Fundação Cidade das Artes

Programação » BORA RIR | Espetáculo de Comédia Stand-up

Evento Encerrado

BORA RIR | Espetáculo de Comédia Stand-up



O Bora Rir é um projeto de stand-up comedy itinerante. A ideia é ocupar todo o Rio de Janeiro com os melhores humoristas do cenário nacional, valorizar a cena carioca e servir de palco para revelação de novos talentos.

Sempre um show diferente:
Além de dirigir, Paulinho Serra também se apresenta nas edições do Bora Rir, junto com humoristas consagrados da comédia nacional, que se revezam pelos shows, fazendo com que cada espetáculo seja sempre diferente.

O quarto elenco da temporada 2022 de stand-up “Bora Rir” apresenta: Paulinho Serra, Smigol e Duca Pantaleão.

Bora Lá! Bora Rir!

 


SOBRE PAULINHO SERRA
Ator do seriado Chapa Quente da TV Globo, ex-VJ da MTV (onde apresentou programas como Comédia MTV e Quinta Categoria) e fundador do canal Amada Foca (sucesso no YouTube e redes sociais), Paulinho traça sua trajetória artística em seu espetáculo-solo, começando pela infância pobre em Bangu, sua ida para São Paulo, sua afirmação como humorista e a criação do bem-sucedido Traficante Gay, personagem pelo qual ele até hoje é reconhecido nas ruas. “Para o bem e para o mal! Há alguns momentos constrangedores em que o público me confunde mesmo com o personagem. No espetáculo, a plateia pede sempre”, admite. Paulinho Serra. Paulo José Serra do Carmo, 42 anos, é um carioca expoente na nova geração do humor nacional. Ator, humorista e radialista, conquistou notoriedade no teatro de humor ao integrar o grupo Deznecessários nos anos 2000, juntamente com Marcelo Marrom, Rodrigo Capella, Maíra Charken, Miá Mello e Tatá Werneck, mas foi em 2010, quando ingressou no time da MTV (emissora onde ficou por quatro anos apresentando programas como o Comédia MTV, Trolalá, Quinta Categoria), que Paulinho Serra ganhou popularidade em todo o país. Trabalhou na Rádio Jovem Pan, no Programa Pânico. O ator é considerado um talento do teatro e da televisão brasileira, sendo um dos pioneiros a montar, produzir e atuar em stand-up comedy país afora. Atualmente, Paulinho Serra faz parte do elenco fundador do canal Amada Foca (presente no YouTube e redes sociais), que produz vídeos temáticos de humor com milhares de acessos, e está no elenco do novo programa humorístico da TV Globo, o Chapa Quente e também no Multishow na nova temporada do VAI QUE COLA.


SOBRE SMIGOL
Atleta do Hall da Fama do Remo do Flamengo, campeão estadual e Brasileiro pelo rubro-negro várias vezes, Smigol é bem conhecido ainda pela sua carreira jornalística. Ele começou na extinta Rádio Cidade e participou de diversas coberturas internacionais, como os Jogos Pan Americanos do Rio e os Jogos Olímpicos de Pequim na China 2008 e Londres 2012. Em 2005, foi para o SporTV, onde participou dos programas Preliminares e Pisando na Bola até 2010, quando foi contratado como repórter do canal apresentando matérias diárias nos programas SporTV News, Tá na Área, É Gol e Zona de Impacto.Em 2014, foi convidado pelo SBT para cobrir a Copa do Mundo no Brasil, apresentando e fazendo reportagens engraçadas para o Arena SBT. Atualmente, Smigol é uma das estrelas do Multishow e da rádio Mix FM 102.1, apresentando ao vivo, de segunda a sexta às 20h, o “De Primeira”, programa de esporte com muito bom humor.


SOBRE DUCA PANTALEÃO
Humorista do SBT do quadro dos Malandros de Niterói, tem seu show solo com uma duração de 1 hora com seus textos e piadas vem levando muita alegria e muitas risadas pelos palcos do Brasil! Sua carreira começou em 2009 quando foi a um show de humor e ao final do show perguntaram se havia alguém na platéia que soubesse contar uma piada! Subiu e não parou mais! Em 2010 chegou a final do concurso Quem Chega La na rede globo!

Humorista e Escritor
Ao lado de Raphael Carvalho e Jeffinho Farias formou o trio humorístico Esse Cego É Ducarvalho, que participou do programa Zorra Total da TV Globo, em 2012, e de A Praça É Nossa (SBT), a partir de 2014. Juntos realizaram também o espetáculo teatral Três Malandros na Laje.

Obras:
Literatura Infantil:
• A Ilha Mágica
• O Mundo das Cores
• O Menino dos Olhos


Obs.: O elenco está sujeito a mudanças sem aviso prévio. Fique atento aos canais de comunicação oficiais para possíveis alterações. Grato pela compreensão.

FICHA TÉCNICA
Direção Artística: Paulinho Serra
Direção Executiva: André Binnios
Produção Executiva: A Costa




Teatro

Informações Gerais

Datas

27/05/22

Horários

Sexta-feira | 21h

Local

Cidade das Artes

Sala

Eletroacústica

Classificação Etária

16 Anos

Demais Eventos da Programação

Maquete de LEGO® do Rio de Janeiro I Exposição Permanente 08/03 a 31/01 Artes Visuais LEGO® doa ao Rio de Janeiro a maquete feita com 947 mil peças A maquete do Rio de Janeiro feita totalmente em LEGO foi construída para homenagear de forma criativa e inusitada a cidade-sede dos Jogos Olímpicos de 2016 e ficará exposta permanentemente na Cidade das Artes como legado cultural. A construção destaca os 25 importantes ícones da cidade como o Pão de Açúcar, o Cristo Redentor, os Arcos da Lapa, o Maracanã, entre outros. [+] saiba mais Vacinação COVID-19 10/01 a 18/12 Outros A vacinação acontece no 2° andar da Cidade das Artes (Esplanada), é preciso apresentar documento de identidade e número do CPF. O comprovante de vacinação deverá ser guardado e apresentado quando chegar a hora de tomar a próxima dose da vacina.  A vacinação contra a COVID-19 a cada dia é destinada a grupos indicados nos calendários oficiais de vacinação divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde, verifique sempre nos sites e redes sociais oficiais da Prefeitura e da Secretaria Municipal de Saúde. O ponto de vacinação (PV), na Cidade das Artes foi inaugurado em 31 de março de 2021, pela Secretaria Municipal de Saúde, para facilitar o acesso da população.   [+] saiba mais Curso ArteGrimberg | Teatro 10/03 a 16/12 Projeto CDA A Companhia Teatral ArteGrimberg foi fundada pela diretora Natalia Grimberg no ano de 1993, quando começou a ministrar aulas no espaço do extinto Teatro de Lona da Barra. Nos anos seguintes ministrou aulas no Teatro dos Grandes Atores (Shopping Barra Square), no também extinto Teatro do Barra Shopping e no Teatro Antônio Fagundes. Já em 2001, junto com seus irmãos Nado Grimberg e Tatiana Grimberg, decidiu abrir as portas de um espaço próprio, dedicado ao exercício das artes, e oferecer o Curso Livre de Teatro para todas as idades. Somos uma escola de reconhecida competência e tradição, com professores qualificados e capacitados, e com a missão de garantir a melhor experiência de aprendizado aos seus alunos. Temos orgulho de já ter formado muitos dos atores mirins que atualmente são profissionais reconhecidos e fazem sucesso na mídia. O curso tem duração de 1 ano e é dividido em duas etapas. Na primeira, as aulas de teatro são compostas por exercícios teatrais, improvisação, trabalho de corpo e voz, dinâmicas e noções de palco. Na etapa seguinte inicia a prática dos ensaios para as apresentações de fim de ano. Todas as turmas se apresentarão e todos os alunos receberão um personagem para interpretar. O curso de teatro é coordenado por Nado Grimberg e conta com uma qualificada equipe de professores e assistentes, que tem como objetivo desenvolver a criatividade, a forma de se expressar, e o autoconhecimento. [+] saiba mais Visitinha nas Artes | Visita guiada 13/03 a 18/12 Arte e Conhecimento Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, Riotur e Cidade das Artes através do Programa de Fomento à Cultura Carioca apresentam VISITINHA NAS ARTES O que é ? Visitinha nas Artes é um projeto que se propõe a fazer com que as crianças entendam, conheçam e se apropriem do equipamento cultural e da ideia que está por trás da concepção da Cidade das Artes. Essa experiência levará a compreensão de que as artes são plurais e vitais para a existência humana. A visitinha conta com a Batutinha, personagem que é a alma de um menina negra que almeja ser maestrina e caminha batendo os pés no ritmo das músicas, como se estivesse batendo num tambor. Seu amor pelas artes a levou a se abrigar na Cidade das Artes e aqui ficar, servindo como exemplo de representatividade, inclusão e inspiração para jovens artistas. Como funciona a visitinha? A visita é gratuita mediante agendamento por esse link, sempre aos domingos, às 11h, com grupos de 45 pessoas (20 crianças + 25 responsáveis). Duração de aproximadamente 90 minutos, sendo 45 minutos para a Visita Guiada e os outros 45 minutos para a Oficina. Todos os participantes irão receber fones de ouvido para acompanhar a explicação do guia durante o percurso da visita guiada. 1) Visita guiada O roteiro, que vai percorrer diversos espaços da Cidade das Artes e dura em torno de 45 minutos, foi desenvolvido do ponto de vista das crianças, estimulando o sonho, treinando o olhar para os detalhes e abrindo suas mentes para que se coloquem na posição de artistas. A personagem Batutinha, é inserida nesta parte da visitinha de forma imaginária. Todos os participantes receberão fones de ouvido que serão utilizados para a comunicação entre o guia e os participantes. 2) Oficina A oficina de musicalização infantil com duas professoras. Uma das professoras é a Batutinha e a outra, uma musicista convidada. Existe uma relação entre a Batutinha andar marcando os pés no ritmo das músicas e seu desejo em ser maestrina. Antes do surgimento da figura do maestro, os músicos das orquestras eram "guiados" por uma marcação de tempo, ou seja, a marcação de tempo é, de forma bem simples, a primeira função do maestro em um coro ou orquestra. A aula ensinará de forma lúdica a importância do ritmo através de brincadeiras, percussão corporal e canto. Conceitos musicais como regência, naipe, ritmo, melodia e harmonia também serão apresentados durante a aula. A idade das crianças para participar das oficinas deve ser de 3 a 12 anos. Crianças de colo poderão participar somente da Visita Guiada. Acessibilidade: Um profissional intérprete de libras fará parte da equipe de guias da visitinha. Lembretes: - Credenciamento: Todos devem chegar com 30 minutos de antecedência para fazer o credenciamento. É necessário um documento de identificação original ( RG e/ou CPF) para retirada do equipamento de áudio; - O ponto de encontro e o credenciamento fica localizado no receptivo da Cidade das Artes no 2º andar (Esplanada); - O uso de máscara é recomendável; - O comprovante de vacina contra a Covid-19, para maiores de 18 anos, é obrigatório no Rio desde 15 de setembro de 2021 para a visitação e entrada em alguns estabelecimentos e locais de uso coletivo (Decreto Rio nº 49335 de agosto de 2021). - É exigida a presença de uma pessoa responsável por criança durante toda a visita. - Contato: milamusiced@gmail.com   [+] saiba mais Nova Vanguarda Carioca | Exposição 06/06 a 04/09 Artes Visuais CIDADE DAS ARTES BIBI FERREIRA APRESENTA NOVA VANGUARDA CARIOCA CURADORIA GRINGO CARDIA O Rio de Janeiro sempre foi uma das fontes reverberadoras das novas tendências e criatividade do Brasil. Uma cidade cosmopolita, heterogênea, complexa, que vibra em diferentes frequências e promove a arte do inusitado, do provocador, do inovador num encontro agregador das diferenças, das diversidades e da mistura dos polos sociais. A Cidade das Artes Bibi Ferreira tem o prazer de receber e patrocinar a exposição Nova Vanguarda Carioca, composta por uma geração emergente de artistas plásticos, que explode com sua arte de muitas cores, discussões identitárias e de territórios, conquistando o panorama da arte nacional e internacional. Um trabalho pulsante, marcado nas suas raízes periféricas urbanas de todo o Brasil. A curadoria é de Gringo Cardia, artista e cenógrafo que trabalha neste universo e que ao lado de Vik Muniz, Marisa Orth, Malu Barretto e Giovanni Bianco lidera um projeto social de juventude, arte e tecnologia - a escola Spectaculu, existente há 22 anos no Cais do Porto, fazendo a inclusão pela arte. A reunião destes artistas nesta exposição evidencia o poder e a potência que a arte tem como papel de transformação social. A Cidade das Artes Bibi Ferreira amplifica e abriga a abstração do que é ser um espaço vivo. Impregna nas suas colunas concretas a multiplicidade da cidade, na interculturalidade de suas várias zonas. Recria um pouco do Rio, uma trama mista de gostos, hábitos, usos e funções. Um convite para um profundo mergulho, conceitualmente mutável, coletivo e agregador. A mostra reúne a nova potência criativa do Rio e celebra essa retomada das novas tendências artísticas do Brasil. [+] saiba mais Canto das Artes | Oficina de Canto Coral 07/06 a 25/10 Música A Oficina Coral Canto das Artes tem como principal foco desenvolver a musicalidade e promover o bem-estar dos seus integrantes e o repertório é voltado para a MPB, Samba e Bossa Nova. Muitos corais de desfizeram durante a pandemia mas o Canto das Artes, apesar de algumas baixas, se manteve firme e o período de junho a outubro de ensaios na Cidade das Artes é um convite para que as pessoas voltem a cantar em coros e para quem nunca participou, que venha conhecer a felicidade de cantar em grupo.  Não é necessária experiência. História da Oficina Coral Canto das Artes A oficina nasceu em setembro de 2018 como parte integrante da escola de música Mi La Música, ligada a Associação de Amigos da Cidade das Artes, e realizou apresentações na Cidade das Artes, no Barra Shopping e no evento Urban Hacking, promovido pelo Sebrae. Durante a pandemia e na impossibilidade de ensaiar de forma presencial, a Oficina Coral operou de forma online, de março de 2020 a maio de 2022, focando no desenvolvimento individual dos coralistas durante os ensaios. Foram usados aplicativos que possibilitaram que os alunos participassem das aulas em grupo, praticando técnicas vocais e fazendo gravações online dos seus naipe e o resultado final foi a gravação de dois clipes musicais e um documentário sobre a história do grupo, a importância da pratica coral na vida dos integrantes e principalmente durante a pandemia. Regente e Professor André Miranda Cantor, arranjador e regente coral. Formado em Licenciatura em Música pela Unirio, e Regência Coral pela Pro-Arte. Foi integrante do grupo vocal Ordinarius, com o qual gravou três discos. Como regente, está á frente do Coro Oficina de Canto APABNDES, Glee Club, Quarteto TPM e Canto das Artes, além de ministrar todos os anos oficinas de canto coral no SESC Rio. Participou de festivais corais no Brasil e no exterior, como o Cantapueblo (Mendoza/ARG), FEPAC (João Pessoa/PB), Cantáguas (São Lourenço/MG) e o Festcoros Bahia (Salvador/BA). Como arranjador, escreveu para diversos coros e grupos vocais. Coordenadora Mila Schiavo Graduada em percussão pela Berklee College of Music (Boston/EUA), Mestrado em Administração pela PUC RJ e MBAs em Gestão Pública e Agenciamento Cultural pela Fundação CECIERJ – SEC/RJ e em Gestão Empresarial pela PUC/RJ Produtora Cultural: Vencedora do edital FOCA 2022 com o projeto Visitinha nas Artes, atualmente em cartaz na Cidade das Artes. Abriu sua escola, Mi La Musica, e durante a pandemia criou os cursos The Brazilian Virtual Choir Lab (Laboratório de Coral Virtual Brasileiro) e o Bossa Nova BootCamp, programas online de imersão cultural na música brasileira voltado para alunos estrangeiros. O curso já teve alunos da Austrália, EUA, França, Holanda, Itália e Brasil. Além dos cursos internacionais, a escola tem cursos de percussão, bateria, Canto Coral, entre outros. Reconhecida no meio musical, Mila Schiavo trabalhou com Roupa Nova, Barão Vermelho, Leny Andrade, The Brooklyn Philharmonic Orchestra, Titãs, Iza, Guilherme Arantes, David Byrne, Howard Levy, Paulo Moura, Virgínia Rodrigues, Caetano Veloso, Nelson Motta, Vinicius Cantuaria, Nico Rezende, Bebel Gilberto, Antonio Adolfo, Roberto Gnattali, entre outros.   Aprovada pela LIESA para atuar como julgadora no quesito bateria nos desfiles das Escolas de Samba do Grupo Especial no Carnaval 2022. Foi a primeira vez, em 90 anos de desfiles, que uma mulher julga o quesito bateria.  Pioneira na divulgação e ensino da percussão no Rio de Janeiro, foi produtora do Festival de Percussão da UERJ no ano 2000, o primeiro no gênero no Rio de Janeiro e fundou no mesmo ano a primeira escola de percussão e bateria da cidade, a Maracatu Brasil.   [+] saiba mais Oficina de Teatro Inclusivo | Um reencontro com a arte 07/06 a 24/11 Arte e Conhecimento Artes cênicas, técnicas de yoga e reiki serão oferecidas, de forma gratuita, aos idosos e pessoas com deficiência intelectual. A Escola Pé na Arte apresenta a Oficina de Teatro Inclusivo, projeto que oferece aulas gratuitas para idosos e pessoas com deficiência intelectual, visando levar a cultura do teatro, além de desenvolver e ampliar as habilidades funcionais. A oficina terá início em junho e será realizada na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca (RJ), duas vezes por semana. Sabemos que a arte teatral tem o grande poder de mudar a forma como as pessoas interagem com o mundo, desenvolvendo habilidades, promovendo integração e rompendo as barreiras sociais. Foi pensando nisso que o ator e arte educador Zecarlos Moreno, diretor da Escola Pé na Arte, criou a Oficina de Teatro Inclusivo. A partir de sua experiência com o grupo de teatro inclusivo o qual ministra aulas, e que seguiu online durante a pandemia, Zecarlos imaginou ser esse um caminho para alcançar mais pessoas, promovendo a cultura e a socialização: “Quando falamos de teatro inclusivo, estamos abordando não somente os preconceitos sociais, mas também os relacionados à idade e às deficiências intelectuais. Com a oficina visamos, através das artes cênicas, colaborar para que os alunos inscritos possam se encontrar no ambiente cultural, proporcionando autoconhecimento, equilíbrio, criatividade e entrosamento em grupo.” A Oficina de Teatro Inclusivo reforça que o acesso às artes é relevante para viabilizar a inclusão humana e para o reconhecimento das diferenças como potencialidades. Outro ponto importante é a territorialização do edital, que privilegiou projetos culturais da Zona Oeste. “A oficina estará disponível para todos, mas queremos dar preferência para alunos de Jacarepaguá, em especial aqueles que não teriam condições de pagar por um curso com esta estrutura”, conta Roger Almeida, produtor executivo do projeto. Com aulas de junho à novembro, todas as terças e quintas, das 14h às 17h, a Oficina de Teatro Inclusivo apresenta uma metodologia teórica e prática das artes cênicas com jogos teatrais, improvisação, meditação, exercícios respiratórios, técnicas de yoga e reiki, ministradas por profissionais especializados em educação inclusiva. As inscrições são gratuitas e estão abertas na plataforma Sympla. O projeto conta com patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura e apoio cultural da Cidade das Artes. Oficina de Teatro Inclusivo, transformando vidas através da Arte. [+] saiba mais Que baleia é essa? | Exposição 08/06 a 30/12 Arte e Conhecimento A exposição "Que baleia é essa?" apresenta ao público um grande esqueleto de Baleia-Cachalote pertencente à espécie Physeter macrocephalus. Esta baleia encalhou na Praia de Curimãs, município de Barroquinha-CE, em 1 de janeiro de 2014. Tratava-se de um animal adulto, do sexo masculino, com 15,7 m de comprimento. O cachalote ( Physeter macrocephalus ), ou chacharréu, é o maior dos cetáceos com dentes, bem como o maior animal contendo dentes que existe atualmente (podendo medir até 20 metros de comprimento). Este esqueleto está montado no Foyer na Grande Sala. A parceria para sua aquisição foi feita pela instituição Aquasis junto ao Museu Nacional em dezembro de 2020. A Aquasis representa a única instituição licenciada no Ceará para atendimento de encalhes de mamíferos marinhos, incluindo a autorização para coleta e transporte de amostras biológicas in situ e ex situ. Dessa forma foi possível ter acesso ao espécime que é o foco desta exposição. Através deste exuberante exemplar de baleia cachalote, o Museu Nacional/UFRJ pode explorar alguns aspectos relacionados a Biologia e Biodiversidade, que são temas diretamente relacionados com algumas das pesquisas científicas de excelência desenvolvidas na instituição. A opção em expô-la atende a missão institucional de comunicação e divulgação científica. Conheça um pouco mais sobre o mundo dos cetáceos e das baleias. Agora conheça um pouco mais do universo da baleia que movimentou o romance Moby Dick de autoria do escritor estadunidense Herman Melville, que imortalizou a cachalote na literatura e no cinema, tornando-a um animal que movimenta o imaginário popular. [+] saiba mais TAL VEZ | Cia de Ballet Dalal Achcar 01/07 a 10/07 Dança Ministério do Turismo e Instituto Cultural Vale apresentam Espetáculo “TAL VEZ” chega à Cidade das Artes Bibi Ferreira em julho depois de duas temporadas de sucesso A montagem inédita da Cia de Ballet Dalal Achcar conta com coreografia de Alex Neoral, figurino de João Pimenta e cenário de Natalia Lana Depois de ser ovacionado nos palcos do Teatro Riachuelo Rio e do Theatro Municipal de Niterói, o espetáculo “TAL VEZ” vai abrilhantar a Cidade das Artes Bibi Ferreira nos dias 1, 2, 3, 8, 9 e 10 de julho. A montagem da Cia de Ballet Dalal Achcar e com coreografia de Alex Neoral traz 18 bailarinos e possibilita que o público conheça o futuro e o presente da dança nacional. Para isso, Eric Frederic, maitre de ballet e coreógrafo, foi fundamental nos ensaios e treinos do corpo de bailarinos que chegam à Cidade das Artes Bibi Ferreira combinando dança contemporânea e técnica clássica. A produção é da Aventura e o espetáculo é apresentado pelo Instituto Cultural Vale. A Cia de Ballet Dalal Achcar é patrocinada pelo Instituto Cultural Vale, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura. Os figurinos do espetáculo são de João Pimenta (Romeu & Julieta ao som de Marisa Monte) e o cenário de Natalia Lana (A Cor Púrpura), ambos premiadíssimos, o que garante que o público seja completamente envolvido na história. A trilha sonora escolhida especialmente por Alex Neoral também vai impactar os espectadores. As canções inspiradas em trilhas de filmes de cineastas como o espanhol Pedro Almodóvar, o italiano Ettore Scola e o americano Woody Allen vão fazer a plateia viajar no enredo de “TAL VEZ”. "TAL VEZ", jogo de palavras que brinca com 'talvez' e 'aquela vez', dá nome à produção com coreografias baseadas em encontros marcados que geram desencontros e mostram como esses momentos da vida podem resultar em novas experiências. Além do conceito, as cenas serão compostas também pelo movimento de desconstrução dos figurinos em camadas ao longo do espetáculo. Com a parceria, Dalal tem o objetivo de trazer frescor e um ar mais plural para o mercado do ballet no Brasil. Ela ressalta ainda a importância do intercâmbio entre as companhias, muito comum na Europa. “É importante para firmar a força da dança. O coreógrafo precisa ser conhecido além da própria companhia. O processo de criação é uma troca. Venho acompanhando o trabalho do Alex na Focus há algum tempo e queremos renovar com um espetáculo muito dançante”, pontua Dalal Achcar. Sobre o espetáculo Em uma noite qualquer, pessoas se preparam para seus encontros marcados. A antecipação e a expectativa das emoções dessa noite transbordam nos passos, gestos e atitudes de preparação. A chegada e o reconhecimento do lugar acontecem de forma urgente. Precisam estar prontos. Luzes, cheiros, atenção aos que chegam. A espera e os pensamentos misturados regados pela tensão do momento. O tempo passa e pouco a pouco. Cada uma dessas pessoas se desconstruirá sob a clara visão de que os marcados não aparecerão. As sensações se misturam e regam seus corpos e movimentos em um misto de emoções contraditórias. A frustração manifestada por cada um, com formas e cores diferentes, e a impermanência se debatem. As cores mudam e de repente as pessoas veem e percebem umas às outras, descobrindo possibilidades infinitas ao seu redor. O espaço está cheio de afetos, do novo, de música. Encontros, desencontros, novos encontros na dança da vida. “Acredito que existem assuntos recorrentes em minhas criações e talvez essas questões sejam recorrentes no mundo: Quem não está buscando encontrar alguém ou algo? Um objetivo? Nessa criação, foi ambientado um salão de baile, onde os 18 personagens marcam com alguém um encontro que não acontece. Coincidentemente, todos não são correspondidos. Porém, terão a oportunidade de se conhecerem e criarem novas situações inesperadas”, explica Neoral.  [+] saiba mais Orquestra Sinfônica Brasileira - Série Sinfônica Brasileira 02/07 a 03/07 Música Ministério do Turismo e Instituto Cultural Vale apresentam: Entusiasmo, vigor e pluralidade caracterizam o eclético repertório que a OSB levará ao palco do Teatro de Câmara, na Cidade das Artes, dias 2 e 3 de julho. Sob regência do maestro e violinista Daniel Guedes (que também se apresentará como solista), o grupo interpretará obras César Guerra-Peixe, Radamés Gnattali e Ludwig van Beethoven. Kleber Vogel (bandolim), Rogério Caetano (violão) e Ana Rabello (cavaquinho) completam o time de solistas do programa. No domingo, a apresentação será no formato Concertos para a Juventude – récitas matinais de caráter didático, com ingressos a preços populares. Partindo de uma peça inspirada pela música tradicional nordestina, passando pelo choro carioca e chegando ao universo da música alemã, o espetáculo explora diversas possibilidades sinfônicas, em um repertório que vai do popular ao clássico. A obra que inicia o programa é o Concertino para Violino e Orquestra de Câmara, de César Guerra-Peixe. Escrita entre os anos de 1970 e 1972, a peça foi uma encomenda do Movimento Armorial e revela toda a maestria com que o compositor combinava o riquíssimo folclore nordestino com técnicas e elementos da música de concerto. Suas pesquisas de campo pelo Nordeste do Brasil estão claramente refletidas na peça: nela o violino por vezes soa como uma rabeca, apoiado pela pequena orquestra. São três os movimentos dessa pequena obra-prima: um incisivo "Allegro comodo"; um fantástico "Andantino" com uma longa introdução a cappella; e um finale empolgante, "Allegro un poco vivo". Nesta execução, Daniel Guedes, se dividirá entre a regência e violino, atuando como solista. A Suíte Retratos – segunda obra do programa – figura entre as mais emblemáticas composições de Radamés Gnattali. Nos quatro movimentos, ele utiliza uma rica paleta sonora para pintar musicalmente a imagem de mestres da música brasileira, incorporando elementos estilísticos e mesmo trechos de obras dos artistas homenageados. Para o movimento "Pixinguinha", o compositor retomou os choros "Carinhoso" e "Ingênuo"; em "Ernesto Nazareth" ele utilizou a valsa "Expansiva"; no movimento dedicado a Anacleto de Medeiros, Gnatalli escolheu o tema do choro “Três Estrelinhas”; já no último, dedicado a Chiquinha Gonzaga, o compositor optou pelo icônico "Corta-Jaca". Todo esse rico material é trabalhado de forma inspirada, resultando em uma composição marcante, na qual música popular e música de concerto se amalgamam em uma verdadeira apoteose do choro. O violinista da OSB, Kleber Vogel, que nesta peça assume o bandolim, o violonista Rogério Caetano e a cavaquinista Ana Rabello são os solistas. A última obra do programa também surgiu como uma homenagem, mas o compositor, após um episódio de total desencantamento, decidiu remover a dedicatória. Ludwig van Beethoven tinha ninguém menos do que Napoleão Bonaparte em mente quando compôs a sua colossal 3ª Sinfonia. No entanto, ao saber que suposto herói da liberdade havia se proclamado imperador, o mestre alemão rasgou furiosamente a página da partitura que trazia o nome do governante. A Sinfonia grande Intitolata Bonaparte ganhou então o nome de Sinfonia Eroica, que conhecemos hoje. A obra é um marco da segunda fase de Beethoven, sobretudo pela sua proporção e pela sua complexidade. O movimento inicial é um "Allegro con brio" exclamativo, permeado de clímaxes. No lugar do tradicional movimento lento, o compositor insere uma "Marcha Fúnebre" de grande força dramática. Um "Scherzo" cheio de dinamismo funciona como terceiro movimento, e a sinfonia acaba com um finale triunfante constituído por uma série de variações. Criados em 1943, os Concertos para Juventude têm como fundamento promover uma aproximação entre o público e a música de concerto. Para isso, a série é composta por apresentações didáticas que contam sempre com um mestre de cerimônias para guiar o público. A performance musical é intercalada com informações sobre as obras apresentadas e seus compositores, além de curiosidades sobre o funcionamento de uma orquestra sinfônica e seus instrumentos. A ORQUESTRA SINFÔNICA BRASILEIRA: Fundada em 1940, a Orquestra Sinfônica Brasileira é reconhecida como um dos conjuntos sinfônicos mais importantes do país. Em seus 81 anos de trajetória ininterrupta, a OSB já realizou mais de cinco mil concertos e é reconhecida pelo pioneirismo de suas ações, tendo sido a primeira orquestra a realizar turnês pelo Brasil e exterior, apresentações ao ar livre e projetos de formação de plateia. Composta atualmente por mais de 70 músicos brasileiros e estrangeiros, a OSB contempla uma programação regular de concertos, apresentações especiais e ações educativas, além de um amplo projeto de responsabilidade social e democratização de acesso à cultura. Para viabilizar suas atividades, a Fundação conta com a Lei Federal de Incentivo à Cultura, tem o Instituto Cultural Vale como mantenedor e a NTS - Nova Transportadora do Sudeste, como patrocinadora master e a Brookfield como patrocinadora, além de um conjunto de copatrocinadores e apoiadores culturais e institucionais. [+] saiba mais Cine Música | Gabriel Grossi e Eduardo Farias 09/07 Música O encontro de dois dos maiores músicos brasileiros da atualidade: Gabriel Grossi e Eduardo Farias. Além de serem dois dos mais importantes representantes em seus instrumentos, são produtores, arranjadores e compositores amplamente reconhecidos. Nesse encontro, o duo prioriza um repertório conhecido e também autoral inspirado em marcantes trilhas musicais cinematográficas. Composições que ilustram muito da atmosfera cotidiana retratada nos filmes clássicos nacionais.  Essa atmosfera musical cinematográfica resume muito do que é a verdadeira essência brasileira. Esse é um projeto único que visa promover uma ampla formação de público e se coloca como resistência no campo audiovisual de qualidade.   [+] saiba mais Oficina de dança contemporânea com a Pulsar Cia. Pulsar | Projeto Partícula 09/07 a 13/07 Arte e Conhecimento OFICINA DE DANÇA CONTEMPORÂNEA COM A PULSAR CIA. DE DANÇA SOB A DIREÇÃO E COORDENAÇÃO DE MARIA TERESA TAQUECHEL Y SAIZ Esta oficina busca ampliar a atenção sobre as relações internas do corpo, o meio em que está inserido e a expressão de cada um, através da percepção do movimento e da dança. Estimula o desenvolvimento da percepção e da sensibilidade, através da consciência do movimento e da dança contemporânea, enriquecendo o vocabulário corporal individual e a troca com o seu entorno. Lança um novo olhar sobre a questão da deficiência na dança, onde a pesquisa de movimento entre diferentes corpos, com resoluções próprias de movimento, é fonte de criação. As possibilidades e limites do ambiente são percebidos como estímulos para a produção artística. Assim contribui, através do fluir estético que envolve a diferença, na percepção do outro e da multiplicidade do indivíduo. SOBRE O CURSO A oficina tem como base à dança contemporânea e a consciência do movimento. Abordaremos a consciência do movimento como procedimento para a criação em Dança Contemporânea, através das seguintes estratégias: - Percepção e estimulação da pele; - Observação do esqueleto; projeção dos ossos e a sua relação com o sistema muscular e com o espaço entorno; - Uso das articulações, relações e dissociações; - Apoios corporais; - A dança contemporânea e o contato improvisação serão nossos guias salientando os seguintes pontos: - Ponto de contato: chão e o corpo do outro. - Fluxo de movimentos e associações. - Presença e atenção. - Relação com o outro, com o espaço e com o jogo. - Percurso e locomoção na relação com o espaço; - Jogos rítmicos e corporais; SOBRE A DIRETORA E COORDENADORA MARIA TERESA TAQUECHEL Y SAIZ Diretora da Pulsar Cia. de Dança, criada em 2000 no Rio de Janeiro, dedica-se à construção de obras coreográficas em dança contemporânea, refletindo em sua pesquisa a multiplicidade do indivíduo e possibilidades de produção artística entre corpos ímpares com resoluções próprias de movimento. Vem sendo considerada nos últimos anos uma referência nacional no trabalho com arte, dança e deficiência, contribuindo com novas perspectivas no olhar do indivíduo em relação a outros, através do fluir estético que envolve a diferença. Em 2004, teve a honra de receber, em nome da Cia., o prêmio Ordem do Mérito Cultural. Mestre em Artes Cênicas pela UNIRIO. É formada em Química, pela PUC-RJ, em Dança Contemporânea e Reabilitação Motora através da Consciência Corporal e da Dança, pela Escola Angel Vianna e pelo Curso de Formação Internacional do Método Feldenkrais – Conscientização através do Movimento. Contratada pelo Hospital do Aparelho Motor Sarah, em Brasília - 1994, como professora de dança. Ministra, em diversas cidades brasileiras, oficinas e palestras sobre Dança Contemporânea e Consciência através do Movimento. Foi professora convidada do curso de Pós-graduação em didática da dança infanto-juvenil na UniverCidade – RJ; Atualmente, além de dirigir a Pulsar, é coordenadora da Pós-graduação “Corpo, Educação e Diferenças”, da Faculdade Angel Vianna e professora do curso de Recuperação Motora e Terapia através da Dança, da Escola Angel Vianna/RJ. DESCRIÇÃO PULSAR A Pulsar Companhia de Dança, formada por bailarinos com algum tipo de deficiência, tem como objetivo causar no espectador um olhar diferenciado em relação à multiplicidade dos indivíduos a partir da estética da dança. Assim, sua proposta artística é fazer uma arte que transcende as diferenças, onde a identidade de cada intérprete é fonte de criação. Além disso, contribui ativamente para a discussão sobre a inclusão social, a partir de palestras e workshops ministrados pelos profissionais da Pulsar. [+] saiba mais Inside Out | Exposição 14/07 a 30/07 Artes Visuais EXPOSIÇÃO APRESENTADA NA ONU CHEGA À CIDADE DAS ARTES BIBI FERREIRA A diversidade, hoje mais do que nunca, encontra na arte espaço para consagrar a importância da convivência inclusiva e plural. Aproveitando este gancho, Nila Costa, fotógrafa criativa que tem um dos estúdios mais conceituados do Rio de Janeiro, criou e idealizou o projeto “Inside Out”. Para representar este projeto, Nila escolheu uma única personagem, Tathi Piancastelli. Uma mulher ativista que luta contra a invisibilidade das minorias. Foi formada então, uma equipe de 5 pessoas entre artistas e produtores que se uniram nesta causa para torná-la visível aos olhos do mundo. Curadoria a cargo de Jade Matarazzo, profissional com 15 anos de experiência no mercado das artes, e à frente de inúmeros projetos internacionais na área cultural e social nos Estados Unidos, Brasil, Europa e Ásia. Manu Militão, artista plástico que começou sua carreira aos 14 anos e de lá pra cá não parou de produzir. Morou por 13 anos na Europa onde recebeu diversos prêmios. De volta ao Brasil, retornou às exposições em 2017 com inúmeras mostras e em 2019, com um projeto importante e inovador. Border, onde pilotando sua moto, cruzou as Américas retratando pessoas nas fronteiras de seus países e de suas vidas. A produção geral está sob o comando de Liz Wood, fotógrafa e produtora cultural, profissional com mais de 25 anos de experiência. E o Instituto Meta Social, uma organização sem fins lucrativos que há  mais de 25 anos trabalha por meio de parcerias e desenvolvendo ações para promover a inclusão social é um dos apoiadores e parceiros neste projeto Os artistas retratam Tathi a partir da sua história pessoal. Tathi é atriz, influente digital e antenada, conectada com o movimento que acontece no mundo. Escreveu o espetáculo de teatro “Menina dos Meus Olhos” na qual é também a protagonista, além de autora. A peça foi encenada em Nova York e no 30º Festival Internacional de Teatro Hispânico de Miami (2015) e na UNICEF/ONU em Nova York (2016). Com esta peça conquistou o Brazilian International Press Awards 2016, na categoria Melhor Espetáculo/Teatro nos EUA. Inspirou o cartunista Maurício de Sousa a criar a personagem Tati, uma menina que faz parte dos quadrinhos na Turma da Mônica . É palestrante e se prepara para apresentar no Brasil seu novo solo “Oi Eu Estou Aqui “.É um belo currículo, e talvez falte mencionar um detalhe: Tathi tem síndrome de Down. Para ela, apenas um detalhe. Tathi tem 37 anos e diz – “eu sou uma mulher como outra qualquer.”  Sua história, sua determinação, seu foco e os incontáveis rótulos que a sociedade impõe para a sua condição, não a abalam. Ela segue em frente e faz acontecer na sua vida. Através de suas lentes, a sensível e criativa fotógrafa Nila Costa  registrou diferentes imagens de Tathi para “Inside Out”que na sua visão,  expressam os sentimentos que traduzem o ser humano na sua complexidade, tirando o véu do preconceito, rompendo paradigmas, num movimento contra a intolerância. Em paralelo a este ensaio, o artista Manu Militão criou obras também tendo Tathi como inspiração e referência. Vale mencionar, Nila Costa é mãe de Alice, uma criança de 4 anos que também tem síndrome de Down. “Vendo as ações e realizações de Tathi, sinto uma promessa e vejo um futuro para minha Alice”, diz Nila. Claudio Versiani, Presidente da Fundação Cidade das Artes Bibi Ferreira, reforça o propósito de trazer projetos inclusivos e com isto contribuir com  maior acesso de todos as artes. Este projeto foi desenvolvido especialmente para o 6º ano da celebração da ONU do Dia Internacional da Síndrome de Down, 21 de março de 2018. Com 21 obras, entre fotografia, na sua maioria, e trabalhos em acrílico sob tela, chega ao Brasil para uma curta temporada na Cidade das Artes. Esta exposição fez parte oficial do calendário das celebrações e atividades da ONU em Nova York, seguindo depois para Miami, na Florida.  [+] saiba mais ST – Tragédias (Romeu e Julieta/ Othello) 15/07 a 17/07 Música ST – TRAGÉDIAS (Romeu e Julieta/ Othello) é um espetáculo de dança, que apresenta duas obras de Shakespeare, acompanhadas por poemas sinfônicos de Tchaicovsky, as obras Romeu e Julieta e Othello. As peças apresentadas são referências destes grandes mestres da arte, que tendo por base os poemas sinfônicos do compositor russo, nos permite através deles, desvendar estes dois clássicos da literatura universal, de modo dinâmico numa leitura condensada e surpreendente destas obras. Romeu e Julieta, será apresentado respectivamente pelos primeiros bailarinos do Royal Ópera Hause, Matthews Ball e Mayara Magry, que pela primeira vez estarão dançando esta obra, que foi criada exclusivamente para os bailarinos Ana Botafogo e Marcelo Misailidis, que juntos comemoram 30 anos de parceria artística neste novo espetáculo. Othello, é uma criação inédita de Marcelo Misailidis, e conta com um elenco de grandes nomes como Marcia Jacqueline (primeira bailarina do Theatro Municipal), Edifranc Neves no papel título e Marcio Jahú como a personagem Yago, entre outros. Estas duas peças, possuem diferentes histórias escritas a mais de 400 anos, mas tratam de assuntos extremamente atuais, como a paixão, a inveja, o racismo e o feminicídio, cujos temas ganham intensa dramaticidade associados as composições de Tchaicovsky. A produção do espetáculo tem a participação de 18 bailarinos, e conta também com uma ficha técnica de peso, Ana Botafogo na direção Artística da remontagem de Romeu e Julieta, iluminação de Paulo Cesar Medeiros, figurinos de João Bertini, além do cenário assinado pelo coreógrafo Marcelo Misailidis. Segundo Misailidis, a apresentação tem por base a estética clássica pela natureza em comum que estruturam a narrativa destas peças, mas une linguagens e gêneros diferentes de dança e teatro, propiciando um espetáculo de encenação contemporânea.   [+] saiba mais Projeto Língua Viva: As faces do ciúme e da traição pelo olhar da psicanálise 20/07 Arte e Conhecimento O projeto Língua Viva busca ser um ponto convergente entre linguagem, psicanálise e processo criativo. A cada encontro os psicanalistas Marília Flores e Abílio Ribeiro desenvolvem um aspecto especifico da nossa língua.  A arte intriga, faz enigma e provoca.  À luz da psicanálise serão comentados ângulos e caminhos em torno do ato de criação e da experiência de fruição da arte, tanto para o artista quanto para o espectador/leitor. [+] saiba mais PIXAR IN CONCERT 21/07 a 31/07 Música PIXAR IN CONCERT Pela primeira vez no Brasil Ministério do Turismo e Bradesco Seguros apresentam: Chega à Cidade das Artes, em curta temporada, com conteúdos visuais dos filmes mais emblemáticos, efeitos especiais, cantores convidados, Orquestra Sinfônica Brasileira, regência do Maestro Adriano Machado e uma grande surpresa. PIXAR IN CONCERT, é uma produção Aventura, apresentada por Bradesco Seguros. O espetáculo conta com músicas e cenas de 15 clássicos, incluindo o filme de animação inaugural da Pixar, TOY STORY, e os filmes vencedores do Oscar® PROCURANDO NEMO, OS INCRÍVEIS, RATATOUILLE, WALL-E, UP – ALTAS AVENTURAS E VIVA – A VIDA É UMA FESTA. Destaque também para as partituras dos compositores vencedores do Oscar® e do Grammy® Randy Newman (filmes TOY STORY, MONSTER INC.) UNIVERSIDADE MONSTRO, CARROS e Michael Giacchino (OS INCRÍVEIS, OS INCRÍVEIS 2, RATATOUILLE, UP – ALTAS AVENTURAS, DIVERTIDAMENTE, VIVA – A VIDA É UMA FESTA), além de música de Thomas Newman (PROCURANDO NEMO, PROCURANDO DORY, WALL-E). [+] saiba mais Momentos Rio 2022 - 5 Sentidos Senses Sinne 29/07 a 31/07 Dança Momentos World - Artistic Cloud Centre é um centro artístico em nuvem e internacional que oferece diversos projetos, entre eles o seu carro-chefe: o projeto de performance dança-teatro, o qual foi idealizado pelo coreógrafo brasileiro Vinicius (mestrado em coreografia na Middlesex University London) e apresentado pela primeira vez em Viena (Áustria) em 2011. Ao longo de uma década ele vem fomentando a cultura local e simultaneamente se expandindo mundialmente. Hoje em 3 países e 7 cidades: Áustria (Viena e Innsbruck), Brasil (Rio, Curitiba, Brasília e São Paulo) e Alemanha (Münster). Num tempo recorde de 2 semanas o espetáculo de dançateatro é criado e apresentado ao seu público. Em 2022 o tema em todas as 7 "Cidades-Momentos“ é: 5 SENTIDOS SENSES SINNE Este espetáculo se dedicará a uma viagem em busca do conhecimento sobre o ser humano tendo como base inicial os primeiros e mais conhecidos 5 sentidos depois deste período pandêmico. Indagações tais como, qual foi o resultado experienciado depois de um período de dois anos em quase completa abstinência dos mais básicos dos sentidos (o tato, olfato, visão, o paladar e audição) no contato diário do ser humano? Até que ponto precisamos destes 5 sentidos e outros mais dentro do contato diário com outros seres humanos e com o mundo? Esta viagem em busca da compreensão de si mesmo de uma forma poética, dançada e musicada proporcionará ao público em várias camadas uma melhor reflexão sobre como funcionamos não só enquanto indivíduos, mas também como uma sociedade interligada por sentidos, ou seja, como seres altamente sensoriais em sua existência individual e coletiva.   [+] saiba mais