Fundação Cidade das Artes

Memoria

Memória

A Fundação Cidade das Artes é um espaço concebido para abrigar múltiplas atividades artísticas, como exposições, apresentações de dança, teatro e música. Este complexo cultural também é utilizado para palestras, oficinas, congressos, conversas com autores, lançamentos de livros e outras atividades de formação cultural e artística.

Os eventos que ocorrem neste espaço são filmados e fotografados para que todos os interessados possam ter acesso, através deste site, ao histórico de programação da Cidade das Artes e os programas das peças podem ser pesquisados na Sala de Leitura, local onde serão preservados todos os materiais impressos relacionados à programação.

Eventos Passados

Concertos de Inverno edição #camarapop | Vanessa da Mata 30/05 Música   Orquestra Petrobras Sinfônica lança a série ‘Concertos de Inverno’ em maio, na Cidade das Artes   Em parceria com a JB FM, a primeira apresentação do projeto contará com a cantora Vanessa da Mata   Buscando sempre inovar e atrair diferentes públicos para as salas de concerto, a Orquestra Petrobras Sinfônica, em parceria com a JB FM, lança em maio a série ‘Concertos de Inverno’. O projeto leva para o Teatro de Câmara da Cidade das Artes 3 apresentações, cada uma com um convidado diferente. A estreia acontece no dia 30/05, às 20h30, com participação de Vanessa da Mata.  Primeira convidada, Vanessa da Mata Cantora e compositora mato-grossense, Vanessa possui em sua discografia seis álbuns e um CD/DVD ao vivo. Entre os seus maiores sucessos, músicas que estão na ponta da língua do público, como "Não me deixe só", "Ainda bem", "Ai, ai, ai" e "As palavras". No concerto com o grupo de câmara da OPES, formado por 10 músicos, a artista vai interpretar essas e outras que fazem parte da sua trajetória, como “Amado” e “A força que nunca seca”.   Sobre a Orquestra Petrobras Sinfônica Aos 47 anos, a Orquestra Petrobras Sinfônica se consolida como uma das mais conceituadas do país e ocupa lugar de prestígio entre os maiores conjuntos musicais da América Latina. Criada pelo maestro Armando Prazeres, a orquestra é formada por mais de 80 instrumentistas e tem como diretor artístico e regente titular o maestro Isaac Karabtchevsky, nome mais respeitado no Brasil e consagrado internacionalmente.   Modelo de gestão: A Associação Orquestra Pró Música do Rio de Janeiro, entidade que administra o conjunto, apresenta uma proposta administrativa inovadora, sendo a única orquestra do país gerida por seus próprios músicos.      Sobre a PETROBRAS: A Petrobras completa 33 anos de patrocínio da Orquestra Petrobras Sinfônica em 2018. Através do Petrobras Cultural, a companhia busca contribuir para o fortalecimento das oportunidades de criação, produção, difusão e fruição da cultura brasileira, para a ampliação do acesso dos cidadãos aos bens culturais e formação de novas plateias. A parceria é essencial para manter a Orquestra Petrobras Sinfônica entre os principais conjuntos da América Latina, sempre desenvolvendo um importante trabalho de democratização da música clássica e de renovação do público do gênero.     Repertório   Não me deixe só Ai ai ai Amado As palavras A força q nunca seca Ainda bem         Informações para a imprensa MNiemeyer Assessoria de Comunicação http://www.mniemeyer.com.br Marina Avellar (21) 2178-2599 / (21) 98229-8542 marina@mniemyer.com.br Andrea Pessôa  (21) 2178-2112/ 99155-1222 andrea@mniemeyer.com.br     [+] saiba mais Encontro com Eduardo WOTZIK 40 anos investigando o Teatro | Wotzik in Cena 03/05 a 26/05 Festival PROGRAMAÇÃO    Missa Para Clarice – Um Espetáculo Sobre o Homem e Seu Deus  Local: Sala Eletroacústica | Data: 03 a 26 de maio Horário: sextas e sábados às 20h e domingos às 18h | Excepcionalmente Domingo, dia 26 às 17h Duração: 1h40  Valores: 60 (inteira)  |  30 (meia) Comprar Ingresso     Hannah Arendt – Uma Aula Magna (Work in Progress) Local: Teatro de Câmara Data: 24 e 25 de maio (sexta e sábado) Horário: 17h | Duração: 40 min Valores: 30 (inteira) / 15 (meia) Comprar Ingresso     GRATUITO Mim, Chita  Leitura dramatizada – apresentação ao público do texto inédito do próximo espetáculo de Wotzik Local: Teatro de Câmara Data: 26 de maio (domingo) Horário: 19h30 Gratuito     Leituras de peças teatrais | GRÁTIS   Investigando Lear Local: Sala de Leitura Data: 22 de maio (quarta-feira) Horário: 17h às 20h Gratuito     Encontros com Wotzik | Caosos Cênicos | GRÁTIS Grandes nomes da cena, atores, técnicos, assistentes, atrizes, produtores e dramaturgos de peças dirigidas por Eduardo Wotzik nessas quatro décadas participam de uma grande roda de conversa que vai contar um pouco da história do Teatro Brasileiro através de seus divertidos “causos” ocorridos nos palcos e nas coxias.Participantes: Priscila Rozembaun, José Dias, Ronaldo Gama e Carla Ribas Local: Sala de Leitura Dias: 09, 16 e 23 de maio (quintas-feiras) Horário: 17h às 20h Gratuito      Exposição Eduardo Wotzik - 40 anos de teatro Local: Galeria 2 Data: 03 a 26 de maio Horário: quarta a domingo de 16h às 20h      Exposição Local: Galeria 2 Data: 03 (abertura) a 26 de maio (encerramento) Horário: quarta a domingo de 16h às 20h     Prefeitura do Rio e Wotzik Produções Artísticas apresentam:   Encontro com Eduardo Wotzik – 40 anos investigando o Teatro  - Abertura: 03 de maio na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca   Ocupação contempla quatro espaços do centro cultural; programação oferece ao público exposição que sintetiza trajetória do artista, temporada da consagrada “Missa para Clarice – Um espetáculo sobre o Homem e Seu Deus”, apresentação única do work in progress da inédita “Hannah Arendt – Uma Aula Magna”, além de leituras dramatizadas, bate-papos e oficinas gratuitas   Vem aí a maior temporada da carreira do premiado ator, diretor, autor e professor Eduardo Wotzik. A Cidade das Artes, na Barra, inaugura dia 03 de maio, às 20h, o Encontro com Eduardo Wotzik – 40 anos investigando o Teatro, panorama que dá corpo à obra do artista ao longo de quatro salas do monumental centro cultural do Rio. A programação destaca momentos pontuais do fazer teatral do artista e acaba por também homenagear o teatro brasileiro de 1979 – ano da profissionalização de Wotzik – até os dias atuais. Na abertura, será inaugurado um perfil com fotos, programas e objetos de cena que jogam luz em montagens  como “Tróia”, de Eurípedes, “Yerma”, de Garcia Lorca (montada no CCBB em 1995, ambas com Camila Amado e Clarice Niskier), “Um equilíbrio delicado”, de Edward Albee (que marcou os 50 anos de Tonia Carrero, com Walmor Chagas e grande elenco, em 1999), “Édipo Rei” (com Amir Haddad, Eliane Giardini, Gustavo Gasparani e Rogério Fróes, para citar alguns), entre outras.   À breve retrospectiva afetiva somam-se encenações: a celebrada Missa para Clarice – Um espetáculo sobre o Homem e seu Deus, que faz sua primeira temporada na Barra, além do inédito  Hannah Arendt – Uma Aula Magna, autoria e direção dele, e a leitura dramatizada da comédia Mim, Chita, livre adaptação de Wotzik para a biografia da macaca Chita, escrita pelo inglês James Lever e indicada ao Booker Prize – que será a próxima montagem de Wotzik. São 40 anos dentro da cena, 40 anos de ensaios, ministrando aulas, oficinas e workshops em todo o Brasil. Só na Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema, foram dez anos. “Tudo que eu sei aprendi com o Teatro”, diz. Por isso, estará à frente de três oficinas, sobre direção, movimento e som (inscrições mediante envio de carta e/ou vídeo de 1 minuto pelo email oficinaswotzik@gmail.com). Grátis.   Lançamento - O Encontro marca também o lançamento do Manifesto do Teatro da Diversidade, síntese da filosofia que o artista aplica no desenvolvimento de seu trabalho. Cofundador do Grupo Tapa, que integrou  entre 1979 (ano da criação) e 1989, desde os anos 1990 dirigiu e atuou em mais de 40 espetáculos; parte deles dramaturgia original, outros, livres adaptações. Em conjunto, suas montagens conquistaram prêmios Mambembe, Molière, Shell, e milhares de espectadores Brasil adentro e mundo afora. A Cidade das Artes receberá também as leituras de Trilogia Lorca (formada por “Yerma”, “Bodas de Sangue” e “Dona Rosita, a solteira”), a peça “Estilhaços II” (texto novo do autor) e “Rei Lear”, o clássico de William Shakespeare que Wotzik protagoniza na próxima década. “Cada leitura tem um propósito. Por exemplo, o entrelaçamento das três peças de Lorca revela um importante painel do feminino ao longo do século XX”, explica.   Permanente estudioso, além de Lorca, Wotzik montou Sófocles, Eurípedes,  Noel Coward, Molière, Martins Penna, Lima Barreto, Nelson Rodrigues, Albee, Millôr Fernandes, Molière, Emily Dickinson e Domingos Oliveira.Dirigiu  lendas como Tonia Carrero, Walmor Chagas, Luís de Lima, Camila Amado, Amir Haddad, Eliane Giardini, Gustavo Gasparani, Ittala Nandi, Analu Prestes numa lista imensa de companheiros. Da convivência com seus pares retirou material para Caosos Cênicos, encontro que acontecerá às quintas-feiras, e reunirá o público junto a consagrados artistas contando histórias – e causos – do teatro brasileiro. “Vamos dividir com o público divertidas e inesquecíveis histórias que ocorreram nas coxias do teatro”, pontua.   Diretora artística da Cidade das Artes, a atriz Bel Kutner destaca a importância do público ter contato com a obra de Wotzik. “O convite para a realização desta mostra evidencia a pluralidade que marca um centro cultural único no Brasil. Estou há dois anos dirigindo a Cidade das Artes e minha porta de entrada para a Cultura é o Teatro, do qual Wotzik é um dos mais importantes representantes contemporâneos”, destaca.   É o próprio artista quem está à frente de toda a coordenação do projeto. “O teatro é a arte do encontro. Será sempre o lugar onde nos encontraremos para nos lembrarmos uns aos outros de que somos humanos. E nesses últimos 40 anos é isso que tenho feito. Sigo encontrando gentes da melhor qualidade. Entes extraordinários”, ele define. Nascido em Copacabana, Wotzik tirou seu registro em 17 de maio de 1979. Formado em Psicologia pela UFRJ, Wotzik construiu um repertório elencando teatro brasileiro, alemão, francês, autores de todos os tempos, contemplando conteúdos diferentes e buscando sempre novas linguagens. Sua trajetória tem se pautado pela diversidade de gêneros, proporcionando ao público que o acompanha, espetáculos absolutamente diferentes a cada obra realizada.   Criador de montagens que foram divisores de água no teatro brasileiro, como “Sonata Kreutzer”, de Leon Tolstói, com Luís Melo, “O interrogatório!”, adaptação da peça de Peter Weiss, montada no formato inédito ao longo de 24 horas na Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema, e no Teatro Tom Jobim, no Jardim Botânico, para falar sobre o horror do nazismo, “A Geração Trianon” considerada pela crítica especializada como “Uma aula de Teatro”; a antológica montagem de “Bonitinha Mas Ordinária”, que representou o Brasil em Portugal por ocasião do centenário de Nelson Rodrigues; ainda despontam na sua trajetória o Festival de Teatro Brasileiro, criado por ele, e que durante cinco anos dedicou à pesquisa e montagem de autores nacionais, iniciativa que conquistou o Prêmio Ministério da Cultura Especial de Contribuição ao Teatro Brasileiro. Em Encontro com Eduardo Wotzik – 40 anos investigando o Teatro o público poderá conhecer de perto um pouco mais do ontem, do hoje e do amanhã deste premiado e tão original artista nascido há 59 anos em Copacabana e que viveu sempre cercado de boa companhia. “Cada um a seu modo, atingiu zonas assustadoramente inesperadas em mim. Provavelmente, sou o resultado do que consegui extrair de cada encontro com essas inteligências cênicas que me vaticinaram a mim mesmo a ponto de eu nesse instante poder estar aqui celebrando, conclui.     Ficha técnica: Idealização e direção geral – Eduardo Wotzik Produção: Fernanda Avellar l Michele Fontaine l Fabiano Xavier Assessoria de Imprensa: Mônica Riani + Cláudia Miranda Iluminação: Fernanda Mantovani Projeto Gráfico: Clarice Pamplona Realização: Wotzik Produções Artísticas, Trestada Produções e Cidade das Artes   [+] saiba mais Missa Para Clarice | Um Espetáculo Sobre o Homem e Seu Deus 03/05 a 26/05 Teatro Missa para Clarice – Um Espetáculo sobre o Homem e seu Deus   Espetáculo consagrado, Missa para Clarice – Um Espetáculo sobre o Homem e seu Deus, é um dos destaques da programação de Encontro com Eduardo Wotzik – 40 anos investigando o Teatro – em comemoração aos 40 anos de carreira do diretor, autor e ator.  A mostra toma conta da Cidade das Artes durante todo o mês de maio com espetáculos, palestras, leituras, exposições, oficinas, encontros e bate-papos com profissionais da área. Considerado um fenômeno, visto por mais de 45 mil expectadores em todo o Brasil, Missa para Clarice – Um Espetáculo sobre o Homem e seu Deus será encenada pela primeira vez na Barra da Tijuca. A peça foi desenvolvida em torno da obra de Clarice Lispector. Os textos que compõem o espetáculo foram extraídos e editados a partir de sua notável produção literária. “Selecionei aqueles que tinham como temática o Sagrado. Por isso, um espetáculo sobre o Homem e seu Deus”, explica Eduardo Wotzik.    Ficha Técnica Fragmentos da obra de Clarice Lispector | Texto final, criação e direção: Eduardo Wotzik | Direção de Arte: Analu Prestes | Iluminação: Fernanda Mantovani | Música: Henryk Górecki | Com: Cristina Rudolph, Natally do Ó e Eduardo Wotzik | Direção de Produção: Fernanda Avellar, Michele Fontaine, e Fabiano Xavier| Uma realização da Wotzik Produções Artísticas   Serviço: Missa para Clarice – Um espetáculo sobre o Homem e seu Deus Com Eduardo Wotzik, Cristina Rudolph e Natally do Ó.   Sinopse: A partir de aspectos do Sagrado na obra de Clarice Lispector, um culto cênico parte da ideia inteligente que o ser humano teve de criar dois sistemas extraordinários para suportar a realidade, o sistema religioso e a arte   Assessoria de Imprensa: Mônica Riani 55 21 99698-5575 | monica.riani@uol.com.br Claudia Miranda 55 21 9605-4706 | chagasmiranda@uol.com.br   [+] saiba mais Hannah Arendt | Uma Aula Magna (Work in Progress) 24/05 a 25/05 Teatro “Hannah Arendt – Uma Aula Magna", o Work in Progress  da peça  inédita faz baixar em plena Cidade das Artes uma das filósofas  políticas mais influentes do século XX, a judia Hannah Arendt, morta em 1975, e  imortalizada com sua teoria sobre o totalitarismo. Na Cidade das Artes, Hannah vai dar uma aula sobre educação, cidadania  e ética. A peça, criada e dirigida por Eduardo Wotzik, integra a programação de comemoração dos 40 anos de carreira do artista. No Teatro de Câmara, dias 24 e 25 de maio, às 17h,  Valor: R$30 | R$15. [+] saiba mais Transfor (A)mar | Evento social sobre Adoção 25/05 Festival No Dia Nacional da Adoção, Ibmec RJ faz evento social na Cidade das Artes. Aberta ao público, ação social acontece no dia 25 de maio e conta com atividades culturais e pedagógicas para crianças. O Ibmec RJ realiza no dia 25 de maio, Dia Nacional da Adoção, uma grande ação de amor e solidariedade. Em parceria com a Rede Abrigo, alunos do Centro Universitário Ibmec RJ promovem uma grande ação social na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca (RJ). O evento, que acontece das 10h às 14h e é aberto ao público, vai envolver crianças de abrigos da cidade, além de empresas apoiadoras, influenciadores digitais e cariocas que quiserem se somar à iniciativa. A atividade é pensada e organizada pelos estudantes do Ibmec RJ, com apoio da coordenação do curso de Comunicação Social, e faz parte da produção acadêmica dos alunos matriculados na disciplina eletiva “Produção de Eventos”. Batizado de “Transfor (A)mar”, o projeto, que já está na terceira edição, envolve cerca de 30 alunos do Centro Universitário. “Produzir um evento como o Transfor (A)mar é uma maneira de colocar em prática tudo que foi discutido durante o semestre. Além disso, é uma oportunidade de ajudar, de fazer um trabalho comprometido com a questão social. E a faculdade pode também ter esse papel”, afirma a orientadora do projeto, a professora do Ibmec RJ Aline Novaes. Este ano, a iniciativa desenvolvida pelos estudantes visa assistir crianças em situação de vulnerabilidade social. Na programação, estão previstas atividades culturais e pedagógicas, voltadas às crianças de abrigos da cidade, além de palestras e ações de adoção e apadrinhamento. Psicóloga da 1º Vara da Infância, da Juventude e do Idoso do Estado do Rio de Janeiro, Erika Piedade é uma das palestrantes. Ela vai falar sobre “Acolhimento e o Judiciário: Desafios da Garantia de Direitos”. Já o diretor da Rede Abrigo, Douglas Lopes, trará para o debate a questão das “Articulações para o Acolhimento e Adoção”. Para as crianças, a programação prevê oficinas de “contação de histórias”; pintura, oferecida por Diego Moura do ‘Um Dedo na Arte’; e de Jiu-Jitsu, ministrada por Bernardo Cavalcanti, instrutor da ‘Gracie Barra’; além de serigrafia, dança e slime (massa de modelar). Também está prevista a realização de um bazar de roupas e utensílios com influenciadores digitais. O evento é aberto a todas as crianças e adultos da cidade. Para entrar na brincadeira, basta levar um brinquedo, um quilo de alimento não perecível ou uma peça de roupa para doação. Parte da renda será revertida para os abrigos participantes. Os organizadores estimam que a iniciativa vá beneficiar mais de 300 crianças. PROGRAMAÇÃO A ideia é que as crianças façam um circuito e participem de todas as atividades, que acontecerão durante todo o evento.  Oficinas Crianças  - Pintura (Um Dedo de Arte) - Serigrafia (Rucked) - Estêncil (Rucked) - Artes Marciais (Gracie Barra Santa Rosa) - Dança (Vladimir Santos) - Slime (Criativoteca) - Atividades Recreativas (Lekolé)  - Caixa Mágica (Vaca Amarela) - Live Painting (Um Dedo de Arte; Ommep; Gabriel Bader; Grank; Luis Corum) Atividades Adultos  Palestras e rodas de conversas: 11h - Minha história de adoção (adoção monoparental de adolescente) Pai adotivo Carlos Renato 11h30 - Nossa história de adoção Pais adotivos Tatiana Romanuik e Rogério Passos 12h - Nossa história de adoção e engajamento Pais adotivos Saulo Amorim e Renan Sanandres 12h30 - Situação do Acolhimento no Rio de Janeiro Carlos Laudelino, Diretor de Instituição de Acolhimento e Conselheiro da Criança na cidade do Rio 13h00 - Acolhimento e o Judiciário: Desafios da Garantia de Direitos Erika Piedade, Psicóloga da 1a Vara da Infância 13h30 - Articulações para o Acolhimento e Adoção Douglas Lopes, Diretor da Rede Abrigo Bazar com influenciadoras - Aninha Bonilha - Fernanda dibiase - Bárbara Maronn [+] saiba mais Suor Angelica | Ópera em um ato de Giacomo Puccini 19/05 Música Suor Angelica, de Puccini Direção Cênica de Antonio Ventura Direção Musical de Cláudio Ávila Associação de Canto Coral     A ópera “Suor Angelica”, composta por Giacomo Puccini em 1917, é uma das mais belas do compositor italiano. Por conta da sua curta duração e enredo cativante, apresenta uma oportunidade não só do fomento do consumo de ópera, mas também da projeção de jovens artistas no mercado lírico.  “Suor Angelica” será encenada no domingo, dia 19 de maio, na Cidade das Artes, às 17h, pelo Coro de Câmara Lírico Feminino e o Núcleo de Ópera da Associação de Canto Coral. Esse título se destaca em relação aos demais do repertório lírico por possuir um elenco totalmente feminino. Além disso, seu enredo pode ser lido atualmente, à luz do feminismo, por abordar o tema da repressão à sexualidade das mulheres. Angelica, a protagonista, é uma mulher que tem relações sexuais enquanto solteira, o que era um escândalo para a moral vigente no início do século XX — e, ainda, em alguns setores conservadores do XXI. Por este “delito”, ela é encarcerada num convento, um lugar de penitência, o que leva muitos estudiosos da arte lírica a compararem está ópera ao “Purgatório”, de Dante Alighieri. Para criar esse ambiente claustrofóbico e punitivo, o diretor cênico Antonio Ventura optou por uma cenografia parca e pouco iluminada. O destaque será a forte presença do símbolo da vela, não só uma constante na iconografia e culto católicos, mas também alusiva à purificação das almas luxuriosas através do fogo na obra dantesca. O projeto é uma colaboração da Associação de Canto Coral, que há 77 anos desenvolve um trabalho de apresentações de corais – já ultrapassando a marca de 750 performances em diversos locais do Rio de Janeiro, como o Centro Cultural do Banco do Brasil, o Museu de Belas Artes, a Cidade das Artes, além de promover palestras e cursos sobre ópera – com o diretor Antonio Ventura, formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, sendo alguns de seus trabalhos “O Estupro de Lucrécia” (2016), “Muito Barulho por Nada” (2017) e, seu mais recente, “Romeu e Julieta” (2018), todos baseados na obra de William Shakespeare.   Ficha técnica -  Direção de cena: Antonio Ventura ·  Direção musical e pianista: Cláudio Ávila ·  Diretor musical da ACC: Jésus Figueiredo    Cenografia e figurino: Comitê de Artes Cênicas da ACC ·  Fotógrafo: Comitê de Audiovisual da ACC ·  Operador de luz: Bernardo Pimentel ·  Design gráfico: Victor Borborema ·  Assessor de imprensa: Andrea Shad ·  Produção: Bernardo Pimentel ·  Assistência de produção: Celeste Figueiredo [+] saiba mais Duo Santoro para mães e filhos | Música de Câmara 12/05 Música  “Duo Santoro para mães e filhos” Uma homenagem a todas as mães e seus filhos celebrando o dia das mães na Cidade das Artes Paulo e Ricardo Santoro, violoncelos Participações especiais de Pedro Santoro (seis anos) e Marcela Santoro (cinco anos), violinos   Com 29 anos de atividades ininterruptas completados em 2019, já tendo se apresentado nos Estados Unidos, na Argentina e na República Dominicana, e com três CDS gravados, todos dedicados à música brasileira, o Duo Santoro (Paulo e Ricardo Santoro, violoncelos) fará no dia 12 de maio, dia das mães, na Cidade das Artes, um concerto especial: “Duo Santoro para mães e filhos”, em homenagem a todas as mães e seus filhos. Na primeira parte do programa, serão apresentadas pérolas da música clássica e da música popular, que, com certeza, agradarão as mães presentes ao concerto. Na segunda parte, o Duo Santoro contará com as participações mais do que especiais de seus filhos Pedro (seis anos) e Marcela (cinco anos) ao violino, o Duo Santorinho, e, juntos, o quarteto fará uma seleção de músicas do cancioneiro infantil de todas as épocas, na qual pretendem contar com o coral das mães e das crianças que será formado durante o concerto. Uma manhã de domingo das mães emocionante e inesquecível na Cidade das Artes.   DUO SANTORO (Paulo e Ricardo Santoro, violoncelos) Participações especiais de Pedro e Marcela Santoro, violinos     PROGRAMA W. A. MOZART - Uma Pequena Serenata Noturna L. BEETHOVEN - Fantasia sobre a 5ª Sinfonia H. VILLA-LOBOS - O Trenzinho do Caipira DIMITRI CERVO - Pedro e Marcela ZEQUINHA DE ABREU - Tico-Tico no Fubá ZÉ DO NORTE/LAMPIÃO - Mulher Rendeira LUIZ GONZAGA/HUMBERTO TEIXEIRA - Asa Branca/Baião CANCIONEIRO INFANTIL - Superfantástico, Dó-Ré-Mi-Fá, Alecrim Dourado, Marcha Soldado, Escravos de Jó etc. [+] saiba mais RIO2C | Rio Creative Conference 23/04 a 28/04 Festival  INGRESSOS À VENDA PARA O MAIOR EVENTO DE CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO DA AMÉRICA LATINA EM RIO2C.COM   RIO2C - RIO CREATIVE CONFERENCE   Voltado a profissionais e entusiastas de audiovisual, música, mídia, ciência e tecnologia, o Rio Creative Conference terá como principais convidados os criadores da aclamada série Black Mirror, Charlie Brooker e Annabel Jones, e será aberto pelo Netflix Chief Content Officer, Ted Sarandos Rio2C acontece de 23 a 28 de abril, na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro.   Nesta edição, o evento se divide em três campos – Mercado, Conferência e Festival. Enquanto os dois primeiros são voltados primordialmente para profissionais da indústria criativa, o último oferece uma série de experiências destinadas a estudantes, universitários e jovens recém-formados ávidos por inspiração, informação e relacionamento. “A repercussão da primeira edição foi tão positiva que nos motivou a fazer em 2019 um evento ainda maior e cheio de novidades, com a criação novos espaços: a Casa das Marcas, dedicada a discussões na área de conteúdo para marcas, o BrainSpace, voltado à neurociência e a sua interseção com a criatividade. E para fechar cada dia, quando o sol se pôr, teremos uma programação especial com o Rio2Night, que permitirá uma troca ainda maior entre os participantes. Sem sombra de dúvidas, o Rio2C 2019 será imperdível”, aposta Rafael Lazarini, criador e CEO do evento.   “Depois do enorme salto que demos entre o RioContentMarket e o Rio2C, ampliando o escopo do evento, neste ano a divisão entre Conferência, Mercado e Festival oferece conteúdos para diferentes públicos e seus interesses no evento, além de conectar todos num mesmo espaço para convivências criativas e de negócios”, conta Carla Esmeralda, responsável pela curadoria do audiovisual e direção geral de conteúdo do Rio2C e cocriadora do RioContentMarket.     Sobre o Rio2C Após causar impacto econômico de R$ 200 milhões e atingir marcas expressivas em sua edição de estreia – foram 287 painéis, 1000 empresas participantes, 500 keynotes e palestrantes, 18 mil visitantes, 38 shows, 24 horas de games e eSports e mais de 100 experiências AR/VR –, o Rio2C - Rio Creative Conference voltará ainda mais forte este ano. Além de ampliar a atuação nos segmentos de audiovisual, inovação e música, a segunda edição do evento proporcionará novos espaços dedicados às áreas de neurociência e criatividade e de conteúdo e marcas, com a participação de alguns dos mais prestigiados nomes dos respectivos setores.     Mais informações sobre programação, ingressos e como chegar, acesse rio2c.com       CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: 18 anos durante a Conferência & Mercado (23 a 26 de abril de 2019). E classificação livre durante o Festivalia (27 e 28 de abril de 2019), sendo que os menores até 14 anos devem estar acompanhados dos pais ou responsáveis legais.       Assessoria de Imprensa Rio2C Factoria Comunicação www.factoriacomunicacao.com Vanessa Cardoso - vanessa@factoriacomunicacao.com Eduardo Marques - eduardo@factoriacomunicacao.com Tel: +55 (21) 2249-1598 / 2259-0408     [+] saiba mais Alice | Debaixo da terra mora minha mente soterrada | Teatro 15/03 a 14/04 Teatro Estreia dia 15/03, na Cidade das Artes, o espetáculo "Alice - Debaixo da terra mora minha mente soterrada".      ALICE – DEBAIXO DA TERRA MORA MINHA MENTE SOTERRADA teve sua estreia em agosto de 2017 no Fringe Festival Edinburgh, na Escócia, onde ficou em cartaz durante um mês. Em seguida, em março de 2018, foi para o México para a realização de uma curta temporada. Inspirados nas obras Alice no País das Maravilhas e Alice Através do Espelho; e nos relatos sobre Lewis Carroll e sua curiosa relação com a personagem-título, a Companhia desenvolve um trabalho onde os temas da violência, do medo e da infância formam o principal eixo para a composição do espetáculo.  Alice se desenvolve numa atmosfera sensorial e dinâmica onde movimento, som e imagens compõem uma dramaturgia fragmentada, conduzindo o público ao universo lúdico, mas também, tenebroso da infância.   Em sua dramaturgia fragmentada, o espetáculo Alice – Debaixo da terra mora minha mente soterrada traz como protagonista uma adolescente branca que vive sob os cuidados de uma família negra. Mãe, Pai, Irmão e Madrinha tratam a menina com excesso de zelo e preocupação sobre o “mundo lá fora” que, segundo eles, é perigoso demais para pessoas como ela.   Num dia comum, Alice desperta de um pesadelo e ouve sua família aos gritos, tentando acordá-la para ir à escola. A partir deste momento, Alice vai enfrentando obstáculos que a colocam o tempo inteiro em questão sobre quem é, apresentando os conflitos de uma menina cujo corpo transita – talvez rápido demais – da infância à vida adulta. Os temas do medo, da infância e da violência formam o principal eixo para a composição do espetáculo. Ao longo do seu dia, um homem some e aparece em seu caminho diversas vezes. Ora oferecendo presentes e cuidados, ora querendo fotografá-la. Mas Alice não aceita, pois não gosta do que vê quando se olha no espelho. Se acha gorda, feia, não gosta da cor da sua pele e nem do próprio cabelo; apresentando possíveis distúrbios de autoimagem e uma inclinação a transtornos alimentares. Sendo assim, acha que ninguém se interessaria em fotografá-la de verdade, desconfiando das verdadeiras intenções daquele homem velho e enigmático. Em alguns momentos, este homem – uma alusão a Lewis Carroll, pseudônimo utilizado por Charles Lutwidge Dodgson, autor de Alice no País das Maravilhas – insiste em convidar Alice para “A hora do chá”, tradição britânica utilizada como metáfora para um mundo mais racional, concreto e hostil, onde geralmente morrem os sonhos e as fantasias da infância. A Mãe de Alice também insiste em fazê-la tomar o chá, reforçando a ideia de tentar trazê-la, o mais breve possível, ao que julga ser o verdadeiro mundo real. A partir disso, diversos acontecimentos – que vão da morte de seu “gato invisível” a um episódio de estupro – apresentam Alice a este “mundo real”, produzindo nela medo e, consequentemente, um desejo incessante de fugir. Enquanto tenta escapar, Alice se depara com seus próprios fantasmas, passando a questionar se esse mundo seria realmente o País das Maravilhas.   Alice é um grito. Um protesto ao áspero momento político mundial.  Através dessa obra ícone da literatura universal, buscamos criar um espetáculo que produza perguntas no público, abordando questões como o racismo, a violência de gênero, a instituição família, as relações de poder, a violência urbana entre outros temas que, dia após dia, nos atravessam nas esferas políticas, econômicas e sociais.   A Companhia O BAK ARTES PERFORMATIVAS é um coletivo de artistas coordenado pelo diretor João Marcelo Pallottino que, ao longo dos anos, desenvolve uma pesquisa no campo da cena performativa, investigando – a partir do cruzamento de linguagens artísticas – a criação de uma cena híbrida, cruzando audiovisual, movimento, instalação, arte sonora e artes visuais em busca da produção de uma linguagem autoral na cena contemporânea.     PROPOSTA DE DIREÇÃO O espetáculo é uma reflexão sobre o medo e o enfrentamento das fantasias de uma menina que atravessa um dia comum. Alice é uma obra ícone da literatura mundial, uma história que muitas vezes é associada a um público infanto-juvenil, porém sua complexidade ultrapassa a infância sendo uma obra de impacto ímpar para o público adulto.Criamos o espetáculo partindo de duas forças. O tema da violência, da crueldade como matéria-prima das sequencias que aparecem diante dos olhos da menina em um mundo perigoso, tomado de incertezas; bem como os polêmicos dados biográficos sobre o autor – Lewis Carroll – cujas acusações de interesses por crianças ultrapassariam o afeto comum. O País das Maravilhas seria um lugar ideal ou a possibilidade de fazer um encontro com seus próprios medos, seus fantasmas, sua própria fantasia?   As cenas se passam como composições fotográficas onde os acontecimentos não tem relação narrativa em evolução. Visualidade, som e movimento trazem um fluxo caótico que cria obstáculos para a trajetória da personagem-título. O espetáculo é uma experiência sensorial onde o real se confunde com o imaginário, a ficção com a biografia. [+] saiba mais Arthur Endo | Lançamento do disco Narrativas de um Brasil 13/04 Música Narrativas de Um Brasil - Arthur Endo     Arthur Endo é compositor, arranjador e violonista premiado em competições nacionais e internacionais, que dedicou sua vida à música brasileira e ao violão clássico. Seu trabalho produz um enlace harmonioso entre a música brasileira em sua informalidade espontânea e o virtuosismo expressivo da música clássica. Com 22 anos de idade realizou turnês internacionais na França, Holanda e Estados Unidos, em apresentações de violão solo, e partir de agora, seu projeto artístico é inspirar-se num Brasil que o constitui como autor de suas narrativas.       Destaques de carreira:   Prêmiado na USG Internacional Competition 2018. Como prêmio realizou concertos em Los Angeles e nos XGames 2018 -  Minneapolis.   Vencedor da competição IMAGINE Brasil.   Membro da Camerata de Violões de Campinas (2014 - 2018), grupo vencedor da XI Competição Internacional de Guitarra do Uruguai.   Realizou 13 concertos na França (Paris, Rennes e Pont L'Éveque), em dezembro de 2017 em sua primeira turnê internacional.   Realizou uma turnê na Holanda em setembro/outubro de 2018 com shows em Amsterdam, Nijmegen e Amersfoort. Na mesma turnê, representou o Brasil no Imagine Internacional Festival 2018 em Maastricht e realizou concertos no Leusden Jazz Festival.   Gravou seu primeiro álbum "Narrativas de Um Brasil" em 2019, com direção musical do violonista e compositor Ulisses Rocha. O CD tem turnês de lançamento agendadas no Brasil, Colômbia (Festival de Música Instrumental UPB) e Holanda (Amersfoort Jazz e Laureates Jazz Festival).   Seu projeto mais recente foi uma gravação produzida e dirigida pelo violonista Yamandu Costa. (https://www.youtube.com/watch?v=THdVEbhchoQ)       O projeto "Narrativas de Um Brasil" nasce após 10 anos de dedicação ao universo do violão brasileiro e reúne músicas importantes na trajetória musical do artista, que unidas contam a história de um Brasil, da cultura brasileira, é um disco que retrata, através de narrativas musicais, sua pesquisa sobre: O que é o Brasil?       [+] saiba mais A Noiva do Condutor | Opereta de Noel Rosa e Arnold Gluckmann 06/04 e 07/04 Música Coro Prelúdio da Associação de Canto Coral apresenta "A NOIVA DO CONDUTOR, opereta de Noel Rosa e Arnold Gluckmann"   O rádio estava no auge de sua popularidade e Noel Rosa trabalhava em diversas emissoras quando, em 1935, seu parceiro Almirante propôs à Rádio Club do Brasil um programa com o mote 'Como se as óperas célebres do mundo houvessem nascido aqui, no Rio...'. Desse projeto surgiu a revista radiofônica composta por Noel – “A noiva do condutor”. A opereta conta a história de Joaquim, um condutor de bondes que, para conquistar o coração de sua amada Helena, se faz passar por um advogado. E para atingir seu objetivo, que é casar com sua amada, ele além de enfrentar a oposição do pai de Helena ao namoro, se mete em algumas peripécias. O enredo coloca em xeque os valores morais dos personagens, revelando o apego ao dinheiro e ao status social. Com humor e fina ironia, características fundamentais de toda a sua obra, Noel cria uma opereta tipicamente carioca onde os valores mudam a todo instante, de acordo com a conveniência do momento.   Piano: Glícia Campos / Violão e Fagote: Jeferson Cerqueira / Percussão: Isa Oliveira Preparação Vocal: Júlia Anjos Direção Cênica: Anderson Paiva Direção Musical e Regência: Miguel Torres     ELENCO: Joaquim – Wendell Pereira / Gabriel Oliveira Helena – Júlia Anjos Pai de Helena (Dr. Henrique) – Marcos Vianna Mãe de Helena (D. Gloria) – Ana Felipe Pai de Joaquim (J. Barbosa) – Washington Souza / Patrick Wuillaume Mãe de Joaquim (D. Margarida) – Verônica Basile Amigos de Joaquim – Cleiton Sobreira / Gabriel Oliveira / Wendell Pereira Amigas de Helena – Giselle Mota / Vitória Anheti         História da Associação de Canto Coral A Associação de Canto Coral (ACC) foi criada em dezembro de 1941, tendo como patrono musical o compositor Heitor Villa-Lobos e, como diretora artística, Cleofe Person de Mattos, maestrina e musicóloga dedicada à pesquisa de obras de compositores de nosso passado musical, sobretudo do Padre José Maurício Nunes Garcia. A difusão do resultado de suas pesquisas tornou-se um dos papéis cruciais da instituição. A ACC tem o objetivo de divulgar o patrimônio musical brasileiro, sobretudo por meio de concertos no Brasil e no exterior, bem como através de gravações das principais obras corais-sinfônicas do período colonial. Até a presente data, a Associação de Canto Coral já realizou mais de 750 récitas. Atualmente presidida por Pedro Olivero, a Associação já esteve sob comando de nomes como Fernando Bicudo e Cícero Sandroni. De 1995 a 2012, a direção artística foi representada pelos regentes Carlos Alberto Figueiredo e Valéria Matos e, desde 2013, é ocupada pelo maestro Jésus Figueiredo.  A ACC já atuou com grandes orquestras, sob a regência de maestros internacionais como Igor Strawinsky, Karl Richter, Victor Tevah, Colin Daves, Helmuth Rilling, Jacques Pernoo; e maestros brasileiros, a exemplo de Villa-Lobos, Camargo Guarnieri, Francisco Mignone, Isaac Karabtchevsky, Alceo Bocchino, Benito Juarez e Henrique Morelenbaum. Sua numerosa discografia inclui obras de José Maurício Nunes Garcia, Villa Lobos, Francisco Mignone, Brasílio Itiberê, Camargo Guarnieri, Almeida Prado e Marlos Nobre. Preocupada com a formação de público, com a preparação de novas gerações de cantores e com a reciclagem de profissionais atuantes no meio musical, a ACC promove palestras, ciclos de leituras de obras corais, vídeos comentados, musicalização infantil, cursos para professores, estudantes de música e comunidade coral, dentre outras atividades. A Associação de Canto Coral é reconhecida como órgão de Utilidade Pública Federal, sem fins lucrativos e não conta com nenhuma subvenção pública. Por essa razão, mantém-se pela contribuição de sócios e pelo eventual apoio de empresas privadas.   [+] saiba mais Seminário Rio TEAMA 2019 | Autismo tem tratamento 02/04 a 03/04 Arte e Conhecimento Rio TEAMA 2019 “A ciência do autismo: do entendimento neuro biológico até os tratamentos efetivos. O que devemos saber?”     Objetivo do evento: Em comemoração ao Dia Internacional da Conscientização do Autismo, World Autism Awareness Day, estabelecido pela ONU com sendo o dia 2 de abril, o evento tem o objetivo de informar à sociedade sobre o TEA (Transtorno do Espectro do Autismo) para conscientização da importância de diagnosticar, tratar e inserir as pessoas autistas na sociedade, reduzindo o preconceito que ainda existe!     Palestrantes: Dr. Eduardo: Renomado em neurologia e pediatra, com larga experiência em Exames e procedimentos, tais como: avaliação neuropsicológica infantil EEG (electroencefalograma), tratamento cirúrgico da epilepsia, tratamento cirúrgico da epilepsia temporal, tratamento com canabidiol, tratamento da epilepsia, tratamento do TDAH, abuso de maconha epilepsia.     Dr. Jair Luiz de Moraes: Mestre em Medicina/Neurologia pela Universidade Federal Fluminense (1976). Ex-Presidente da ABENEPI/Nacional - Associação Brasileira de Neurologia e Psiquiatria infantil e Profissões Afins, e atual 1 Tesoureiro. Diretor técnico do CETE - Centro de Educação e Terapia Especializada. Membro do Comitê de Neurologia da SOPERJ - Sociedade de Pediatria do Estado do Rio de Janeiro. Membro da SBNI- Sociedade Brasileira de Neurologia Infantil. Ex- Membro Docente do curso de Saúde Mental e de Neuropsicologia da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro. Experiência de 40 anos na área de Medicina, com ênfase em NEUROLOGIA INFANTIL.     Diogo Lovato: Biomédico formado pela Escola Paulista de Medicina, com doutorado em Biologia Molecular pela UNIFESP e  pós-doutorado pelo Laboratório Nacional de Biociências (CNPEM) em colaboração com o Structural Genomics Consortium da Universidade de Oxford (Inglaterra) e  foi pesquisador associado do Structural Genomics Consortium da Universidade de Toronto (Canadá). Tem experiência em estudos funcionais e estruturais de genes e proteínas, e atualmente é Clinical Genomics Variant Scientist da Tismoo, onde desenvolve trabalhos em genômica, genética clínica e modelos genéticos do Transtorno do Espectro do Autismo (TEA).     Dra. Graciela Pignatari: Ph.D, bióloga com Mestrado e Doutorado em Biologia Molecular pela UNIFESP, é sócia fundadora da startup de biotecnologia TISMOO.     Dra. E. Kátia Moritz: Ph.D. psicóloga formada pela PUC-RJ, também possui licença para os estados da Flórida e UTAH, nos EUA, onde é diretora clínica do Instituto Neurocomportamental (NBI). Possui o  "Board Certified" em Psicologia Cognitiva e Comportamental.     Dra. Denise Hardt: psicóloga, doutora em Psicologia Clínica pela USP, Mestre em Terapia Cognitiva Comportamental (TCC) pela PUCCAMP, concluiu sua formação BCBA (Board Certified Behavior Analyst), possui o CMHP (Certificado de Mental Health Professional e RBT(Registro de Behavior Technician), é a coordenadora clinica de pacientes internacionais no NBI(Neurobehavioral Institute), em Weston, Flórida, EUA.     Dra. Janessa Dominguez: formada em Psicologia com especialização em Administração na Nova Southeastern University, analista comportamental BCBA (Board Certified Behavior Analyst), terapeuta de casal e família (Licensed Marriage and Therapist - LMFT), conferencista internacional na área do TEA, comportamento e sistema familiar, tem larga experiência em lidar com comportamentos difíceis e desenvolver comportamentos apropriados.     Dr. Paulo Liberalesso: MD, Phd - médico do Departamento de Neuropediatria do Hospital Pequeno Príncipe, Mestre em Neurociência, Doutor em Distúrbios da Comunicação Humana, pós-graduado em Epileptologia e Neurofisiologia, é sócio-fundador do CERENA (Centro de Reabilitação Neuropediátrica), no Hospital Menino Deus.     Nicolas Brito Sales: palestrante autista, autor de livros, e grande disseminador da causa autista junto ao público através de vídeos gravados com famosos como Alysson Muotri, Fabio Porchat dentre outros.     Anita Brito: mestre em Dialogismo e Literatura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, graduada em Tradução e Língua e Literatura Inglesa e Norte Americana pela PUC-SP, é doutoranda pela USP EM Neurociência e estudos sobre TEA (Transtorno do Espectro do Autismo).     Alexsander Sales: administrador de empresas formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, tem MBA em Logística Empresarial e ministra cursos er palestras no Brasil e exterior sobre a inclusão das pessoas com TEA no âmbito social e escolar.     Programação:     Dia 02/04/2019, terça-feira:   9h – 9h30 – inscrições e credenciamento, com entrega da programação. 9h30 – 10h – Abertura com o violinista Allyrio  Mello; 10h – 11h30 - Dr. Paulo Liberalesso – “Comportamentos autísticos: compreendendo os fundamentos, sinais e os sintomas e as mobilidades de tratamento”. 11h45 – 13h30 – Kátia Moritz - “As crendices e lendas sobre o Autismo” 13h30 – 15h - intervalo para almoço 15h – 16h30 - Denise Hardt – “Tratamento baseado em evidências” 16h30 – 17h – Vamos sobreviver – Inspiração para pais e profissionais 17h – 17h45- Diogo Ventura Lovato - “Genética e Autismo” 17h45 – 19h – Graciela Pignatari e  Alysson Muotri  (palestra gravada) – “Como os mini-cérebros humanos podem recapitular aspectos funcionais do cérebro em desenvolvimento” 19h – 20h – Eduardo Faveret - “Tratamento com Canabidiol e experiências no Brasil”       Dia 03/04/2019, quarta-feira:   10h – 11h30 – Dra. Kátia Moritz – Treinamento dos Pais. 11h30 – 12h – Aperitivos – Manejo da Ansiedade no TEA. 12h – 13h30 – Roda de conversa – Perspectiva: “Como o presente vai influenciar  o futuro das crianças com TEA” (com Dr. Paulo Liberalesso, Dr. Jair Moraes, Flávia Poppe e Dayse Serra). 13h30 – 15h - intervalo para almoço. 15h – 17h – Dra. Janessa Dominguez – “Manejo de comportamentos agressivos e de prevenção e o impacto no funcionamento do autista”. 17h – 18h – Dr. Jair Moraes – “A importância do diagnóstico precoce do TEA”. 18h – 19h – Família Brito Sales: Nicolas Brito Sales – “TUDO O QUE EU POSSO SER” - Anita Brito - “TEA e Neurociência” e Alexsander Sales “O papel do pai e a superação da família”. 19h – 20h - Encerramento e carta de compromisso (participantes criarão um documento de mudanças pessoais que vão se comprometer a fazer para modificar suas próprias dificuldades de lidar com pacientes ou familiares).   [+] saiba mais Exposição Viver com Arte | Projeto Arte Vida Arte 23/03 a 31/03 Artes Visuais A AVA Galleria, por meio da Associação Arte Vida Arte, mantém um projeto social iniciado em 2004. Trata-se de uma escola de arte, que atuava visando o desenvolvimento pessoal e profissional de crianças carentes através da arte. Neste projeto, o diálogo entre os países nórdicos e o Brasil é aprofundado, misturando arte e atividades sócio-educativas, nas quais os artistas nórdicos realizam workshops artísticos com as crianças do projeto, mostrando que é possível uma união entre diferentes povos, em benefício do desenvolvimento daqueles que mais precisam. O projeto foi interrompido em 2014 por falta de verba e retorna em 2019, 15 anos depois, na Cidade das Artes. Esse projeto tem como objetivo auxiliar o desenvolvimento artístico de crianças entre 7 e 14 anos através da educação pela arte. No projeto, as crianças têm a oportunidade de descobrir e aperfeiçoar suas aptidões relacionadas ao mundo da arte, assim como participar de atividades complementares à sua educação formal, contando com a assistência oferecida pelos diferentes profissionais que trabalham no projeto, dirigida atualmente pela artista plástica, psicóloga e arte-educadora, Glória Chan. Na abertura do Projeto, no dia 23 de março: 16h -  Palestra e vídeo ilustrativo 17h30  - Apresentação do cantor Amitrano, que também faz integra o projeto 18h -  Abertura da exposição de artes plásticas. A exposição reúne artistas como: Gugu Liberato (trabalho de arte com rolha de vinho) Vannessa Gerbelli (pintura), Natália Lage, (colagem), Gisa Nogueira (Pintura) e Lila Hamdan (pintura) junto com artistas ligados ao projeto: Carmen Thompson, Deborah Netto, Gláucia Cupertino, Glória Chan, Gustavo Kuklinski, Jantus, Lucas Ururary, Marcus Amaral, Márcio Goldzweig, Teresa Asmar e Vitor Fio. PROGRAMAÇÃO GRATUITA [+] saiba mais TEDxBarraDaTijuca | Mova -se | Palestras 30/03 Outros Ingressos do TEDxBarradaTijuca já estão ESGOTADOS!    Com o tema “Mova-se!”, participantes são provocados a saírem da zona de conforto   Seguindo o mesmo modelo do TED, série de conferências sem fins lucrativos que virou fenômeno no mundo, o TEDxBarraDaTijuca acontecerá no dia 30 de março, sábado, na Cidade das Artes. O evento é o acrônimo de tecnologia, entretenimento e design; o “x” sinaliza que trata-se de um evento independente. Os ingressos do TEDx Barra da Tijuca já estão sendo vendidos pelo site https://www.tedxbarradatijuca.com/, os valores vão de R$160,00 a R$320,00. Vale ressaltar que o valor arrecadado visa custear o evento.   Decidir, levantar e agir O TEDxBarraDaTijuca “Mova-se!” tem o objetivo de provocar os seus participantes, estimulá-los a saírem da zona de conforto, se movimentarem e a despertar a alavanca interna dos envolvidos. Além disso, o evento irá proporcionar conversas, ideias, reflexões, olhares e pensamentos críticos.   Com o tema “Mova-se”, o TEDxBarraDaTijuca tem como missão impactar as pessoas e fazê-las saírem ainda melhores do que entraram. Para isso, contará com a apresentação de 12 palestrantes, que prometem despertar a inquietação nos participantes, além de poder provocar neles a atitude de protagonismo, encorajando-os, por exemplo, a colocarem em prática projetos e planos antigos.   Edição 2019 traz palestrantes através de seleção de vídeo currículo Uma das novidades para esta edição é a participação de dois palestrantes externos, escolhidos através de seleção por vídeo currículo. Eles farão parte do time e prometem envolver os participantes. A ideia para seleção foi proporcionar a troca com pessoas que possivelmente não teriam acesso a esse tipo de experiência.   Alguns dos Palestrantes Confirmados: Caio Carneiro, Marcio Villar, Marina Peixoto, Rodrigo Baggio, Wal Schneider, Raiam Santos etc. Perfil dos palestrantes: https://www.tedxbarradatijuca.com/pages/todos-speakers/.   Os organizadores, Rafael Romanhol e Éder Monteiro, desejam que os inscritos no TEDx “Mova-se” estejam dispostos a ouvir e trocar experiências.   “É um estalo para fazer os participantes perceberem que eles podem ser protagonistas dessa série de mudanças, mostrando ideias inspiradoras de pessoas que se transformaram”, conta Rafael.   Já para Éder, há um conformismo muito grande entre as pessoas. “A ideia deste tema é literalmente provocar o movimento nas pessoas, fazendo com que cada um parta de uma reflexão, para uma ação.”, diz.   O TEDx foi desenvolvido para ajudar comunidades O programa TEDx foi desenvolvido em 2009 para ajudar comunidades, organizações e indivíduos incentivando conversas e conexões através de experiências ao estilo TED, ou seja, disseminando ideias.   Nos eventos, a combinação de apresentações presenciais com vídeos TED Talks inspira conversas profundas e conexões locais. Os encontros são planejados e coordenados de forma independente, através de licença cedida pelo TED.  Já foram mais de 15 mil eventos organizados mundialmente, com um bilhão de visualizações no YouTube.   Os organizadores reforçam que as ideias merecem ser compartilhadas, inclusive, a ideia central da plataforma TED é dividir e multiplicar ideias.     Serviço: Data: 30 de Março – Sábado Local: Cidade das Artes – Teatro de Câmara - Av. das Américas, 5300 – Barra da Tijuca Horário: De 14h às 20h. Inscrições pelo site: https://www.tedxbarradatijuca.com/ Ingressos: entre R$ 160 e R$ 320 Vagas Limitadas   [+] saiba mais Meu quintal é maior do que o mundo 21/03 a 24/03 Teatro Cássia Kis volta aos palcos depois de 10 anos, na Cidade das Artes!    Conhecedora da obra de Manoel de Barros (1916-2014), a atriz Cássia Kis se considera uma excelente leitora do poeta e escritor mato-grossense. Tem uma relação não só com a obra, mas com o próprio, com quem passou anos se correspondendo e chegou a conviver proximamente, tornando-se amiga. Tudo começou no início dos anos 1980, quando descobriu sua poesia.     É parte da obra do autor que Cássia Kis escolheu para marcar sua volta aos palcos depois de 10 anos, ao lado do diretor Ulysses Cruz, parceiro de 40 anos e com quem divide, ainda, a estruturação do roteiro. Para executar a música ao vivo em cena também está Gilberto Rodrigues, responsável pela direção e criação musical. A peça Meu Quintal é Maior do que o Mundo estreou em São Paulo e pretende chegar ao Rio de Janeiro de 21 a 24 de março. Projeto pessoal, idealizado por Cássia Kis e concebido a partir do livro Memórias Inventadas, não se trata de um sarau ou declamação de poemas e sim uma encenação dramatúrgica. Não se configura como um espetáculo na estrita concepção do termo, mas de uma peça de teatro, por sua característica mais intimista. A relevância da montagem se dá tanto pela ligação da atriz com Manoel de Barros como pela década longe do teatro (sua última peça foi O Zoológico de Vidro, de 2009). [+] saiba mais Trio Canttares | Música de Câmara 17/03 Música O Trio Canttares é formado por profissionais com vasta experiência na área musical. A ideia do Trio surgiu através de um encontro de grande empatia musical, motivo pelo qual decidiram seguir adiante com o propósito de unir nossos talentos afim de proporcionar boa música, com o toque individual dos artistas. O Concerto será composto por músicas variadas e temáticas, nacional e erudito, do erudito ao popular. O mio babinno Caro, Beauty and the Beast, Canto della Terra, Con te Partiro, Endless Love, Memory, Nessum Dorma, New York New York, Vivo per lei, You make me feel brand new, All I ask of you, Céu de santo amaro, So close, The Prayer, When you believe, You raise me up, dentre outras... Para este concerto, além do trio, receberão convidados para integrar o conjunto instrumental.   Thuany Schneider Cantora popular e lírico, soprano, bacharel em canto pelo Conservatório Brasileiro de Música, possui vasta experiência com diversas apresentações e shows, bem como programas de televisão como TV Alteroza de Minas Gerais e o programa Prelúdio da TV Cultura, concursos de canto como o Maria Callas e diversos festivais e atualmente é  uma das atrações principais do Festival Nacional da Canção em Minas Gerais com o duo romântico. Possui vasta experiência com coros e orquestras.   André Salles Cantor pop/lírico, tenor, ator e versionista. Já participou de diversos espetáculos musicais como ator e cantor, e tem, até a presente data, 35 musicais gravados (CDS), incluindo obras natalinas e páscoa. Possui amplo repertório de solos pop/lírico, além de Jazz e MPB.   Alexandre Rios Pianista erudito e popular, formado no Curso Técnico da Escola de Música Villa Lobos. Durante 13 anos pianista da Confeitaria Colombo, entre 2002 a 2015, pianista no restaurante Au Cheval Blanc em Búzios. Estudante de piano erudito no Villa Lobos, e bacharelado na UFRJ.   [+] saiba mais Movimento e Sinergia - Dança na Cidade | Dança 17/03 Dança Mostra MOVIMENTO E SINERGIA – dança na cidade Através de obras que dialogam musicalmente com expoentes da brasilidade e da música nacional, e que nos convidam a explorar trajetórias artísticas e criar composições de caminhos, as companhias residentes do Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro, em parceria com a Cidade das Artes, percorrem uma rota de arte que nos leva a ocupar com dança espaços como a Praça Coberta e a Esplanada, finalizando com um grande encontro no foyer e palco da Grande Sala. Prestes a completar 15 anos de existência, o Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro ocupa lugar de destaque na produção em dança da América Latina por mobilizar a diversidade na dança carioca, com trabalho plural e acolhedor. Reúne em seus espaços de ensaio cerca de 30 companhias de dança e algumas delas compõem esta primeira programação coletiva na Cidade das Artes.       PROGRAMAÇÃO GRATUITA  CLIQUE AQUI  para acessar as programações gratuitas que acontecerão na Sala de Leitura, Praça Coberta e Esplanada.   PROGRAMAÇÃO PAGA Confira abaixo as programações do Foyer e da Grande Sala que são pagas, Valor do Ingresso único: R$20,00 inteira - R$10,00 meia.     16h40 às 17h20 - FOYER TELAS VIVAS - Pulsar Cia. de Dança (30 min) Telas Vivas, performance da Pulsar Cia. de Dança onde Victor Pesant, artista plástico e intérprete da Pulsar, pintará parte dos corpos dos outros intérpretes da Cia., com os pés. Esse trabalho da Pulsar foi desenvolvido para espaços públicos e inusitados, trazendo para o cotidiano e rotina da cidade, a possibilidade de gerar autonomia do olhar na apreciação de uma obra performática fora dos espaços que tradicionalmente já as legitimariam e ampliando outros meios de contato com o público.   Ficha Técnica: Concepção e direção: Maria Teresa Taquechel y Saiz Intérpretes / criadores Andréa Chiesorin Gabriela Jung Heitor Luiz Neto Paula Mori Raphael Arah Artista plástico e intérprete / criador Victor Pesant Produção executiva Lucimar Gonçalves Direção geral Maria Teresa Taquechel y Saiz   ________________________________________________________________   PROCESSOS SONOROS – Escola Angel Vianna (10min) Release: Processos Sonoros nasce da junção das pesquisas individuais das artistas. Nesse encontro vocal, a respiração é fio condutor para a criação de uma paisagem sonora que surge na relação e sintonia entre corpos e vozes. Resultado da pesquisa de voz e movimento orientada pelo professor André Grabois, Processos Sonoros é o trabalho de Ayeska Ariza, Beatriz Galhardo, Herika Reis, Julia Severo, Laura Silveira, Luisa Olinto, Maria Hermeto, Maria Luiza Tiburi, Natasha Benzaquen, Nina Terra, Rose Benzaquen, alunas em formação no curso técnico em dança contemporânea da Escola Angel Vianna.   Ficha Técnica: Intérpretes: Ayeska Ariza, Beatriz Galhardo, Herika Reis, Julia Severo, Laura Silveira, Luisa Olinto, Maria Hermeto, Maria Luiza Tiburi, Natasha Benzaquen, Nina Terra, Rose Benzaquen. Orientador: André Grabois   ________________________________________________________________   17h30 às 19h30 - Grande Sala APONTE com Dinamosfera Cia de Dança (30 min) Release: Apresentação de uma obra cênica de dança contemporânea para 6 bailarinos que explora o universo popular brasileiro, as relações interpessoais e sociais e novas formas de expressão em dança contemporânea. Utilizando o universo musical da obra de Maria Bethânia, este projeto de espetáculo de dança contemporânea visa despertar o espectador para a potência da juventude vivida e presente na memória atual, o frescor do primeiro amor e as marcas das paixões arrasadoras, a ousadia do desejo de mudança e a consciência de finitude de uma vida que, metaforicamente, só dura um dia. Da mesma maneira que é a apresentação de novas linguagens na dança contemporânea carioca e brasileira em tempos cuja criação artística é propícia e incentivada. A ideia do projeto é revisitar e "ressignificar" a obra de Maria Bethânia e as danças populares brasileiras a fim de difundir a arte brasileira e a cultura da MPB.     Ficha Técnica: Direção e concepção e Coreografias: Dinamosfera - Dinis Zanotto, Flavia Spinardi e Tamires Coutinho. Produção Executiva: Mariana Chew Design de luz: Flavia Spinardi Figurino: Dinamosfera Trilha sonora composta por: Gabriel Reis e João Melo Bailarinos: Caroline Monlleo, Flávia Spinardi, Denise Guerchon, Dinis Zanotto e Tamires Coutinho.   ________________________________________________________________   ENCANTOS DA ROSEIRA com Grupo Roseira d'Água Release: Os integrantes são conduzido por uma Estrela Guia que surge brilhando no céu e “alumiando” o mar. Os personagens (músicos e dançantes) navegam por águas encantadas, e nos apresentam nessa travessia lindos encontros com mestras e mestres das tradições que fazem dos ritos de trabalho e de devoção, festa de fé e diversão. Traz em seu enredo ritmos musicais e dançantes da cultura popular brasileira, como Samba, do Rio de Janeiro; Chegança, de Alagoas; Carimbó, do Pará; Cirandas e Cocos, de Pernambuco; Toque de Caixa do Divino Espírito Santo; Cacuriá e Bumba-meu-Boi, do Maranhão. Nossa proposta é apresentar por meio da arte os saberes que recebemos dos mestres e suas tradições para alunos em sala de aula, ocupações em territórios públicos e palcos das cidades, tendo como referência as matrizes da nossa formação identitária, propagando a cultura popular brasileira.   Ficha Técnica: Direção geral: Viviane Brito   Dançantes: Carla Giglio, Mariana Baldi, Viviane Brito, Deivison Garcia, Matheus Faria, Pedro Bárbara, Jéssica Lima   Músicos: Clara Paixão, Shantal Carvalho, Luciano Monteiro, Matheus Faria, Rodrigo Rios, Romeu Silva   ________________________________________________________________   TIM TIM com a Cia de atores bailarinos Adolpho Bloch (50 min) Release: Num jogo de pingue-pongue emocional, o espetáculo Tim Tim dialoga com canções de Tim Maia e sensações da pesquisa derradeira de Tim Lopes, numa quase guerra interior. É uma tentativa de permanecer, de virar a página, de erguer-se e voltar a caminhar. O espetáculo busca ressaltar os contrastes entre violência e poesia, retratando flashes da memória de Tim Lopes e Tim Maia utilizando uma narrativa não linear, dança contemporânea e teatro físico.   Ficha técnica: Direção artística e coreográfica: Rosane Campello Atores-bailarinos: Julio Lopes, Luciana Carnout, Victor Garcia, Giulia Fiorani, Lia Sevach, Manuela Marins, Ana Mello, Leticia Januario, Helena Paim, Victor Machado. Assistência de coreografia: Julio Lopes Iluminação: Gil Santos Sonoplastia: Daniel Rokko Visual: Nathalia Laudano Fotografia: Alex Gaudêncio Produção: A4 Produções Artísticas       Ficha Técnica - Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro Direção Artística: Diego Dantas Direção Administrativa e Técnica: Gil Santos Assistência Administrativa: Ana Maria dos Santos Coordenação de Oficinas e Residências Artísticas: Fabiana Amaral Coordenação de Produção: Bárbara Santos Coordenação de Pós-produção: Graça Gadelha Coordenação de Acervo, Pesquisa e Comunicação – Midiateca: Letícia Januário Técnico responsável: Cristiano Teodoro     [+] saiba mais Junta Local de Verão | Feira 09/03 e 10/03 Feira A Junta Local estará de volta à Barra da Tijuca dentro de sua temporada de verão de feiras. Esta será a quinta feira do coletivo de pequenos produtores que promove a comida boa, local e justa na Cidade das Artes.   As feiras da Junta Local são uma oportunidade única para comer bem e conhecer os produtores que fazem parte da plataforma de aproximação e mudança do sistema alimentar proposta pelo projeto (http://www.juntalocal.com), originado em agosto de 2014 em Botafogo.   Nos dias 9 e 10 de março, mais de 50 pequenos produtores ocuparão a Praça da Cidade das Artes, com enorme variedade de produtos, desde hortifrúti orgânicos, pães e queijos artesanais, vinhos, cervejas artesanais e comidas feitas com os melhores ingredientes locais.   Como parte da programação, haverá música ao vivo e som do "Juntos com Certeza".   Convidamos a todos a curtirem o resto do verão. Tragam suas toalhas e cestas para realizarmos piqueniques e curtir o por do sol no jardim da Cidade das Artes.   ENTRADA GRATUITA [+] saiba mais Concerto Bach-Mozart | Música de Câmara 09/03 Música Abertura da Temporada ACC 2019   Concerto Bach-Mozart   É com alegria que a Associação de Canto Coral reinicia suas atividades no ano de 2019. Apresentando obras de dois grandes compositores da música ocidental, J. S. Bach e W. A. Mozart, a Associação trará o trabalho do Coro de Câmara e do Coro Sinfônico da ACC, regidos por Rafael Caldas e Jésus Figueiredo, respectivamente. No repertório, a Cantata 147 e a Missa da Coroação. A primeira obra retrata Bach em sua grandiosidade composicional. Com duas partes, inicia com um movimento fugato de alta exigência técnica do coro e segue com solos vocais virtuosísticos. Ambas as partes terminam com o famoso coral Jesus alegria dos homens com textos diferentes. A segunda obra revela um Mozart em sua plena forma, com impacto nos trechos imponentes, grandes contrastes de dinâmica e textura e beleza lírica nos solos. Um programa imperdível. Confira!     História da Associação de Canto Coral A Associação de Canto Coral (ACC) foi criada em dezembro de 1941, tendo como patrono musical o compositor Heitor Villa-Lobos e, como diretora artística, Cleofe Person de Mattos, maestrina e musicóloga dedicada à pesquisa de obras de compositores de nosso passado musical, sobretudo do Padre José Maurício Nunes Garcia. A difusão do resultado de suas pesquisas tornou-se um dos papéis cruciais da instituição. A ACC tem o objetivo de divulgar o patrimônio musical brasileiro, sobretudo por meio de concertos no Brasil e no exterior, bem como através de gravações das principais obras corais-sinfônicas do período colonial. Até a presente data, a Associação de Canto Coral já realizou mais de 750 récitas. Atualmente presidida por Pedro Olivero, a Associação já esteve sob comando de nomes como Fernando Bicudo e Cícero Sandroni. De 1995 a 2012, a direção artística foi representada pelos regentes Carlos Alberto Figueiredo e Valéria Matos e, desde 2013, é ocupada pelo maestro Jésus Figueiredo.  A ACC já atuou com grandes orquestras, sob a regência de maestros internacionais como Igor Strawinsky, Karl Richter, Victor Tevah, Colin Daves, Helmuth Rilling, Jacques Pernoo; e maestros brasileiros, a exemplo de Villa-Lobos, Camargo Guarnieri, Francisco Mignone, Isaac Karabtchevsky, Alceo Bocchino, Benito Juarez e Henrique Morelenbaum. Sua numerosa discografia inclui obras de José Maurício Nunes Garcia, Villa Lobos, Francisco Mignone, Brasílio Itiberê, Camargo Guarnieri, Almeida Prado e Marlos Nobre. Preocupada com a formação de público, com a preparação de novas gerações de cantores e com a reciclagem de profissionais atuantes no meio musical, a ACC promove palestras, ciclos de leituras de obras corais, vídeos comentados, musicalização infantil, cursos para professores, estudantes de música e comunidade coral, dentre outras atividades. A Associação de Canto Coral é reconhecida como órgão de Utilidade Pública Federal, sem fins lucrativos e não conta com nenhuma subvenção pública. Por essa razão, mantém-se pela contribuição de sócios e pelo eventual apoio de empresas privadas.   [+] saiba mais Espetáculo Teatral | O Lado B 11/01 a 17/02 Teatro Nova peça da companhia teatral Água Benta, "O Lado B" mergulha nas sombras dos indivíduos contemporâneos com projeções ao vivo, karaokê em cena e cenário articulado, a quarta criação do grupo foi escrita por Gustavo Damasceno e dirigida por Marcéu Pierrotti.   Em janeiro, a sala eletroacústica da Cidade das Artes, na Barra da Tijuca (Rio de Janeiro/RJ), será invadida por personagens ambíguos, atormentados e vulneráveis - como afinal, somos todos nós. No enredo de "O Lado B", entretanto, eles estão frente a situações limite, que exigem escolhas radicais e podem mudar os rumos de suas vidas. E é justamente isso que vai prender o espectador ao longo das quatro histórias que compõem a peça.   "Corpos anestesiados pelos abusos externos e pela autocrítica diária vão implodir ou explodir em algum momento. Esses personagens estão buscando uma saída para suas dores, mas que agora - por as terem sufocado durante muito tempo - podem vir descontroladamente", avisa o diretor Marcéu Pierrotti, que buscou humanizar os dramas de cada personagem, e escolheu estéticas bem diferentes para abordar cada trama.   Inspirações como os filmes Relatos Selvagens e Um dia de fúria estiveram presentes durante o período de pesquisa dos atores da companhia para este trabalho. Através de improvisações e composições coletivas, eles criaram um repertório de cenas curtas que foi o material de base utilizado pelo dramaturgo Gustavo Damasceno para criar a estrutura do espetáculo, que é dividido em quatro atos, cada um contando uma história diferente. Regina (Flavia Pucci) é uma mulher sufocada pela rotina. Ana (Paula Moreno) é uma mulher solitária, viciada em sexo. Jonas (Charles Asevedo) é um marido fiel que se encanta por Jaqueline, o lado mulher do cross-dresser Roberto (Ciro Sales). Marco (Joelson Medeiros) é um homem inconformado com o fim de seu relacionamento. Todos eles nos revelam um pouco de quem somos.     Mergulho contínuo Pesquisar o comportamento de homens e mulheres nas sociedades contemporâneas, aliás, é a tônica da companhia Água Benta. Formado pelos atores Charles Asevedo, Flavia Pucci, Joelson Medeiros e Paula Moreno, o grupo se debruça sobre as contradições que permeiam a vida e o cotidiano dos seres humanos. Nas três montagens anteriores - "Antiga", do próprio Damasceno, com direção de Charles Asevedo, "Uma noite sem o aspirador de pó", de Priscila Gontijo, também dirigida por Charles, e "Olho de Vidro", de Renata Mizrahi, dirigida por Vera Holtz, Guilherme Leme e Flavia Pucci - a Água Benta tem investigado o indivíduo, suas ações, pensamentos e paradoxos. "A vida em sociedade pode ser dividida em dois pilares: aquilo que mostramos ao outro e o que escolhemos não mostrar", opina Flavia Pucci. " Em cada história d'O Lado B, exploramos toda a potencialidade humana, desde os comportamentos corriqueiros até os segredos mais sombrios da mente", completa. Assim, esse trabalho é a continuidade e o amadurecimento de um processo continuado, e traz para a companhia relevância, aprofundamento e novos encontros e parcerias.     Encontros frutíferos Além de Gustavo Damasceno, colaborador da companhia desde o início, "O Lado B" também retoma parcerias já realizadas. A primeira delas é com Carla Berri – cenógrafa premiada com o Prêmio Shell do último ano pelo cenário de "Hamlet", criação da Armazém Companhia de Teatro - que propõe para esse trabalho uma cenografia modular, em cabines articuladas que os atores manipulam e modificam de acordo com o avançar da história.   Em seguida, é importante ressaltar o encontro com a atriz e artista plástica Maureen Miranda (que está no ar em “O Sétimo Guardião”, novela da Rede Globo, como a personagem Dida), outra antiga colaboradora da cia. Maureen seguiu a proposta do diretor e reforça com suas criações as diferenças estéticas entre os atos da peça. Na primeira trama, toques de realismo fantástico e referências a histórias em quadrinhos. Na história seguinte, linguagem cinematográfica e tons mais realistas. " Exagero é a palavra de ordem das peças que compõem o terceiro bloco de O Lado B", brinca a figurinista, que explora todas as possibilidades do universo de Jonas e Roberto. Já para a narrativa final, ela adotou uma estética mais seca, que beira o estilo militar. “ É um espetáculo em que posso deixar a criatividade fluir. São universos bem distintos um do outro, não precisei ficar presa a uma estética apenas, já que são blocos independentes. E o resultado ficou muito interessante no palco”, conta Maureen. Conduzindo a companhia pela primeira vez, Marcéu Pierrotti se vale neste trabalho de sua pesquisa das linguagens cênica e cinematográfica, iniciada durante a sua graduação em direção teatral pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e aprofundada em "Moléstia", sua primeira criação em teatro, a partir do texto de Herton Gustavo Gratto, que esteve em cartaz em temporadas na Sala Vianinha, no Reduto e no Teatro Gláucio Gill, ao longo do ano.   E o encontro inédito com Marcéu vem a partir de outro encontro também inédito: o com Ciro Sales, que completa o elenco. O ator, que esteve recentemente na novela “Segundo Sol” da Rede Globo vivendo o garoto de programa Du Love, estava sendo dirigido por Marcéu em Moléstia quando começou a colaborar com a companhia. Aqui, Ciro vive Jaqueline, e mudou radicalmente o visual para esta composição, conciliando os ensaios com as gravações da novela e a temporada de "Galáxias I", espetáculo da Polifônica Cia.   O ator se une ao grupo junto com outros criadores e técnicos para levar ao palco suas percepções dessa pesquisa em uma narrativa que mistura humor, drama e tragédia. E que, agora, aguarda o encontro com o público carioca.     Ficha Técnica Dramaturgia: Gustavo Damasceno Direção: Marcéu Pierrotti Assistência de direção: Filipe Leon Elenco: Joelson Medeiros, Flavia Pucci, Charles Asevedo, Paula Moreno e Ciro Sales Figurino: Maureen Miranda Cenografia: Carla Berri Trilha sonora: Leonardo Netto Direção de movimento: Toni Rodrigues Iluminação: Luan de Almeida Fotografia: Nanah Garcia Criação gráfica: Otimistas Produção: Made In Lu Criação e Arte Ltda Direção de produção: Joelson Medeiros Produção e realização: Água Benta Cia de Criação [+] saiba mais