Fundação Cidade das Artes

Memoria

Memória

A Fundação Cidade das Artes é um espaço concebido para abrigar múltiplas atividades artísticas, como exposições, apresentações de dança, teatro e música. Este complexo cultural também é utilizado para palestras, oficinas, congressos, conversas com autores, lançamentos de livros e outras atividades de formação cultural e artística.

Os eventos que ocorrem neste espaço são filmados e fotografados para que todos os interessados possam ter acesso, através deste site, ao histórico de programação da Cidade das Artes e os programas das peças podem ser pesquisados na Sala de Leitura, local onde serão preservados todos os materiais impressos relacionados à programação.

Eventos Passados

25 anos do Festival Rio Cello 17/08 Festival Rio Cello celebra seus 25 anos e volta a ocupar os principais espaços culturais da Cidade O maior festival de violoncelos do país está completando 25 anos em 2019. Neste ano, o Rio International Cello Encounter (Rio Cello) irá homenagear os 60 anos de morte de Heitor Villa Lobos, os 50 anos de carreira da banda Led Zeppelin e os 200 anos de nascimento da pianista e compositora alemã Clara Schumann. Idealizado e capitaneado pelo violoncelista inglês David Chew, desde a sua primeira edição, em 1994, o Rio Cello traz em sua programação, além de concertos, espetáculos de dança, exposições de arte, masterclasses e workshops.  Confira a PROGRAMAÇÃO COMPLETA no site www.riocello.com.br O festival idealizado pelo violoncelista inglês David Chew acontece de 06 a 18 de agosto em vários lugares no Rio e também em Volta Redonda e Florianópolis. No dia  17 de agosto, a Cidade das Artes será um dos palcos desse grande festival recebendo para uma única e gratuita apresentação: Grupo Aggregat - Daniel Sorour _ cello electronic. André Wittmann - Sintetizador, Sequenciador Daniel Sorour - Violoncelo, Eletrônica Matho Thomsen - Bateria, Drumcomputer Soundengineer - Valentin Wirger     [+] saiba mais Quarteto Kalimera 10/08 Música Premiado como "Melhor Intérprete de Música Clássica" no Festival de Música da Rádio MEC 2018 pela gravação de "Reverenciando Radamés" de Ivan Paparguerius, o Quarteto Kalimera nasceu em 2018 da vontade de seus integrantes de pesquisar e executar obras icônicas do repertório tradicional brasileiro e universal para esta formação. Por ser uma pequena formação, o quarteto possui um imenso potencial de atingir novos públicos através de seus concertos. Eles buscam levar ao público uma nova  forma de fazer arte trazendo uma apresentação com programas de linguagem musical variada e com performances energéticas, objetivando o despertar do interesse da audiência para a imensa literatura escrita para quarteto de cordas. QUARTETO Luísa de Castro 1º Violino Tomaz Soares 2º Violino Jessé Máximo Pereira Viola Daniel Silva Violoncelo   [+] saiba mais Música para Salmos - 210 anos de Mendelssohn 04/08 Música Mendelssohn – 210 anos - Concerto com Coros de Câmara e Sinfônico da ACC Música para Salmos. Os Coros de Câmara e Sinfônico da ACC prestam homenagem aos 210 anos de Felix Mendelssohn com mais um concerto da Série da Associação de Canto Coral. No repertório, os Salmos 42 (com o Coro Sinfônico) e o 100 (com os dois coros), regidos pelo diretor musical da ACC, Jésus Figueiredo. Além do Salmo 115, interpretado pelo Coro de Câmara, sob a regência de Rafael Caldas. Os Salmos são obra representativa na produção coral sacra de Mendelssohn, onde o compositor expressa a influência de J.S. Bach. Um programa de vulto que proporciona observar a influência nacionalista de um compositor pelo viés da tradição luterana. Os solistas do concerto são: Helen Heinzle (soprano), Clayber Guimarães e Gabriel Senra (tenores), Wellington Gomes (barítono) e Kiko Albuquerque (baixo). Ao piano, André Torres. Pianista e maestro alemão, Felix Mendelssohn se tornou um dos maiores compositores de todos os tempos, autor de músicas muito conhecidas como a marcha nupcial. Aos 17 anos, compôs a Abertura para Sonho de uma Noite de Verão, baseada na peça de William Shakespeare. Outra obra importante é a Sinfonia da Reforma, em alusão à Reforma Protestante. Sua música pode ser classificada como “Romantismo Semi-Clássico”. Nascido em família judaica, em 1809, foi batizado na Igreja Luterana, onde se manteve sempre fiel. Morreu em 1847, na Alemanha, com 38 anos. Música para noivas Uma das obras mais conhecidas de Mendelssohn é, sem dúvida, a “Marcha Nupcial”, de 1842, incluída em “Sonho de uma Noite de Verão” e executada em casamentos em todo o mundo. Reforma Protestante A Quinta Sinfonia de Mendelssohn ficou conhecida como Sinfonia da Reforma, cujo tema principal é o hino “Mein fest burg”, composto pelo próprio Lutero e foi símbolo do movimento religioso. Viagens Mendelssohn fez muitas viagens que influenciaram duas das suas cinco sinfonias, a N. 3 em Lá Menor, conhecida como “Sinfonia Escocesa”, e a mais popular, a N. 4 em Lá Maior, a “Sinfonia Italiana”. Nazismo Membro de uma rica família de banqueiros e intelectuais judeus, durante o nazismo, teve suas obras banidas do repertório alemão.  O veto nazista e o preconceito de que era um artista que conseguira tudo sem esforço foram responsáveis pelo relativo esquecimento de sua obra. Cristianismo e Bach Felix se converteu ao cristianismo/luteranismo, o que aumentou seu interesse por oratórios e cantatas protestantes, em especial as de J. S. Bach. Em 1829, ressuscitou o então esquecido compositor, regendo em Berlim a Paixão Segundo São Mateus. Resgatou também músicas de Handel, Haydn e Mozart. Principais Obras Sinfonia da Reforma - Nº 5 – (1830) Abertura - Sonho de uma Noite de Verão (1816) Abertura - A Gruta de Fingal (As Hébridas), Opus 26 (1830) Sinfonia Em Lá Maior, nº 4 ( Italiana), Opus 90 (1833) Concerto para Violino nº2, Opus 64 (1844)     ​Assessoria de Comunicação: Andréa Shad Tel: 21-981879871 | 21-3486-8978 [+] saiba mais Paula da Matta | Piano 03/08 Música Pianista e Professora da Escola de Música da UFRJ, Doutora em Música pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), com estágio na Université de Paris IV-Sorbonne. Estudou com Menahem Pressler na Indiana University (EUA), tendo obtido nota máxima no curso de Performer Diploma em Piano. Anteriormente, recebeu orientação do pianista Pavel Gililov, no curso de Especialização em piano na Hochschule für Musik Köln, Alemanha. Seus CDs Paula da Matta interpreta Franz Liszt e Chopin-Triumph in Vienna foram muito bem recebidos pela crítica especializada.  Este último, gravado e lançado em Viena, teve a chancela da Sociedade Internacional Chopin e apresentação do pianista Paul Badura-Skoda. A convite da mesma Sociedade, realizou um concerto comemorativo dos 250 anos de morte do compositor polonês na tradicional Festsaal, em Viena, por cujo palco passaram Schubert e Strauss. Em 2019, está lançando seu terceiro CD “Compositores da Escola de Música da UFRJ: Séculos XIX e XX”, dedicado à música brasileira, com apresentação de André Cardoso. Atualmente desenvolve intensa atividade musical, apresentando-se regularmente como solista e camerista, tendo se apresentado na Sala Cecília Meireles (Rio de Janeiro), no Centro Cultural Simon Patiño, a convite do Itamaraty, em Cochabamba, Bolívia e na Residência do Embaixador do Brasil em Viena, por ocasião dos 200 anos de nascimento de Chopin e da comemoração da data da Independência do Brasil. Foi uma das organizadoras do colóquio Le Piano Brésilien, na Sorbonne, com apresentações na Casa do Brasil, em Paris.                                        Programa do recital: L. Miguez                Noturno Op. 20 N. 1, em Sol bemol maior (1850-1902)             Valsa “Faceira” Op. 28, em Fá maior   A. Nepomuceno     Devaneio (1864-1920)             Improviso                                      F. Liszt                    Rêve d’Amour N, 3 em Lá bemol maior (1811-1886)             Rapsódia Húngara N. 13 em Lá menor   F. Chopin                Polonaise “Heroica” Op. 53 (1810-1849)   [+] saiba mais Momentos Rio | O Fio da Meada 26/07 a 28/07 Dança Momentos, é um projeto internacional de performance dança-teatro, ou seja, a performance e a expressão corporal estão em primeiro plano. O projeto de performance Momentos foi idealizado pelo diretor e produtor artístico e coreógrafo Vinicius e estreado no verão de 2011 na cidade de Viena. Com o sucesso do projeto ele foi implantado posteriormente no ano de 2013 na cidade de Innsbruck, também na Áustria, 2015 no Rio de Janeiro e 2017 Curitiba e S. José dos Pinhais, 2018 em Münster (Alemanha) e em julho de 2019 Brasília. Momentos é um projeto de dança-teatro, ou seja, um projeto de dança em que a performance e a expressão corporal, assim como todo o seu processo de acontecimentos estão em foco. O segundo foco é a forma laboratório para o conhecimento da emoção como meio de gerar movimentos individuais e a transformação dos mesmos em dança. Este projeto tem como característica uma série de peças de dança e cada uma delas lida com um certo momento da nossa sociedade no passado, no presente ou no futuro. Em cada série é dançado um tópico, coreografado e transformado num produto final deste laboratório para uma performance de palco. Por último ele é apresentado a uma plateia como uma peça de dança teatro, num teatro profissional na cidade de Viena, Innsbruck ou Rio de Janeiro, Curitiba ou S. José dos Pinhais. Momentos mantem o caráter de um "work in progress", apesar do alto nível de profissionalismo, pois as verdades da vida são momentos em eternas mudanças! Outro aspecto significativo do projeto Momentos é a cooperação com outras formas de arte: a interdisciplinaridade como uma sinergia artística. O encontro com (estudantes) músicos que enriquecem a peça de dança com suas próprias composições e participação dos mesmos nas apresentações ao vivo, assim como os estudantes de cinema, vídeo, moda e fotografia permitem uma intensa troca artística nos diferente níveis sobre o tema abordado na dança, apesar do curto espaço de tempo de produção: no Rio de Janeiro em duas semanas! O tema abordado neste ano é  „O FIO DA MEADA“. O espetáculo „O FIO DA MEADA“ nos transportará a uma viagem iniciada com a origem histórica e o significado da expressão "perder o fio da meada". Logo em seguida o fio em si e empregado como algo construtor/transformador é capaz de ser transformado em inúmeras e diferentes coisas e altamente potente/forte. De uma forma metafórica, ele pode ser como cada um de nós que quando unido pela forca, inteligência e capacidade coletiva, nos transforma em interagentes de uma malha social física, intelectual e abstrata, e ao mesmo tempo visível/palpável e transformadora.  E por último o fio da meada: enquanto conexão ou "desconexão" da malha digital, o quanto estamos cada vez mais digitalizados:  sem fios físicos porém super interligados através de fios digitais (no trabalho, lazer, na comunicação social médica etc.) Informação atualizada: www.facebook.com/momentos.riodejaneiro  Equipe Momentos Rio:  Direção artística e coreográfica Momentos (Wien, Innsbruck, Rio, Curitiba-SJP/Münster/Brasília): Vinicius Coordenação artística e coreográfica: Eduardo Ramos Coordenação geral: Samuel Barreto Coordenação Produção: Camila Christie Coordenação Figurino: Jéssica Garcez Assistência de figurino: Lectícia Barros e Bruna Pereira Cenografia: Danda Bayer & Weslley Souza Trilha sonora: Escola de Música Villa-Lobos  Design de Luz: Careca - Operação de luz: Carolina Dworschak Arte gráfica: Glauco Fonseca Informações sobre os projetos Momentos:   Áustria:  www.facebook.com/momentos.wien   www.facebook.com/momentos.innsbruck      Brasil:  www.facebook.com/momentos.curitiba   www.facebook.com/momentos.brasilia   Alemanha: www.afcebook.com/momentos.muenster www.vinicius.de  [+] saiba mais CHAMBER ORCHESTRA BRAZIL 27/07 Música Projeto musical inédito reúne renomados músicos nacionais e internacionais, atuantes nas principais orquestras brasileiras, em única apresentação na Cidade das Artes. Idealizado pelo violinista Wagner Rodrigues em parceria com a Cidade das Artes, o projeto reúne 20 músicos atuantes nas principais orquestras brasileiras onde ocupam importantes posições. Profissionais com  passagens em grandes orquestras e universidades internacionais, como: Orquestra Sinfônica de Barcelona, Staatsorchester Rheinische Philharmonie (Alemanha), Orquestra Sinfônica da Rádio Frankfurt (Alemanha), Pittsburgh Oper Ballet Theatre (Pensilvânia), Berliner Symphoniker (Alemanha), Universidade de Artes de Zurique (Suíça), Universidade North Park (Chicago), Ferenc Lizt em Budapest (Hungria), Manhattan School of Music (Nova York), Conservatoire à Rayonnement Départemental du Val de Biévre (Paris), Western Michigan University (EUA), entre outras. Essa união promove uma imersão musical onde todos compartilham suas experiências e têm participação ativa na construção das obras, alcançando um nível de criação artística extremamente detalhado e sólido, em uma atmosfera democrática. “Nós tocamos em pé e sem maestro. Isso estimula o impulso solístico dentro de cada músico, refletindo em uma execução extremamente sofisticada, vigorosa e cativante. A construção e organização do programa é baseado na estrutura de ensaios de grandes orquestras, conciliando estilo, virtuosismo, organização e performance em um projeto musical único”, conta Wagner.   PROGRAMA   Souvenir de Florence (P.Tchaikovsky) I-Allegro con spirito II-Adagio cantabile e con moto III-Allegretto moderato IV-Allegro vivace   INTERVALO   Serenade for Strings (P.Tchaikovsky) I-Pezzo in forma di sonatina: Andante non troppo — Allegro moderato II-Valse: Moderato — Tempo di valse III-Élégie: Larghetto elegiaco IV-Finale (Tema russo): Andante — Allegro con spirito   MÚSICOS - VIOLINOS ·         WAGNER RODRIGUES (Brasil) Violinista efetivo na Nordharzer Städtebund Theater (Alemanha) ·         ARA HARUTYUNYAN (Armênia) Spalla assistente na Orquestra Filarmônica de Minas Gerais ·         MATTHEW THORPE (Estados Unidos) Concertino da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP) ·         CÉSAR MIRANDA (Brasil) Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP) ·         DEBORAH SANTOS (Brasil) Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP)   - VIOLINOS II ·         ANGELO MARTINS (Brasil) Spalla na Orquestra Sinfônica do Paraná ·         SUN EUN CHO (Coreia do Sul) Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP) ·         NIKOLAI SAPOUDJIEV (Bulgária) Violinista da Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB) ·         ANAHIT ASATRYAN (Armênia) Convidada Regular da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais ·         NIKOLAY ILIEV ILIEV (Bulgária) Jazz Sinfônica Brasil   - VIOLAS ·         ROBERTO PAPI (Itália) Concertino da Filarmônica de Minas Gerais ·         EDERSON FERNANDES (Brasil) Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP) ·         SAMUEL PASSOS (Brasil) Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB) ·         VICTOR BOTENE (Brasil) Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB)   - CELLOS ·         RAFAEL CESÁRIO (Brasil) Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo ·         MARIANA AMARAL (Brasil) Concertino do Teatro Municipal de São Paulo ·         EMÍLIA VALOVA (Bulgária) Concertino da Orquestra Sinfônica Brasileira ·         LISIANE DE LOS SANTOS (Brasil) Concertino da Orquestra Sinfônica Brasileira   - CONTRABAIXOS ·         NILSON BELOTO (Brasil) Chefe de Naipe da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais ·         WALDIR BETIPAGLIA (Brasil) Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB) HISTÓRIA TCHAIKOVSKY   Piotr Ilitch Tchaikovsky- Nascido em 7 de maio de 1840 em São Petersburgo, foi um compositor romântico russo. Algumas de suas obras encontram-se entre as mais populares do repertório erudito. Este foi o primeiro compositor russo a conquistar fama internacional, tendo sido maestro convidado no final da sua carreira pelos Estados Unidos e Europa. Como exemplo pode considerar-se o concerto inaugural do Carnegie Hall de Nova Iorque, em 1891. Tchaikovsky foi honrado em 1884 com uma pensão vitalícia pelo Imperador Alexandre III. A sua vida foi preenchida por crises pessoais e depressões. Estas crises advêm do facto de a sua mãe ter falecido prematuramente e do colapso da sua relação com a viúva Nadezhda von Meck. A sua possível homossexualidade foi mantida em sigilo por anos e sua morte prematura aos 53 anos de idade é atribuída à cólera, mas especula-se um possível suicídio. Souvenir de Florence- O Sexteto de Cordas foi composto no verão de 1890. O 2º movimento (adagio) foi escrito enquanto Tchaikovsky residia em Florença - daí o título da obra. Já em São Petersburgo no mesmo ano, Tchaikovsky escreveu ao seu primo. “Vou começar imediatamente um grande trabalho novo, mas de um tipo completamente diferente; um sexteto de cordas. O trabalho foi esboçado em menos de duas semanas e totalmente marcado em mais onze dias. A composição não foi fácil para Tchaikovsky. "Estou compondo com um esforço inacreditável", escreveu para seu irmão. "Sou prejudicado não pela falta de ideias, mas pela novidade. Deve haver seis partes independentes e ao mesmo tempo homogêneas. Sinto-me constantemente como se estivesse de fato escrevendo para uma orquestra de câmera. Talvez Tchaikovsky nunca tenha realmente resolvido este problema. Os intérpretes da obra hoje ainda enfrentam as demandas conflitantes de uma abordagem orquestral ou solista, e encoraja a um estilo virtuoso que ajudou a colocar a Souvenir de Florence entre as obras mais populares no repertório de música de câmara de cordas. Melodias folclóricas dominam o terceiro e o quarto movimentos, e é a seção do fugato central do final que levou Tchaikovsky a admitir: "É terrível como estou emocionado com meu próprio trabalho ..." Serenade for Strings- Em setembro de 1880 Tchaikovsky disse: “Assim que comecei a passar alguns dias relaxando, comecei a me sentir inquieto e muito doente ... Hoje eu não aguentei mais e me ocupei um pouco com projetos para uma futura sinfonia ou quarteto de cordas”. Em seguida escreve em uma carta a Nadezhda von Meck no início de outubro de 1880, "A Serenata ... eu compus de um impulso inato; isso é algo que surge de ter liberdade para pensar, e não é desprovido de verdadeiro valor. ” Final de outubro do mesmo ano a Serenata estava pronta. Despachando a partitura para ser publicada, Tchaikovsky escreveu: "Eu escrevi uma Serenata para orquestra de cordas em quatro movimentos... amem terrivelmente esta Serenata, e fervorosamente espero que ela possa logo ver a luz do dia”. A primeira apresentação pública da Serenata para Orquestra de Cordas foi em São Petersburgo, em outubro de 1881, conduzido por Eduard Nápravník. Em Moscou, foi realizado pela primeira vez em janeiro de 1882, no sétimo concerto da Sociedade Musical Russa. [+] saiba mais Concertos de Inverno edição #camarapop | Daniel Boaventura 24/07 Música Orquestra Petrobras Sinfônica recebe Daniel Boaventura no encerramento da série ‘Concertos de Inverno’   Em parceria com a JBFM, o projeto acontece na Cidade das Artes   Buscando sempre inovar e atrair diferentes públicos para as salas de concerto, a Orquestra Petrobras Sinfônica, em parceria com a JB FM, encerra a primeira edição da série ‘Concertos de Inverno’ no próximo dia 24 de julho, com o cantor e ator Daniel Boaventura. A apresentação acontece às 20:30h, na Sala de Câmara da Cidade das Artes.   Com três álbuns de estúdio e dois CDs/DVDs ao vivo, Daniel Boaventura é conhecido por dar uma nova roupagem a clássicos da música nacional e internacional. Na apresentação com o grupo de câmara da OPES, o cantor interpretará canções como “Love me tender” (Elvis Presley), “The lady is a tramp” (Frank Sinatra), “Your song” (Elton John), e outros hits românticos eternizados nas vozes de Roberto Carlos, como “Como vai você”, “Olha” e “Como é grande o meu amor por você”.   Sobre a Orquestra Petrobras Sinfônica Aos 47 anos, a Orquestra Petrobras Sinfônica se consolida como uma das mais conceituadas do país e ocupa lugar de prestígio entre os maiores conjuntos musicais da América Latina. Criada pelo maestro Armando Prazeres, a orquestra é formada por mais de 80 instrumentistas e tem como diretor artístico e regente titular o maestro Isaac Karabtchevsky, nome mais respeitado no Brasil e consagrado internacionalmente.   Modelo de gestão: A Associação Orquestra Pró Música do Rio de Janeiro, entidade que administra o conjunto, apresenta uma proposta administrativa inovadora, sendo a única orquestra do país gerida por seus próprios músicos.      Sobre a PETROBRAS: A Petrobras completa 33 anos de patrocínio da Orquestra Petrobras Sinfônica em 2018. Através do Petrobras Cultural, a companhia busca contribuir para o fortalecimento das oportunidades de criação, produção, difusão e fruição da cultura brasileira, para a ampliação do acesso dos cidadãos aos bens culturais e formação de novas plateias. A parceria é essencial para manter a Orquestra Petrobras Sinfônica entre os principais conjuntos da América Latina, sempre desenvolvendo um importante trabalho de democratização da música clássica e de renovação do público do gênero.     Informações para a imprensa MNiemeyer Assessoria de Comunicação http://www.mniemeyer.com.br Marina Avellar – marina@mniemyer.com.br (21) 2178-2599 / (21) 98229-8542 Andrea Pessôa - andrea@mniemeyer.com.br (21) 2178-2112/ 99155-1222     [+] saiba mais Fado Rio-Lisboa 21/07 Música Rio-Lisboa, Fado Formado por amigos que possuem gosto musical em comum, o Rio-Lisboa, é um grupo de fado com instrumentação diferenciada, Bandolim, Piano e Violoncelo, que acompanham a cantora de belo timbre e extensão de soprano, Fabiana Cruz. O grupo existe há dois anos e realiza eventos em todo estado do Rio de Janeiro, deixando a marca da saudade e da esperança, temática central do fado que até hoje tem em sua origem um mistério.   Sinopse do show Neste concerto, o grupo Rio-Lisboa traz ao palco do Teatro de Câmara da Cidade das Artes os mais famosos e tradicionais fados portugueses como Ai, Mouraria, Fado Português, Vielas de Alfama, Canção do Mar, na voz cristalina de Fabiana Cruz acompanhada pelos excelentes músicos, Tiago do Bandolim, Diogo Moura e Evandro Rodriguese.  Venha se emocionar nesta verdadeira viagem além-mar.   Fabiana Cruz, Cantora Teve suas primeiras experiências com a música popular e erudita ainda na infância. Iniciou seus estudos de canto lírico com o contra tenor Fernando Portugal na Escola de Música Vila Lobos. Foi integrante do Coro Sinfônico do Rio de Janeiro, tendo participado de projetos e concertos junto à OSB. Participou das óperas realizadas pela OSB – ópera e repertório. A paixão pelo fado português surgiu ainda na infância devido ao contato com a comunidade portuguesa da cidade de Cabo Frio – RJ, onde ocorre a festa portuguesa anualmente, tendo se tornado admiradora dos fadistas da antiga e da nova geração. Por esta razão, mantém o fado junto à prática do canto lírico. É integrante da Cia. Ópera Imperial e cursa Licenciatura em música no Conservatório Brasileiro de Música.   Tiago do Bandolim, Bandolim Filho do Ronaldo do Bandolim, um ícone do bandolim brasileiro, Tiago faz parte de uma safra de músicos formada na Lapa dos anos 2000, misturando, em sua formação, o choro tradicional e outras influências, como baião, samba, tango e jazz, criando, assim, um estilo próprio de interpretação e improvisação.  Formado pelo CBM do Rio de Janeiro, já se apresentou no Teatro Clara Nunes, Teatro Municipal de Niterói, TMRJ e casas de renome como Carioca da Gema, Rio Scenarium e Centro Cultural Carioca, ao lado de ícones da música instrumental brasileira como Silvério Pontes, Zé da Velha, Dirceu Leite, Yamandu Costa, Marcel Powell, Nilze Carvalho, entre outros. Integrou o grupo de samba e choro Unha de Gato e o conjunto de Choro Regional Carioca, sob a direção musical de Maurício Carrilho. Lançou, no ano de 2005, o CD "Cadência", do seu grupo Regional Carioca, com direção musical de Maurício Carrilho, e, em 2008, o CD "Festa pro Povo", com o grupo de samba Unha de Gato, participando de uma turnê internacional pela Europa, estando na Polônia e Dinamarca.  Em 2017, após 15 anos de carreira, o músico gravou "De Soslaio", seu primeiro álbum solo interpretando choros modernos de autores contemporâneos. O CD conta com participações especiais de renomados instrumentistas com quem Tiago tem grande amizade, como o violonista Yamandú Costa, o violinista francês Nikolas Krassick, Ronaldo do Bandolim, o acordeonista gaúcho Bebê Krammer, além de talentos da nova geração, como Dudu Oliveira e Aquiles Moraes.   Diogo Moura, Violoncelo Bacharel em violoncelo pela UFRJ, obteve tutoria dos mestres, Iura Ranevsky e Marcos Ribeiro. Iniciou seus estudos aos 15 anos de idade com Gretel Pagannini, recebeu depois orientações de David Chew, Ronildo Candido Alves, este último, por 5 anos. Atuou como chefe de naipe na Orquestra Sinfônica Aprendiz, paralelamente participando de festivais como o de Juiz de Fora, Oficina de Música Cinves, e Oficina de Música de Curitiba, tendo a oportunidade de estudar com mestres como Claudio Urgel, Paulo Rabello, Ashely Sandor Sidon, Alceu Reis, Tomasz Zieba, Anne Francis Bayless. É violoncelista convidado para integrar o naipe de seu instrumento em orquestras como OSB Jovem, ORSEM, OSN – UFF, Atlantis Opera Orchestra, Imperial Filarmônica do Brasil, Sapucaia Ensemble, entre outras. No exterior teve a oportunidade de estudar no Valdres Summer Music Festival, Noruega, participando de MasterClass da Oslo Camerata, com os violinistas Stephan Barret-Due, Camilla Kjoll e os violoncelistas Ole Eirik Ree, Tiril Dorun Bengtsson, Jonhanes Martens entre outros. Durante sua trajetória acadêmica e musical teve o privilégio de ser regido por renomados maestros nacionais e internacionais como: André Cardos, Ernani Aguar, Helter Trefzeger, Paolo Ponziano Ciarde, Evandro Rodriguese, Roberto Minczuk, Marcos Arakaki, Antônio Henrique Seixas, Guilhermo Scarabino, Claudio Cruz, Roberto Duarte, Daniel Guedes.   Evandro Rodriguese, Piano Formado em Regência Orquestral pela Faculdade Santa Marcelina, SP e ACO Conducting Academy, Portugal, além dos cursos superiores, estudou com grandes nomes do pódio como Colin Metters, Isaac Karabtchevsky, Luis M. Clemente, Roberto Tibiriçá, Ricardo Rocha, Emiliano Patarra, entre outros. É maestro da Orquestra Sinfônica Aprendiz, e de seus projetos pessoais como a Atlantis Opera Orchestra, Sapucaia Ensemble e Imperial Filarmônica do Brasil, tendo a oportunidade de dirigir em importantes teatros e salas de espetáculos como, Cidade das Artes, TMRJ, Teatro Santa Isabel, Teatro Guaíra, entre outros. Como maestro convidado, esteve à frente de grupos como a Orquestra Nacional de Sopros (PT), Orquestra da Costa Atlântica (PT), Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, Orquestra Sinfônica Heliópolis, Orquestra Bachiana Jovem, Orquestra de Câmara L’estro Armonico, entre outras. Atuante no meio carioca, já trabalhou ao lado de artistas da música popular como Don Betto, Fernanda Abreu e Silvério Pontes. Durante seus estudos em Portugal, paralelamente ao curso de regência orquestral, pesquisou sobre o Fado, o que lhe despertou grande paixão pelo popular estilo musical das terras de Camões. Como empresário, é sócio proprietário da Kether Arts, produtora cultural. [+] saiba mais Quinteto Lorenzo Fernandez 20/07 Música Quinteto Lorenzo Fernandez Fruto do encontro entre talentosos músicos, atuantes no cenário da música de concerto da cidade do Rio de Janeiro, o grupo que nasceu como resultado do trabalho desenvolvido no Quinteto Experimental de Sopros da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), sob orientação do Prof. Aloysio Fagerlande, nos anos de 2009 e 2010 é o retrato da nova geração da música de concerto brasileira.   Sempre com humor e virtuosismo, o grupo formado em 2011 tem como principal missão apresentar música contemporânea para quinteto de sopros, de jovens compositores e dos grandes mestres nacionais e internacionais, celebrando assim, carioquices de todos os tempos, dos mais jovens, como Azael Neto e Rodrigo Marconi, que compuseram peças especialmente para o grupo, à tradição de Lorenzo Fernandez, patrono do quinteto. Com Rômulo Barbosa (flauta); Juliana Bravim (oboé); Cesar Bonan (clarineta); Alessandro Jeremias (trompa) e Jeferson Souza (fagote), o quinteto de sopros já acumula prêmios importantes, como o Festival de Música Rádios MEC e Nacional (2016), como "Melhor Intérprete Música Instrumental", com a música Maxixando na Pracinha, de Isaías Ferreira; Grupo Revelação Rádio MEC FM Sala de Concerto de Gala (2013), em homenagem aos 30 anos da Rádio MEC-FM e também em comemoração aos 90 anos do Rádio no Brasil; segundo lugar no II Concurso de Música de Câmara do V Furnas Geração Musical e 50° Festival Villa-Lobos, ambos em 2012, além de ser, entre 2014 e 2015, Grupo Residente da Academia Brasileira de Música. Há, ainda, no currículo do grupo, um CD lançado em 2015 intitulado “Música Carioca de Concerto – Quintetos de Sopros”, que reúne obras de compositores do circuito erudito da cidade, como Ricardo Tacuchian, Thiago Sias, Rudi Garrido, Azael Neto, Rodrigo Marconi e Sergio Roberto de Oliveira, que também assinou a produção do disco, além da participação nos mais importantes e diversos eventos do cenário da música erudita, como: II e III Festivais Brasil-Alemanha da UFRJ, UNIRIO e Escola Superior de Música de Karlsruhe (Alemanha), Série Talentos UFRJ, Homenagem ao compositor Raphael Batista, 48º Festival Villa-Lobos, Seminário “A atualidade da obra de Auguste- Maria Glaziou”, I e II Festival Internacional de Instrumentos de Sopro da série “Música no Museu”, Congressos do Instituto Nacional de Tecnologia. Desde 2011, o quinteto realizou concertos em importantes salas e espaços culturais, como a Sala de Música de Câmara da Cidade das Artes, Sala Guiomar Novaes, Teatro Municipal de Niterói, Sala Baden Powell, Salão Leopoldo Miguez, Museu Nacional da Quinta da Boa Vista, Museu Villa-Lobos, Sala Villa-Lobos da UNIRIO. O leque de apresentações do QLF também inclui locais pouco comuns, como a Estação das Barcas em Niterói e os jardins do Museu da República, no bairro do Catete, Zona Sul do Rio, atingindo assim os mais diversos públicos.   PROGRAMA Jocosa - Maria di Cavalcanti Quinteto - Ricardo Tacuchian (homenagem pelos 80 anos) Variações - Acácio Piedade Variações sobre "Coração Santo" - Roberto Macedo Suíte para Quinteto de Sopros - Oscar Lorenzo Fernandez   [+] saiba mais PianOrquestra | Timeline 12/07 e 13/07 Música O PianOrquestra se destaca pela originalidade e qualidade com um trabalho que envolve quatro pianistas, uma percussionista e um piano preparado. Com luvas, baquetas, palhetas de violão, fios de náilon, sandálias de borracha, peças de metal, madeira, tecido e plástico, o PianOrquestra explora as infinitas possibilidades de timbres e sonoridades produzidos pelo piano, transformando o instrumento em sua própria orquestra. Considerado um dos “10 melhores concertos do ano” pelo Jornal O Globo; em 2016, recebeu a maior pontuação das 3 Américas para participar do showcase Classical Next, na Holanda. Vem realizando temporadas com casa esgotada nas principais capitais do Brasil e do mundo. Com o novo espetáculo intitulado “Timeline”, o PianOrquestra traz para o palco um espetáculo que transcende o tempo. Tira-nos do aqui e agora e leva-nos à uma incrível viagem pelo tempo através da música. O grupo aborda o “Tempo” de maneira lúdica, explorando um conceito do tempo fluido ao redor da força gravitacional do piano, utilizando tecnologia e multilinguagens, integradas à performance de alta virtuosidade. Ondas e linhas são representadas através de projeções, de elásticos e fios trançados que fazem a conexão entre o piano e os músicos, transportando o público em uma viagem temporal cheia de surpresas artísticas e musicais entre as obras de compositores brasileiros como Pixinguinha, Claudio Santoro, Milton Nascimento, Toninho Horta, Villa-Lobos, passando por Arvo Pärt, chegando a cena pop contemporânea mundial com Beatles e Michael Jackson. Realização: Gaia Produções Artística e Culturais. Patrocínio Cultural: Furnas S/A. [+] saiba mais Festa Julina do Retiro dos Artistas 05/07 a 07/07 Festival FESTA JULINA DO RETIRO DOS ARTISTAS 2019   A Cidade das Artes se prepara para receber, pela primeira vez, a tradicional Festa Julina do Retiro Dos Artistas. Serão três dias especiais, com a participação de grandes nomes da nossa música popular brasileira. A festa é a maior fonte de renda da instituição, e o lucro obtido ajuda nos custos de manutenção por pelo menos quatro meses, uma vez que o Retiro vive apenas de doações.   O evento acontece nos dias 05, 06 e 07 de julho, das 16h à 2h. Valor do Ingresso: R$ 40 (inteira) R$ 20 (meia)   OBS: Compre seu ingresso no valor de meia-entrada levando um litro de leite ou apresentando o seu RIOCARD no dia do evento. Crianças com até 06 anos não pagam. Os ingressos já estão à venda no site www.pdvdigital.com.br e na bilheteria do Retiro dos Artistas (Rua Retiro dos Artistas, 571 / Tel.: 3327-4591 / 2516-8383)     História do Retiro dos Artistas   Oficialmente fundado em 13 de agosto de 1918, no teatro Trianon, por 68 profissionais, o grupo se reuniu pela primeira vez, para eleger a sua diretoria, em 19 de agosto de 1918, com a presença de 133 artistas, no velho Cine Teatro Pathé.   Como homenagem ao ator João Caetano, a data oficial da fundação passou a ser dia 24 de agosto de 1918. E, a partir daí, sua data de aniversário de morte passou a ser comemorada como DIA DO ARTISTA.   Com o passar do tempo e devido a alguns acontecimentos, a Casa dos Artistas se resumiu ao trabalho assistencial do Retiro. Vivendo de doações e campanhas, a "nova instituição" tratou de investir na qualidade de atendimento, visto que, o número de profissionais da área artística aumentava cada vez mais.   Nesses 100 anos de existência a CASA DOS ARTISTAS escreveu uma rica história artística, social e assistencial, tendo permanecido até os dias de hoje como uma instituição de caráter único em nosso país.   Hoje, abrigamos 52 artistas idosos de todas as áreas: cinema, teatro, TV, músicos, jornalistas e técnicos em geral. A todos são oferecidos: assistência médica, medicamentos, cinco refeições por dia, fisioterapia, psicólogo, massoterapia, projetos sociais com desenvolvimentos de trabalhos manuais e cognitivos, horta terapia, yoga, programação em teatro e cinema, e o principal: DIGNIDADE E AMOR.   [+] saiba mais Junta Local 29/06 a 30/06 Feira JUNTA LOCAL   A Junta Local está de volta à Barra da Tijuca para promover o seu primeiro Festival de Inverno, trazendo uma curadoria especial voltada para a estação, com muito queijo, vinho, chocolate, café, e também música. Como todas as feiras da Junta Local, há uma enorme variedade de produtos, tanto para se fazer a feira, como para se beber e beber na hora, sempre com muita troca e relação direta com os pequenos produtores que fazem parte do coletivo.   O lado musical do festival trará artistas com uma proposta musical intimista, mas calorosa, e terá curadoria do coletivo de DJs residentes: o Juntos com Certeza e o Leão Etíope do Méier.   A feira acontecerá nos dias 29 e 30 de junho, das 12h às 20h, com mais de 50 barracas ocupando a praça da Cidade das Artes.   Convidamos a todos a trazerem suas toalhas e cestas de piquenique (e quem sabe cobertores) para se esparramar pelo evento e pelo extenso gramado.   As feiras da Junta Local são uma oportunidade única para comer bem e conhecer os produtores que fazem parte da plataforma de aproximação e mudança do sistema alimentar proposta pelo projeto, originado em agosto de 2014 em Botafogo.   PROGRAMAÇÃO MUSICAL: A música é ingrediente essencial na Junta Local. Nossas ocupações urbanas se dão com comida, mas também com harmonia e ritmo. A receita para aproximar as pessoas da música boa é parecida com a da comida: união, colaboração, energia boa e diversidade. Além do Juntos com Certeza, nossas feiras já foram palco para muitos outros DJs e artistas da cidade. No I Festival de Inverno da Junta Local, na Cidade das Artes, nossa proposta ganha corpo, nosso som se amplifica e compartilha as atenções com a comida. Com apoio de Pedro Rajão do Leão Etíope do Méier, preparamos um baita line-up musical para ajudar a aquecer ainda mais a nossa feira. Tem música clássica, jazz, forró, carimbó, samba, soul e muito mais, para apreciar e balançar. Para manter nossa proposta de independência, os artistas convidados pela Junta Local contarão com a contribuição do público via uma vaquinha online: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/608115   LINE-UP: Sábado 13h - No Batuque dos Ajuntados: roda de músicos comandada pelo percussionista João Hermeto e convidados Gabriel Improta (violão) e Almir Cortez (bandolim). 15h30 - TranseAmazonico 17h30 - Cordel Negro Domingo 13h - Camerata Laranjeiras 15h30 - Jonathan Ferr Project Participação Lóssio 17h30 - Folakemi Duo   PROGRAMAÇÃO GASTRONÔMICA A Junta Local promoverá no sábado um bate-papo sobre a produção artesanal de chocolates, e no domingo sobre vinho nacional, com a presença de produtores e especialistas. Os encontros acontecerão no palco principal, às 14h.   ENTRADA LIVRE E GRATUITA. ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO SÃO BEM-VINDOS. [+] saiba mais Concertos de Inverno edição #camarapop | Paulinho Moska 26/06 Música Orquestra Petrobras Sinfônica convida Paulinho Moska para a série ‘Concertos de Inverno’   Em parceria com a JBFM, apresentação acontece na Cidade das Artes   Buscando sempre inovar e atrair diferentes públicos para as salas de concerto, a Orquestra Petrobras Sinfônica, em parceria com a JB FM, recebe em junho, pela série ‘Concertos de Inverno’, o cantor e compositor carioca Paulinho Moska. A apresentação acontece no dia 26/06, às 20:30h, no Teatro de Câmara da Cidade das Artes.   No encontro inédito, o artista e o grupo de câmara da OPES, formado por 10 músicos, interpretarão sucessos como “O último dia”, “A seta e o alvo”, “Pensando em você” e “Tudo novo de novo”, todos temas em novelas e séries de TV. Também integram o programa músicas que fazem parte da trajetória do cantor, como “Um móbile no furacão”, “Admito que perdi” e “A idade do céu”. Moska possui 17 álbuns, sendo dez de estúdio, três ao vivo, uma coletânea e três do programa Zoombibo (apresentado por ele no Canal Brasil).   A série ‘Concertos de Inverno’ encerra no dia 24/07, com uma apresentação com a participação de Daniel Boaventura.   Sobre a Orquestra Petrobras Sinfônica Aos 47 anos, a Orquestra Petrobras Sinfônica se consolida como uma das mais conceituadas do país e ocupa lugar de prestígio entre os maiores conjuntos musicais da América Latina. Criada pelo maestro Armando Prazeres, a orquestra é formada por mais de 80 instrumentistas e tem como diretor artístico e regente titular o maestro Isaac Karabtchevsky, nome mais respeitado no Brasil e consagrado internacionalmente.   Modelo de gestão: A Associação Orquestra Pró Música do Rio de Janeiro, entidade que administra o conjunto, apresenta uma proposta administrativa inovadora, sendo a única orquestra do país gerida por seus próprios músicos.      Sobre a PETROBRAS: A Petrobras completa 33 anos de patrocínio da Orquestra Petrobras Sinfônica em 2018. Através do Petrobras Cultural, a companhia busca contribuir para o fortalecimento das oportunidades de criação, produção, difusão e fruição da cultura brasileira, para a ampliação do acesso dos cidadãos aos bens culturais e formação de novas plateias. A parceria é essencial para manter a Orquestra Petrobras Sinfônica entre os principais conjuntos da América Latina, sempre desenvolvendo um importante trabalho de democratização da música clássica e de renovação do público do gênero.     Informações para a imprensa MNiemeyer Assessoria de Comunicação http://www.mniemeyer.com.br Marina Avellar – marina@mniemyer.com.br (21) 2178-2599 / (21) 98229-8542 Andrea Pessôa - andrea@mniemeyer.com.br (21) 2178-2112/ 99155-1222 [+] saiba mais Rio H2K 2019 | Festival Internacional de Dança 20/06 a 23/06 Dança Rio H2K 2019 FESTIVAL INTERNACIONAL DE DANÇA   Entre 20 e 23 de junho, o Rio H2K ocupa a Cidade das Artes com programação para todos os públicos e idades: workshops, competições, batalhas de danças, festa e feira gastronômica.   Em sua 9ª edição, evento traz coreógrafos brasileiros e internacionais de cinco países: Estados Unidos, França, Itália, Portugal e República Checa.   Entre 20 e 23 de junho, o Rio de Janeiro é palco do Rio H2K — Festival Internacional de Dança, que há nove edições consecutivas promove as danças urbanas e suas múltiplas vertentes de forma ampla e acessível. Mais de 400 mil pessoas já passaram pelo evento em quase uma década. Durante quatro dias, o festival vai levar para a Cidade das Artes workshops, batalhas de danças, festas, feira gastronômica e até um acampamento. O Rio H2k tem direção de produção de Miguel Colker e direção artística de Bruno Bastos.   Nesta nona edição, o Rio H2K traz 16 coreógrafos nacionais e internacionais de cinco países (Estados Unidos, França, Itália, Portugal e República Checa) para ministrarem workshops para todos os públicos. São profissionais que já trabalharam com estrelas como Justin Timberlake, Rihanna, Anitta, Nicki Minaj, Pabllo Vitar, Black Eyed Peas, Beyoncé, Deborah Colker, Ciara, Jennifer Lopez, Selena Gomez, Karol Conka, Britney Spears e Alicia Keys. Entre os convidados internacionais inéditos no Brasil, destaque para os coreógrafos Dafne Bianchi (Itália), Diana Matos (Portugal), Hollywood (Estados Unidos), Sonia Soulshine (França) e Tony Tzar (Estados Unidos).   Na programação também estão as apresentações do Showcase, uma mostra não competitiva com 20 grupos de dança do Brasil e de outros países, e o Rio H2K Battles – uma vibrante batalha entre 200 participantes. Este ano, o formato da competição mudou: dançarinos das mais diversas modalidades (hip-hop freestyle, house, popping, locking, breaking, passinho, dancehall, jazz funk, vogue, entre outros) vão participar em uma só categoria. Os artistas serão avaliados por cinco jurados: Meech Onomo (França), Jaja Vankova (República Tcheca), André Rockmaster (Brasil), Dafne Bianchi (Itália) e JP Black (Brasil). O grande vencedor receberá um prêmio de R$ 2.500 e o segundo melhor colocado levará R$ 500.   “A ideia é proporcionar uma batalha livre de rótulos em que os dançarinos desafiem a si mesmos e seus oponentes por meio da criatividade, musicalidade e variaedade de ritmos e de estilos”, explica Bruno Bastos, idealizador e diretor artístico do Rio H2k.   Para quem quiser ter a experiência de viver os quatro dias dentro do festival e acampar nos jardins da Cidade das Artes, o Kemp é uma oportunidade única. Há espaço para 165 barracas individuais e também é possível optar entre usar a barraca do festival ou levar a sua própria. O sistema de hospedagem dentro do evento está disponível com a compra do ingresso “passaporte + Kemp”, que inclui também vestiários com chuveiros, área de convivência (com pontos de energia), água potável e posto médico.     SOBRE O RIO H2K   Desde a sua primeira edição, em 2011, o Rio H2K já recebeu 56 espetáculos, 196 coreógrafos, 997 workshops e um público aproximado de 415 mil pessoas. A essência do festival é a dança urbana e os seus diferentes gêneros, que vão desde os estilos originais que surgiram nos Estados Unidos, entre as décadas de 1960 e 1980 (breaking, hip-hop, dance house, locking e popping) até as criações mais recentes (dancehall, krumping, stiletto e videodancing). Em 2014, o festival incorporou com sucesso aulas de sapateado e batalhas de passinho. Três anos depois, em 2017, o evento trouxe oficinas de afromix, coco de roda, jongo, samba e zouk. Site oficial: www.rioh2k.com.br     OS COREÓGRAFOS     André Oliveira – passinho (Brasil) Com apenas 19 anos, ele é dançarino, professor, coreógrafo e pesquisador de movimentos. Integrante da companhia de Dança Passinho Carioca e coreógrafo da Cia. Afro Black, André é uma referência no mundo do passinho. Nas batalhas, acumula vários títulos, entre eles bicampeão de passinho do Rio H2K Battles.     André Rockmaster – coaching/preparação física (Brasil) Formado em Educação Física e pós-graduado em Fisiologia do Exercício, ele é um dos precursores das danças urbanas no Brasil. Em 1999, já ministrava workshops de locking, popping e breaking em todo o país. Rockmaster é coreógrafo, coach e jurado em competições de dança e já trabalhou com Luciana Mello, Bboy Neguin, Sheilla Mello, Fat Family, Alexandre Pires, além do Cirque du Soleil. Em TV, participou dos programas Domingão do Faustão e TV Xuxa, da Rede Globo, e Vai Dançar, do Multishow.     Cat Cogliandro – contemporary fusion (Estados Unidos) Citada pela revista americana Dance Spirit como uma das 13 melhores jovens coreógrafas da atualidade, a texana participou dos programas de TV So You Think You Can Dance e America's Got Talent. Cat é professora de dança na badalada Movement Lifestyle e comanda a sua própria companhia de dança, a Catastrophe!     Dafne Bianchi – dancehall (Itália) – Primeira vez no Brasil Italiana residente em Paris, ela se formou em dança de salão com o coreógrafo Camron One-Shot e, em seguida, aprimorou os estilos fundamentais do hip-hop na Juste Debout School.  Em 2016, Dafne foi jurada na categoria de dança de salão do Juste Debout, maior evento mundial das urbanas. Trabalhou com a atriz e dançarina Parris Goebel e com a banda de electro-pop Hyphen Hyphen, além de ter participado do musical Os três mosqueteiros. Juntamente com seu marido, Bianchi criou uma peça para o Teatro Nacional Chinês de Kunming. Atualmente, faz parte do grupo Scandalize.       Diana Matos – hip-hop (Portugal) – Primeira vez no Brasil Há oito anos, a vida desta bailarina portuguesa mudou. Viajou de Lisboa para Londres para tentar a vida e, desde então, já trabalhou com Beyoncé, Jessie J., Nicki Minaj, Missy Eliot e Pharrell, entre outros. Atualmente integra o grupo de dançarinos da tour mundial The Man of the Woods, em que dança lado a lado com Justin Timberlake. É considerada a melhor dançarina portuguesa da atualidade.     Filipi Ursão – hip-hop (Brasil) Apresentador oficial do Rio H2K, ele foi coreógrafo da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016 e do Palco Street Dance do Rock in Rio. Já deu aulas em diversas cidades como Los Angeles, Paris e Amsterdã. Participou de projetos como Rio Eu Te Amo e como jurado e dançarino na TV Xuxa.      Gabriel Braga – contemporary fusion (Brasil) Conhecido por ter um estilo único de dança ao misturar hip-hop com contemporâneo, Gabriel Braga é coreógrafo e diretor do Project H[u]mans. Participou de festivais de peso no mundo do hip-hop com as companhias de dança JS Company e Le Cousa Contemporânea.     Hollywood – hip-hop (Estados Unidos) – Primeira vez no Brasil Nascido em Porto Rico e criado em Nova York, o coreógrafo e dançarino Hollywood dança desde os cinco anos de idade. Ele recebeu uma bolsa de estudos na Broadway Dance Center, em Nova York. Quando a bolsa acabou, Hollywood sabia que precisava continuar seus estudos, mas não podia pagar as aulas. Então, ele se inscreveu no programa de trabalho da BDC, que permitia que os dançarinos administrassem e limpassem as instalações em troca de aulas. Sua carreira profissional alavancou quando ele se tornou o coreógrafo da estrela do hip-hop Lil Mama. De lá pra cá, já trabalhou com Jennifer Lopez, Chris Brown, Ciara, Diddy, Rihanna, Nicki Minaj, Beyoncé, entre muitas outras celebridades.     JC Seven – hip-hop (Brasil) A vida do paulista Jean Carlos, mais conhecido por JC, mudou ano passado durante a oitava edição do Rio H2K. Por ter se destacado no workshop da coreógrafa Ysabelle Capitule, o jovem de 20 anos foi o ganhador de uma bolsa de estudos no FairPlay Dance Camp, na Polônia, e teve a oportunidade de dançar com renomados profissionais do mundo todo. Agora, ele vai dividir essa experiência com o público do Rio H2K. JC inicou seus estudos em danças urbanas há 12 anos. Atualmente é professor do Westside Dance Studio, em São Paulo, faz parte do grupo de coreográfos do artista Kafé e também trabalha com a cantora Lia Clark. Já atuou como dançarino de artistas como Manu Gavassi, Dj Yuri Martins e Banda uó. Fez parte do Grupo Anonymous Crew durante quatro anos e hoje é fundador e integrante da companhia Westside.     JP Black – locking e popping (Brasil) Dançarino, professor e coreógrafo do grupo Funkeados, JP Black é uma referência em locking na América do Sul. Em 2017, ficou em segundo lugar na batalha do estilo no Juste Debout, considerado um dos maiores festivais de danças urbanas do mundo, realizado anualmente na França. Foi tetracampeão da batalha de locking do Rio H2k e, em 2016, foi convidado para fazer parte da banca de jurados. No Chile, foi campeãpo da batalha de locking do festival Street Dance Machine, em Santiago. Na Argentina, foi jurado da batalha da modalidade e professor no festival Hit Tha Beat, em Mendoza. É professor de diversos projetos sociais de dança, entre eles o promovido pelo Rio H2K no Viaduto de Madureira.     Jaja Vankova – krumping e robotting (República Checa) Dançarina do I.aM.mE Crew, grupo campeão da sexta temporada do MTV's Americas Best Dance Crew, ela também participou do Paramount's League of Extraordinary Dancers, mais conhecido como The LXD, e do filme Step Up 5 interpretando a Robot Girl. Vankova venceu diversas competições de dança urbana e batalhas, além de ter participado de campanhas para marcas como Nike, Puma, Vlado, Scoodie e Aqua. Ela também coreografou e estrelou vídeos para artistas como Skrillex, Nick Cannon e Far East Movement.     Juan Chi – vogue femme (Brasil) Referência nacional nas vertentes de danças urbanas, balé clássico, jazz e contemporâneo, Juan Chi venceu o Prêmio Açorianos de Dança com seu trabalho de difusão do vogue e na cena queer de Porto Alegre. Já trabalhou com artistas como Bob the Draq Queen, Karol Conka, Mateus Carrilho, Tainá Costa, Lorena Simpson e Pabllo Vittar. Leciona aulas regulares de danças urbanas nas escolas Dept Cult e Infocus Studio de Dança, em São Paulo. Criou o coletivo de arte YRENES, no qual é integrante e performer, além da House of Zion, onde desenvolve seu trabalho com o Voguing.     Meech Onomo – hip-hop e house (França) Michel Onomo, conhecido como Meech, trilhou desde cedo seu caminho na dança, mais especificamente no hip-hop. Ele se especializou em hip-hop e em house dance, tornando-se um especialista no cenário mundial, vencedor de quatro edições do Juste Debout. Desde 2007, vem desenvolvendo seus próprios projetos como coreógrafo. Seus solos foram apresentados na Biennale de la Danse de Lyon, seguido de turnês nos Estados Unidos e Japão.     Pedro Reis – jazz funk e heels (Brasil) Bailarino, coreógrafo e professor, Pedro Reis trabalha atualmente com o coreógrafo francês Yanis Marshall, conhecido por dançar sobre saltos altos vertiginosos. Além de ter estudado danças urbanas, Pedro dedicou-se também ao balé clássico, jazz dance e contemporâneo. Fez parte do grupo Westside Full, integra o balé do cantor Rodrigo Teaser com o show Tributo ao Rei do Pop (Michael Jackson) e também faz parte do balé do cantor Mateus Carrilho. Participou de clipes de Rafael VIdalles, Daniel Salve, Kefera, ZEK, Marihanna, Aretuza Lovi, Mateus Carrilho e Johnny Hooker. Coreografou o clipe “Mulher Gato”, da cantora Wanessa Camargo, e o evento Miss São Paulo, no qual também foi bailarino. Ano passado, fez parte do balé da cantora/drag Trixie Mattel (RuPaul Drag Race) no The Globe Theatre em Los Angeles.     Sonia Soulshine - Waacking (França) – Primeira vez no Brasil Dançarina, coreógrafa e professora francesa, Sonia começou a dançar hip-hop em 1998.  Integrou várias companhias profissionais de dança na Europa e também coletivos como "llicit Dance", "Alpha Division", "Art of Urban Dance" (Niels "Storm" Robistsky) e "Interpretationzz" (John Agelisas). Depois de dançar com esses grupos predominantemente masculinos, ela começou a dançar Waacking. Imbuída de uma forte técnica do Funkstyle, Sonia pratica Waacking há mais de 20 anos, com muita elegância e feminilidade.     Tony Tzar – hip-hop (Estados Unidos) – Primeira vez no Brasil O talento de Tony Tzar para a dança vem de berço. Sua mãe, apesar de militar das forças aéreas, era breakdancer, e o influenciou bastante. Ainda jovem, modou-se de Washington para Los Angeles com apenas 600 dólares e uma mala de roupas. Ao chegar, ele não tinha onde ficar e morou na rua por um mês. Tony já trabalhou com Britney Spears, Jason Derulo, Alicia Keys, Jessi Malay e Iyaz. E já viajou a trabalho para países como Polônia, Ítália, Reino Unido, África do Sul, Coreia, Taiwan, Japão, Austrália, Nova Zelândia, Singapura, Eslovênia, Suécia, Ucrânia, Suíça, México, Guame e Rússia.     PROGRAMAÇÃO DIÁRIA   20/06 (Quinta) Praça 14h - Pedro Reis 15h45 - Meech Onomo 17h30 - Jaja Vankova 19h15 - Cat Cogliandro Palco Start 14h15 - Sonia Soulshine 16h - Filipi Ursão 17h45 - Dafne Bianchi 19h30 - JP Black     21/06 (Sexta)   Praça 11h - Meech Onomo 12h45 - Filipi Ursão 14h15 - Hollywood 16h15 - Diana Matos Palco Start 11h - André Oliveira DB 12h45 - Pedro Reis 14h15 - Jaja Vankova 16h15 - Sonia Soulshine Praça 19h - Apresentação de grupos no Showcase     22/06 (Sábado)   Praça 10h - JP Black 11h45 - Dafne Bianchi 13h30 - Meech Onomo 15h15 - Tony Tzar 17h - Diana Matos 18h45 - Hollywood 23h - Festa       Palco Start 10h - André Rockmaster 13h30 - JC Seven 15h15 - André Oliveira DB 17h - Juan Chi 18h45 - Cat Cogliandro Sala dança 10h - SoulSync com Cat Cogliandro, Gabriel Braga e Pedro Reis Sala Eletroacústica 16h30 – 17h30 - Credenciamento Sala Eletroacústica 18h - Seletiva Rio H2K Battles     23/06 (Domingo)   Praça 10h - Dafne Bianchi 11h30 - Jaja Vankova 13h - Meech Onomo 18h15 - Tony Tzar + Bolsa Fair Play Palco Start 10h - Juan Chi 11h45 - JC Seven 13h30 - Pedro Reis  Sala Dança 10h - Hollywood 11h30 - Tony Tzar 13h - Diana Matos Teatro Câmara 16h30 – Final Rio H2K Battles       Assessoria de imprensa RioH2K 2019 Paula Catunda (paula.catunda@gmail.com) | (21) 98795-6583 Catharina Rocha (catharocha@gmail.com) | (21) 99205-8856 [+] saiba mais Academia Juvenil da OPES e Orquestra Sinfônica Aprendiz 16/06 Música A Orquestra Sinfônica Aprendiz e a Academia Juvenil da Orquestra Petrobras Sinfônica tocam juntas na Cidade das Artes   Parceria inédita leva 70 jovens para o palco do complexo cultural Cidade das Artes   Em uma parceria inédita, a Orquestra Sinfônica Aprendiz (OSA) e a Academia Juvenil da Orquestra Petrobras Sinfônica (AJOPES) tocam juntas pela primeira vez na Cidade das Artes, dia 16 de junho, domingo, às 11h, com entrada gratuita. A regência é de Felipe Prazeres, um dos mais conceituados músicos de sua geração. A simbiose entre esses dois projetos socioculturais já acontecia de forma natural e complementar. Tanto a OSA quanto a AJOPES desenvolvem trabalhos sólidos de educação musical e prática orquestral com adolescentes de Niterói e do Rio de Janeiro, respectivamente, e há alguns anos perceberam o intercâmbio orgânico de alunos nas duas formações. No entanto, ainda não tinha sido feita uma parceria formal entre as organizações, que viram nesta parceria uma oportunidade de integrar duas potências vizinhas e análogas. Segundo Daniel Oliveira, coordenador de cordas do Programa Aprendiz, realizar concertos em parceria com a Academia Juvenil da OPES é uma forma de acrescentar conhecimentos e trocar experiências, contribuindo positivamente para o desenvolvimento dos alunos e das equipes de trabalho. A OPES (Orquestra Petrobras Sinfônica) é uma instituição importante e fundamental para história da música clássica no Brasil e é o único conjunto sinfônico nacional gerido pelos próprios músicos, fator que define sua proposta administrativa e também seu jeito de fazer música. Ela opera em sintonia com o trabalho de orquestras como a Filarmônica de Viena, além de desenvolver, através de suas 80 apresentações anuais, projetos que contemplam o cânone do repertório clássico ao mesmo tempo em que exploram novas conexões e territórios artísticos. Pelo sétimo ano a OPES investe na formação de novas gerações de músicos por meio de atividades da Academia Juvenil. O projeto oferece a jovens entre 14 e 20 anos a oportunidade de integrar um programa continuado de aperfeiçoamento técnico, teórico e artístico, respondendo a uma lacuna no processo de sensibilização e capacitação de novos músicos. A AJOPES reúne cerca de 30 jovens músicos a cada ano, oriundos de outros projetos sociais tais como o Aprendiz. A orientação musical e regência é de Felipe Prazeres, que de 2013 a 2017 foi maestro assistente de Isaac Karabtchevsky, é diretor artístico e cofundador da orquestra Johann Sebastian Rio (principal orquestra de câmara do Rio de Janeiro), que atua ainda como spalla da Orquestra Sinfônica da UFRJ, onde também rege concertos desde 2009. Trata-se, portanto, de um grupo referência para a juventude instrumentista do país. Esse reconhecimento também é compartilhado por alunos e profissionais da Orquestra Sinfônica Aprendiz (OSA), que veem na OPES e na sua Academia Juvenil uma formação complementar àquela proporcionada pelo Programa Aprendiz. Neste, que é um dos principais programas públicos de transformação social por meio da música, as atividades começam dentro das escolas municipais com iniciação musical para crianças de 3º ano, e a OSA é o último estágio, sendo a principal formação orquestral. O conjunto que conta com cerca de 40 jovens é regido pelo maestro Evandro Rodriguese e seu currículo inclui a passagem por espaços importantes como os Teatros Municipais do Rio de Janeiro e de Niterói, Teatro João Caetano (Rio), Teatro Popular (Niterói) e Palácio de Cristal (Petrópolis), só pra citar alguns. Compartilhar um concerto, pensar um repertório em conjunto, tocar sob regência de um novo maestro é, sem dúvidas, uma experiência nova e única para todos os envolvidos. Essa parceria, portanto, estreia a reunião de orquestras jovens que têm muito em comum, somando 70 jovens instrumentistas no palco da Cidade das Artes. CONHEÇA OS PROJETOS: Criada em 2007, a Orquestra Sinfônica Aprendiz (OSA) é a principal formação orquestral do “Programa Aprendiz - Música na Escola”, mantido pela Prefeitura de Niterói, e funciona como plataforma de inserção do jovem nas universidades e no mercado profissional da música. Composta por 40 jovens instrumentistas - com idades entre 13 e 22 anos - e sob a regência do maestro Evandro Rodriguese, hoje, há vários integrantes e ex-integrantes da OSA que iniciaram suas carreiras em orquestras profissionais e/ou seguiram formação no magistério. A orquestra é uma oportunidade para que alunos egressos das escolas municipais possam dar continuidade aos estudos musicais, aprofundando seu aprendizado. Assim, os jovens aprimoram suas habilidades técnicas e artísticas, e podem vivenciar a experiência orquestral com ensaios e apresentações públicas. Criada em 2012, a Academia Juvenil da Orquestra Petrobras Sinfônica é projeto educativo da OPES onde reúne alunos de escolas de música e orquestras comunitárias, desenvolvendo um trabalho de orientação musical com cerca de 30 jovens músicos a cada ano, oriundos de projetos sociais. Durante dois anos, eles têm aulas gratuitas e individuais de instrumentos com os músicos especialistas da Petrobras Sinfônica, além da prática de conjunto e disciplinas teóricas. O projeto, que está indo para o seu sétimo ano, conta com o maestro Felipe Prazeres como Regente Titular. REPERTÓRIO: Schubert - Sinfonia Inacabada Brahms - Danças Húngaras n. 5 Straus - Radetzky march   [+] saiba mais BBQ & Beer Festival 15/06 Festival BBQ & Beer Festival anuncia novidades gastronômicas para 3ª edição em junho   Evento que se destacou em 2018 terá edição com novidades que prometem levar o público ao delírio, além de renovado time de chefs e assadores e atrações que incluem forja de facas ao vivo   BBQ & Beer Festival em sua 3ª edição Após levar mais de 5 mil pessoas para a Cidade das Artes em 2018, o BBQ & Beer Festival terá novidades para sua 3ª edição: o carro-chefe continua sendo as incríveis 10 horas de Open BBQ Premium, com mais de 30 estações de churrasco - além de duas opções de chope artesanal liberado em chopeiras self-service e Open Bar premium (vodka, whisky e gin).   Provando que o “premium” não fica só no nome, quatro estações são novidades que prometem deixar o público ansioso: Lula Recheada com farofa puttanesca - farofa com linguiça toscana, alicci, alcaparras, azeitona preta, purê de tomate, páprica, salsa, pimenta dedo de moça, alho, cebola e pimentões assados, servida com erva doce e maionese de sriracha (molho de pimenta originário da Tailândia), que será preparada pela chef Monique Gabiatti (Masterchef); o Sushi Moo - filé mignon recheado com queijo e cebola caramelizada, purê de wasabi e palha de batata, que será preparado pelo chef Gui Moraes; vermelha; o Texmex BBQ - lombo suíno preparado na parrilla, acompanhado com porção de mini-nachos e salsa mexicana. preparado por Bruno Bozaio (Cozinheiros em Ação); e o French Rack, parte nobre do cordeiro que será preparada pelo chef Roberto Ravioli (do quadro “Toque do Ravioli”, no programa Bem-Estar da Rede Globo).   Gabiatti e Ravioli inclusive serão duas das novidades no time de chefs e assadores, que terá grandes nomes do universo do churrasco como o mineiro Mário Portella (sensação no Instagram, que será responsável por assar um boi inteiro). Eles se juntam aos consagrados Jimmy Ogro (fundador da Ogrostronomia e Burgertopia), Jane Pereira, Larissa Morales (primeira youtuber de churrasco do Brasil com o canal Larica na Brasa), Rodrigo Barros (Masterchef) e Cadu Galuccio.   Bebidas também receberam “reforço de peso”   As torneiras self-service que fizeram sucesso na última edição, no dia 15 de junho estarão cheias com chope artesanal de duas marcas reconhecidas pelos cervejeiros: a Noi (com a Bionda, pilsen), vencedora de 4 medalhas no Concurso Brasileiro de Cervejas 2019, em Blumenau (SC); e a Overhop (com a Startup, lager), medalhista em edições passadas do Mondial de la Bièrre.   O Open Bar Premium, para quem não é adepto do lúpulo e da cevada, recebe a chegada do Rum Havana Club, unindo-se à Absolut Vodka, Beefeater Gin e Jameson Whiskey  para formar uma verdadeira seleção dos destilados, onde seis drinks já estão confirmados: Pink & Tonic , Pink & Orange Tonic (lançamentos Beefeater), B&T Original (Beefeater gin, limão siciliano, zimbro e tônica), B&T Allegro (Beefeater gin, twist de limão siciliano, alecrim e tônica), Jameson Tea Lime (Jameson Whiskey, chá de pêssego, gomo de limão taiti) e o Jameson Citrus (Jameson Whiskey, refrigerante citrus, alecrim), Cuba Libre e Mojito. E vem mais por aí!   Euforia na abertura da vendas reforça sucesso do modelo de festival   A programação não se restringe à gastronomia: o já tradicional workshop de cutelaria realizado pelo chef Rossano Mendonça + The Bife terá companhia da forja de facas ao vivo, realizada pela Vulcan Cutelaria, são duas das principais atividades para os amantes do churrasco. Para as crianças, Espaço Kids incluso no ingresso (menores de 12 anos não pagam, mas precisam ser acompanhados pelos pais ou responsáveis legais) com videogames, brinquedos infláveis, dentre outras distrações. Atrações musicais e outras atividades ainda serão divulgadas pela organização.   Os primeiros ingressos do lote promocional, no valor de R$200, esgotaram-se através do site do evento em menos de duas horas, demonstrando o sucesso do modelo de evento que atende a todos os públicos e traz a alta gastronomia para uma dupla tradição carioca - o churrasco com cerveja, mas sem perder a informalidade que o Rio tem em seu DNA.   Atualmente, os ingressos estão no 2º lote e é possível comprá-los no www.bbqbeerfestival.com.br/ingressos ou em um dos Pontos de Venda oficiais (veja mais abaixo a lista completa). Para o BBQ #3, além dos ingressos individuais (R$260 + taxas, preço do 2º lote), existem duas promoções em curso: os ingressos duplo e em grupo - que fizeram sucesso na última edição - também podem ser adquiridos pelo site. Ambos dão desconto no valor do ingresso para quem vai acompanhado (duplo - R$245 + taxas) ou para quem vai em grupos, de no mínimo 5 e máximo de 15 pessoas (grupo R$225 + taxas).   BBQ & BEER Festival #3 . Cidade das Artes – Av. das Américas, 5.300 – Barra da Tijuca . 15/06, das 12h às 22h . Menores de 18 anos só podem entrar acompanhado dos pais ou responsável legal . Estacionamento pago no local (750 vagas)   INGRESSOS . 2º lote à venda: Individual R$260 | Duplo: R$245 | Grupo: R$225 . Compre online: bbqbeerfestival.com.br/ingressos . Crianças até 12 anos não pagam   PONTOS DE VENDA . Apenas ingressos individuais . Valor: R$ 230 (sujeito à disponibilidade em cada local) . Sem cobrança de taxa de conveniência . Dinheiro, cartão de débito ou crédito (sem parcelamento) . Sugerimos entrar em contato com o estabelecimento antes de se dirigir ao local, já que os ingressos são limitados   Dona Clara Sandwichees & Beers Rua Alice, 59 - Laranjeiras De terça a domingo das 16h às 22h (21) 98997-9047   The Bife Av. Marechal Henrique Lott, 120, loja 112 - Barra da Tijuca / Parque das Rosas De terça à quinta das 10h às 22h | Sexta e sábado das 10h às 23h | Domingo de 10h às 18h (21) 3648-1006   Master Beef Boutique de Carnes Rua Capitão Félix, 110 - Benfica - (CADEG - Av. Central, loja 01 - próximo à escada rolante) Terça a sábado de 10h às 17h | Domingos e feriados de 11h às 16h (21) 3895-9873   Gallo Barbearia Rua Getúlio Vargas, 121, loja E - Nova Iguaçu (Centro - Edifício Metropolis) De segunda a sábado de 9h às 21h (21) 3540-0582 [+] saiba mais Rolé Rio | O encontro das tribos 11/06 Artes Visuais ROLÉ RIO - O ENCONTRO DAS TRIBOS    Exposição de carros, tatuagem, música e fotografia   Em sua terceira edição e tornando-se referência como um ponto de encontro alternativo para diferentes tribos, o “Rolé Rio” já é moda na cidade. Ao todo, foram 150 carros expostos no último encontro, além de estúdio de tatuagem, música ao vivo, stand de expositores e food trucks.   O evento terá uma exposição de carros, oficina de fotografia, música e gastronomia. O objetivo é criar um local de descontração com um toque de informalidade.   Sobre nossas tribos: Somos apaixonados por música, carros, tattoo e fotografia. Trazemos um público fiel e apaixonado por carros antigos e novos. Nos antigos e raros, buscamos a nostalgia e o cuidado com uma paixão. Nos novos, atuamos nos modificados, trazendo tecnologia e inovação.   Dia 11 de junho, terça-feira, de 17h às 23h.   A entrada é GRATUITA.   [+] saiba mais Festival Portugal 360 06/06 a 09/06 Festival Rio de Janeiro recebe segunda edição do Portugal 360 Turismo | Arte urbana I Negócio I Cultura I Gastronomia I Música I Estudar I Viver I Investir I Esporte I Literatura I Vinhos I Cinema I Grafittis I Compras I Luxo I Surf Acesse toda a programação e inscrições em: www.portugal360.com.br Portugal 360 | Festival Iminente | 07 e 08 junho Portugal 360 | Festival Fado Rio de Janeiro | António Zambujo | 8 de junho Portugal 360 | Festival Fado Rio de Janeiro | Carminho | 9 de junho   Após o sucesso do ano passado no Rio de Janeiro, a Cidade das Artes volta a receber entre 6 e 9 de junho, o Portugal 360, um dos maiores eventos de promoção do país mais ocidental da Europa. Durante quatro dias, quem visitar a Barra da Tijuca, vai viver uma experiência completa do país eleito melhor destino do mundo pelo World Travel Awards, pelo segundo ano consecutivo.   Como Portugal tem uma gastronomia tão rica e variada, este ano, a organização quer surpreender a todos com a criação de uma réplica dos mercados e das tascas portuguesas, onde vários chefs cozinharão ao lado de brasileiros para criar deliciosas cumbucas e petiscos. Na área da gastronomia, vamos ter ainda um espaço dedicado aos vinhos do país.   Outra novidade é a realização, pela primeira vez no Brasil, do Festival Iminente. Com curadoria de Alexandre Farto aka Vhils e da Galeria Underdogs, o evento reúne o que de melhor se faz ao nível da música e arte pública, estabelecendo a ligação entre os talentos da comunidade lusófona e apostando no fortalecimento de laços entre artistas portugueses e os seus congéneres brasileiros, bem como na sua projeção a nível mundial. Depois de Lisboa, Londres e Xangai, o festival que se realiza desde 2016 atravessa agora o Atlântico.   Nos dias 7 e 8 de junho desenrola-se na Cidade das Artes uma programação que abarca a músicas e as artes visuais, com a criação de peças por Add Fuel, Finok e ±MaisMenos±. Espaço ainda para um Workshop de Stencil com Add Fuel, a projecção do filme “Have you Seen the Listers? ” E um debate sobre “Narrativas de Luta nas Ruas e nas Redes” que junta os brasileiros Media Ninja e o português ±MaisMenos±. Na música, Shaka Lion convidou Carlos do Complexo e DKVPZ para o acompanharem na selecção musical. Hiran + Majur, DJ Nigga Fox, Allen Halloween e DJ Marfox completam um alinhamento de luxo.   Ainda na área de entretenimento, o evento traz nomes conhecidos ao público brasileiro, como Carminho e o Antonio Zambujo, que sobem ao palco da Cidade das Artes para representar o festival do Fado de 2019.   Este ano, a programação cultural do Portugal 360, surpreende pela diversidade artística. Pela primeira vez no Brasil, Júlio Resende, um dos mais internacionais pianistas portugueses se apresenta no Portugal 360. Unanimemente aclamado pela crítica nacional e internacional, Júlio Resende conta já com um vasto caminho que vai do jazz ao fado, do fado ao rock e faz neste novo disco – Cinderella Cyborg – uma aproximação ao universo da música eletrónica.   Na última edição, cerca de 18 mil pessoas visitaram a Cidade das Artes para conhecer um pouco de um país autêntico, genuíno e diversificado, que não para de surpreender quem escolhe para passear, viver ou investir.   Como uma programação gratuita, serão realizadas palestras, workshops, cursos e outras atividades em diversos âmbitos, como turismo, cultura, gastronomia, empreendedorismo, setor imobiliário, negócios, esporte, educação, investir, viver em Portugal, cidadania, informações consulares e lazer vão fazer parte dos quatro dias de evento.   Ainda serão apresentados novos destinos de viagens em Portugal, programas de ensino das universidades portuguesas e muito entretenimento para todos os públicos. [+] saiba mais Festival Fado Rio de Janeiro | Carminho 09/06 Música A maior mostra de Fado mundial está de volta ao Brasil com dois dos nomes mais proeminentes do gênero. Carminho e António Zambujo se apresentam no Rio de Janeiro nos próximos dias 08 e 09 do mês de junho.   Carminho considerada a grande voz do fado e uma das artistas portuguesas com maior projeção internacional vai apresentar o seu novo álbum “Maria”, um trabalho profundo e de grandes emoções no dia 09 de junho.   António Zambujo, vencedor de prêmios como melhor intérprete masculino de Fado, pela Fundação Amália Rodrigues e uma carreira de sucesso na música portuguesa se apresenta no dia 08 de junho.   Dedicado ao tema "Fado e outras Músicas", o Festival pretende mostrar a permanente interação do Fado com outros gêneros poético-musicais nacionais e internacionais. O Festival de Fado vai por isso mesmo dedicar essa edição a uma viagem por este percurso mágico de dois séculos de permanências e mudanças, feito de partilhas, trocas, cruzamentos e fascínios mútuos do Fado com as outras Músicas.   O grande acontecimento cultural no Brasil, a globalização do Fado, iniciou-se no ano de 2013, com uma bem-sucedida primeira edição nas cidades do Rio e São Paulo e regressa agora com a promoção de novos espetáculos, uma conferência, uma masterclass de guitarra portuguesa, filmes e uma exposição com o selo de qualidade do Museu de Fado de Lisboa. O Festival do Fado, que nasceu em 2011 em Madrid se apresenta este ano em 12 metrópoles da Europa, África e da América Latina.     CARMINHO   Carminho é a grande voz do fado e uma das artistas portuguesas com maior projeção internacional.   Carminho nasceu no meio das guitarras e das vozes do fado, filha da conceituada fadista Teresa Siqueira, começou a cantar publicamente aos doze anos, no Coliseu. O Fado esteve sempre tão presente que nunca pensou que pudesse ser a sua profissão. Durante a faculdade cantava em casas de Fado, foram várias as propostas para gravar mas decidiu esperar. Licenciou-se em Marketing e Publicidade e percebeu que cantar exigia uma maturidade e um mundo que ainda não tinha.  Durante um ano viajou pelo mundo, participou em missões humanitárias e regressou a Lisboa decidida a entregar-se por inteiro a um percurso artístico.    “Fado”, o seu primeiro disco, é editado em 2009, que se tornou num dos mais aclamados álbuns do ano e da década. Alcança a platina – resultado invejável para uma estreia - e vê "Fado" abrir os corações de Portugal à sua voz, e as portas do mundo ao seu talento: melhor álbum de 2011 para a revista britânica "Songlines", atuações nas principais capitais europeias, no Womex 2011 em Copenhague e na sede parisiense da UNESCO no âmbito da candidatura do Fado a património mundial.    No mesmo ano, colabora com Pablo Alborán em “Perdoname” e torna-se na primeira artista portuguesa a atingir o número 1 do top espanhol. Em 2012, o segundo álbum, “ALMA”, estreia-se no primeiro lugar de vendas em Portugal e alcança posições de destaque em vários tops internacionais. Depois de passar pelas principais salas da Europa e do Mundo, em países como Finlândia, Suécia, Peru, Chile, Argentina, Colombia, China, India, Letónia, EUA, Alemanha, Reino Unido, Coreia do Sul, Polónia, França, Austria, Dinamarca, entre tantos outros, atua também no Brasil e realiza o sonho de gravar com Milton Nascimento, Chico Buarque e Nana Caymmi que resulta numa reedição de “Alma” com três novos temas. Carminho começa assim a conquistar o Brasil, com concertos esgotados no Rio de Janeiro e um pouco por todo o país.    Em 2013, Carminho afirmou-se como uma das mais internacionais artistas portuguesas, levando a sua voz aos quatro cantos do mundo, ao mesmo tempo que é distinguida em Portugal com um Globo de Ouro e o Prêmio Carlos Paredes, vendo ambos os seus álbuns atingirem a marca da dupla platina.    No final de 2014 edita “Canto”, e a sua relação com o Brasil ganha raízes ainda mais profundas, com a primeira parceria de Caetano Veloso com o seu filho mais novo Tom que lhe oferecem o inédito “O Sol, Eu e Tu”. “Canto” inclui também o dueto com Marisa Monte e participações especiais de Jaques Morelenbaum, António Serrano, Carlinhos Brown, Javier Limón, Naná Vasconcelos, Dadi Carvalho, Jorge Hélder e Lula Galvão.   Em 2016, na sequência de um convite endereçado pela família de um dos maiores compositores do mundo, grava “Carminho canta Tom Jobim”, com a última banda que o acompanhou ao vivo nos seus últimos dez anos, partilhando temas com Marisa Monte, Chico Buarque e Maria Bethânia. “Carminho canta Tom Jobim” é já platina e com este disco Carminho é galardoada com o Globo de Ouro de melhor intérprete.    Depois do grande êxito conquistado com o álbum “Carminho Canta Jobim”, a cantora portuguesa, considerada uma das maiores intérpretes da história da nossa música, está de regresso com um novo disco de originais.   “Maria” é o título que Carminho escolheu para o seu novo álbum, o quinto da sua carreira e o mais pessoal de sempre. Um álbum que assina a produção e inclui várias canções de sua autoria. Um disco verdadeiramente emocionante. Um diálogo constante, sempre sintonizado no respeito por tudo aquilo que Carminho aprendeu diretamente das suas raízes do fado, respeitando a verdade das palavras e da linguagem tradicional, mas ao mesmo tempo com um olhar livre e contemporâneo sobre o mundo que a inspira, reinterpretando muito do que aprendeu com o fado desde pequena.    Todo o seu percurso tem revelado em Carminho uma artista de decisões firmes e ponderadas, que nunca se esquece das suas origens, que transporta em si uma linguagem de vários séculos, mas que se revela atual na sua geração, com os olhos postos no mundo e no futuro.    Valeu a pena a espera!   Carminho regressa a América do Sul em 2019 com o Festival de Fado passando por Santiago do Chile, Buenos Aires, Lima, Rio de Janeiro, São Paulo, Bogotá, Quito e Panamá.   [+] saiba mais Festival Fado Rio de Janeiro | António Zambujo 08/06 Música A maior mostra de Fado mundial está de volta ao Brasil com dois dos nomes mais proeminentes do gênero, Carminho e António Zambujo se apresentam no Rio de Janeiro nos próximos dias 08 e 09 do mês de junho.   Carminho considerada a grande voz do fado e uma das artistas portuguesas com maior projeção internacional vai apresentar o seu novo álbum “Maria”, um trabalho profundo e de grandes emoções no dia 09 de junho.   António Zambujo, vencedor de prêmios como melhor intérprete masculino de Fado, pela Fundação Amália Rodrigues e uma carreira de sucesso na música portuguesa se apresenta no dia 08 de junho.   Dedicado ao tema "Fado e outras Músicas", o Festival pretende mostrar a permanente interação do Fado com outros gêneros poético-musicais nacionais e internacionais. O Festival de Fado vai por isso mesmo dedicar está sua edição a uma viagem por este percurso mágico de dois séculos de permanências e mudanças, feito de partilhas, trocas, cruzamentos e fascínios mútuos do Fado com as outras músicas.   O grande acontecimento cultural no Brasil, a globalização do Fado, iniciou-se no ano de 2013, com uma bem-sucedida primeira edição nas cidades do Rio e São Paulo e regressa agora com a promoção de novos espetáculos, uma conferência, uma masterclass de guitarra portuguesa, filmes e uma exposição com o selo de qualidade do Museu de Fado de Lisboa. O Festival do Fado, que nasceu em 2011 em Madrid realiza-se este ano em 12 metrópoles da Europa, África e da América Latina.     ANTÓNIO ZAMBUJO   De Casablanca a Sevilha, passando por Santiago do Chile, Buenos Aires, Rio de Janeiro, São Paulo, Bogotá, Madrid e Barcelona, em 2019 a música de António Zambujo viaja além-fronteiras, no âmbito do Festival do Fado. Acompanhado por Bernardo Couto na guitarra portuguesa, Diogo Aléxis no contrabaixo e Filipe Melo ao piano, António Zambujo revisita fados tradicionais e outros temas do seu repertório, convidando o público a celebrar os novos arranjos propositadamente pensados para estas nove cidades. O resto é aquilo que já sabemos e que esta caminhada singular nos vem permitindo fixar: que António Zambujo nasceu em Beja, Alentejo, a 19 de Setembro de 1975. Que atravessou uma auspiciosa e sólida infância musical – começou a estudar clarinete com apenas oito anos – e uma adolescência muito activa nesta actividade que se tornaria o seu ofício, que acabou por fixar-se em Lisboa, onde dividiu o tempo pela experiência diária do fado e pela investida em musicais, garantindo de imediato os primeiros dados que haveriam de o fazer chegar ao lugar, tão difícil como desinteressante de “localizar” onde hoje se encontra. Estreou-se nos discos em 2002 e começou uma impressionante série de prémios e outras distinções, com natural destaque para a comenda da Ordem do Infante D. Henrique, que lhe é entregue pelo Presidente da República (em 2015). Vai-se evidenciando a sua tendência, natural e não estratégica, para não escolher uma “via única” (nem rápida) nas suas abordagens musicais: se regista em disco o convite a um grupo (Angelite) de Vozes Búlgaras, nunca disfarça uma pulsão pela música do Brasil. A sua voz leva mesmo a uma declaração enlevada de Caetano Veloso: “Quero ouvir mais, mais vezes, mais fundo (...) É de arrepiar e fazer chorar”. Com as edições internacionais dos seus álbuns, vai marcando pontos no riquíssimo e infinito universo da world music, um caminho em que se privilegia o direito à diferença, mas nunca se afasta verdadeiramente do planeta Portugal, em que – como vimos – não estabelece nem pratica distinções académicas de género. O carinho do público e o reconhecimento da crítica vão crescendo, sem pressas mas com a cadência desejada pelo próprio cantor, que se desdobra em concertos e festivais, em Portugal e um pouco por toda a parte, com destaque para o Brasil, mas em destinos tão aparentemente improváveis como a Dinamarca, a Noruega, o Azerbeijão, Israel ou a Bulgária. Esta internacionalização justifica outros sabores para a rica “ementa” de António Zambujo – e aí fica, como paradigma, a nomeação do disco “Até Pensei Que Fosse Minha” para o Grammy Latino, em 2017, na categoria de Melhor Disco... de MPB.   O cancioneiro multifacetado, estimulante, tão tranquilo na forma como inquieto no conteúdo, de António Zambujo ganha um novo capítulo que, insiste-se, não precisa de rasgar para inovar, seguindo à risca as pulsões de um intérprete e autor que, a cada etapa, se tem valorizado – talvez por não se deixar prender demasiado a raízes óbvias mas limitadoras do talento e da vontade, e procurar, ao invés, dar sempre frutos sumarentos e de travo inesperado. É o oitavo disco de estúdio que o artista publica [“Do Avesso” foi editado em Novembro de 2018] e, sabendo que o oito é o número da sorte para os chineses, fica claro que, neste particular, a “sorte grande” ganha contornos muito mais globais, porque nos toca a todos. Mais: numa época em que aprendemos a estimar e defender os nossos direitos, ganhamos outro objectivo – fazer finca-pé pelo nosso direito ao (Do)Avesso. [+] saiba mais