Fundação Cidade das Artes

Programação » Espetáculo Teatral | O Lado B

Evento Encerrado

Espetáculo Teatral | O Lado B



Nova peça da companhia teatral Água Benta, "O Lado B" mergulha nas sombras dos indivíduos contemporâneos com projeções ao vivo, karaokê em cena e cenário articulado, a quarta criação do grupo foi escrita por Gustavo Damasceno e dirigida por Marcéu Pierrotti.

 

Em janeiro, a sala eletroacústica da Cidade das Artes, na Barra da Tijuca (Rio de Janeiro/RJ), será invadida por personagens ambíguos, atormentados e vulneráveis - como afinal, somos todos nós. No enredo de "O Lado B", entretanto, eles estão frente a situações limite, que exigem escolhas radicais e podem mudar os rumos de suas vidas. E é justamente isso que vai prender o espectador ao longo das quatro histórias que compõem a peça.

 

"Corpos anestesiados pelos abusos externos e pela autocrítica diária vão implodir ou explodir em algum momento. Esses personagens estão buscando uma saída para suas dores, mas que agora - por as terem sufocado durante muito tempo - podem vir descontroladamente", avisa o diretor Marcéu Pierrotti, que buscou humanizar os dramas de cada personagem, e escolheu estéticas bem diferentes para abordar cada trama.

 

Inspirações como os filmes Relatos Selvagens e Um dia de fúria estiveram presentes durante o período de pesquisa dos atores da companhia para este trabalho. Através de improvisações e composições coletivas, eles criaram um repertório de cenas curtas que foi o material de base utilizado pelo dramaturgo Gustavo Damasceno para criar a estrutura do espetáculo, que é dividido em quatro atos, cada um contando uma história diferente. Regina (Flavia Pucci) é uma mulher sufocada pela rotina. Ana (Paula Moreno) é uma mulher solitária, viciada em sexo. Jonas (Charles Asevedo) é um marido fiel que se encanta por Jaqueline, o lado mulher do cross-dresser Roberto (Ciro Sales). Marco (Joelson Medeiros) é um homem inconformado com o fim de seu relacionamento. Todos eles nos revelam um pouco de quem somos.

 

 

Mergulho contínuo

Pesquisar o comportamento de homens e mulheres nas sociedades contemporâneas, aliás, é a tônica da companhia Água Benta. Formado pelos atores Charles Asevedo, Flavia Pucci, Joelson Medeiros e Paula Moreno, o grupo se debruça sobre as contradições que permeiam a vida e o cotidiano dos seres humanos. Nas três montagens anteriores - "Antiga", do próprio Damasceno, com direção de Charles Asevedo, "Uma noite sem o aspirador de pó", de Priscila Gontijo, também dirigida por Charles, e "Olho de Vidro", de Renata Mizrahi, dirigida por Vera Holtz, Guilherme Leme e Flavia Pucci - a Água Benta tem investigado o indivíduo, suas ações, pensamentos e paradoxos.

"A vida em sociedade pode ser dividida em dois pilares: aquilo que mostramos ao outro e o que escolhemos não mostrar", opina Flavia Pucci. " Em cada história d'O Lado B, exploramos toda a potencialidade humana, desde os comportamentos corriqueiros até os segredos mais sombrios da mente", completa. Assim, esse trabalho é a continuidade e o amadurecimento de um processo continuado, e traz para a companhia relevância, aprofundamento e novos encontros e parcerias.

 

 

Encontros frutíferos

Além de Gustavo Damasceno, colaborador da companhia desde o início, "O Lado B" também retoma parcerias já realizadas. A primeira delas é com Carla Berri – cenógrafa premiada com o Prêmio Shell do último ano pelo cenário de "Hamlet", criação da Armazém Companhia de Teatro - que propõe para esse trabalho uma cenografia modular, em cabines articuladas que os atores manipulam e modificam de acordo com o avançar da história.

 

Em seguida, é importante ressaltar o encontro com a atriz e artista plástica Maureen Miranda (que está no ar em “O Sétimo Guardião”, novela da Rede Globo, como a personagem Dida), outra antiga colaboradora da cia. Maureen seguiu a proposta do diretor e reforça com suas criações as diferenças estéticas entre os atos da peça. Na primeira trama, toques de realismo fantástico e referências a histórias em quadrinhos. Na história seguinte, linguagem cinematográfica e tons mais realistas. " Exagero é a palavra de ordem das peças que compõem o terceiro bloco de O Lado B", brinca a figurinista, que explora todas as possibilidades do universo de Jonas e Roberto. Já para a narrativa final, ela adotou uma estética mais seca, que beira o estilo militar. “ É um espetáculo em que posso deixar a criatividade fluir. São universos bem distintos um do outro, não precisei ficar presa a uma estética apenas, já que são blocos independentes. E o resultado ficou muito interessante no palco”, conta Maureen. Conduzindo a companhia pela primeira vez, Marcéu Pierrotti se vale neste trabalho de sua pesquisa das linguagens cênica e cinematográfica, iniciada durante a sua graduação em direção teatral pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e aprofundada em "Moléstia", sua primeira criação em teatro, a partir do texto de Herton Gustavo Gratto, que esteve em cartaz em temporadas na Sala Vianinha, no Reduto e no Teatro Gláucio Gill, ao longo do ano.

 

E o encontro inédito com Marcéu vem a partir de outro encontro também inédito: o com Ciro Sales, que completa o elenco. O ator, que esteve recentemente na novela “Segundo Sol” da Rede Globo vivendo o garoto de programa Du Love, estava sendo dirigido por Marcéu em Moléstia quando começou a colaborar com a companhia. Aqui, Ciro vive Jaqueline, e mudou radicalmente o visual para esta composição, conciliando os ensaios com as gravações da novela e a temporada de "Galáxias I", espetáculo da Polifônica Cia.

 

O ator se une ao grupo junto com outros criadores e técnicos para levar ao palco suas percepções dessa pesquisa em uma narrativa que mistura humor, drama e tragédia. E que, agora, aguarda o encontro com o público carioca.

 

 

Ficha Técnica

Dramaturgia: Gustavo Damasceno

Direção: Marcéu Pierrotti

Assistência de direção: Filipe Leon

Elenco: Joelson Medeiros, Flavia Pucci, Charles Asevedo, Paula Moreno e Ciro Sales

Figurino: Maureen Miranda

Cenografia: Carla Berri

Trilha sonora: Leonardo Netto

Direção de movimento: Toni Rodrigues

Iluminação: Luan de Almeida

Fotografia: Nanah Garcia

Criação gráfica: Otimistas

Produção: Made In Lu Criação e Arte Ltda

Direção de produção: Joelson Medeiros

Produção e realização: Água Benta Cia de Criação

Teatro

Informações Gerais

Datas

11/01 a 17/02

Horários

Sexta e Sábado - 20h

Domingo - 19h

 

Local

Cidade das Artes

Sala

Eletroacústica

Classificação Etária

16 Anos

Preços

Inteira : R$ 50,00

Meia : R$ 25,00

Em caso de compra de ingresso pelo call center ou pelo site é possível escolher somente o setor que você deseja. O próprio sistema identifica as cadeiras livres no setor escolhido e emite os ingressos referentes aos lugares vagos. Comprando o ingresso diretamente na bilheteria da Cidade das Artes é possível escolher setor e cadeira.

Demais Eventos da Programação

Acompanhe nossa Programação On-line 17/04 a 28/12 Projetos CDA Você #ficaemcasa e a gente te entrega ao vivo: CULTURA, EMPREENDENDORISMO, CONHECIMENTO, ARTE, GASTRONOMIA, MÚSICA E MUITO MAIS.   Acompanhe a programação online que preparamos para você em nossas redes sociais: Facebook: cidadedasartes Instagram: cidadedasartes_ Twitter: fundcda Youtube: CidadedasArtes   Você é nosso convidado! Vem com a gente! [+] saiba mais FAÇA SUA DOAÇÃO - Drive Thru Social 22/04 a 30/06 Projetos CDA SUA CONTRIBUIÇÃO É UM PRATO CHEIO. A Cidade das Artes está realizando uma ação especial durante o período da quarentena: o DRIVE THRU SOCIAL. Você pode trazer as suas doações, e entregá-las sem sair do carro, todos os dias, próximo ao ponto de embarque e desembarque, das 10h às 18h. Participe doando: - Alimentos não perecíveis, - Água mineral, - Itens de higiene pessoal e, - Produtos de limpeza. As doações serão entregues às famílias do projeto Arte Vida Arte, da Cidade de Deus, que forma jovens de 7 a 14 anos por meio da educação pela arte.   Espalhe solidariedade! Não é por um, é por todos!   Para mais informações ligue 3325-0102.   [+] saiba mais Mart´nália Canta Vinicius de Moraes 15/08 Música NOVA DATA: Devido às medidas de prevenção e contenção ao contágio do novo CORONAVÍRUS, a Fundação Cidade das Artes, informa que o show “MART´NÁLIA CANTA VINÍCIUS DE MORAES”, que aconteceria no sábado, dia 16 de maio, tem nova data, dia 15 de agosto.   A partir de 21/03/2020 a Bilheteria da Cidade das Artes fecha por tempo indeterminado devido às medidas de prevenção e contenção ao contágio do novo CORONAVÍRUS. Dúvidas e informações relacionadas a ingressos, favor entrar em contato diretamente com a Ingresso Rápido.   SAC apenas whatsapp (11) 94925-7737 e-mail: sac@ingressorapido.com.br         Show homenageia o poeta, em única apresentação no dia 15 de agosto   Nada poderia representar melhor o coração inflamado do carioca do que unir Vinicius e Mart’nália. A cantora já gravou e interpretou nos seus shows muitas coisas lindas. E sempre cantou Vinicius de Moraes, sua paixão e eterno “poetinha”, que tem uma obra vasta e surpreendente. Sua mãe Anália, quando ficava brava mandava logo um vai pra “Tonga da Mironga”... E Martinho, seu pai, assovia canções dele o tempo todo. E foi assim que ela cresceu! Por isso mesmo, o CD escolhido e o show prazerosamente cantado é VINICIUS DE MORAES. O álbum foi produzido musicalmente por Arthur Maia (6 faixas) e Celso Fonseca (6 faixas), e acaba de ganhar o GRAMMY LATINO de 2019 de melhor disco de samba. O show tem direção geral de Marcia Alvarez e Mart’nália, e arranjos de Jorjão Barreto, que também participou do CD. A luz será assinada por Daniela Sanchez. No repertório, a cantora traz ainda outras canções já gravadas por ela, como: “Para que Chorar”, “Mulata do Sapateado”, “Tempo Feliz”, “Sei Lá - a Vida Tem Sempre Razão”, e outras mais... Enquanto isso, na plateia, o público poderá cantar e se emocionar!   “Mart’nália cantando VINICIUS na Lapa salva o BRASIL. Sabe Você, Chega de Saudade, Você e Eu, Canto de Ossanha, Eu Sei Que Vou Te Amar, Tarde em Itapuã, tudo em intensa beleza. Tão delicado e tão contundente! Música. Aconchego com a banda. Saudade de Arthur Maia transformada em felicidade eterna. Martina sambando! Sua irmã sambando! Cada fração de segundo é uma vivência de suingue e paixão. O Circo voou. O Rio se redimiu. O Brasil vai rolar. Grande artista é isso: refaz a realidade em suas profundezas. Mart’nália faz. Ela é. Carlos Lyra, Tom Jobim, Baden, Toquinho, todos os parceiros de Vinicius tiveram seu talento iluminado pela musicalidade natural, impensada, libertadora de Martina. Nós todos que pudemos estar lá reaprendemos a viver”. Caetano Veloso em seu Instagram, sobre o show do Circo Voador - Rio, realizado em 23 de agosto de 2019.   A BANDA: Mart’nália – voz e percussão; Jorjão Barreto – vocal e teclados; Humberto Mirabelli – violão e guitarra; Rodrigo Villa – contrabaixo; Flavio Santos – bateria; Macaco Branco – percussão; Analimar Ventapane – vocal.   [+] saiba mais