Fundação Cidade das Artes

Programação » Domingueira do Carlinhos

Evento Encerrado

Domingueira do Carlinhos



DOMINGUEIRA DO CARLINHOS 

Baile com Carlinhos de Jesus e Rio Orquestra Show

O  primeiro baile foi um sucesso, se você perdeu, já  deixa anotado que vêm segunda edição por aí!

 Dia 12/11 a partir das 18h, na esplanada da Cidade das Artes! Quatro horas de pura dança. O Mestre da dança, Carlinhos de Jesus, está de volta com o seu tradicional baile em um domingo feito para todos os amantes da dança e da boa música!

​Iniciamos com um aulão e em seguida começa o baile​, que contará com a performance da Rio Orquestra Show e com os bailarinos da companhia do Carlinho de Jesus, ensinando e acompanhando o público para não deixar ninguém perder o ritmo. Dançar não tem segredo. A dança de salão requer, acima de tudo, muita empolgação e força de vontade. Chame o seu par e venha! E se não tiver? Venha mesmo assim que aqui não vai faltar!

 
Para maiores informações acesse cidadedasartes.org ou ligue para 3325-0448.

 

ENTRADA GRATUITA.

Festa

Informações Gerais

Datas

12/11

Horários

Domingo - 18h 

Local

Cidade das Artes

Sala

Esplanada

Classificação Etária

Livre

Demais Eventos da Programação

Pura Vida Training - By Nike Rio | Esporte 03/01 a 20/12 Esporte Em 19 de junho de 2017, o Pura Vida Training  deu início aos seus treinos fixos na Cidade das Artes.  Iniciando 2018, as aulas que misturam Bodyweight, técnicas de Crossfit, de corrida e um trabalho de conscientização mental, continuam no complexo cultural carioca.   Assim surgiu o Pura Vida Training, que desenvolve o ser humano de forma lúdica, interativa e com ação eficaz! No plano mensal o aluno pode treinar quatro vezes por semana e ainda pode desfrutar do clube de vantagens do Pura Vida.    GARANTA JÁ A SUA VAGA, CLIQUE AQUI. [+] saiba mais Aulas de Capoeira 09/01 a 22/12 Cursos Beto Simas: capoeirista, ator e empresário Apaixonado pela capoeira desde os 11 anos, Beto Simas foi batizado Boneco quando recebeu a primeira corda, no grupo Senzala. De lá para cá, transformou a paixão em profissão, conquistando o mundo com a certeza de desenvolver um trabalho sério. Em 1989, fundou o grupo Capoeira Brasil e, desde então, viaja dando workshops, palestras e cursos em universidades como: Yale, UCLA, Loyola, Montreal University, USC, NY, em academias e congressos de fitness. Hoje, o Capoeira Brasil está em países como Estados Unidos, Austrália, Alemanha, França, Holanda e Espanha. Ao longo de sua trajetória, Boneco sempre buscou difundir a prática pelo meio artístico e audiovisual, com o treinamento de dublês e atores, além da realização de documentários e programas de TV sobre o tema. Na lista de alunos famosos brasileiros, estão Elba Ramalho, Paula Burlamaqui, Maria Paula, Milton Nascimento, Cintia Hawlet; entre os estrangeiros, Jean Claude Van Damme, Halle Berry, Matthew McConaughey e Robin Wright. Como ator, Simas trabalhou em diversas produções nas quais seu personagem evidenciava o universo da capoeira. Destacam-se “Malhação”, “Você Decide”, “Quatro Por Quatro”, “Roda de Fogo”, os filmes “Brenda Star” (EUA), “Butterfly” (Itália-Brasil) e “Hans Staden” (Brasil). É lembrado ainda pelos personagens que encarnou em desfiles carnavalescos durante a década de 90. O mais famoso é o Adão, da Mocidade Independente de Padre Miguel. Atualmente, além do grupo Capoeira Brasil, Mestre Boneco coordena o projeto Ginga Brasil (PGB), que consiste em núcleos de iniciação esportiva da capoeira. Com aulas gratuitas, o objetivo do projeto é contribuir para a formação social, esportiva e psicológica dos alunos por meio do ensino dos fundamentos da modalidade. Fora do país, cuida da “Bênção Brasil”, organização sem fins lucrativos com sede em Los Angeles que busca fazer uso da capoeira em programas de recuperação de jovens em risco. Beto Simas é pai dos atores Rodrigo e Felipe Simas, e padrasto de Bruno Gissoni.   MATRÍCULAS ABERTAS Para saber valores entre em contato: (21) - 98097-0100 ou gcb.mboneco@gmail.com      [+] saiba mais Semana da Cultura Chinesa (Ano Novo Chinês e Primavera) 15/02 a 25/02 Festival Com programação organizada pelo Consulado-Geral da República Popular da China no Rio de Janeiro e Associações Culturais Chinesas no estado, com o apoio da Fundação Cidade das Artes e da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura do Rio de Janeiro   Um grupo formado por 20 artistas de Guiyang, da província de Guizhou, no sudoeste da China, participará do evento com apresentações especiais inéditas no Brasil.   Em 2018, a cidade do Rio de Janeiro será palco da segunda edição de comemoração do Ano Novo Chinês (Ano do Cachorro) e da Semana da Cultura Chinesa no Rio. Após 2017 focar o centro (Lapa), a edição de 2018 será realizada logo após o Carnaval, dias 15 e 16  (16h às 22h), 17 (12h às 22h) e 25 de fevereiro (das 18h às 20h), na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca. E como atração especial do evento, pela primeira vez no Brasil, haverá participação do Grupo Artístico Cultural de Guiyang, da província de Guizhou. Região com maior concentração de etnias chinesas, cerca de 48. E palco de grandes festivais culturais da China – mais de mil por ano. É este celeiro de artistas de Guiyang que a Cidade das Artes receberá este grupo, que mostrará pela primeira vez no Brasil a “Dança artística com tambores de madeiras”, considerada como um Patrimônio Cultural da China.      Guizhou Localizado no sudoeste da China, esta província é adjacente a Sichuan e Chongqing ao norte, Yunnan ao oeste, Guangxi ao sul e Hunan a leste. É um lugar pitoresco com abundantes locais cênicos naturais e culturais. Muitas minorias étnicas chinesas vivem nesta terra há séculos. Os visitantes dessa área não só podem apreciar várias atrações, mas também descobrir os costumes e culturas populares ricas e distintas dos diferentes grupos étnicos. Esta província é o lar de 48 grupos étnicos da China – segunda com maior concentração, após a província de Yunnan. Cada grupo étnico desenvolveu seus próprios costumes e culturas únicas, com hábitos de vida simples e originais, em moradias com estilos arquitetônicos exclusivos e vestimenta em trajes exóticos e coloridos. Mais de 1.000 festivais são celebrados por grupos étnicos a cada ano em Guizhou. Os festivais mais famosos incluemSanyuesan Festival e Sister's Meal Festival na primavera, Liuyueliu Festival no verão e Shui New Year Festival no outono.   A programação é organizada pelo Consulado-Geral da República Popular da China no Rio de Janeiro e Associações Culturais chinesas no estado, com o apoio da Fundação Cidade das Artes e da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura do Rio de Janeiro   Dois grupos da China, formados por 40 artistas, de Guiyang, da província de Guizhou, no sudoeste da China, participarão do evento com apresentações especiais inéditas no Brasil   Em 2018, a cidade do Rio de Janeiro será palco da segunda edição de comemoração do Ano Novo Chinês (Ano do Cachorro) e da Semana da Cultura Chinesa no Rio. Após 2017 focar o centro (Lapa), a edição de 2018 será realizada logo após o Carnaval, dias 15 e 16 (16h às 22h), 17 (12h às 22h) e 25 de fevereiro (das 18h às 20h), na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca.   E como atração especial do evento, pela primeira vez no Brasil, dois grupos da China desembarcarão no Rio, Grupos Artísticos Culturaias de Guiyang, da província de Guizhou. Região com maior concentração de etnias chinesas, cerca de 48. E palco de grandes festivais culturais da China – mais de mil por ano.   Dias 15/02 (Grande Sala) e 16/02 (palco Jardins), o evento recebe o grupo de dança e performances. E dia 25/02 será a vez do grupo de dança e acrobacias (ver programa abaixo).   Além dos grupos vindos da China, o festival terá apresentações culturais da comunidade chinesa no Rio, como a dança do Dragão e Leão.   Ano novo chinês   Desde 2017, a data é comemorada na cidade do Rio de Janeiro pelo Consulado-Geral da República Popular da China no Rio de Janeiro e pelas Associações existentes no estado, em parceria inédita com a Secretária de Cultura da Prefeitura do Rio de Janeiro/Fundação Cidade das Artes.   O Ano-novo chinês é uma comemoração adotada por diversas nações do Oriente que seguem um calendário tradicional distinto do Ocidental, o Calendário chinês. As diferenças entre os dois calendários fazem que a data de início de cada ano novo chinês caia a cada ano em uma data diferente do calendário ocidental. Os chineses relacionam cada novo ano a um dos doze animais que teriam atendido ao chamado de Buda para uma reunião. Apenas doze se apresentaram. Buda em agradecimento os transformou nos signos da Astrologia chinesa. Os doze animais do Horóscopo chinês a que correspondem os anos chineses são celebrados de acordo com a ordem que teriam se apresentado a Buda na lenda: rato, búfalo/boi, tigre, coelho, dragão, cobra, cavalo, cabra, macaco, galo, cão (cachorro) e o porco.   Ano do Cão (cachorro)   O Cão (戌) é um dos animais do ciclo de 12 anos que aparece no Zodíaco da Astrologia chinesa e no Calendário chinês.   Atributos Leal, confiável, compassivo, protetor e sempre pronto para ajudar. Fortemente defensivo no que diz respeito à família e amigos, não se segura quando vê pessoas sendo difamadas; mas, por vezes, a recusa em ouvir avisos quanto ao comportamento de crianças ou outros entes amados, pode levar a sérios problemas domésticos. Está sempre pronto a ouvir as queixas alheias e tem sempre um ombro pronto para que chorem nele. Suas raras demonstrações de ira são quase sempre justificadas, mas erros são rapidamente esquecidos e ressentimentos só são mantidos contra aqueles fora do círculo íntimo da família e dos amigos.     ANO NOVO CHINÊS 2018 E SEMANA DA CULTURA CHINESA NO RIO   Data: fevereiro de 2018 - dias 15 e 16 (das 16h às 22h), 17 (12H às 22h) e 25 (das 18h às 20h).   Local: Cidade das Artes – Avenida das Américas, 5300 – Barra da Tijuca – Rio de Janeiro/RJ   Redes Sociais:  ANO NOVO CHINA RIO (Facebook, twitter e Instagram)   POR DENTRO DA PROGRAMAÇÃO - DIAS E HORÁRIOS (Quinta) 15/02 e (sexta) 16/02 (16h às 22h); (SÁBADO) 17/02 (12h às 22h) e (DOMINGO) 25/02 (18h às 20h).   Dia 15/02 o evento funcionará em dois ambientes: 1 - Palco e estrutura nos jardins da Cidade das Artes - Entrada gratuita! 2 - Grande Sala – Entrada paga!   Dias 16/02 e 17/02 o evento só funcionará como festival, nos jardins, com palco e barracas. Não haverá apresentação na Grande Sala.   Dia 25/02 o evento só terá uma única apresentação na Grande Sala (paga). Não haverá festival com barracas e shows no palco dos jardins.   ENTENDA O FESTIVAL - ENTRADA GRATUITA Festival com barracas e apresentações culturais (MONTADO NOS JARDINS). Barracas: gastronomia, artesanato, bebidas, massagem, moda, presentes, brindes, etc. Palco: dança, música, artes, vídeos, desfiles, shows, etc. Obs: as apresentações artísticas serão feitas durante todo o horário do festival, com intervalos de uma hora. ATENÇÃO: dia 16/02, às 19h, haverá apresentação ESPECIAL no palco do festival (montado nos jardins), com entrada gratuita, do grupo artístico vindo da China. Apresentações na Grande Sala. Entrada paga. Dois grupos vindos da China! Um de dança e performances (dia 15/02) e outro de dança e acrobacias (dia 25/02) Quinta 15/02 | Grande Sala | 19h às 20h30  Domingo 25/02 | Grande Sala | 18h às 20h     1 - Grupo de dança e acrobacias A dança e arte chinesa são milenares. Artistas chineses são à base de muitos números famosos nas mais importantes companhias de circo e teatros no mundo. E a cidade do Rio de Janeiro vai receber numa apresentação única o espetáculo oriundo do “Festival of Spring”, um dos mais famosos da China, que ocorre na província de Guizhou – uma das mais importantes da China na área cultural.   E como uma das atrações especiais do evento, pela primeira vez no Brasil, haverá participação do Grupo de Dança e Acrobacias da Província de província de Guizhou (formado por 20 artistas). Região com maior concentração de etnias chinesas, cerca de 48. E palco de grandes festivais culturais da China – mais de mil por ano. Dentre eles, o famoso “Festival of Spring”, que reúne os melhores grupos étnicos da China e que traia milhares de pessoas da China e do mundo. Um patrimônio mundial da China.   É deste celeiro de artistas de Guiyang que a Cidade das Artes receberá este grupo, que mostrará, pela primeira vez no Brasil, várias performances de danças e acrobacias (ver abaixo roteiro do espetáculo). Um dos destaques é a performance “Festival de Luzes”, um símbolo da cultura étnica de Yi, que representa uma das tradições mais importantes pelo fato de ser uma cultura histórica e popular. É reconhecida na China e no exterior como o “Carnaval Oriental”.   Programação do Festival de Primavera – 2018   1) “Festival Feliz” – Performance misto O Festival de Luzes é um símbolo da cultura étnica de Yi e é uma das tradições mais importantes pelo fato de ser uma cultura histórica e popular, tanto que é conhecida no país e no exterior como o “Carnaval Oriental”. 2) “Canto das folhas” - Performance acústico  O assobio das folhas é muito praticado pelos jovens do grupo étnico Miao e é considerado como uma forma de transmitir amor e carinho mútuo. 3) “Tingir o céu de vermelho” - Performance feminina  Por meio da dança cultural étnica originária da província de Guizhou podemos perceber a grandeza da passagem da puberdade de uma bela menina para a maternidade.  4) “Dança do sino” - Performance masculino  É uma espécie de dança realizada pelos guerreiros do grupo étnico Yi, da província de Guizhou, para representar as técnicas praticadas nos rituais de sacrifício.  5) “Dança ” - Show interativo Convida todos os presentes a participar de uma dança sob estilo da cultura minoritária étnica de Guizhou e a experiência de tocar o famoso instrumento de sopro da região. 6) “Dança artística com tambores de madeiras” – Dança e performance acústico  Performance inspirado na cultura étnica da província de Guizhou, a qual a ação de dançar ao som da batida do tambor é uma atividade de adoração à natureza e aos seus antepassados. É considerado como um patrimônio cultural da China. 7) “Mulheres de Miao com joias de prata” – Performance feminina Os bordados feitos pelas mulheres do grupo étnico Miao é considerado na China como um dos tesouros nacionais. Durante as comemorações do festival da Primavera na província de Guizhou, as mulheres desfilam com grandiosos vestidos tradicionais e junto a elas, os ornamentos feitos de prata originados da região do povo Miao.  8) “Canto de Brinde” – Dueto de dança Na grande festa da recepção de boas-vindas, em Guizhou, a cerimônia mais esperada pelo povo Miao é o momento em que todos os presentes fazem o brinde em conjunto. No ato da celebração é utilizado um chifre de boi para transformá-lo em uma taça de vinho para brindar todos os convidados e desejando-os paz e felicidade para todo o sempre.  9) Desfile das vestimentas do grupo étnico de Guizhou   2 - Grupo de dança e performances  Com duas apresentações, com 20 artistas, grupo de dança e performance de Guiyang mostrará pela primeira vez no Brasil a “Dança artística com tambores de madeiras”, considerada como um Patrimônio Cultural da China.   Espetáculo do Grupo Artístico Cultural de Guiyang   O espetáculo é dividido em oito partes, com a seguinte divisão: 1)“Dança artística com tambores de madeiras” – Dança e performance acústico Performance inspirado na cultura étnica da província de Guizhou, a qual a ação de dançar ao som da batida do tambor é uma atividade de adoração à natureza e aos seus antepassados. É considerado como um patrimônio cultural da China. (Dança) 2) “Canto das folhas” - Performance acústico O assobio das folhas é muito praticado pelos jovens do grupo étnico Miao e é considerado como uma forma de transmitir amor e carinho mútuo. (Instrumentos musicais) 3) “Tingir o céu de vermelho” - Performance feminina Por meio da dança cultural étnica originária da província de Guizhou podemos perceber a grandeza da passagem da puberdade de uma bela menina para a maternidade. (Dança) 4) “Dança do sino” - Performance masculino É uma espécie de dança realizada pelos guerreiros do grupo étnico Yi da província de Guizhou para representar as técnicas praticadas nos rituais de sacrifício. (Dança) 5) “Você é como uma flor” – Canção em dueto A canção de amor cantada pelos jovens do grupo étnico Miao é considerada uma forma de intensificar os sentimentos de amor, carinho e parceria entre eles, favorecendo o entendimento mútuo, a reunião e a conversação. (Canção) 6) “Dança nacional” - Show interativo Convida todos os presentes a participar de uma dança sob estilo da cultura minoritária étnica de Guizhou e a experiência de tocar o famoso instrumento de sopro da região. (Dança) 7) “Mulheres prateadas de Miao” – Performance feminina Os bordados feitos pelas mulheres do grupo étnico Miao é considerado na China como um dos tesouros nacionais. Durante as comemorações do festival da Primavera na província de Guizhou, as mulheres desfilam com grandiosos vestidos tradicionais e junto a elas, os ornamentos feitos de prata originados da região do povo Miao. (Dança) 8) “Brinde” – Dueto de dança Na grande festa da recepção de boas-vindas, em Guizhou, a cerimônia mais esperada pelo povo Miao é o momento em que todos os presentes fazem o brinde em conjunto. No ato da celebração é utilizado um chifre de boi para transformá-lo em uma taça de vinho para brindar todos os convidados e desejando-os paz e felicidade para todo o sempre. (Dança)   Guizhou   Localizado no sudoeste da China, esta província é adjacente a Sichuan e Chongqing ao norte, Yunnan ao oeste, Guangxi ao sul e Hunan a leste. É um lugar pitoresco com abundantes locais cênicos naturais e culturais. Muitas minorias étnicas chinesas vivem nesta terra há séculos. Os visitantes dessa área não só podem apreciar várias atrações, mas também descobrir os costumes e culturas populares ricas e distintas dos diferentes grupos étnicos.   Esta província é o lar de 48 grupos étnicos da China – segunda com maior concentração, após a província de Yunnan. Cada grupo étnico desenvolveu seus próprios costumes e culturas únicas, com hábitos de vida simples e originais, em moradias com estilos arquitetônicos exclusivos e vestimenta em trajes exóticos e coloridos. Mais de 1.000 festivais são celebrados por grupos étnicos a cada ano em Guizhou. Os festivais mais famosos incluem Sanyuesan Festival e Sister's Meal Festival na primavera, Liuyueliu Festival no verão e Shui New Year Festival no outono.     [+] saiba mais Iter Kriminis 24/02 a 25/03 Teatro ITER KRIMINIS Iter kriminis é uma expressão em latim, que significa "caminho do crime", utilizada no direito penal para se referir ao processo de evolução do delito, ou seja, descrevendo as etapas que se sucederam desde o momento em que surgiu a ideia do delito até a sua consumação. (Wikipedia) Quem é o assassino antes dele se tornar assassino? O que se passa na sua cabeça antes de cometer o crime? Quais suas motivações, seus percursos e objetivos? É isso que investiga o espetáculo ITER KRIMINIS, retratando breves momentos da vida de alguns dos maiores assassinos de todos os tempos, reais e fictícios. Inspirada na literatura de grandes autores, como Dostoievski e Shakespeare, e também em crimes reais que se tornaram icônicos, a peça é uma instalação que acontece em uma galeria de arte, onde os atores fazem suas performances dispostos pelo espaço como obras em exposição de um museu. Dessa forma, o público é convidado a transitar e observar de perto esses indivíduos, marcados por tudo aquilo que se passa no momento anterior ao crime.   A peça/instalação foi idealizada pela diretora, atriz e produtora Julia Carrera, e contou com pesquisa de dramaturgia de Geovana Metzger como dispositivo criativo para o elenco formado por doze atores, cada um personificando uma história, mais uma guia que conduz o público pela visita. ITER KRIMINIS é uma experiência provocadora e contemporânea, procurando iluminar um lado obscuro do ser humano, íntimo e velado. Ao entrar na sala o público recebe equipamento de segurança, além de ouvir atentamente às orientações da guia da visita. Em seguida o público é convidado a conhecer/apreciar cada peça/instalação, observando mais intimamente cada personagem e sua situação. Como numa galeria de arte, a música ambiente e assentos distribuídos pelo espaço oferecem ao espectador a sensação de calma e introspecção para a fruição do ambiente. Evocando também o conceito dos reality shows, estes personagens se deixam ser observados, contam suas histórias para um interlocutor desconhecido, sem julgamento ou redenção. A ideia é levar o espectador a penetrar no mundo íntimo de cada um e investigar o impulso, o fio condutor que poderia levar ao crime, num ambiente mais humano do que esperaríamos. Apesar do universo sombrio, a peça torna-se leve à medida que mostra situações banais da vida daqueles personagens, chegando ao humor tragicômico muitas vezes.   ITER KRIMINIS é uma produção do Grupo Novo de Teatro, um coletivo de teatro reunido por Julia Carrera e formado por um grupo de atores em diferentes momentos da profissão, reunidos pelo objetivo comum de trazer ao público espetáculos de qualidade, fruto de uma pesquisa e dedicação contínuas. Doutoranda em História do Teatro pela UNIRIO, Mestre em Artes da Cena pela Escola de Comunicação da UFRJ, cria do Teatro O Tablado, Julia Carrera é atriz, diretora e produtora há 17 anos. Atuou e produziu espetáculos como DESAPARECIDA, texto e direção de Alessandra Vannucci (2015 e 2016), TPM KATRINA, texto e direção de Paulo Coronato (2012), CYRANO DE BERGERAC, direção de João Fonseca (2011), TEMPO DE COMÉDIA, direção de Eliana Fonseca (2010) e OVO FRITO, direção de Moacir Chaves (2005 a 2008), entre outros. Entre suas principais produções destacam-se RENATO RUSSO, direção de Mauro Mendonça Filho (2006 a 2010) e “OS NÁUFRAGOS DO LOUCA ESPERANÇA”, com o Théâtre du Soleil e direção de Ariane Mnouchkine, marcando a primeira vinda da companhia francesa ao Rio de Janeiro em 2011. Entre seus últimos projetos estão a administração do Teatro O Tablado (2014 a 2017) e a implementação, coordenação e direção pedagógica da Escola de Atuação de Aguinaldo Silva, que funcionou no Theatro Net Rio em 2016 e 2017 (onde deu aula para mais de 200 alunos). Atualmente Julia está à frente da sua própria escola de atuação, a Escola Mutatis, em parceria com as unidades do Teatro Eva Herz da Livraria Cultura no eixo Rio- São Paulo, em funcionamento desde 2017, além coordenar projetos audiovisuais na área de sociedade, cultura e comportamento da Canal Azul, produtora sediada em São Paulo há vinte anos, com direção de Ricardo Aidar.       FICHA TÉCNICA: Dramaturgia: Geovana Metzger Direção e idealização: Julia Carrera Assistência de direção: Geovana Metzger Coordenação de produção: Manoel Borges   Elenco: Fábio Moraes Fernanda Becker Francisco de Assis Geovana Metzger Géssyca Mendes Gillian Villa Jaque Dantas Juielson Lima Leda Ribas Manoel Borges Marcia Dutra Pável Reymond Thiago Sol Walter Nunes   Figurino: Géssyca Mendes e Fábio Moraes Caracterização: Fernanda Becker Iluminação: Katia Muniz Barreto Som e Cenário: O grupo Produção: Jaque Dantas, Julielson Lima e Thiago Sol Comunicação: Fernanda Becker Fotografia: Gillian Villa [+] saiba mais Interlocuções I Psicanálise e Literatura 02/03 a 28/12 Arte e Educação Há quatro anos as psicanalistas Gilda Pitombo Mesquita e Marília Flores, desenvolvem o projeto “Interlocuções: Psicanálise e Literatura”, dentro da Cidade das Artes com a finalidade de dialogar com os outros saberes e transmitir a Psicanálise para quem desejar. Em 2015 estudamos Shakespeare - Hamlet, em 2016 trabalhamos a questão do Estranho no Homem da Areia de Hoffman e posteriormente Marguerite Duras com o livro "Deslumbramento de Lol V Stein" para aprofundarmos o estudo em direção à estrutura psicótica. Ao longo de 2017 reiniciamos o projeto estudando James Joyce, "Um retrato do artista quando jovem".   Em 2018, vamos estudar:   Colóquios sobre A Divina Comédia, de Dante Alighieri |“Deixai toda esperança, vós que entrais” (esta inscrição está na porta do Inferno). Um olhar atualizado sobre a época em que vivemos, à luz do Inferno, 1ª das três partes da obra emblemática de Dante Alighieri. Nossas vias de acesso: a psicanálise, a história e a literatura. O amor e a busca da pessoa amada: “espero dizer dela o que nunca se disse de nenhuma”. PS. Recomendamos a edição da Editora Landmark, tradução de Vasco Graça Moura (século XX).   Mais informações: saladeleitura.fca@gmail.com ou 3325.0448 Coordenadoras: Denise Andrade, Gilda Pitombo Mesquita e Marília Flores. [+] saiba mais Curso Básico de Mídias Sociais | Cultura da Conectividade 03/03 Outros   Em parceria com o Festival RioWeb, recebemos Mayra Vaz, historiadora formada pela UFF, mestre em história, política e bens culturais pela FGV para falar sobre como gerar engajamento nas redes sociais. Mayra, atua como agente de mídias sociais e consultora de diversas marcas e serviços desde 2009, incluindo a marca Algodão Com Poá.  Vamos aprender juntos, qual a melhor forma de impulsionar o seu produto usando o Facebook, Instagram, Pinterest e WhatsApp.   Palestrante: Mayra Vaz   PROGRAMAÇÃO GRATUITA.  [+] saiba mais Contos Negreiros do Brasil 03/03 a 25/03 Teatro Contos Negreiros do Brasil  Um espetáculo documentário sobre a condição real e atual da negra e do negro no Brasil; seja o jovem estudante, o gay negro, a negra hipersexualizada pela sociedade, o menor infrator, a prostituta e a idosa. Os personagens veem as cenas por meio das estatísticas apresentadas pelo sociólogo e filósofo Rodrigo França, dados atuais que são expostos  para plateia. Os atores  interpretam todos os personagens contidos no livro de Marcelino Freire, “Contos Negreiros”. O espetáculo “Contos Negreiros do Brasil” leva o público a presentificar índices estatísticos, contextualizados com cenas que reproduzem dores, paixões, medos, alegrias e angústias. A carne negra é exposta em suas dimensões e experiências reais, sociais e culturais.   O Texto do escritor Marcelino Freire é ganhador do prêmio Jaboti, com o livro base da dramaturgia do espetáculo. Tendo o mesmo grande notoriedade em todo norte e nordeste.   Contos Negreiros do Brasil Texto de Marcelino Freire Direção Fernando Philbert Direção Musical: Maíra Freitas Produção: Sergio Canizio Elenco: Li Borges(Valéria Monã), Milton Filho(Marcelo Dias) e Rodrigo França Cenario: Natalia Lana Iluminaçao: Vilmar Olos   [+] saiba mais Companhia Urbana de Dança | Sonia Destri Lie | Curso Intensivo 05/03 a 12/03 Cursos Primeiro Curso intensivo para profissional, semiprofissional, professores e estudantes de dança.    Explorando os extratos do potente e criativo trabalho da coreógrafa, dancing designer e diretora Sonia Destri e os dançarinos da Companhia Urbana de Dança, principalmente de 5 passos Pra Não Cair no Abismo e O agora é Passageiro. Dirigido pelos assistentes, protagonistas e brilhantes dançarinos: Miguel Fernandez, Feijão, Tiago Sousa, Johnny Britto, Jessica Nascimento, Julio Rocha, Rafael Balbino. O curso é uma oportunidade para explorar de perto os princípios fundamentais do estilo coreográfico exclusivo da Companhia Urbana de Dança, utilizando a habilidade, virtuosismo, delicadeza, potência e a ferocidade pelo qual é reconhecida. Sonia Destri Lie, Diretora e Coreógrafa, se junta ao elenco no quinto dia, para trabalhar com os alunos e desenvolver os pequenos estratos do que se aprendeu, mergulhou, pensou, dançou... falando sobre os aprendizados com conversas, respostas, perguntas e montagem, em conjunto, formando pequenos fragmentos coreográficos baseados na semana do curso. Esses estratos são compostos pela coreografia pungente e pulsante do último trabalho da Companhia” 5 Passos Para Não Cair no Abismo” e do estranhamento de “ O Agora é Passageiro”. O curso encerra o ciclo com uma breve discussão sobre a vida e o trabalho da Companhia.     PERFIL:  Este intensivo está aberto a um máximo de 30 dançarinos por turma.  São eles profissionais, professores e estudantes de dança, em cursos que procuram enriquecer suas práticas e treinamento. Nós deliberadamente mantemos o número de nossos Intensivos baixos para garantir a atenção individual ao mergulhar no estilo de trabalho da Companhia Urbana de Dança.    Obs.: Após pagamento e reserva, não devolveremos o dinheiro, caso não possa comparecer.            Mínimo de 10 pessoas em cada turma para que o curso ocorra.   COMPANHIA URBANA DE DANÇA | SONIA DESTRI LIE 7 DIAS DE CURSO INTENSIVO INSCRIÇÃO: cursos.cidadedasartes@gmail.com ou 3325.0448 VALOR DO CURSO: R$ 30,00 por aluno/ por turma   LOCAL: Sala de Dança   [+] saiba mais Como a Internet Funciona e o que esperar dela | Cultura da Conectividade 10/03 Outros   Maurício Santos desenvolve softwares há mais de 14 anos. Empreendedor, liderou equipes em projetos para as Forças Armadas, Governo do Estado do RJ e multinacionais. Fundador da empresa de desenvolvimento de soluções digitais Vértice Digital e coordenador de TI do Canal Curta!. Ministrou treinamentos e workshops sobre desenvolvimento de software e aprendizagem emergente no Brasil e na Espanha.    Palestrante: Maurício Santos   PROGRAMAÇÃO GRATUITA.  [+] saiba mais Quinteto Lorenzo Fernandez 10/03 Música Quinteto Lorenzo Fernandez Fruto do encontro entre talentosos músicos, atuantes no cenário da música de concerto da cidade do Rio de Janeiro, o grupo que nasceu como resultado do trabalho desenvolvido no Quinteto Experimental de Sopros da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), sob orientação do Prof. Aloysio Fagerlande, nos anos de 2009 e 2010 é o retrato da nova geração da música de concerto brasileira. Sempre com humor e virtuosismo, o grupo formado em 2011 tem como principal missão apresentar música contemporânea para quinteto de sopros, de jovens compositores e dos grandes mestres nacionais e internacionais, celebrando assim, carioquices de todos os tempos, dos mais jovens, como Azael Neto e Rodrigo Marconi, que compuseram peças especialmente para o grupo, à tradição de Lorenzo Fernandez, patrono do quinteto. Com Rômulo Barbosa (flauta); Juliana Bravim (oboé); Cesar Bonan (clarineta); Alessandro Jeremias (trompa) e Jeferson Souza (fagote), o quinteto de sopros já acumula prêmios importantes, como o Festival de Música Rádios MEC e Nacional (2016), como "Melhor Intérprete Música Instrumental", com a música Maxixando na Pracinha, de Isaías Ferreira; Grupo Revelação Rádio MEC FM Sala de Concerto de Gala (2013), em homenagem aos 30 anos da Rádio MEC-FM e também em comemoração aos 90 anos do Rádio no Brasil; segundo lugar no II Concurso de Música de Câmara do V Furnas Geração Musical e 50° Festival Villa-Lobos, ambos em 2012, além de ser, entre 2014 e 2015, Grupo Residente da Academia Brasileira de Música. No currículo, além dos prêmios, um CD já lançado intitulado “Música Carioca de Concerto – Quintetos de Sopros”, que reúne obras de compositores do circuito erudito da cidade, como Ricardo Tacuchian, Thiago Sias, Rudi Garrido, Azael Neto, Rodrigo Marconi e Sergio Roberto de Oliveira, que também assinou a produção do disco – e, outro em andamento, o grupo participou dos mais importantes e diversos eventos do cenário da música erudita, como: II e III Festivais Brasil-Alemanha da UFRJ, UNI-RIO e Escola Superior de Música de Karlsruhe, Alemanha, Série Talentos UFRJ Homenagem ao compositor Raphael Batista, 48º Festival Villa-Lobos, Seminário “A atualidade da obra de Auguste-Maria Glaziou”, I e II Festival Internacional de Instrumentos de Sopro da série “Música no Museu”, Congressos do Instituto Nacional de Tecnologia, e ainda realização de concertos na Sala Baden Powell, no Salão Leopoldo Miguez, Museu Nacional da Quinta da Boa Vista, Museu Villa-Lobos, Sala Villa-Lobos da UNI-RIO, foyer da EM-UFRJ, Auditório do Roxinho, Salão Azul e tendas no Campus da UFRJ, na Ilha do Fundão. O leque de apresentações do Quinteto também inclui locais pouco comuns, como a Estação Araribóia, Barcas, em Niterói e, os jardins do Museu da República, no bairro do Catete, Zona Sul, do Rio; atingindo assim dos mais diversos públicos, tanto os habitués de salas de concerto, como pessoas que de outra maneira, não nos encontrariam.     Programação: Piccolo Divertimento (Amaral Vieira) Quintette en Ut (Claude Arrieu) Serenata a Cinco (Edino Krieger) Súite para quinteto de sopros (Oscar Lorenzo Fernandez) Que valsa é essa? (Isaías Ferreira) Viola Fora de Moda (Edu Lobo e Capinam/Arr. Isaías Ferreira) Doce de Côco (Jacob do Bandolim/Arr. Mestre Duda) Valsa de uma cidade/Conversa de Botequim (Noel Rosa/Arr. Isaías Ferreira) [+] saiba mais Criando, formatando e negociando o seu programa (Pitch Bible) - Dramaturgia e Reality | Curso Mentoria de Roteiro 10/03 a 12/05 Cursos CRIANDO, FORMATANDO E NEGOCIANDO O SEU PROGRAMA (PITCH BIBLE)” – DRAMATURGIA E REALI Autora, roteirista e publicitária, especializada em teledramaturgia, Ingrid Zavarezzi, dará um curso de "Mentoria de Roteiro". O curso acontecerá em 8 encontros, onde você vai aprender, não só a criar, desenvolver e formatar o seu produto, como também formar parcerias, entender um pouco mais sobre esse universo criativo, a sua relação com a direção e a produção do seu conteúdo, a adequação aos orçamentos e a sua atuação em todas as etapas da pré à pós-produção de um programa.   Ministrado por: Ingrid Zavarezzi   Informações: cursos.cidadedasartes@gmail.com ou (21)3325.0448 [+] saiba mais Grupo de Estudo Sobre a Educação de Crianças e Adolescentes 15/03 Arte e Educação Tania Maria de Lima e Eugenio Marer, psicólogos Reichianos, estarão durante o ano de 2018  na Cidade das Artes conversando sobre  a obra do fundador da Escola Summerhill, A.S. Neill na Inglaterra.  Um  lugar onde um homem corajoso, apoiado por corajosos,  aplicou durante décadas  os princípios de aprovação, liberdade de expressão e da não repressão  das crianças. Eugenio Marer, psicólogo, orgonoterapeuta, analista bioenergético, psicodramaticista, supervisor, palestrante e empresário. Tania Maria de Lima, psicóloga, orgonoterapeuta, educadora, palestrante e escritora.   *Público: Todos e todas interessados em refletir a educação de crianças e adolescentes [+] saiba mais Como fazer uma websérie sem dinheiro | Cultura da Conectividade 17/03 Outros     Leandro Silva é Comunicador Social pela UFRJ e professor de História pela UFF, dirigiu a websérie Oposto do Sexo, com mais de 40 indicações, venceu 8 prêmios, dentre eles Melhor Direção em Roma e Melhor Série de Comédia em Bilbau, Miami e Los Angeles. Também é fundador do Rio Webfest, primeiro e maior festival internacional de séries do Brasil, que chega a sua quarta edição em 2018 após bater recorde mundial de número de inscrições e participantes no ano passado. É apaixonado por cinemas e séries, assunto sobre o qual já palestrou desde o centro do Rio de Janeiro até Seoul na Coreia do Sul.   PALESTRANTE: Leandro Silva   PROGRAMAÇÃO GRATUITA.    [+] saiba mais Ópera, La Serva Padrona 17/03 e 18/03 Música Ópera, La Serva Padrona Ópera em ato único, dividida em dois intermezzi, La Serva Padrona, de Pergolesi, trata-se uma comédia romântica, importante título do teatro lírico, um dos mais antigos a serem ainda hoje representados em todo o mundo. A ópera tem início com a ária de Uberto, um rico solteirão, que reclama da constante demora de sua serva, Serpina, em atendê-lo, bem como de sua postura de patroa. Após discutirem, Uberto incumbe o empregado, Vespone de lhe arrumar uma esposa obediente, pois somente assim poderá ter uma casa organizada, sem ficar à mercê dos caprichos sua serva. Após rebater as críticas do patrão, Serpina revela, um pouco de sua personalidade e se oferece como a melhor opção de esposa para o patrão que a desdenha. Um dueto põe fim ao primeiro intermezzo. Valendo-se da ideia do próprio Uberto, e adaptando-a à sua conveniência, Serpina coloca Vespone a seu serviço, convencendo Uberto de que se casará com um homem muito temido, conhecido como Capitão Tempesta, que é o ingênuo Vespone disfarçado. O mudo capitão se comunica através de Serpina e exige de Uberto um dote para se casar com ela, afirmando que, caso não receba seu dinheiro, obrigará o próprio Uberto a contrair matrimônio com a jovem. A astuta serva fez uma aposta correta na avareza do patrão, tendo sucesso em seu plano. Após descobrir que o temido capitão não passa do inofensivo Vespone, Uberto compreende que sempre amou Serpina e que todo o imbroglio foi apenas um pretexto para uni-los. O segundo intermezzo é encerrado com um dueto no qual cada um dos dois, à sua maneira e com suas metáforas, declara seus melhores sentimentos em um alegre final feliz. A montagem é da Atlantis Opera Orchestra, sob a regência e direção musical de Evandro Rodriguese e direção cênica de Manoel Thomas, com cenários Marcelo Moianno. A concepção da Iluminação é de Julia Requião. O Elenco conta com o barítono Rafael Siano faz o papel do rico Uberto, Daruã Góes, soprano, encarna a criada e astuta, Serpina, e o ator Leonardo Nogueira, o cômico empregado mudo, Vespone. [+] saiba mais Páscoa das Artes 25/03 Festival  No domingo, dia 25 de março, das 10 às 18h, o complexo cultural Cidade das Artes realizará o “Páscoa das Artes”.   O evento acontece na Avenida das Américas, 5300, Barra da Tijuca e contará com uma grande variedade de atividades voltadas a todas as idades. Estão previstos brinquedos para todas as faixas etárias, desde o Espaço Baby para crianças muito pequenas, até o Espaço Radical dedicado aos mais independentes e aventureiros. Há também partes do evento dedicados à cultura, à Páscoa e aos animais. A Cidade das Artes terá atrações e entretenimento. A entrada do evento é gratuita, mas também contará com atividades pagas. Dentre as ações programadas, o evento terá palco para apresentações, adoção de animais de estimação, e Espaço Gourmet – que contará com diversos tipos de alimentação, além de área de foodtrucks e cerveja artesanal. Na área verde, teremos o Festival de Pipas e área para pic-nic. Animais de estimação, como parte da família, são bem-vindos nas comemorações. Tudo isso em um local que dispõe estacionamento e toda segurança, gerando liberdade para as brincadeiras dos pequenos e a tranquilidade aos pais.   ENTRADA GRATUITA  * Brinquedos cobrados à parte [+] saiba mais Rio2C - Rio Creative Conference 03/04 a 08/04 Outros   Audiovisual, música e inovação: Rio Criative Conference conectará diversão e negócios   RIO2C AMPLIA ATUAÇÃO DE RIOCONTENTMARKET AO ENGLOBAR MÚSICA E INOVAÇÃO E LANÇAR PROGRAMAÇÃO PARA PÚBLICO Em 2018, o Rio de Janeiro sediará a primeira edição do Rio Creative Conference, ou Rio2C, que incorpora a experiência das sete edições prévias do RioContentMarket. Entre os dias 3 e 8 de abril de 2018, alguns dos profissionais globais mais relevantes e influentes do audiovisual, da música e da inovação estarão no Rio2C, na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Ao longo dos seis dias, criadores, produtores, realizadores e consumidores de conteúdos dos mais variados setores da economia criativa do Rio de Janeiro, do Brasil e do mundo poderão trocar experiências, compartilhar conhecimentos e integrar habilidades, além de experimentar as mais variadas e inovadoras formas de realidade virtual (VR). - Apostamos que o Rio2C trará para a música e a inovação no país o mesmo tipo de alavancagem de negócios e debates que o RioContentMarket trouxe para o Audiovisual – aposta o idealizador do Rio2C, Rafael Lazarini, profissional com mais de 25 anos de experiência na indústria do entretenimento, no Brasil e no exterior. – Nossa missão é impulsionar a indústria criativa na região e, como objetivos centrais do projeto, estimular uma visão menos setorial e mais transversal da indústria do entretenimento no país. Acreditamos também que o fortalecimento dessa atividade no Rio de Janeiro, constituí uma alternativa concreta à crise que se instalou na cidade. Em sua primeira edição, o Rio2C já surge como evento referência ao abraçar o RioContentMarket, o maior e mais importante encontro de negócios do setor audiovisual na América Latina. Se ao longo dos últimos sete anos o RioContentMarket integrou o calendário mundial do segmento, contando com a presença de mais de 30 mil profissionais de mais de 36 países, a partir de 2018 ele passa a interagir com pilares essenciais para a nova era da produção de conteúdo global – MÚSICA e INOVAÇÃO - e integra o Rio2C. - Os ativos que transformaram o RioContentMarket em um evento de reconhecimento internacional não só continuam como ganham ainda mais força ao dialogar também com música e inovação – diz o presidente executivo da Brasil Audiovisual Independente, BRAVI, Mauro Garcia. – Nosso objetivo ao licenciar a marca RioContentMarket foi exatamente buscar uma parceria capaz de ampliar a sua abrangência em esferas que a BRAVI não atua, por isso a sinergia com o Rio2C. - Quando iniciamos a realização do RioContentMarket o conceito de que, em pouco tempo, todas as disciplinas estariam conectadas já estava presente. Estávamos todos frente a uma revolução tecnológica com forte impacto nas narrativas. Hoje o audiovisual está definitivamente conectado com todas as outras disciplinas. Os eventos devem promover um ambiente de troca multidisciplinar, o que necessariamente inclui o público final. Assim, a mudança era fundamental – acredita Carla Esmeralda, curadora do RioContentMarket que além da curadoria do audiovisual, passa a assumir a direção geral de conteúdo do Rio2C. O evento acontece em abril de 2018, na Cidade das Artes. De terça (3) a sexta (6), o Rio2C terá programação voltada para as empresas e profissionais do mercado. No sábado (7) e no domingo (8), o público em geral poderá experimentar shows, lançamentos de filmes e séries, workshops, competições de eSports, experiências de conteúdos em realidade virtual e realidade aumentada, além de um festival de food trucks. Para acompanhar novidades sobre a programação do Rio2C, acesse o site: http://rio2c.com   Sobre o Rio2C O Rio Creative Conference, Rio2C, é um festival que reúne profissionais do audiovisual, da música e de inovação para debater, construir políticas e fazer negócios, com um line up de palestrantes, criadores e decisores de nível global. Associado ao mercado, o Rio2C abre uma programação exclusivamente dedicada ao público final com shows, lançamentos de filmes e séries, workshops, competições de eSports, experiências de conteúdos em realidade virtual e realidade aumentada, além de um festival de food truck, entre os dias 3 a 8 de abril de 2018, na Cidade das Artes, Rio de Janeiro.     [+] saiba mais Stabat Mater (Homenagem a Gioacchino Rossini) 14/04 Música Stabat Mater 2018 é um ano de muitas homenagens no mundo da música de concerto. E a  Associação de Canto Coral ressalta os 150 anos de falecimento de Gioacchino Rossini, executando o Stabat Mater, obra composta em 1833 e que só teve sua versão definitiva em 1842. Dois anos depois da estreia de sua última ópera, Guilherme Tell, por volta de 1831, Rossini recebeu durante viagem à Espanha, uma encomenda feita pelo conselheiro do Estado, o arquidiácono Fernández Varela. Devido a complicações em seu estado de saúde, precisou interromper o trabalho, deixando a conclusão à responsabilidade de seu amigo e também compositor italiano Giovanni Tadolini (1789 – 1872). Rossini terminaria a composição, substituindo as seções compostas por Tadolini pelas suas próprias, somente em 1841, após a morte de Varela, aquele que encomendou a obra. Esta versão teve sua estreia em 1841. A obra é composta para quatro solistas: soprano, mezzo-soprano, tenor e baixo, acompanhados por coro misto e orquestra. Contém dez seções, que se alternam em relação ao tipo de formação do grupo, ou seja, em algumas seções há o uso de duos, solista acompanhado pelo coro, ou então os quatro solistas simultaneamente, e assim por diante, dependendo da necessidade expressiva de cada passagem ou cena.     Associação de Canto Coral A Associação de Canto Coral, entidade sem fins lucrativos criada em dezembro de 1941 tendo como patrono musical o compositor Heitor Villa-Lobos e como diretora artística a maestrina Cleofe Person de Mattos, tem o objetivo de divulgar o patrimônio musical brasileiro, sobretudo através de concertos no Brasil e no exterior e gravações das principais obras corais-sinfônicas do período colonial. Até a presente data, a Associação de Canto Coral já realizou mais de 750 concertos, com grandes orquestras, sob a regência de maestros internacionais como: Igor Strawinsky, Karl Richter, Victor Tevah, Sir Colin Daves, Helmuth Rilling, Jacques Pernoo; e maestros brasileiros como: Villa-Lobos, Camargo Guarniere, Francisco Mignone, Isaac Karabtchevsky, Alceo Bocchino, Benito Juarez e Henrique Morelenbaum. Sua numerosa discografia inclui autores nacionais como José Maurício Nunes Garcia e os setecentistas mineiros; os nacionalistas Villa Lobos, Francisco Mignone, Brasílio Itiberê e Camargo Guarnieri; e os contemporâneos Almeida Prado e Marlos Nobre. Já teve como diretores artísticos, sua fundadora a maestrina e fundadora Cleofe Person de Mattos e também o Maestro Carlos Alberto Figueiredo, a maestrina Valéria Mattos e desde a 2013 a direção musical é do Maestro Jésus Figueiredo. [+] saiba mais O Tratado da Senhora Clap 14/04 a 29/04 Teatro O Tratado da Senhora Clap A arte de bater palmas em situações alegres ou tristes e, com isso, produzir uma enorme magia por meio de um gesto tão corriqueiro é o tema do espetáculo infanto-juvenil “O Tratado da Senhora Clap, com direção de Cadu Cinelli. O texto do dramaturgo Francisco Abreu é uma adaptação livre do livro “A Senhora Clap e o Mundo na Palma das Mãos”, da premiada escritora portuguesa Marta Duque Vaz. O livro, ainda inédito no Brasil, faz parte do Plano Nacional de Leitura Português e foidescoberto por aqui pela musicista Elenise Bandeira de Mello. Encantada pela obra, Elenise convidou as colegas do grupo As Penélopes Contadoras de Histórias, Clara Serejo e Liv Izar, para integrarem o elenco, que conta ainda com a participação de Bruno Trindade e Vinícius Domingues.   SINOPSE: Uma conferência sobre a Arte de Bater Palmas é interrompida. Diante disso, um grupo de ''aplausologistas'' decide reviver os princípios do tratado escrito pela Senhora Clap e recrutam o público para mergulhar neste estudo.   FICHA TÉCNICA: Idealização: As Penélopes Direção: Cadu Cinelli Dramaturgia: Francisco Abreu com colaboração de elenco e direção Letras e música: Francisco Abreu Direção musical e arranjos: Elenise Bandeira de Mello Elenco: Bruno Trindade, Clara Serejo, Elenise Bandeira de Mello, Liv Izar e Vinicius Domingues. Produção: Clama! Produções Artísticas - Marja Cardoso Programação Visual: Cristiana Queiroga Desenho de Luz: Rodrigo Menezes Adereços: Cláudia Mendes Figurino: Liv Izar Fotografia: Noelia Albuquerque   [+] saiba mais Trio Aquarius 21/04 Música  TRIO AQUARIUS  Flávio Augusto, piano  Ricardo Amado, violino  Ricardo Santoro, violoncelo Comemorando 27 anos de atividades ininterruptas em 2018, o Trio Aquarius (Flávio Augusto, piano. Ricardo Amado, violino. Ricardo Santoro, violoncelo) homenageará dois expoentes de gerações distintas da música brasileira. 90 anos de Edino Krieger, com o seu “Trio Tocata”, obra dedicada ao Trio Aquarius em 2011; e 50 anos de Dimitri Cervo, com a estreia mundial de seu trio “Uguabê”. Encerrando o programa, uma das mais belas e difíceis músicas de todo o repertório camerístico internacional, o Trio de Chopin, única obra do compositor para piano, violino e violoncelo.   TRIO AQUARIUS Flávio Augusto, piano Ricardo Amado, violino Ricardo Santoro, violoncelo EDINO KRIEGER - TRIO TOCATA - (Obra dedicada ao Trio Aquarius) DIMITRI CERVO - UGUABÊ - (Obra dedicada ao Trio Aquarius. Estreia mundial) F. CHOPIN - TRIO EM SOL MENOR op. 8 - Allegro com fuoco - Scherzo: Con moto, ma non troppo - Adagio Sostenuto - Finale: Allegretto     [+] saiba mais Sapucaia Ensemble e Loren Vandal, soprano 28/04 Música A Sapucaia Ensemble é um novo grupo orquestral formado por músicos experientes e jovens iniciando carreira promissora na música. Neste programa, a orquestra traz no repertório obras de grandes compositores brasileiros, já consagrados, e novos talentos da arte de compor música como o paulista Tiago Litieri. Como solista, a soprano Loren Vandal, com belo timbre e musicalidade ímpar. Programa: Canto Sertanês n°1, Tiago Litieri Dentro da Noite, L. Fernandez (orq. Evandro Rodriguese) Serenata para Cordas, A. Nepomuceno Lua Branca, Chiquinha Gonzagua (orq. Evandro Rodriguese) Cinco Miniaturas Brasileira, E. Villani-Côrtes Prelúdios e Canções, C. Santoro (orq. Marcelo de Jesus) A direção musical e regência é de Evandro Rodriguese. [+] saiba mais Duo Santoro, José Staneck e Ana Letícia Barros - Do Clássico à Bossa Nova 05/05 Música Release Duo Santoro, José Staneck e Ana Letícia Barros - “Do clássico à bossa nova” Neste concerto “Do clássico à bossa nova”, o Duo Santoro pretende mostrar, através da fusão incomum entre violoncelos, harmônica e percussão, dois lados da música brasileira: o erudito, nacionalista e com referências ao folclore; e o popular, com a sofisticação do samba e da bossa nova. O Duo Santoro, formado pelos irmãos gêmeos violoncelistas Paulo e Ricardo Santoro, completa 28 anos de existência em 2018, com dois CDs lançados dedicados à música brasileira erudita e popular, já tendo realizado concertos por todo o Brasil, na República Dominicana e no Carnegie Hall de Nova York. Na percussão, o sotaque brasileiro de Ana Letícia Barros, professora de percussão e de música de câmara da UNIRIO, já tendo ministrado aulas em diversas universidades nacionais e internacionais. Na harmônica, José Staneck e o seu estilo próprio onde elementos tanto da música de concerto quanto da música popular brasileira e do jazz se fundem a serviço de uma sonoridade e expressividade marcantes.   DO CLÁSSICO À BOSSA NOVA DUO SANTORO Paulo e Ricardo Santoro, violoncelos JOSÉ STANECK, harmônica ANA LETÍCIA BARROS, percussão JOÃO GUILHERME RIPPER - Cantiga e Desafio FRANCISCO MIGNONE - Modinha ADRIANO GIFFONI - Ladeiras de Olinda HEITOR VILLA-LOBOS - Bachianas Brasileiras nº 4 (Prelúdio) - Bachianas Brasileiras nº 5 (Ária) - Bachianas Brasileiras nº 2 - (O Trenzinho do Caipira) CHIQUINHA GONZAGA - Lua Branca e Gaúcho TOM JOBIM - Luiza - Dindi - Chega de Saudade ERNESTO NAZARETH - Brejeiro L. GONZAGA e H. TEIXEIRA - Asa Branca e Baião WALDIR AZEVEDO - Brasileirinho [+] saiba mais Eu sou eu porque meu cachorrinho me conhece 05/05 a 20/05 Teatro SINOPSE: "Eu sou eu porque meu cachorrinho me conhece" questiona sobre a questão da identidade e do sentido da arte hoje, embaralhando o real e a ficção, acentuando a instabilidade entre essas duas ordens. Busca-se, em todas as situações propostas, o ator e o sujeito em situação de embaraço diante de um público que espera uma mensagem ou um sentido que não virá.       O espetáculo EU SOU EU PORQUE MEU CACHORRINHO ME CONHECE, com direção e dramaturgia de Martha Ribeiro, e fragmentos de Textos de Gertrude Stein, se realiza no cruzamento de diferentes mídias e expressões artísticas, criando uma dramaturgia ótico-sonora, a partir dos corpos dos atores, tendo como fundo as acrobacias verbais propostas por Stein. Na associação de imagens e de ideias, sem relação aparente, nos jogos sonoros e corporais, denominados fluxos, nas repetições insistentes e na justaposição de estados emocionais, o espetáculo nos interroga sobre a questão da identidade e do sentido da arte hoje, embaralhando o real e a ficção, acentuando a instabilidade entre essas duas ordens. Buscamos, em todas as situações propostas, o ator e o sujeito em situação de embaraço diante de um público que espera uma mensagem ou um sentido que não virá. O espetáculo é uma realização do Laboratório de Criação e Investigação da Cena Contemporânea (LCICC/Teatro Laboratório - UFF), sediado em Niterói e no Rio de Janeiro - um espaço híbrido entre a academia e o teatro, que possui como prerrogativa o treinamento do ator, somado a um programa de desenvolvimento de espetáculos teatrais.  [+] saiba mais Serie Vivaldi da ACC. Concerto II 12/05 Música Série Vivaldi: 340 anos do compositor A Associação de Canto Coral comemora os 340 anos de nascimento do compositor Antonio Vivaldi. Nascido em 4 de março de 1678, numa das cidades de maior efervescência cultural, Veneza, o compositor italiano trouxe ao mundo invenções musicais únicas que influenciaram decisivamente a maneira de compor na sua época. Notável como violinista, sabia exatamente como fazer uma orquestra de efeito. Suas inovações influenciaram J. S. Bach, que, inclusive, utilizará temas de Vivaldi em algumas composições.  O Coro de Câmara da Associação de Canto Coral preparou para a Páscoa o Credo e o Magnificat, ambos compostos para as moças do Ospedale della Pietà em Veneza, um orfanato de moças onde, após ser ordenado padre, Vivaldi lecionou. O Credo foi composto sobre o texto da profissão de fé cristã dos apóstolos de Jesus Cristo que  determina a crença em apenas um Deus e vê na confissão dos pecados a salvação para a vida eterna. O Magnificat, também conhecido como Canção de Maria, possui texto do evangelho segundo São Lucas e versa sobre um canto entoado pela Virgem Maria a Isabel, mãe de São João Batista.  O Credo é carregado de dramaticidade e de afetos, muitas vezes trazidos com cromatismos e polifonias nos momentos que tratam da encarnação e da crucificação e de homofonia e vivacidade quando trata da criação, concepção, nascimento e da ressurreição. O Magnificat, mais vigoroso, também rico em cromatismo e polifonias possui solos entremeados por intervenções corais com características únicas que mostram a individualidade do compositor  e as práticas do período barroco.  O ano de 2018 mostra o quanto a música de Vivaldi é importante para a História Ocidental. Gravada e executada constantemente em vários locais do mundo mostra o vulto que foi este compositor e como sua obra se eternizou.        Associação de Canto Coral A Associação de Canto Coral, entidade sem fins lucrativos criada em dezembro de 1941 tendo como patrono musical o compositor Heitor Villa-Lobos e como diretora artística a maestrina Cleofe Person de Mattos, tem o objetivo de divulgar o patrimônio musical brasileiro, sobretudo através de concertos no Brasil e no exterior e gravações das principais obras corais-sinfônicas do período colonial. Até a presente data, a Associação de Canto Coral já realizou mais de 750 concertos, com grandes orquestras, sob a regência de maestros internacionais como: Igor Strawinsky, Karl Richter, Victor Tevah, Sir Colin Daves, Helmuth Rilling, Jacques Pernoo; e maestros brasileiros como: Villa-Lobos, Camargo Guarniere, Francisco Mignone, Isaac Karabtchevsky, Alceo Bocchino, Benito Juarez e Henrique Morelenbaum. Sua numerosa discografia inclui autores nacionais como José Maurício Nunes Garcia e os setecentistas mineiros; os nacionalistas Villa Lobos, Francisco Mignone, Brasílio Itiberê e Camargo Guarnieri; e os contemporâneos Almeida Prado e Marlos Nobre. Já teve como diretores artísticos, sua fundadora a maestrina e fundadora Cleofe Person de Mattos e também o Maestro Carlos Alberto Figueiredo, a maestrina Valéria Mattos e desde a 2013 a direção musical é do Maestro Jésus Figueiredo. [+] saiba mais Rio H2K 2018 - Festival Internacional de Dança 25/05 a 03/06 Dança RIO H2K 2018 – FESTIVAL INTERNACIONAL DE DANÇA   De 25 de maio a 03 de junho, o Rio H2K 2018 ocupa diversos espaços da Cidade das Artes Em 7 anos o festival trouxe coreógrafos e companhias de mais de 15 países. Programação para todos os públicos e idades inclui espetáculos, workshops, competições, batalhas de danças, bate-papos e festas.   Entre 25 de maio e 03 de junho, o Rio de Janeiro será palco da oitava edição do Rio H2K. O festival passa a se posicionar como um festival de dança, sem perder a essência e raiz nas danças urbanas, mas como um novo e amplo olhar (através das óticas urbanas) para todas as danças, promovendo outros estilos como jazz fusion, samba, passinho, dança contemporânea e suas múltiplas vertentes de forma ampla e acessível a todos os públicos e idades.        A abertura oficial está marcada para o dia 25 de maio, na Grande Sala da Cidade das Artes, com o espetáculo “Cão sem Plumas” da renomada Cia de Dança Deborah Colker. O espetáculo, que estreou no Rio de Janeiro em 2017, fará 4 apresentações durante o final de semana e os ingressos começam a ser vendidos em breve.         O Rio H2K também irá oferecer a seus espectadores outra oportunidade única, a estreia nacional do espetáculo “Inoah”, do renomado Grupo de Rua do coreógrafo Bruno Beltrão. O espetáculo que estreou na Alemanha com financiamento de festivais europeus, já percorreu Bélgica, Portugal, França, Japão e terá sua primeira apresentação no Brasil.     Mas uma das principais características e forças do festival é o seu painel de Workshops, realizado entre os dias 31/05 a 03/06, que promove uma interação intensa e direta com o público colocando cerca de 9 mil alunos para dançar. Para atrair tantos alunos, o Rio H2K conta com os maiores e mais populares expoentes de diversos estilos, como os workshops inéditos de Bobbi Smith da linguagem “Gaga”, desenvolvida pelo coreógrafo israelense Ohad Naharin da renomada Batsheva Dance Company, e exibida no filme da Netflix “Gaga – O Amor Pela Dança”. As americanas Ysabelle Capitule e Cat Cogliandro, o inglês Frank J, o alemão Ben Wichert também são outros nomes confirmados.   O Showcase tem apresentações de grupos nacionais e internacionais amadores selecionados pelo festival além dos coreógrafos. Em 2017, com o intuito de incentivar e fomentar a profissionalização de grupos de street dance do Brasil, o evento ofereceu um prêmio no valor de R$ 15 mil, para ser investido na montagem de um espetáculo a ser apresentado no Rio H2K deste ano.     Outro ponto alto do evento, o Rio H2K Battles esquenta o clima em uma batalha de dança em seis categorias: hip-hop, popping, locking, house, breaking e passinho. Os vencedores de cada categoria levam uma premiação em dinheiro (entre R$ 500 e R$ 1.500) e o título de melhor dançarino do seu estilo. Todos os participantes que se qualificaram nas eliminatórias também integram o Ranking.   O evento também oferece outras atrações interativas importantes: o Rio H2Kids, uma colônia de férias para crianças de 4 a 10 anos; e o Rio H2K Projetos Sociais, que proporciona aulas regulares de dança ao longo do ano para cerca de 300 crianças em situação de vulnerabilidade social de cinco locais (Viaduto de Madureira, Cidade de Deus, Caju, Complexo do Alemão e Centro), cumprindo um calendário regular de ação social inclusória e comunitária. Os professores dos projetos são figuras reconhecidas e respeitadas em cada uma dessas comunidades e preparam os alunos durante o ano para se apresentarem no festival, durante o Showcase.     E para coroar a interação do público com a cidade, o evento oferece um camping montado nos jardins da Cidade das Artes. O KEMP, como é chamado, é para aqueles que querem viver 24h a experiência do festival, sendo o Rio H2K o primeiro projeto a proporcionar esta experiência na Cidade das Artes.         O Rio H2K tem direção de Miguel Colker e Bruno Bastos, que assina a direção artística e divide a curadoria da mostra de espetáculos com o francês Guy Darmet, idealizador de um dos maiores festivais de dança do mundo, a Bienalle de La Danse de Lyon, e criador da Maison de la Danse.   O festival também mantém uma agência de coreógrafos, a Rio H2K Agency, além de agenciar workshops, coreografias para shows, espetáculos, filmes e videoclipes, uma das principais missões da Agency é mostrar ao mundo a potência dos nossos coreógrafos, de nossa criatividade, e que as danças urbanas brasileiras, em breve, vão conquistar o mundo.   Mais informações Site oficial: www.rioh2k.com.br Facebook: https://www.facebook.com/rioh2k Instagram: https://www.instagram.com/rioh2k Vídeo oficial do RIO H2K 2017: https://vimeo.com/246152383     [+] saiba mais Quarteto Brasiliana 16/06 Música QUARTETO BRASILIANA Wagner Rodrigues, violino Willian Isaac, violino Samuel Passos, viola Paulo Santoro, violoncelo   Fundado em 1994 com o nome de Quarteto Continental, em 2006 adota o nome de Quarteto Radamés Gnattali, em homenagema este grande compositor. Desde 2010, já com a formação atual, assume definitivamente o nome de Quarteto Brasiliana, homenageando assim todos os compositores brasileiros em geral. Um dos mais vibrantes, dinâmicos e versáteis quartetos de sua geração, é constituído por músicos premiados em diversos concursos nacionais e internacionais, dentre eles o Prêmio Carlos Gomes de Ópera e Música Erudita. Atuam também como recitalistas e solistas à frente das principais orquestras do Brasil, América do Sul e Europa. Já se apresentaram em países como Estados Unidos, Paraguai, Suíça, Alemanha, além de concertos por todo o Brasil, divulgando sempre a música brasileira de concerto. O Quarteto Brasiliana já participou de diversos festivais de música pelo Brasil, tais como o Festival de Música de Domingos Martins, Festival de Música de Petrópolis, além do Panorama da Música Brasileira Atual e da Bienal de Música Brasileira Contemporânea, estreando diversas obras dedicadas ao quarteto. Foi responsável pela primeira audição no Brasil do Quarteto n° 2 de Alberto Nepomuceno. Participou também das comemorações do centenário de Lorenzo Fernandez, na Sala Cecília Meireles, em 1999, e de diversas edições do Festival Villa-Lobos apresentando vários de seus quartetos, muitos deles em primeira audição no Brasil. Convidado pela Funarte, participou do projeto Concertos Didáticos nas Escolas desenvolvendo um intenso programa de atividades pedagógicas, de difusão e concertos em escolas municipais do Rio de Janeiro. Os concertos do Quarteto Brasiliana são gravados e transmitidos com regularidade no programa Partituras da TV Brasil. Celebrado pelo público e pela crítica por suas interpretações de alto nível artístico, o Quarteto Brasiliana tem sido saudado pelos principais jornais do país como um dos mais conceituados quartetos de cordas brasileiro.     Quarteto Brasiliana e o classicismo vienense Com uma trajetória de mais de 20 anos de palco, o Quarteto Brasiliana, ao longo do tempo, vem se especializando na interpretação de compositores brasileiros e latino-americanos. No repertório do concerto serão apresentados o famoso Quarteto Imperador de Haydn, cujo 2º movimento é o tema do hino nacional alemão e um dos últimos quartetos de Beethoven, que podem ser considerados um dos maiores conjuntos artísticos já produzidos por um ser humano.     Programa:  J. HAYDN   QUARTETO Op.76, nº 3 (Imperador) Allegro Poco adagio, cantabile Menuetto: Allegro Finale: Presto     L. V. BEETHOVEN   QUARTETO Op. 132 Assai sostenuto- Allegro Allegro ma non tropo Molto adagio – Andante Alla marcia, assai vivace Allegro appasionato   [+] saiba mais Ópera, Bastien und Bastienne - Mozart 14/07 a 15/07 Música Bastien und Bastienne é uma ópera cômica escrita em 1768, quando Mozart tinha apenas doze anos de idade, e uma das primeiras óperas do compositor. É especificamente uma paródia da ópera Le devin du village de Jean-Jacques Rousseau. É, como as óperas desse estilo frequentemente são, amor, traição, um pouco de intriga e um final feliz. Bastienne suspira pelo seu amado Bastien que partiu para a cidade. Enquanto Bastienne pasta o seu gado, Bastien é seduzido pelo brilho e glamour da cidade e, também, de uma donzela abastada. Por recomendação de Colas, o charlatão e mago da aldeia, quando Bastien regressa, Bastienne faz-se difícil de forma tão cruel que o perturbado e desamado Bastien fica à beira do suicídio. Apercebendo-se finalmente do seu amor transcendente, os dois pastores põem de parte a simulação e reafirmam o seu amor mútuo. Resta apenas ao “mago” entoar o terzetto final com o casal feliz, cantando a magia do amor. A montagem da Atlantis Opera Orchestra contará com a direção cênica de Manuel Thomas, concepção dos cenários e figurinos da designer Mia Carvalho, inspirados nas aquarelas de Carlos Julião e do pintor holandês Pieter Godfred Bertichenque que retrataram os usos e costumes do Rio de Janeiro do fim do século XVIII e início do XIX. A Iluminação é de Julia Requião. Direção Musical e Regência: Evandro Rodriguese Direção Cênica: Manuel Thomas Figurinos e Cenografia: Mia Carvalho Iluminação: Julia Requião Legenda: Loren Vandal   [+] saiba mais