Fundação Cidade das Artes

Programação » Stabat Mater (Homenagem a Gioacchino Rossini)

Evento Encerrado

Stabat Mater (Homenagem a Gioacchino Rossini)



Stabat Mater

2018 é um ano de muitas homenagens no mundo da música de concerto. E a  Associação de Canto Coral ressalta os 150 anos de falecimento de Gioacchino Rossini, executando o Stabat Mater, obra composta em 1833 e que só teve sua versão definitiva em 1842.

Dois anos depois da estreia de sua última ópera, Guilherme Tell, por volta de 1831, Rossini recebeu durante viagem à Espanha, uma encomenda feita pelo conselheiro do Estado, o arquidiácono Fernández Varela. Devido a complicações em seu estado de saúde, precisou interromper o trabalho, deixando a conclusão à responsabilidade de seu amigo e também compositor italiano Giovanni Tadolini (1789 – 1872). Rossini terminaria a composição, substituindo as seções compostas por Tadolini pelas suas próprias, somente em 1841, após a morte de Varela, aquele que encomendou a obra. Esta versão teve sua estreia em 1841.

A obra é composta para quatro solistas: soprano, mezzo-soprano, tenor e baixo, acompanhados por coro misto e orquestra. Contém dez seções, que se alternam em relação ao tipo de formação do grupo, ou seja, em algumas seções há o uso de duos, solista acompanhado pelo coro, ou então os quatro solistas simultaneamente, e assim por diante, dependendo da necessidade expressiva de cada passagem ou cena.

 

 

Associação de Canto Coral

A Associação de Canto Coral, entidade sem fins lucrativos criada em dezembro de 1941 tendo como patrono musical o compositor Heitor Villa-Lobos e como diretora artística a maestrina Cleofe Person de Mattos, tem o objetivo de divulgar o patrimônio musical brasileiro, sobretudo através de concertos no Brasil e no exterior e gravações das principais obras corais-sinfônicas do período colonial. Até a presente data, a Associação de Canto Coral já realizou mais de 750 concertos, com grandes orquestras, sob a regência de maestros internacionais como: Igor Strawinsky, Karl Richter, Victor Tevah, Sir Colin Daves, Helmuth Rilling, Jacques Pernoo; e maestros brasileiros como: Villa-Lobos, Camargo Guarniere, Francisco Mignone, Isaac Karabtchevsky, Alceo Bocchino, Benito Juarez e Henrique Morelenbaum. Sua numerosa discografia inclui autores nacionais como José Maurício Nunes Garcia e os setecentistas mineiros; os nacionalistas Villa Lobos, Francisco Mignone, Brasílio Itiberê e Camargo Guarnieri; e os contemporâneos Almeida Prado e Marlos Nobre. Já teve como diretores artísticos, sua fundadora a maestrina e fundadora Cleofe Person de Mattos e também o Maestro Carlos Alberto Figueiredo, a maestrina Valéria Mattos e desde a 2013 a direção musical é do Maestro Jésus Figueiredo.

 

PROGRAMA 
Stabat Mater, Gioaccino Rossini

SOLISTAS Soprano: Eliane Lavigne I Contralto: Andressa Inácio I Tenor: Clayber Guimarães I Baixo: Pedro Olivero

PIANO: Eliara Puggina


REGÊNCIA:  Jésus Figueiredo

 

Stabat Mater – Rossini
Vários compositores se aventuraram em compor obras baseadas no texto Stabat Mater, desde renascentistas como o italiano Giovanni Pierluigi da Palestrina (1525 – 1594), barrocos como Domenico Scarlatti (1685 – 1757), até clássicos como Joseph Haydn (1732 – 1809), chegando aos dias atuais através de compositores como Arvo Pärt (1935) e Penderecki (1933). O Stabat Mater é um poema religioso cuja origem está arraigada no contexto do século XIII. Era um texto usado na liturgia romana, servindo como sequência da missa ou assumindo a função de um hino. O texto começa com a frase “Stabat mater dolorosa”, que significa “Estava a mãe a sofrer”, cujo propósito reside na descrição da dor de Maria ao ver o filho Jesus crucificado. Até meados do século XIX, o Stabat Mater era reservado quase exclusivamente para o ofício religioso. Com o passar dos anos, o gênero foi ganhando terreno no repertório de concerto das grandes orquestras e através de novas perspectivas por parte dos compositores, que agora ampliavam o potencial narrativo da obra com mais liberdade. É o caso de Rossini que durante quase toda a vida dedicou-se ao gênero operístico e, então, decidiu se aventurar em obras de natureza religiosa, sendo o seu Stabat Mater a mais conhecida e consagrada dessas obras. Por volta de 1831, dois anos depois da estreia de Guilherme Tell, sua última ópera, em viagem à Espanha, Rossini recebeu encomenda de um conselheiro do Estado, o arquidiácono Fernández Varela, porém, por culpa de uma complicação de seu estado de saúde, teve de interromper o trabalho, deixando a conclusão à responsabilidade de seu amigo e também compositor italiano Giovanni Tadolini (1789 – 1872). A versão finalizada por Tadolini estreou em 1833 e só em 1841, após a morte de Varela, aquele que encomendou a obra, Rossini iria de fato terminar a composição, substituindo as seções compostas por Tadolini pelas suas próprias. A versão definitiva de Rossini foi estreada em Paris, em 1842.

A obra é composta para quatro solistas: soprano, mezzo-soprano, tenor e baixo, guarnecidos por um coro misto, além da orquestra. Contém dez seções, que se alternam em relação ao tipo de formação do grupo, ou seja, em algumas seções há o uso de duos, solista acompanhado pelo coro, ou então os quatro solistas simultaneamente, e assim por diante, dependendo da necessidade expressiva de cada passagem ou cena. É interessante notar que Rossini deixa transparecer sua vertente operística, através da dramaticidade da orquestração, dos gestos melódicos e de demais elementos como, por exemplo, a segunda seção nomeada Cujus animam, para tenor, que nos lembra uma ária de bravura de algumas de suas óperas. O Stabat Mater de Rossini se reveste de uma beleza ímpar, capaz de preencher o ambiente com uma solenidade envolvente, impregnada de intensa dramaticidade.

 

História da Associação de Canto Coral
A Associação de Canto Coral é uma instituição cultural voltada para o convívio social através da cultura e da arte, especificamente o canto coral. Fundada em 1941 pela musicóloga Cleofe Person de Matos, dedicou-se, desde suas origens, à divulgação da música coral brasileira, especialmente a música colonial, objeto das pesquisas da professora Cleofe, que reviveu a obra do maior compositor carioca do período, o padre José Maurício Nunes Garcia. Desde então, a ACC realizou centenas de concertos, com repertório variado, nas melhores salas do Brasil e até no exterior, sob a batuta de renomados maestros nacionais e estrangeiros, como Igor Strawinsky, Karl Richter, Victor Tevah, Sir Colin Daves, Helmuth Rilling, Jacques Pernoo; e maestros brasileiros como: Villa-Lobos, Camargo Guarniere, Francisco Mignone, Isaac Karabtchevsky, Alceo Bocchino, Benito Juarez e Henrique Morelenbaum. Sua numerosa discografia inclui autores nacionais como José Maurício Nunes Garcia e os setecentistas mineiros; os nacionalistas Villa Lobos, Francisco Mignone, Brasílio Itiberê e Camargo Guarnieri; e os contemporâneos Almeida Prado e Marlos Nobre. Nos últimos anos, a direção musical da ACC esteve sob o comando de Carlos Alberto Figueiredo e Valéria Matos e, atualmente, do maestro Jésus Figueiredo. Não tendo nenhum fim lucrativo, e sem nenhuma subvenção estatal, a ACC se mantém apenas através de doações de seus membros e eventuais patrocínios privados. Atualmente, a ACC abriu o leque de grupos corais com diferentes perfis: Coro Oficina, Prelúdio, Coro de Câmara, Coro Lírico Feminino, Coro Tu Voz Mi Voz e Coro Sinfônico. Para aprimorar o desempenho dos cantores, a instituição oferece aulas de técnica vocal individual ou em grupo, teoria e percepção e leitura musical.

Música

Informações Gerais

Datas

14/04

Horários

Sábado - 20h

Duração

70 Minutos em média

Local

Cidade das Artes

Sala

Teatro de Câmara

Classificação Etária

Livre

Preços

Meia : R$ 15,00

Inteira : R$ 30,00

Em caso de compra de ingresso pelo call center ou pelo site é possível escolher somente o setor que você deseja. O próprio sistema identifica as cadeiras livres no setor escolhido e emite os ingressos referentes aos lugares vagos. Comprando o ingresso diretamente na bilheteria da Cidade das Artes é possível escolher setor e cadeira.

Demais Eventos da Programação

Acompanhe nossa Programação On-line 17/04 a 28/12 Projetos CDA Você #ficaemcasa e a gente te entrega ao vivo: CULTURA, EMPREENDENDORISMO, CONHECIMENTO, ARTE, GASTRONOMIA, MÚSICA E MUITO MAIS.   Acompanhe a programação online que preparamos para você em nossas redes sociais: Facebook: cidadedasartes Instagram: cidadedasartes_ Twitter: fundcda Youtube: CidadedasArtes   Você é nosso convidado! Vem com a gente! [+] saiba mais Drive-in das Artes | Vendas Abertas 18/06 a 30/11 Outros Cine Drive-in das Artes é a mais nova opção de diversão para os cariocas A tela de mais de 200m² foi montada no estacionamento da Cidade das Artes e o local pode receber até 100 automóveis simultaneamente, com duas pessoas para sessões adultas e quatro, sendo duas crianças, para os filmes infantis. Todas as regras de segurança e higiene por causa da pandemia da Covid-19 serão seguidas e as vendas só acontecerão online. "A Palonvitas se uniu à Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Cidade das Artes para oferecer ao carioca mais uma opção de lazer em meio a esse momento delicado que vivemos. Queremos trazer de volta o prazer das pessoas verem um filme sem ser em casa. E tudo com a máxima segurança", explicou Felipe Palermo, um dos idealizadores do projeto e sócio da Palonvitas.  Para a prevenção de riscos à saúde de visitantes e funcionários, a novidade que se tornou símbolo da retomada das atividades culturais da pasta conta com um planejamento elaborado a partir de normas higiênico-sanitárias, como as Regras de Ouro e o protocolo específico para eventos criados pela Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses. "Desde o início das restrições nós refletimos com outros órgãos da Prefeitura, setor cultural e a sociedade civil, as formas de oferecer entretenimento e arte à população. Durante esse tempo, a secretaria realizou atividades online com um empenho incrível de nossas equipes. Só nas nossas redes, cerca de 370 mil pessoas curtiram projetos de sucesso como o Vira Rio Cultural no Dia do Trabalhador, ou o Cinema nas Janelas da RioFilme. A Cultura nunca parou, mas agora o Drive-In simboliza a retomada com todo o charme do cinema dos anos 70, em um momento que discutimos protocolos sanitários para a reabertura dos equipamentos com segurança", explicou o secretário municipal de Cultura, Adolfo Konder. A venda exclusiva de ingresso online é uma das medidas de prevenção e combate ao novo coronavírus. Na entrada do drive-in, um funcionário usando equipamentos de proteção individual (EPIs) vai orientar o público sobre a localização da vaga comprada pela internet. Os lanches serão entregues através da janela do carro e somente com a utilização das máscaras. E para ir ao banheiro, o visitante será transportado em um carrinho de golfe. Não haverá filas e os sanitários serão higienizados a cada uso. "Assim que saiu o decreto em março, nós pensamos que o Drive-In seria uma alternativa realmente viável porque o contato pessoal é zero, você não sai do carro. Começamos a buscar parcerias e hoje temos muita alegria de realizar esse projeto para a cidade do Rio de Janeiro. Idealizamos todos os detalhes para trazer o charme do drive-in dos anos 70, e agora a ideia é expandir e pensar em novas atrações ao ar livre, considerando o excelente espaço que temos", resume a presidente da Cidade das Artes, Renata Monteiro. [+] saiba mais Festival de Música On-line da Cidade das Artes 20/07 a 27/09 Festival FESTIVAL DE MÚSICA ON-LINE DA CIDADE DAS ARTES   O Festival de Música On-Line é um concurso cultural organizado pela Cidade das Artes em parceria com a Associação Cultural Maré do Amanhã, e tem como intuito dar visibilidade ao artista por meio do incentivo à música autoral. O projeto visa estimular a produção musical, bem como revelar talentos e valorizar os profissionais que estão entre as classes mais atingidas economicamente nesse momento de isolamento social. Durante os últimos meses, artistas de diferentes vertentes vêm buscando nas redes uma forma de se reinventar, procurando novos mecanismos para levar a sua arte. Dentro desse cenário, convidamos você, músico, a participar conosco.    OBJETIVO: Trata-se de concurso para a seleção das melhores propostas de música autoral a serem apresentadas em conformidade com o estabelecido no regulamento. O festival será de âmbito local e ocorrerá em etapa única.    INSCRIÇÕES: As inscrições são gratuitas e serão realizadas entre os dias 20 de julho e 06 de setembro de 2020. Pode participar do processo qualquer pessoa de nacionalidade brasileira, residente na cidade do Rio de Janeiro, com idade acima de 18 anos.  Serão aceitas somente inscrições de músicas autorais, ou seja, que não tenham sido oficialmente lançadas e publicadas comercialmente sob o formato físico ou digital de âmbito nacional, com letras em português e temática livre.  Para participar, é necessário preencher a ficha de inscrição e enviar um vídeo apresentando a música escolhida. Não existem restrições a gêneros musicais.   RESULTADO E APRESENTAÇÕES: O resultado do julgamento será divulgado no dia 14 de setembro, conforme cronograma:  De 20 de julho a 06 de setembro – Inscrições; Dia 14 de setembro – Publicação dos 20 candidatos selecionados; Dia 18 de setembro – Início do Festival – 1a eliminatória; Dia 19 de setembro – 2a eliminatória; Dia 22 de setembro – 3a eliminatória; Dia 25 de setembro – Semifinal; Dia 27 de setembro– Final e premiação.   PREMIAÇÃO: Os três primeiros colocados receberão troféus, além da premiação em dinheiro. Ao vencedor caberá, ainda, uma pauta para fazer um show em um dos teatros da Cidade das Artes. A premiação se dará da seguinte forma: - 1º classificado: R$ 10 mil - 2º classificado: R$ 5 mil  - 3º classificado: R$ 3 mil     *Antes de fazer sua inscrição leia o regulamento clicando AQUI. *Agora que já leu o regulamento, é só se inscrever AQUI.     Te desejamos sorte e esperamos você! [+] saiba mais PROJETO @CESSO 2020 05/08 a 28/10 Projetos CDA Em parceria com a Cidade das Artes, o maior festival internacional de webséries do mundo - Rio WebFest, apresenta a chamada para terceira turma do projeto @cesso, um curso de qualificação com o objetivo de instrumentalizar pessoas com noções inicias de produção em eventos culturais através dos princípios do empreendedorismo digital.  Todos os alunos receberão passaportes para os eventos do festival que acontece aqui na Cidade das Artes em novembro. Os alunos receberão certificado de participação que será entregue na Abertura Oficial do evento, além de haver uma seleção de jovens talentos para integrar a equipe do Rio WebFest 2020. Esses jovens terão a oportunidade de experimentar as mais diversas funções e receberão ajuda de custo e alimentação.  O Projeto atenderá prioritariamente jovens provenientes das comunidades carentes da Zona Oeste do município do Rio de Janeiro. É importante informar se houver casos de alunos com necessidades especiais para avaliarmos e nos prepararmos para uma possível adaptação das aulas.   O fundador do Rio Webfest, Sp WebFest e Brasil Web Awards, Daniel Archangelo, estará à frente do @cesso. Daniel também é proprietário da Dendrobates Cultura, é Diretor em Artes Cênicas formado pela UFRJ e ator formado pela Escola de Teatro Martins Pena, sócio da Charlote Produções Culturais e da Tentáculos Espetáculos. Equipe Auxiliar à definir - Assistência de conteúdo à definir - Assistência de produção PALESTRANTES Leandro Silva - Conteúdo Digital Douglas Costa - Plataformas de Gerenciamento à definir - Ações em equipe Deuza Souza - Formação de Equipe   CONTEÚDO  Aula 1 - Realização  Aula 2 - Formação de uma equipe Aula 3 - Comunicação Aula 4 - Princípios da produção Aula 5 - Home Office: pós quarentena Aula 6 - Frentes Técnicas Aula 7 - Planilhas Aula 8 - Produtos e linguagens culturais  Aula 9 - Rodada de Negócios Aula 10 - Inovação     *INSCRIÇÕES ENCERRADAS*     [+] saiba mais