Fundação Cidade das Artes

Programação » Rio H2K 2018 apresenta: Cão Sem Plumas | Cia Deborah Colker

Evento Encerrado

Rio H2K 2018 apresenta: Cão Sem Plumas | Cia Deborah Colker



RIO H2K 2018 apresenta o espetáculo Cão Sem Plumas da renomada Cia Deborah Colker

O espetáculo é responsável pela abertura do festival e fará 4 apresentações entre os dias 25 e 27 de maio

A programação conta ainda com atrações para todos os públicos e idades

Entre 25 de maio e 03 de junho, o Rio de Janeiro será palco da oitava edição do Rio H2K – Festival Internacional de Dança. O festival passa a se posicionar como um festival de dança, sem perder a essência e raiz nas danças urbanas, mas como um novo e amplo olhar (através das óticas urbanas) para todas as danças, promovendo outros estilos como jazz fusion, samba, passinho, dança contemporânea e suas múltiplas vertentes de forma ampla e acessível a todos os públicos e idades.

A abertura oficial está marcada para o dia 25, na Grande Sala da Cidade das Artes, com o espetáculo “Cão sem Plumas” da renomada Cia de Dança Deborah Colker. O espetáculo, que estreou no Rio de Janeiro em 2017, fará 4 apresentações durante o final de semana e os ingressos já estão disponíveis.

Deborah Colker faz em “Cão sem plumas”, baseado no poema homônimo de João Cabral de Melo Neto (1920-1999), seu primeiro espetáculo de temática explicitamente brasileira. Publicado em 1950, o poema acompanha o percurso do rio Capibaribe, que corta boa parte do estado de Pernambuco. Mostra a pobreza da população ribeirinha, o descaso das elites, a vida no mangue, de “força invencível e anônima”. A imagem do “cão sem plumas” serve para o rio e para as pessoas que vivem no seu entorno.

“O espetáculo é sobre coisas inconcebíveis, que não deveriam ser permitidas. É contra a ignorância humana. Destruir a natureza, as crianças, o que é cheio de vida”, diz Deborah. A dança se mistura com o cinema. Cenas de um fillme realizado por Deborah e pelo pernambucano Cláudio Assis – diretor de longas-metragens como Amarelo Manga, Febre do Rato e Big Jato – são projetadas no fundo do palco e dialogam com os corpos dos 13 bailarinos. As imagens foram registradas em novembro de 2016, quando coreógrafa, cineasta e toda a companhia viajaram durante 24 dias do limite entre sertão e agreste até Recife.

 

A jornada também foi documentada pelo fotógrafo Cafi, nascido em Pernambuco. Na trilha sonora original estão mais dois pernambucanos: Jorge Dü Peixe, da banda Nação Zumbi e um dos expoentes do movimento mangue beat, e Lirinha (ex-cantor do Cordel do Fogo Encantado, poeta e ator), além do carioca Berna Ceppas, que acompanha Deborah desde o trabalho de estreia, Vulcão (1994). Outros antigos parceiros estão em cenografia e direção de arte (Gringo Cardia) e na iluminação (Jorginho de Carvalho). Os figurinos são de Claudia Kopke. A direção executiva é de João Elias, fundador da companhia.

Os bailarinos se cobrem de lama, alusão às paisagens que o poema descreve, e seus passos evocam os caranguejos. O animal que vive no mangue está nas ideias do geógrafo Josué de Castro (1908-1973), autor de Geografia da fome e Homens e caranguejos, e do cantor e compositor Chico Science (1966-1997), principal nome do mangue beat. O movimento mesclava regional e universal, tradição e tecnologia. Como Deborah faz. Para construir um bicho-homem, conceito que é base de toda a coreografia, a artista não se baseou apenas em manifestações que são fortes em Pernambuco, como maracatu e coco. Também se valeu de samba, jongo, kuduro e outras danças populares. “Minha história é uma história de misturas”, afirma ela. Tendo a Petrobras como mantenedora desde 1995, seu grupo se firmou como fenômeno pop em Velox (1995), Rota (1997) e Casa (1999). Os espetáculos Nó (2005), Cruel (2008), Tatyana (2011) e Belle (2014) trataram de temas existenciais, como os afetos. Em Cão sem plumas, Deborah reúne aspectos de toda a sua carreira.

A estreia internacional aconteceu em 3 de junho, no Teatro Guararapes, em Recife. A Cia. Deborah Colker conta com o patrocínio da Petrobras desde 1995.

 

 

 

OUTRAS ATRAÇÕES DA PROGRAMAÇÃO DO RIO H2K 2018 – FESTIVAL INTERNACIONAL DE DANÇA:

ESPETÁCULO INOAH | GRUPO DE RUA BRUNO BELTRÃO

Dia: 31/05/2018 (Quinta-feira)

Hora: 21h

Grande Sala – Cidade das Artes

Informações e ingressos: https://compre.ingressorapido.com.br/event/6288#!/tickets

 

ESPETÁCULO GELÉIA GERAL | CIA CRUTZ

Dia: 01/06/2018 (Sexta-feira)

Hora: 21h30

Local: Grande Sala – Cidade das Artes

Informações e ingressos: https://compre.ingressorapido.com.br/event/6287#!/tickets

 

RIO H2K BATTLES

Dia: 03/06/2018 (Domingo)

Hora: 16h às 19h

Local: Grande Sala – Cidade das Artes

Informações e ingressos: https://compre.ingressorapido.com.br/event/6289#!/tickets

 

Mais informações sobre o Rio H2K 2018:

Site oficial: www.rioh2k.com.br

Facebook: https://www.facebook.com/rioh2k

Instagram: https://www.instagram.com/rioh2k

Dança

Informações Gerais

Datas

25/05 a 27/05

Horários

Sexta, 25/05 - 21h

Sábado, 26/05 - 18h e 21h

Domingo, 27/05 - 18h

Local

Cidade das Artes

Sala

Grande Sala

Classificação Etária

Livre

Preços

A partir de : R$ 70,00

Redes Sociais

ciadeborahcolker codeborahcolker

Em caso de compra de ingresso pelo call center ou pelo site é possível escolher somente o setor que você deseja. O próprio sistema identifica as cadeiras livres no setor escolhido e emite os ingressos referentes aos lugares vagos. Comprando o ingresso diretamente na bilheteria da Cidade das Artes é possível escolher setor e cadeira.

Demais Eventos da Programação

Acompanhe nossa Programação On-line 17/04 a 28/12 Projetos CDA Você #ficaemcasa e a gente te entrega ao vivo: CULTURA, EMPREENDENDORISMO, CONHECIMENTO, ARTE, GASTRONOMIA, MÚSICA E MUITO MAIS.   Acompanhe a programação online que preparamos para você em nossas redes sociais: Facebook: cidadedasartes Instagram: cidadedasartes_ Twitter: fundcda Youtube: CidadedasArtes   Você é nosso convidado! Vem com a gente! [+] saiba mais Drive-in das Artes | Vendas Abertas 18/06 a 30/11 Outros Cine Drive-in das Artes é a mais nova opção de diversão para os cariocas A tela de mais de 200m² foi montada no estacionamento da Cidade das Artes e o local pode receber até 100 automóveis simultaneamente, com duas pessoas para sessões adultas e quatro, sendo duas crianças, para os filmes infantis. Todas as regras de segurança e higiene por causa da pandemia da Covid-19 serão seguidas e as vendas só acontecerão online. "A Palonvitas se uniu à Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Cidade das Artes para oferecer ao carioca mais uma opção de lazer em meio a esse momento delicado que vivemos. Queremos trazer de volta o prazer das pessoas verem um filme sem ser em casa. E tudo com a máxima segurança", explicou Felipe Palermo, um dos idealizadores do projeto e sócio da Palonvitas.  Para a prevenção de riscos à saúde de visitantes e funcionários, a novidade que se tornou símbolo da retomada das atividades culturais da pasta conta com um planejamento elaborado a partir de normas higiênico-sanitárias, como as Regras de Ouro e o protocolo específico para eventos criados pela Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses. "Desde o início das restrições nós refletimos com outros órgãos da Prefeitura, setor cultural e a sociedade civil, as formas de oferecer entretenimento e arte à população. Durante esse tempo, a secretaria realizou atividades online com um empenho incrível de nossas equipes. Só nas nossas redes, cerca de 370 mil pessoas curtiram projetos de sucesso como o Vira Rio Cultural no Dia do Trabalhador, ou o Cinema nas Janelas da RioFilme. A Cultura nunca parou, mas agora o Drive-In simboliza a retomada com todo o charme do cinema dos anos 70, em um momento que discutimos protocolos sanitários para a reabertura dos equipamentos com segurança", explicou o secretário municipal de Cultura, Adolfo Konder. A venda exclusiva de ingresso online é uma das medidas de prevenção e combate ao novo coronavírus. Na entrada do drive-in, um funcionário usando equipamentos de proteção individual (EPIs) vai orientar o público sobre a localização da vaga comprada pela internet. Os lanches serão entregues através da janela do carro e somente com a utilização das máscaras. E para ir ao banheiro, o visitante será transportado em um carrinho de golfe. Não haverá filas e os sanitários serão higienizados a cada uso. "Assim que saiu o decreto em março, nós pensamos que o Drive-In seria uma alternativa realmente viável porque o contato pessoal é zero, você não sai do carro. Começamos a buscar parcerias e hoje temos muita alegria de realizar esse projeto para a cidade do Rio de Janeiro. Idealizamos todos os detalhes para trazer o charme do drive-in dos anos 70, e agora a ideia é expandir e pensar em novas atrações ao ar livre, considerando o excelente espaço que temos", resume a presidente da Cidade das Artes, Renata Monteiro. [+] saiba mais