começou a se tornar profissão em sua vida aos 13 anos de idade, mas pela criação na igreja evangélica o cantor já fazia suas apresentações desde os 4 anos. De uma família de músicos, Wallace tem fortes influências do pai que é maestro, mãe cantora e irmão musicoterapeuta e dono de uma escola de música. Devido a isso, seu extenso currículo traz nomes importantes deste meio musical como o cantor Delacruz, onde cantou como backing vocal no Rock in Rio e diversos shows e a turnê da cantora católica Celina Borges, com quem trabalhou 12 anos e viajou todo o país. Além de ter trabalhado com grandes nomes do cenário musical como Elza Soares, Toquinho, Delacruz,  Pe. Fábio de Mello, Biafra, Ellen Oléria, Lucy Alves, Cassiane, Rose Nascimento, Dvd novo som 25 anos e outros. Trabalhou também como backing vocal dos programas globais:  The Voice, Superstar, popstar, novela Bom Sucesso e no programa Caldeirão do Huck, no quadro cups song com Mariana Rios. Hoje com 3 single gravados atua no cenário musical cantando na noite e eventos.   RELEASE MIGUEL CONTRUCCI Começou a estudar bateria aos 7 anos de idade, depois de se interessar por instrumentos de percussão. Iniciou os estudos com o baterista carioca Édi Lyra, com quem seguiu por 8 anos até iniciar os estudos na escola de música Elite Musical. Lá permaneceu por 3 anos e estudou com os bateristas Silas Martins, Rodolfo Rodrigues e João Marcos Freitas. Durante esse período acumulou diversas apresentações pela escola e começou a tocar profissionalmente com algumas bandas da cidade. Em 2016 começa os seus estudos no Conservatório de Música Villa-Lobos onde passou a estudar com o músico Rodrigo Serra, com quem aprofundou os estudos de música brasileira e jazz. Em 2018 é aprovado em 3° lugar no vestibular da Faculdade de Música Souza Lima em São Paulo e então se muda para começar o curso de bacharelado. De 2018 até 2021 estudou com grandes nomes da música como Sizão Machado (baixista), Nenê (baterista), Carlos Ezequiel (baterista), Lupa Santiago (guitarrista), André Marques (pianista), Giba Favery (baterista), Lilian Carmona (baterista), entre outros. Desde a chegada na capital paulista, atuou em diversos trabalhos, tais como gravações, shows, festivais, eventos corporativos, etc. Trabalhos: - Baterista da Orquestra Popular do Conservatório de Música Villa-Lobos (RJ). 2017 - Baterista do musical Os Melhores Momentos das Nossas Vidas em duas apresentações no Teatro das Artes, Rio de janeiro. 2017 - Baterista do cantor Jorge do Mundo no Rock Rio Pardo, Santa Cruz Do Rio Pardo (SP) em 2018. - Gravação do EP de jazz do grupo Pedro Brando Quarteto em 2018. - Baterista em dois shows com a banda paulista de jazz e música brasileira Jazzuka, no TonTon Jazz, São Paulo. 2018. - Baterista acompanhante do cantor Wag em mais de 50 shows na capital paulista durante o ano de 2019. - Gravação do EP do cantor Jorge do Mundo, 2019. - Inicia como baterista do Combo de Jazz e Música Brasileira da Faculdade de Música Souza Lima. 2019 - Participação no Workshop do pianista Inãki Sandoval, educador na University of Tartu Viljandi Academy (Estonia) de 2015 a 2020 e diretor do departamento de Jazz da Berklee International Network of Schools de 2003 a 2015, no auditório da Faculdade Souza Lima em São Paulo. - Participação como baterista no filme "Minha Mãe é Uma Peça"  de 2019, com o ator Paulo Gustavo. 2019 - Baterista do cantor Jorge do Mundo em duas participações no Festival FEMUSAN em Santa Cruz do Rio Pardo. 2018 e 2019. - Baterista do grupo Tirequarteto, com apresentações mensais na casa de música e gastronomia Cutô, em São Paulo. 2019 - Baterista do grupo Marília Tardelli quarteto. 2019 - Participação no FENAC (Festival Nacional da Canção) com o cantor Jorge do Mundo. Perdôes - MG.2019. - Baterista da Banda Marisko em dois shows no To the Sea, em Santo André (SP). 2019 - Baterista do Combo de Música Brasileira da EMESP Tom Jobim (SP) comandado pelo baixista SizãoMachado. 2020 - Baterista convidado para tocar no Jafa International Jazz Festival em Israel, sob a regência do trompetista Jim Rotondi. 2020 - Gravação do single "Seja onde for" da banda Marisko. 2020 - Participação no show "Live in Bossa" da cantora Bebel Paiva. 2020. - Baterista da banda Marisko para gravação do DVD da produtora Olho Vivo, juntamente com Rastapé eRapadura. 2020 - Baterista da banda Marisko no show do dia do forró, no Centro de Tradições Nordestinas (CTN) em São Paulo. 2020 - Gravação do EP do músico Cleudir Borges (ex integrante da banda The Fevers). 2021 - Baterista no show "Gonzaguinha: 30 anos de saudade" no Imperator (RJ). 2021. [+] saiba mais Projeto Língua Viva: As faces do ciúme e da traição pelo olhar da psicanálise 20/07 Arte e Conhecimento O projeto Língua Viva busca ser um ponto convergente entre linguagem, psicanálise e processo criativo. A cada encontro os psicanalistas Marília Flores e Abílio Ribeiro desenvolvem um aspecto especifico da nossa língua.  A arte intriga, faz enigma e provoca.  À luz da psicanálise serão comentados ângulos e caminhos em torno do ato de criação e da experiência de fruição da arte, tanto para o artista quanto para o espectador/leitor. [+] saiba mais ST – Tragédias (Romeu e Julieta/ Othello) 15/07 a 17/07 Música Ministério do Turismo e Grupo Sendas apresentam o espetáculo de balé “ST -Tragédias (Romeu e Julieta/Othello)” Direção artística e coreográfica de Marcelo Misailidis Codireção de Ana Botafogo O espetáculo, que comemora os 30 anos de parceria de Ana Botafogo e Marcelo Misailidis, apresenta duas obras de Shakespeare, acompanhadas por poemas sinfônicos de Tchaikovsky - “Romeu e Julieta” e “Othello, o mouro de Veneza”. “Romeu e Julieta” terá como intérpretes os primeiros bailarinos do Royal Opera House de Londres, Matthew Ball e Mayara Magri, que pela primeira vez dançam esta coreografia de Marcelo Misailidis, criada há exatos 20 anos especialmente para um duo com Ana Botafogo. “Othello, o mouro de Veneza” é uma criação inédita de Marcelo Misailidis. O espetáculo conta com 16 bailarinos, entre eles Marcia Jaqueline, primeira bailarina do Theatro Municipal, Edifranc Alves, solista do Theatro Municipal, e Márcio Jahú. [+] saiba mais Workshop Prático de Ginástica Rítmica | Projeto Partícula 17/07 Arte e Conhecimento Tema: Ballet, dança e atividades recreativas na iniciação à ginástica rítmica Objetivo: Ampliar as competências dos participantes que desejam trabalhar com a ginástica rítmica quanto à aplicação de metodologias ativas de ensino diferenciadas, com base no ballet, dança e atividades recreativas, visando expandir suas possibilidades para o sucesso do processo ensino-aprendizagem. Renata Teixeira: Profissional de Educação Física/Especialista em Compliance - CAGE – COB/Árbitro Internacional da Federação Internacional de Ginástica – FIG/Membro do Comitê Técnico de GR da CONSUGI/Diretora Técnica da Federação de Ginástica do Estado do RJ – FGERJ/Comentarista de Ginástica Rítmica do SPORTV/Sócia na empresa RG Science.   [+] saiba mais Muito além do túnel | Lançamento de Livro 16/07 Arte e Conhecimento SOBRE O LIVRO O romance Muito Além do Túnel privilegia uma leitura leve para fazer uma imersão num contexto pesado de uma favela fictícia nos anos 90 na Cidade do Rio de Janeiro. O livro aborda temas de extrema gravidade e complexidade, relatando como a exclusão e a desigualdade sociais afetam as famílias brasileiras, assim como ao conjunto da sociedade. A obra descreve o modo de vida das pessoas que habitam nas favelas, os seus desafios e particularidades. Além disso, desenvolve uma trama, relacionando diversas histórias de personagens, ressaltando a diferença de percepções e discursos em relação aos moradores das favelas e do asfalto, narrando as dificuldades decorrentes das paridades de gênero, da monoparentalidade, da falta de políticas públicas eficazes, da presença do tráfico de drogas e da criminalização do jovem negro morador da periferia. A história principal narra a trajetória de Ana, uma jovem moradora de uma favela. Ela sempre soube que o estudo seria o passaporte para se fortalecer e ultrapassar as estatísticas de um destino pré-determinado para reeditar a história de suas ancestrais. Sendo filha de uma faxineira monoparental, a jovem aceitou o desafio proposto pela sua própria mãe que seria de estudar como bolsista numa escola de classe média alta na Zona Sul da cidade. O percurso de conciliar o inconciliável entre os dois lados do Túnel Rebouças vivendo dois mundos tão distintos parecia uma missão impossível para a jovem menina. Ana embarcou rumo aos seus próprios sonhos com muita determinação e estudo para ser aceita na faculdade de medicina federal, transitando em ambientes marcados por conflitos de diferentes facções do tráfico de drogas e polícia. A grande surpresa seria que a força de vontade de Ana não mudaria apenas o seu destino, transformaria a vida de muitas outras pessoas da sua comunidade. SOBRE A AUTORA Amelia Leal é brasileira, psicóloga formada pela Universidade Federal Fluminense, mestre em Psicossociologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e doutora em Medicina Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.   [+] saiba mais TAL VEZ | Cia de Ballet Dalal Achcar 01/07 a 10/07 Dança Ministério do Turismo e Instituto Cultural Vale apresentam Espetáculo “TAL VEZ” chega à Cidade das Artes Bibi Ferreira em julho depois de duas temporadas de sucesso A montagem inédita da Cia de Ballet Dalal Achcar conta com coreografia de Alex Neoral, figurino de João Pimenta e cenário de Natalia Lana Depois de ser ovacionado nos palcos do Teatro Riachuelo Rio e do Theatro Municipal de Niterói, o espetáculo “TAL VEZ” vai abrilhantar a Cidade das Artes Bibi Ferreira nos dias 1, 2, 3, 8, 9 e 10 de julho. A montagem da Cia de Ballet Dalal Achcar e com coreografia de Alex Neoral traz 18 bailarinos e possibilita que o público conheça o futuro e o presente da dança nacional. Para isso, Eric Frederic, maitre de ballet e coreógrafo, foi fundamental nos ensaios e treinos do corpo de bailarinos que chegam à Cidade das Artes Bibi Ferreira combinando dança contemporânea e técnica clássica. A produção é da Aventura e o espetáculo é apresentado pelo Instituto Cultural Vale. A Cia de Ballet Dalal Achcar é patrocinada pelo Instituto Cultural Vale, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura. Os figurinos do espetáculo são de João Pimenta (Romeu & Julieta ao som de Marisa Monte) e o cenário de Natalia Lana (A Cor Púrpura), ambos premiadíssimos, o que garante que o público seja completamente envolvido na história. A trilha sonora escolhida especialmente por Alex Neoral também vai impactar os espectadores. As canções inspiradas em trilhas de filmes de cineastas como o espanhol Pedro Almodóvar, o italiano Ettore Scola e o americano Woody Allen vão fazer a plateia viajar no enredo de “TAL VEZ”. "TAL VEZ", jogo de palavras que brinca com 'talvez' e 'aquela vez', dá nome à produção com coreografias baseadas em encontros marcados que geram desencontros e mostram como esses momentos da vida podem resultar em novas experiências. Além do conceito, as cenas serão compostas também pelo movimento de desconstrução dos figurinos em camadas ao longo do espetáculo. Com a parceria, Dalal tem o objetivo de trazer frescor e um ar mais plural para o mercado do ballet no Brasil. Ela ressalta ainda a importância do intercâmbio entre as companhias, muito comum na Europa. “É importante para firmar a força da dança. O coreógrafo precisa ser conhecido além da própria companhia. O processo de criação é uma troca. Venho acompanhando o trabalho do Alex na Focus há algum tempo e queremos renovar com um espetáculo muito dançante”, pontua Dalal Achcar. Sobre o espetáculo Em uma noite qualquer, pessoas se preparam para seus encontros marcados. A antecipação e a expectativa das emoções dessa noite transbordam nos passos, gestos e atitudes de preparação. A chegada e o reconhecimento do lugar acontecem de forma urgente. Precisam estar prontos. Luzes, cheiros, atenção aos que chegam. A espera e os pensamentos misturados regados pela tensão do momento. O tempo passa e pouco a pouco. Cada uma dessas pessoas se desconstruirá sob a clara visão de que os marcados não aparecerão. As sensações se misturam e regam seus corpos e movimentos em um misto de emoções contraditórias. A frustração manifestada por cada um, com formas e cores diferentes, e a impermanência se debatem. As cores mudam e de repente as pessoas veem e percebem umas às outras, descobrindo possibilidades infinitas ao seu redor. O espaço está cheio de afetos, do novo, de música. Encontros, desencontros, novos encontros na dança da vida. “Acredito que existem assuntos recorrentes em minhas criações e talvez essas questões sejam recorrentes no mundo: Quem não está buscando encontrar alguém ou algo? Um objetivo? Nessa criação, foi ambientado um salão de baile, onde os 18 personagens marcam com alguém um encontro que não acontece. Coincidentemente, todos não são correspondidos. Porém, terão a oportunidade de se conhecerem e criarem novas situações inesperadas”, explica Neoral.  [+] saiba mais Cine Música | Gabriel Grossi e Eduardo Farias 09/07 Música O encontro de dois dos maiores músicos brasileiros da atualidade: Gabriel Grossi e Eduardo Farias. Além de serem dois dos mais importantes representantes em seus instrumentos, são produtores, arranjadores e compositores amplamente reconhecidos. Nesse encontro, o duo prioriza um repertório conhecido e também autoral inspirado em marcantes trilhas musicais cinematográficas. Composições que ilustram muito da atmosfera cotidiana retratada nos filmes clássicos nacionais.  Essa atmosfera musical cinematográfica resume muito do que é a verdadeira essência brasileira. Esse é um projeto único que visa promover uma ampla formação de público e se coloca como resistência no campo audiovisual de qualidade.   [+] saiba mais Oficina de dança contemporânea com a Pulsar Cia. de Dança | Projeto Partícula 09/07 Arte e Conhecimento OFICINA DE DANÇA CONTEMPORÂNEA COM A PULSAR CIA. DE DANÇA SOB A DIREÇÃO E COORDENAÇÃO DE MARIA TERESA TAQUECHEL Y SAIZ Esta oficina busca ampliar a atenção sobre as relações internas do corpo, o meio em que está inserido e a expressão de cada um, através da percepção do movimento e da dança. Estimula o desenvolvimento da percepção e da sensibilidade, através da consciência do movimento e da dança contemporânea, enriquecendo o vocabulário corporal individual e a troca com o seu entorno. Lança um novo olhar sobre a questão da deficiência na dança, onde a pesquisa de movimento entre diferentes corpos, com resoluções próprias de movimento, é fonte de criação. As possibilidades e limites do ambiente são percebidos como estímulos para a produção artística. Assim contribui, através do fluir estético que envolve a diferença, na percepção do outro e da multiplicidade do indivíduo. SOBRE O CURSO A oficina tem como base à dança contemporânea e a consciência do movimento. Abordaremos a consciência do movimento como procedimento para a criação em Dança Contemporânea, através das seguintes estratégias: - Percepção e estimulação da pele; - Observação do esqueleto; projeção dos ossos e a sua relação com o sistema muscular e com o espaço entorno; - Uso das articulações, relações e dissociações; - Apoios corporais; - A dança contemporânea e o contato improvisação serão nossos guias salientando os seguintes pontos: - Ponto de contato: chão e o corpo do outro. - Fluxo de movimentos e associações. - Presença e atenção. - Relação com o outro, com o espaço e com o jogo. - Percurso e locomoção na relação com o espaço; - Jogos rítmicos e corporais; SOBRE A DIRETORA E COORDENADORA MARIA TERESA TAQUECHEL Y SAIZ Diretora da Pulsar Cia. de Dança, criada em 2000 no Rio de Janeiro, dedica-se à construção de obras coreográficas em dança contemporânea, refletindo em sua pesquisa a multiplicidade do indivíduo e possibilidades de produção artística entre corpos ímpares com resoluções próprias de movimento. Vem sendo considerada nos últimos anos uma referência nacional no trabalho com arte, dança e deficiência, contribuindo com novas perspectivas no olhar do indivíduo em relação a outros, através do fluir estético que envolve a diferença. Em 2004, teve a honra de receber, em nome da Cia., o prêmio Ordem do Mérito Cultural. Mestre em Artes Cênicas pela UNIRIO. É formada em Química, pela PUC-RJ, em Dança Contemporânea e Reabilitação Motora através da Consciência Corporal e da Dança, pela Escola Angel Vianna e pelo Curso de Formação Internacional do Método Feldenkrais – Conscientização através do Movimento. Contratada pelo Hospital do Aparelho Motor Sarah, em Brasília - 1994, como professora de dança. Ministra, em diversas cidades brasileiras, oficinas e palestras sobre Dança Contemporânea e Consciência através do Movimento. Foi professora convidada do curso de Pós-graduação em didática da dança infanto-juvenil na UniverCidade – RJ; Atualmente, além de dirigir a Pulsar, é coordenadora da Pós-graduação “Corpo, Educação e Diferenças”, da Faculdade Angel Vianna e professora do curso de Recuperação Motora e Terapia através da Dança, da Escola Angel Vianna/RJ. DESCRIÇÃO PULSAR A Pulsar Companhia de Dança, formada por bailarinos com algum tipo de deficiência, tem como objetivo causar no espectador um olhar diferenciado em relação à multiplicidade dos indivíduos a partir da estética da dança. Assim, sua proposta artística é fazer uma arte que transcende as diferenças, onde a identidade de cada intérprete é fonte de criação. Além disso, contribui ativamente para a discussão sobre a inclusão social, a partir de palestras e workshops ministrados pelos profissionais da Pulsar. [+] saiba mais BORA RIR | Show de Standy up Comedy 08/07 Teatro O “BORA RIR” CONTINUA COM A TEMPORADA 2022 COMÉDIA STAND-UP NA CIDADE DAS ARTES BIBI FERREIRA. O Bora Rir é um projeto de stand-up comedy itinerante. A ideia é ocupar todo o Rio de Janeiro com os melhores humoristas do cenário nacional, valorizar a cena carioca e servir de palco para revelação de novos talentos. O sexto elenco da temporada 2022 do “Bora Rir” Stand-Up Comedy trás os fenômenos da comédia nacional; Paulinho Serra, Cláudio Torres Gonzaga e Felipe Ferreira. Sempre um show diferente: Além de dirigir Paulinho Serra também se apresenta nas edições do Bora Rir, junto com humoristas consagrados da comédia nacional, que se revezam pelos shows, fazendo com que cada espetáculo seja sempre diferente. SOBRE PAULINHO SERRA Ator do seriado Chapa Quente da TV Globo, ex-VJ da MTV (onde apresentou programas como Comédia MTV e Quinta Categoria) e fundador do canal Amada Foca (sucesso no Youtube e redes sociais), Paulinho traça sua trajetória artística em seu espetáculo-solo, começando pela infância pobre em Bangu, sua ida para São Paulo, sua afirmação como humorista e a criação dou bem-sucedido Traficante Gay, personagem pelo qual ele até hoje é reconhecido nas ruas. “Para o bem e para o mal! Há alguns momentos constrangedores em que o público me confunde mesmo com o personagem. No espetáculo, a plateia pede sempre”, admite. Paulinho Serra. Paulo José Serra do Carmo, 42 anos, é um carioca expoente na nova geração do humor nacional. Ator, humorista e radialista, conquistou notoriedade no teatro de humor ao integrar o grupo Deznecessários nos anos 2000, juntamente com Marcelo Marrom, Rodrigo Capella, Maíra Charken, Miá Mello e Tatá Werneck, mas foi em 2010, quando ingressou no time da MTV (emissora onde ficou por quatro anos apresentando programas como o Comédia MTV, Trolalá, Quinta Categoria), que Paulinho Serra ganhou popularidade em todo o país. Trabalhou na Rádio Jovem Pan, no Programa Pânico. O ator é considerado um talento do teatro e da televisão brasileira, sendo um dos pioneiros a montar, produzir e atuar em stand-up comedy país afora. Atualmente, Paulinho Serra faz parte do elenco fundador do canal Amada Foca (presente no youtube e redes sociais), que produz vídeos temáticos de humor com milhares de acessos, e está no elenco do novo programa humorístico da TV Globo, o Chapa Quente e também no Multishow na nova temporada do VAI QUE COLA. SOBRE CLAUDIO TORRES GONZAGA Claudio Torres Gonzaga é um dos precursores da comedia stand-up no Brasil. A frente do Comedia em Pé, o primeiro grupo de stand-up brasileiro desde 2005, Claudio foi responsável pela revelação e consolidação da carreira de muitos comediantes. Fizeram parte do grupo nomes como Fabio Porchat, Murilo Couto, Fernando Caruso e Leo Lins. Além desses comediantes, outros nomes importantes do humor dividiram o palco do Comédia em Pé: Danilo Gentili, Diogo Portugal, Mauricio Meireles, Rafinha Bastos, Dani Calabresa, Fabio Rabin e Thiago Ventura, só para citar alguns. Claudio Torres Gonzaga também esteve no comando das principais atrações de humor da Rede Globo durantes 20 anos em programas como Grande Família, Zorra Total, Sob Nova Direção, Divertics, Caras de Pau entre outros. No cinema escreveu comédias com Leandro Hassum, Tom Cavalcanti, Whindersson Nunes, Tirulipa e Rafael Portugal em filmes como Os Parças 1 e 2, Vestido pra Casar e Juntos e Misturados. SOBRE FELIPE FERREIRA Comediante stand-up e roteirista. Morador da Pavuna, entrou para comédia no ano de 2020 e traz em seus textos a realidade de moradores da zona norte carioca e suas dificuldades e também aborda assuntos como abordagens policiais e conta em suas histórias o qual é difícil ser um comediante negro e morador da zona norte carioca. Além disso, Felipe foi Campeão do festival Ria Rio, Vice campeão do se vira nos 5 (campeonato produzido pelo Rio Retrô Comedy Club), Campeão do campeonato renascer pela arte (Campeonato produzido pela Prefeitura de Queimados), gravou vídeos com o parafernália e já faz abertura de shows de humoristas consagrados como Rodrigo Marques e Thiago Ventura. [+] saiba mais Orquestra Sinfônica Brasileira - Série Sinfônica Brasileira 02/07 a 03/07 Música Ministério do Turismo e Instituto Cultural Vale apresentam: Entusiasmo, vigor e pluralidade caracterizam o eclético repertório que a OSB levará ao palco do Teatro de Câmara, na Cidade das Artes, dias 2 e 3 de julho. Sob regência do maestro e violinista Daniel Guedes (que também se apresentará como solista), o grupo interpretará obras César Guerra-Peixe, Radamés Gnattali e Ludwig van Beethoven. Kleber Vogel (bandolim), Rogério Caetano (violão) e Ana Rabello (cavaquinho) completam o time de solistas do programa. No domingo, a apresentação será no formato Concertos para a Juventude – récitas matinais de caráter didático, com ingressos a preços populares. Partindo de uma peça inspirada pela música tradicional nordestina, passando pelo choro carioca e chegando ao universo da música alemã, o espetáculo explora diversas possibilidades sinfônicas, em um repertório que vai do popular ao clássico. A obra que inicia o programa é o Concertino para Violino e Orquestra de Câmara, de César Guerra-Peixe. Escrita entre os anos de 1970 e 1972, a peça foi uma encomenda do Movimento Armorial e revela toda a maestria com que o compositor combinava o riquíssimo folclore nordestino com técnicas e elementos da música de concerto. Suas pesquisas de campo pelo Nordeste do Brasil estão claramente refletidas na peça: nela o violino por vezes soa como uma rabeca, apoiado pela pequena orquestra. São três os movimentos dessa pequena obra-prima: um incisivo "Allegro comodo"; um fantástico "Andantino" com uma longa introdução a cappella; e um finale empolgante, "Allegro un poco vivo". Nesta execução, Daniel Guedes, se dividirá entre a regência e violino, atuando como solista. A Suíte Retratos – segunda obra do programa – figura entre as mais emblemáticas composições de Radamés Gnattali. Nos quatro movimentos, ele utiliza uma rica paleta sonora para pintar musicalmente a imagem de mestres da música brasileira, incorporando elementos estilísticos e mesmo trechos de obras dos artistas homenageados. Para o movimento "Pixinguinha", o compositor retomou os choros "Carinhoso" e "Ingênuo"; em "Ernesto Nazareth" ele utilizou a valsa "Expansiva"; no movimento dedicado a Anacleto de Medeiros, Gnatalli escolheu o tema do choro “Três Estrelinhas”; já no último, dedicado a Chiquinha Gonzaga, o compositor optou pelo icônico "Corta-Jaca". Todo esse rico material é trabalhado de forma inspirada, resultando em uma composição marcante, na qual música popular e música de concerto se amalgamam em uma verdadeira apoteose do choro. O violinista da OSB, Kleber Vogel, que nesta peça assume o bandolim, o violonista Rogério Caetano e a cavaquinista Ana Rabello são os solistas. A última obra do programa também surgiu como uma homenagem, mas o compositor, após um episódio de total desencantamento, decidiu remover a dedicatória. Ludwig van Beethoven tinha ninguém menos do que Napoleão Bonaparte em mente quando compôs a sua colossal 3ª Sinfonia. No entanto, ao saber que suposto herói da liberdade havia se proclamado imperador, o mestre alemão rasgou furiosamente a página da partitura que trazia o nome do governante. A Sinfonia grande Intitolata Bonaparte ganhou então o nome de Sinfonia Eroica, que conhecemos hoje. A obra é um marco da segunda fase de Beethoven, sobretudo pela sua proporção e pela sua complexidade. O movimento inicial é um "Allegro con brio" exclamativo, permeado de clímaxes. No lugar do tradicional movimento lento, o compositor insere uma "Marcha Fúnebre" de grande força dramática. Um "Scherzo" cheio de dinamismo funciona como terceiro movimento, e a sinfonia acaba com um finale triunfante constituído por uma série de variações. Criados em 1943, os Concertos para Juventude têm como fundamento promover uma aproximação entre o público e a música de concerto. Para isso, a série é composta por apresentações didáticas que contam sempre com um mestre de cerimônias para guiar o público. A performance musical é intercalada com informações sobre as obras apresentadas e seus compositores, além de curiosidades sobre o funcionamento de uma orquestra sinfônica e seus instrumentos. A ORQUESTRA SINFÔNICA BRASILEIRA: Fundada em 1940, a Orquestra Sinfônica Brasileira é reconhecida como um dos conjuntos sinfônicos mais importantes do país. Em seus 81 anos de trajetória ininterrupta, a OSB já realizou mais de cinco mil concertos e é reconhecida pelo pioneirismo de suas ações, tendo sido a primeira orquestra a realizar turnês pelo Brasil e exterior, apresentações ao ar livre e projetos de formação de plateia. Composta atualmente por mais de 70 músicos brasileiros e estrangeiros, a OSB contempla uma programação regular de concertos, apresentações especiais e ações educativas, além de um amplo projeto de responsabilidade social e democratização de acesso à cultura. Para viabilizar suas atividades, a Fundação conta com a Lei Federal de Incentivo à Cultura, tem o Instituto Cultural Vale como mantenedor e a NTS - Nova Transportadora do Sudeste, como patrocinadora master e a Brookfield como patrocinadora, além de um conjunto de copatrocinadores e apoiadores culturais e institucionais. [+] saiba mais Cine Arte | Pedro Almodóvar 30/03 a 29/06 Arte e Conhecimento Almodóvar, um dos maiores, se não o maior cineasta espanhol, será o objeto de discussão desse ciclo de encontros do Cine Artes. Com uma filmografia única e marcada por sua estética própria com cores fortes e personagens que beiram o surreal, o cineasta que já passou por indicações e prêmios internacionais, investe na presença feminina, explora as fronteiras da sexualidade e cria um universo autoral repleto de paixões. Vamos começar com seu mais novo lançamento, Mães Paralelas e seguiremos apresentando o autor por mais quatro obras, Carne Trêmula, Volver, Fale com ela e A pele que habito. Para quem já é amante de Almodóvar é uma ótima oportunidade para debater sobre sua obra, para quem está conhecendo será um momento para mergulhar um pouco mais em seu universo dramático. [+] saiba mais Afonso Padilha | Stand up Comedy 25/06 a 26/06 Teatro O SHOW Afonso Padilha, comediante, humorista, roteirista, escritor e pagodeiro. Já participou de vários festivais de humor e é integrante do grupo 4 AMIGOS. Volta a rodas o Brasil, agora em seu sexto Solo, nele fala sobre as diferenças, conflitos e comparações entre as idades e gerações, sempre voltado a suas experiências pessoais. SOBRE O AFONSO O curitibano Afonso Padilha começou no stand up comedy no fim do ano de 2009 fazendo open mics (espaço aberto para novos comediantes). Em 2011 entrou como convidado fixo o grupo Santa Comédia (primeiro grupo de stand up do sul do Brasil formado por Léo Lins, Fabio Lins e Marco Zenni) e começou a viajar pelo Brasil participando dos melhores shows do circuito. Participou dos maiores festivais de comédia do país: risológico, risorama, risadaria e virada cultural paulista – palco stand up. Foi considerado um dos humoristas revelações em 2012, sendo citado por Danilo Gentili. Passou também pelo programa Tudo é Possível, da Ana Hickman, como quinto elemento e posteriormente como jurado no concurso de comédia. Participou ainda do programa Agora é Tarde, do Danilo Gentili. Afonso também já foi roteirista do Porta dos Fundos e Comedy Central. Como autor, tem 3 peças escritas, duas encenadas: “Eu te odeio, meu amor” e “Até que o casamento nos separe”, ambas feitas no festival de teatro de 2012. A peça “Até que o casamento nos separe” continua em cartaz e está rodando o brasil com atuações de Marco Zenni e Lilian Marchiori. Atualmente está rodando com seu novo solo, seguindo todos o protocolos de saúde e decretos para os cuidados da covid, onde fala das diferenças, conflitos e comparações das diferenças de idades e com o grupo 4 Amigos do qual é integrante junto com Thiago Ventura, Dihh Lopes e Marcio Donato. Além de comediante e humorista, também está tentando a carreira como escritor, com três livros escritos, sendo um infantil, PAPAI, CADÊ O VOVÔ? (sobre o abandono paterno); o e-book NÃO TA COMPENSANDO FICAR ISOLADO (crônicas /cenas com pano de fundo a pandemia ) e O EVANGELHO SEGUNDO UM HUMORISTA (crônicas /cenas baseadas no velho e novo testamento). Acesso de crianças e adolescentes: desacompanhados dos pais ou responsáveis legais somente maiores de 18 anos. Alvará de Disciplinamento da 1ª Vara da Infância e da Juventude com outra indicação será divulgado na data do recebimento [+] saiba mais Projeto Interlocuções I Psicanálise e literatura 24/06 Arte e Conhecimento Tema do dia 10/06 e 24/06 Conversas sobre o gesto Convidada: Márcia Milhazes Um valioso encontro de Conversas sobre o universo vocabular da linguagem artística da coreógrafa Marcia Milhazes com sua Companhia de Dança e a Arte. Conversas que abordam os processos de criação realizados durante a pandemia no doloroso confinamento vivido. A mostra de dos vídeos dança PÁSSAROS e SONHO de PRIMAVERA ,que vem sendo premiados nos mais importantes Festivais de cinema  internacionais  e nacionais POOL - INTERNATIONALES TanzFilm Festival Berlin, Germany - Júri oficial  (2020)- London International ScreenDance Festival - 2021 UK dentre outros vem tratar das vivências com a cultura virtual.  A obra coreográfica PAZ e AMOR, premiada no APCA - Associação Paulista dos Críticos de Arte SP(2020), Qualicult  2021 dentre outros, e a preparação de uma nova produção que celebra a Semana de Arte Moderna de 1922 , no final do ano, no  Theatro Municipal do Rio de Janeiro trazem importantes registros do fazer coreográfico que envolvem vários meios artísticos e suas problemáticas de ideias. Conversas como laços humanos, onde a Arte que trata do real, cria interfaces e se torna um local importante e transformador de desejos, interesses, práticas, escolhas e sensibilidade. 1) PÁSSAROS Sinopse: O mundo se confronta com um confinamento doloroso, onde nos escondemos do invisível. Desejo celebrar um outro invisível, que flutua no mundo veloz e agressivo. O amor. Escrevo cartas de amor em forma de gestos, onde o invisível habita, exprime sentimentos, tornando o universo virtual um potente parceiro para acessar a sensível. Cenas de um homem, uma mulher, que carregam em seus corpos a solidão, vestígios de sonhos na busca pela possibilidade do reencontro. Reúno imagens afetivas que refletem detalhes de obras de minha irmã, a artista visual Beatriz Milhazes, da mata atlântica de minha cidade do Rio de Janeiro, de núcleos fotográficos de gestos e vídeos registrados pelos celulares dos próprios intérpretes em confinamento. Juntos, tecem uma narrativa sutil que cruza objetos desconhecidos, reflexos da minha voz. Uma experiência estética que transforma o espaço virtual em território universal onde a transcendência poética permite contemplar uma zona não verbal. O visível e o invisível invadem, preenchem, visitam a alma como um cometa de esperança no outro. A vida retorna. Vídeo: https://drive.google.com/drive/folders/1dMmkWRZFDln_MOwmcfuVlVOmreHNh syw?usp=sharing Ficha Técnica do vídeo: Direção Artística / Coreografia / Concepção - Marcia MILHAZES Intérpretes - Ana Amélia VIANNA e Domenico SALVATORE Edição de Vídeo - Domenico SALVATORE Imagens - Detalhes de Obras da Artista Visual Beatriz MILHAZES: HAVANA e A MOSCA Fotos - Ana Clara MIRANDA 1a Cena / take das mãos - John C.M. Colagem da Trilha Sonora - Marcia MILHAZES Música - Montana CELLIST 2) SONHO DE PRIMAVERA O mundo contemporâneo confronta o invisível que fragiliza a alma pela possibilidade da perda.  SONHO DE PRIMAVERA deseja tocar em outro invisível que celebre a vida, o SONHO. Fantasia interior, formas invisíveis, vivas, onde a distância imprecisa procura ouvir os afetos, tocá-los, torná-los valiosos, visíveis no outro e nas coisas. Sonhos como ventos, como estações, que sopram liberdade e nos motivam a desenharmos pontes de desejos, movimentos de esperança dentro e fora de nós. Sermos sonhos. A concepção, construção, gravação e edição deste vídeo foram realizadas seguindo o isolamento social. As imagens coreográficas foram registradas pelos celulares dos intérpretes, nos seus ambientes, minuciosamente dirigidas e concebidas à distância. As imagens da natureza e a mídia utilizada foram retiradas de bancos sem direitos autorais. A renomada e internacional artista plástica BEATRIZ MILHAZES, gentilmente cedeu as imagens de suas obras.  Vídeo: https://drive.google.com/drive/folders/1jlMNmxopj_4su-F-xu5IFuNmeZmYq0z- ?usp=sharing FICHA TÉCNICA do vídeo Direção Artística, concepção e coreografia - Marcia MILHAZES Intérpretes - Ana Amélia VIANNA, Domenico SALVATORE Edição do vídeo - Marcia MILHAZES, Domenico SALVATORE Beatriz MILHAZES´ works details Avenida Paulista, 2020 - Masp´s Collection, Artist´s Donation -Havana, 2003-4 -Mosca - 2010-12 -Casa de Baile -2009 - sketch / installation -Bailinho, 2007-8 - sketch / installation Cinematografia - gestos detalhes - Rodrigo MONTEIRO (03'23" to 04'06") and Avenida Paulista Footage Fotografia - Ana Clara MIRANDA Trilha sonora (colagem) - Marcia MILHAZES Edição Trilha sonora - Domenico SALVATORE Musica: Dissociation, piano by Naoya SAKAMATA Waiting, cello by Gabriele CAZZOLA   [+] saiba mais BORA RIR | Show de Standy up Comedy 24/06 Teatro O Bora Rir é um projeto de stand-up comedy itinerante. A ideia é ocupar todo o Rio de Janeiro com os melhores humoristas do cenário nacional, valorizar a cena carioca e servir de palco para revelação de novos talentos. O sexto elenco da temporada 2022 do “Bora Rir” Stand-Up Comedy trás os fenômenos da comedia nacional; Felipe Ferreira , Cris Pereira e Cláudio Torres Gonzaga. Cada espetáculo é diferente do outro. SOBRE CRIS PEREIRA Com mais de 25 anos de carreira o ator, roteirista, radialista e comediante Cris Pereira, coleciona números bastante positivos. São mais de um milhão de expectadores em suas apresentações de teatro, redes sociais que tem como carro chefe o Instagram e YouTube, juntos atingem mais de 2 milhões de seguidores ultrapassando a marca de 125 milhões de views em seus vídeos do canal. SOBRE FELIPE FERREIRA Comediante stand up e roteirista .Morador da Pavuna , entrou pra comedia no ano de 2020 e traz em seus textos a realidade de moradores da zona norte carioca e suas dificuldades e também aborda assuntos como abordagens policiais e conta em suas histórias o qual é difícil ser um comediante negro e morador da zona norte carioca. Além disso, Felipe foi Campeão do festival Ria Rio ,Vice campeão do se vira nos 5 (campeonato produzido pelo Rio Retrô Comedy Club) , Campeão do campeonato renascer pela arte (Campeonato produzido pela Prefeitura de Queimados) ,gravou vídeos com o parafernália e já faz abertura de shows de humoristas consagrados como ; Rodrigo Marques e Thiago Ventura SOBRE CLAUDIO TORRES GONZAGA Claudio Torres Gonzaga é um dos precursores da comedia stand-up no Brasil. A frente do Comedia em Pé, o primeiro grupo de standup brasileiro desde 2005, Claudio foi responsável pela revelação e consolidação da carreira de muitos comediantes. Fizeram parte do grupo nomes como Fabio Porchat, Murilo Couto, Fernando Caruso e Leo Lins. Além desses comediantes, outros nomes importantes do humor dividiram o palco do Comédia em Pé: Danilo Gentili, Diogo Portugal, Mauricio Meireles, Rafinha Bastos,  Dani Calabresa, Fabio Rabin e Thiago Ventura, só pra citar alguns. Claudio Torres Gonzaga também esteve no comando das principais atraçoes de humor da Rede Globo durantes 20 anos em programas como Grande Família, Zorra Total, Sob Nova Direção, Divertics, Caras de Pau entre outros. No cinema escreveu comédias com Leandro Hassum, Tom Cavalcanti, Whindersson Nunes, Tirulipa e Rafael Portugal em filmes como Os Parças 1 e 2, Vestido pra Casar e Juntos e Misturados. [+] saiba mais Circuito Meio Ambiente – A Batalha da Natureza | Teatro educação ambiental 05/06 a 19/06 Arte e Conhecimento A Fundação Cidade das Artes e o Instituto Mar Adentro farão o “Circuito Meio Ambiente – A Batalha da Natureza” em junho, mês marcado pelo Dia Mundial do Meio Ambiente (05) e o Dia Mundial dos Oceanos (08). “A Batalha da Natureza” é um projeto lúdico de educação ambiental que aborda o comportamento da sociedade em relação ao descarte dos resíduos sólidos, que por muitas vezes se transformam em lixo e vão parar nos oceanos. O conteúdo da “A Batalha da Natureza” é resultado de pesquisas realizadas nas Ilhas Cagarras (5 km de Ipanema) pela equipe técnica do Instituto Mar Adentro através do Projeto Ilhas do Rio. O arquipélago é um lindo cartão postal carioca que se tornou um Monumento Natural em 2010 e em 2021 entrou para a seleta lista do Ponto de Esperança (Mission Blue). O grande diferencial do espetáculo é a participação da plateia através de um jogo de perguntas e respostas, e assim é formado um quiz entre o time da Flora e o time da Fauna. Ao final da sessão serão distribuídas revistinhas em quadrinhos da “A Batalha da Natureza’ (ver sinopse abaixo). E para completar o passeio o público tem a incrível chance de ver a ossada de uma baleia jubarte, que faz parte do acervo do Museu Nacional. O “Circuito Meio Ambiente – A Batalha da Natureza” tem o patrocínio do Ministério do Turismo e da XP Inc Sinopse - O Atobá voa por todos os cantos e sabe das questões dos seres que vivem na natureza, seja da flora ou da fauna. Após uma forte tempestade, ele vai ao encontro dos amigos da natureza para ver se estão todos bem, o que não era uma surpresa ver a quantidade de lixo que invadiu a ilha em que mora. Virou uma rotina após as chuvas o lixo ser levado pela correnteza do mar para o local em que vive. Os amigos estão bem chateados e juntos eles pensam numa maneira de ensinar para os humanos o local certo do lixo, afinal, todos se prejudicam com esta questão. Então eles lançam o desafio da Batalha da Natureza, e assim é formado junto com a plateia o time da Flora e o time da Fauna, cada time tem seu capitão (personagens) e o Atobá vira o grande apresentador desta divertida competição. Quem será o grande campeão desta batalha?   [+] saiba mais Orquestra Sinfônica Brasileira | Série Músicos da OSB 18/06 a 19/06 Música Ministério do Turismo e Instituto Cultural Vale apresentam:   O programa da noite de sábado será repetido no domingo de manhã, em mais um Concertos para a Juventude O naipe de percussão estará em foco no segundo programa da Série Músicos da OSB, que tem como objetivo evidenciar os instrumentistas da Orquestra Sinfônica Brasileira, colocando-os na posição de solistas em grupos de câmara. Os concertos acontecerão no palco do Teatro de Câmara, na Cidade das Artes, dias 18 e 19 de junho, sendo a segunda apresentação no formato Concertos para a Juventude – récitas matinais de caráter didático, com ingressos a preços populares. Dois percussionistas da OSB – Fernanda Kremer e Rodrigo Foti – estarão à frente da orquestra, como solistas, na companhia dos convidados Rubén Zúñiga e Ronni Kot. A regência fica a cargo do maestro português Pedro Carneiro. Ao longo da história, nas mais diferentes culturas, a água adquiriu uma ampla gama simbólica de significação: ela representa a vida, o inconsciente, a flexibilidade, a força, a renovação… Na dimensão prática da existência humana, por sua vez, ela não é menos importante: a água purifica, aniquila a sede, assegura a sobrevivência, gera sustento. Em 2022, a Orquestra Sinfônica Brasileira abraçou as águas como fio/rio condutor de sua temporada artística, acolhendo o elemento em suas esferas pragmática e metafórica de significado. O tema é explorado em diversos concertos da temporada, incluindo o deste fim de semana, que traz obras de Haendel, Honegger, Smetana, Cuong e C. Chagas. O espetáculo tem início com excertos de Música Aquática, conjunto de suítes de George Friedrich Haendel, em arranjos para madeiras e metais por Mitchell Kriegler. Grande parte dos movimentos dessa composição foi escrita para ser apresentada ao ar livre e teve sua estreia no Rio Tâmisa, em um cruzeiro real do Rei George I da Grã-Bretanha. De caráter espirituoso e com melodias cheias de frescor, a obra merecidamente figura entre as mais conhecidas de seu compositor. Embora a água não seja o tema da peça que será ouvida em seguida, Pastoral d’été, de Arthur Honegger, é possível evocar o elemento nas suas ondulações serenas e na fluidez das suas sonoridades. O poema sinfônico de Honneger foi escrito em 1920 e a partitura traz na epígrafe um imaginativo verso de Rimbaud: "Eu beijei a aurora do verão. Pastoral d’été é dividida em três seções: depois de uma abertura langorosa, ela avança para um bloco intermediário cheio de cores e de vida. O tema principal retorna, então, para concluir a composição em atmosfera idílica. Em seguida, a OSB executa um arranjo para sopros de "Moldau", poema sinfônico de Bedřich Smetana que integra o ciclo Minha Pátria. Espécie curiosa de "música topográfica", a obra leva o nome de um importante rio tcheco e, como ele, parece deslizar pelos instrumentos através de uma poderosa melodia evocativa que presentifica em som a imagem das águas. O programa segue com a instigante Re(new)al, do compositor vietnamita-americano Viet Cuong. A peça é construída a partir de três movimentos contínuos, cada um inspirado no poder das energias hídrica, eólica e solar. O primeiro movimento transforma copos de cristal afinados em sinos de mão, enquanto o conjunto de sopros lentamente submerge o som dos solistas. No movimento central, solistas são transformados em pás de uma turbina eólica vertiginosa, tocando desafiadores padrões rítmicos. O movimento final simula um nascer do sol e evoca o brilho da luz do sol com instrumentos de percussão. Uma estreia mundial encerra o programa com chave de ouro: a OSB realiza a primeira audição de uma obra do brasileiro Paulo C. Chagas. Escrita para um grupo de cinco percussionistas e orquestra de câmara de instrumentos solistas, Olhe essas águas... é uma composição audiovisual que tenta criar uma interface perceptiva do domínio invisível das águas: o secreto, o escuro, o misterioso. A música desenvolve estruturas que brotam, fluem e se dissolvem, abordando a natureza e o significado da água dentro de uma perspectiva espiritual e ecológica. Criados em 1943, os Concertos para Juventude têm como fundamento promover uma aproximação entre o público e a música de concerto. Para isso, a série é composta por apresentações didáticas que, em 2022, contam com a atriz Suzana Nascimento como mestre de cerimônia. A performance musical é intercalada com informações sobre as obras apresentadas e seus compositores, além de curiosidades sobre o funcionamento de uma orquestra sinfônica e seus instrumentos. A ORQUESTRA SINFÔNICA BRASILEIRA Fundada em 1940, a Orquestra Sinfônica Brasileira é reconhecida como um dos conjuntos sinfônicos mais importantes do país. Em seus 81 anos de trajetória ininterrupta, a OSB já realizou mais de cinco mil concertos e é reconhecida pelo pioneirismo de suas ações, tendo sido a primeira orquestra a realizar turnês pelo Brasil e exterior, apresentações ao ar livre e projetos de formação de plateia. Composta atualmente por mais de 70 músicos brasileiros e estrangeiros, a OSB contempla uma programação regular de concertos, apresentações especiais e ações educativas, além de um amplo projeto de responsabilidade social e democratização de acesso à cultura. Para viabilizar suas atividades, a Fundação conta com a Lei Federal de Incentivo à Cultura, tem o Instituto Cultural Vale como mantenedor e a NTS - Nova Transportadora do Sudeste, como patrocinadora master e a Brookfield como patrocinadora, além de um conjunto de copatrocinadores e apoiadores culturais e institucionais. [+] saiba mais
123456