Fundação Cidade das Artes

Programação » Por que tanta gente gosta? Samba, choro e bossa nova I Hamilton de Holanda

Evento Encerrado

Por que tanta gente gosta? Samba, choro e bossa nova I Hamilton de Holanda



HAMILTON DE HOLANDA no show POR QUE TANTA GENTE GOSTA? SAMBA, CHORO e BOSSA NOVA


O premiado músico, compositor e improvisador Hamilton de Holanda traz para o palco da Cidade das Artes (RJ) o show, sucesso na internet, POR QUE TANTA GENTE GOSTA?

A ideia nasceu do projeto que Hamilton criou para o YOUTUBE que desvenda clássicos, ritmos e músicos do cancioneiro popular da Música Brasileira. A ideia foi tomando corpo e virou uma série chamada CURIOSIDADES com mais de 24 vídeos visto por centenas de milhares de pessoas https://youtu.be/8cpJ8zRHw1M

No dia 22 de janeiro de 2022, às 18 horas, Hamilton homenageará gêneros brasileiros que seduziram a música mundial: SAMBA, CHORO e BOSSA NOVA. No show teremos as grandes referencias de cada gênero que durantes os anos marcaram nossas vidas como Noel Rosa, Cartola, Tom e Vinícius e Pixinguinha entre outros.

Durante a pandemia, a inquietude criativa de Hamilton e seu parceiro Marcos Portinari gerou projetos digitais com a interação de milhares de internautas como o projeto #desafiocantodapraya, onde vários músicos amadores e profissionais, estrangeiros e nacionais, concretizaram virtualmente o sonho de participar junto da parceria de João Bosco e Hamilton seja cantando, dançando ou solando em “Incompatibilidade de Gênios” (João Bosco e Aldir Blanc), como foi o caso da cantora indiana Varijashree Venugopal https://youtu.be/01Yphb2UPoc
 


Algumas músicas do repertório:

Desafinado - Tom Jobim/Newton Mendonça
Brejeiro - Nazareth
O mundo é um moinho - Cartola
Conversa de botequim – Noel Rosa
O Barquinho – Roberto Menescal/Ronaldo Boscoli
Meu lugar - Arlindo Cruz e Mauro Diniz
Chega de saudade - Tom e Vinícius
Consolação - Baden Powell/Vinícius de Moraes
Samba de verão - Marcos Valle

HAMILTON DE HOLANDA - Virtuoso, brilhante e único são alguns dos adjetivos para descrever este improvisador e compositor multipremiado que inspira audiências em todo o mundo.

Hamilton de Holanda nasceu em 30 de março de 1976 em uma família musical. Seu primeiro instrumento, aos quatro anos de idade, foi a Melódica. Dois anos depois (1982), começou sua carreira profissional, aos seis anos de idade, como um prodígio do bandolim em um programa de TV nacional (Fantástico) com uma audiência de milhões de pessoas. Hoje, como compositor, improvisador, líder de banda, a música deste educador transcende os gêneros e encanta o público.

A construção de sua música vem do incentivo familiar, da consolidação do diploma universitário em composição e da liberdade das tocatas nas ruas da capital brasileira, Brasília, onde cresceu. Seu primeiro gênero foi o Choro, uma herança cultural brasileira, primo do Jazz.

Hamilton foi um dos fundadores da primeira Escola de Choro no mundo (Brasília, 1997) e idealizou a petição ao Congresso Nacional para conceder ao Choro um Dia Nacional. Como resultado, desde 23 de abril de 2000 é comemorado no Brasil o dia Oficial do Choro, por proclamação do então presidente brasileiro, expondo a primeira música popular brasileira ao povo.

Também em 2000, um ano emblemático para ele, reinventou o tradicional Bandolim de 8 cordas adicionando um par de cordas graves extras afinadas em Dó (indo de 8 a 10) dando-lhe uma voz mais profunda que emancipa o emblemático brasileiro instrumento do legado de algumas de suas influências e gêneros. O aumento no número de cordas, combinado com os solos rápidos, contrapontos e improvisações, inspira uma nova geração a pegar o bandolim de 10 cordas.

O tocar e improvisar de Hamilton transcende limitações e gêneros. Hoje ele viaja para os diferentes cantos do planeta "trazendo seu coração na ponta dos dedos", apresentando suas próprias composições com seu som característico. Ele interage com outras tradições musicais, conjuntos e instrumentos. Isso permite que ele seja o solista convidado do Wynton Marsalis e sua Jazz at Lincon Center Orchestra, ou executar suas próprias composições com orquestras sinfônicas de todo o mundo; dos Festivais Rock / Pop ao megashow de Dave Mathews Band no The Gorge; do lendário palco do Central Park em Nova York aos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro; dos nobres museus como o Smithsonian em Washington ou o Grand Palais de Paris até o nosso famoso Carnaval no Rio de Janeiro. Lugares como Austrália, Paris, Alemanha, Amsterdã, Roma, Noruega, Los Angeles e outras cidades e festivais ao redor do mundo.

Hamilton é muito ativo nas redes sociais, onde seus números globais, para um músico instrumental, são impressionantes (ex: mais de 600 mil ouvintes mensais Spotify, 206 mil inscritos no facebook, 53 mil no Youtube e 134 mil no instagram). No Brasil, ele alcançou status de estrela, recebendo o carinho do público nas ruas e vários prêmios de críticos e pares. É um músico multipremiado, vencedor de vários Grammy Latinos, Prêmio da Música Brasileira, Echo Jazz, Choc e inúmeras indicações.

O apoio popular e o desejo nato de retribuir o inspirou a promover concertos beneficentes para as grandes tragédias e projetos sociais no Brasil, como o ABRACE, que oferece assistência social a crianças e adolescentes com câncer e doenças do sangue. Hamilton também apoia programas musicais para pessoas de áreas economicamente desfavorecidas para reforçar sua imagem e ajudar os jovens a encontrar inspiração e emprego.

Hamilton tem uma longa discografia seja suas próprias composições ou homenagens a alguns de seus ídolos. Ele lançou suas gravações em sua própria gravadora independente, Brasilianos, ou em parceiros mundiais como Universal, ECM, MPS, Adventure Music. Ele entende que a indústria musical precisa de definições de categorias para a música que toca, como por exemplo Jazz, Brazilian Jazz, Brazilian Popular Music; mas para ele a inspiração transcende os rótulos, é algo que cresce livremente sem a necessidade de ser definido.  E assim vai!

Ele gosta de se explicar como um explorador musical em busca de beleza e espontaneidade.

Hamilton dividiu o palco ou gravou com Wynton Marsalis, Chick Corea, The Dave Mathews Band, Paulinho da Costa, Chucho Valdes, Egberto Gismonti, Ivan Lins, Milton Nascimento, Joshua Redman, Hermeto Pascoal, Gilberto Gil, Richard Galliano e John Paul Jones. , Bela Fleck, Stefano Bollani entre muitos outros.


>>>>>>>> <<<<<<<<<<
NÃO SE ESQUEÇAM:
O comprovante de vacina contra a Covid-19 é obrigatório desde  15 de setembro, no Rio, para a visitação e entrada em alguns estabelecimentos e locais de uso coletivo. Junto a ele é necessário apresentar documento de identidade com foto.

Quais serão aceitos e como emitir?
-> Certificado de Vacinação Digital (disponível no aplicativo Conecte SUS).
-> Caderneta de Vacinação Impressa em Papel Timbrado (Disponibilizada na hora da vacinação pela Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, pelos Institutos de Pesquisa Clínica ou outras Instituições governamentais nacionais ou estrangeiras).


DECRETO RIO Nº 49335 DE 26 DE AGOSTO DE 2021.



Saudades do Rio - Hamilton e Gabriel de Holanda





Música

Informações Gerais

Datas

22/01/22

Horários

Sábado
18h

R$ 80,00 (inteira)
R$ 40,00 (meia)

Duração

90 min Minutos em média

Local

Cidade das Artes

Sala

Teatro de Câmara

Demais Eventos da Programação

Maquete de LEGO® do Rio de Janeiro I Exposição Permanente 08/03 a 31/01 Artes Visuais LEGO® doa ao Rio de Janeiro a maquete feita com 947 mil peças A maquete do Rio de Janeiro feita totalmente em LEGO foi construída para homenagear de forma criativa e inusitada a cidade-sede dos Jogos Olímpicos de 2016 e ficará exposta permanentemente na Cidade das Artes como legado cultural. A construção destaca os 25 importantes ícones da cidade como o Pão de Açúcar, o Cristo Redentor, os Arcos da Lapa, o Maracanã, entre outros. [+] saiba mais Vacinação COVID-19 10/01 a 18/12 Outros A vacinação acontece no 2° andar da Cidade das Artes (Esplanada), é preciso apresentar documento de identidade e número do CPF. O comprovante de vacinação deverá ser guardado e apresentado quando chegar a hora de tomar a próxima dose da vacina.  A vacinação contra a COVID-19 a cada dia é destinada a grupos indicados nos calendários oficiais de vacinação divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde, verifique sempre nos sites e redes sociais oficiais da Prefeitura e da Secretaria Municipal de Saúde. O ponto de vacinação (PV), na Cidade das Artes foi inaugurado em 31 de março de 2021, pela Secretaria Municipal de Saúde, para facilitar o acesso da população.   [+] saiba mais Curso ArteGrimberg | Teatro 10/03 a 16/12 Projeto CDA A Companhia Teatral ArteGrimberg foi fundada pela diretora Natalia Grimberg no ano de 1993, quando começou a ministrar aulas no espaço do extinto Teatro de Lona da Barra. Nos anos seguintes ministrou aulas no Teatro dos Grandes Atores (Shopping Barra Square), no também extinto Teatro do Barra Shopping e no Teatro Antônio Fagundes. Já em 2001, junto com seus irmãos Nado Grimberg e Tatiana Grimberg, decidiu abrir as portas de um espaço próprio, dedicado ao exercício das artes, e oferecer o Curso Livre de Teatro para todas as idades. Somos uma escola de reconhecida competência e tradição, com professores qualificados e capacitados, e com a missão de garantir a melhor experiência de aprendizado aos seus alunos. Temos orgulho de já ter formado muitos dos atores mirins que atualmente são profissionais reconhecidos e fazem sucesso na mídia. O curso tem duração de 1 ano e é dividido em duas etapas. Na primeira, as aulas de teatro são compostas por exercícios teatrais, improvisação, trabalho de corpo e voz, dinâmicas e noções de palco. Na etapa seguinte inicia a prática dos ensaios para as apresentações de fim de ano. Todas as turmas se apresentarão e todos os alunos receberão um personagem para interpretar. O curso de teatro é coordenado por Nado Grimberg e conta com uma qualificada equipe de professores e assistentes, que tem como objetivo desenvolver a criatividade, a forma de se expressar, e o autoconhecimento. [+] saiba mais Visitinha nas Artes | Visita guiada 13/03 a 18/12 Arte e Conhecimento Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, Riotur e Cidade das Artes através do Programa de Fomento à Cultura Carioca apresentam VISITINHA NAS ARTES O que é ? Visitinha nas Artes é um projeto que se propõe a fazer com que as crianças entendam, conheçam e se apropriem do equipamento cultural e da ideia que está por trás da concepção da Cidade das Artes. Essa experiência levará a compreensão de que as artes são plurais e vitais para a existência humana. A visitinha conta com a Batutinha, personagem que é a alma de um menina negra que almeja ser maestrina e caminha batendo os pés no ritmo das músicas, como se estivesse batendo num tambor. Seu amor pelas artes a levou a se abrigar na Cidade das Artes e aqui ficar, servindo como exemplo de representatividade, inclusão e inspiração para jovens artistas. Como funciona a visitinha? A visita é gratuita mediante agendamento por esse link, sempre aos domingos, às 11h, com grupos de 45 pessoas (20 crianças + 25 responsáveis). Duração de aproximadamente 90 minutos, sendo 45 minutos para a Visita Guiada e os outros 45 minutos para a Oficina. Todos os participantes irão receber fones de ouvido para acompanhar a explicação do guia durante o percurso da visita guiada. 1) Visita guiada O roteiro, que vai percorrer diversos espaços da Cidade das Artes e dura em torno de 45 minutos, foi desenvolvido do ponto de vista das crianças, estimulando o sonho, treinando o olhar para os detalhes e abrindo suas mentes para que se coloquem na posição de artistas. A personagem Batutinha, é inserida nesta parte da visitinha de forma imaginária. Todos os participantes receberão fones de ouvido que serão utilizados para a comunicação entre o guia e os participantes. 2) Oficina A oficina de musicalização infantil com duas professoras. Uma das professoras é a Batutinha e a outra, uma musicista convidada. Existe uma relação entre a Batutinha andar marcando os pés no ritmo das músicas e seu desejo em ser maestrina. Antes do surgimento da figura do maestro, os músicos das orquestras eram "guiados" por uma marcação de tempo, ou seja, a marcação de tempo é, de forma bem simples, a primeira função do maestro em um coro ou orquestra. A aula ensinará de forma lúdica a importância do ritmo através de brincadeiras, percussão corporal e canto. Conceitos musicais como regência, naipe, ritmo, melodia e harmonia também serão apresentados durante a aula. A idade das crianças para participar das oficinas deve ser de 3 a 12 anos. Crianças de colo poderão participar somente da Visita Guiada. Acessibilidade: Um profissional intérprete de libras fará parte da equipe de guias da visitinha. Lembretes: - Credenciamento: Todos devem chegar com 30 minutos de antecedência para fazer o credenciamento. É necessário um documento de identificação original ( RG e/ou CPF) para retirada do equipamento de áudio; - O ponto de encontro e o credenciamento fica localizado no receptivo da Cidade das Artes no 2º andar (Esplanada); - O uso de máscara é recomendável; - O comprovante de vacina contra a Covid-19, para maiores de 18 anos, é obrigatório no Rio desde 15 de setembro de 2021 para a visitação e entrada em alguns estabelecimentos e locais de uso coletivo (Decreto Rio nº 49335 de agosto de 2021). - É exigida a presença de uma pessoa responsável por criança durante toda a visita. - Contato: milamusiced@gmail.com   [+] saiba mais Nova Vanguarda Carioca | Exposição 06/06 a 04/09 Artes Visuais CIDADE DAS ARTES BIBI FERREIRA APRESENTA NOVA VANGUARDA CARIOCA CURADORIA GRINGO CARDIA O Rio de Janeiro sempre foi uma das fontes reverberadoras das novas tendências e criatividade do Brasil. Uma cidade cosmopolita, heterogênea, complexa, que vibra em diferentes frequências e promove a arte do inusitado, do provocador, do inovador num encontro agregador das diferenças, das diversidades e da mistura dos polos sociais. A Cidade das Artes Bibi Ferreira tem o prazer de receber e patrocinar a exposição Nova Vanguarda Carioca, composta por uma geração emergente de artistas plásticos, que explode com sua arte de muitas cores, discussões identitárias e de territórios, conquistando o panorama da arte nacional e internacional. Um trabalho pulsante, marcado nas suas raízes periféricas urbanas de todo o Brasil. A curadoria é de Gringo Cardia, artista e cenógrafo que trabalha neste universo e que ao lado de Vik Muniz, Marisa Orth, Malu Barretto e Giovanni Bianco lidera um projeto social de juventude, arte e tecnologia - a escola Spectaculu, existente há 22 anos no Cais do Porto, fazendo a inclusão pela arte. A reunião destes artistas nesta exposição evidencia o poder e a potência que a arte tem como papel de transformação social. A Cidade das Artes Bibi Ferreira amplifica e abriga a abstração do que é ser um espaço vivo. Impregna nas suas colunas concretas a multiplicidade da cidade, na interculturalidade de suas várias zonas. Recria um pouco do Rio, uma trama mista de gostos, hábitos, usos e funções. Um convite para um profundo mergulho, conceitualmente mutável, coletivo e agregador. A mostra reúne a nova potência criativa do Rio e celebra essa retomada das novas tendências artísticas do Brasil. [+] saiba mais Canto das Artes | Oficina de Canto Coral 07/06 a 25/10 Arte e Conhecimento A Oficina Coral Canto das Artes tem como principal foco desenvolver a musicalidade e promover o bem-estar dos seus integrantes e o repertório é voltado para a MPB, Samba e Bossa Nova. Muitos corais de desfizeram durante a pandemia mas o Canto das Artes, apesar de algumas baixas, se manteve firme e o período de junho a outubro de ensaios na Cidade das Artes é um convite para que as pessoas voltem a cantar em coros e para quem nunca participou, que venha conhecer a felicidade de cantar em grupo.  Não é necessária experiência. História da Oficina Coral Canto das Artes A oficina nasceu em setembro de 2018 como parte integrante da escola de música Mi La Música, ligada a Associação de Amigos da Cidade das Artes, e realizou apresentações na Cidade das Artes, no Barra Shopping e no evento Urban Hacking, promovido pelo Sebrae. Durante a pandemia e na impossibilidade de ensaiar de forma presencial, a Oficina Coral operou de forma online, de março de 2020 a maio de 2022, focando no desenvolvimento individual dos coralistas durante os ensaios. Foram usados aplicativos que possibilitaram que os alunos participassem das aulas em grupo, praticando técnicas vocais e fazendo gravações online dos seus naipe e o resultado final foi a gravação de dois clipes musicais e um documentário sobre a história do grupo, a importância da pratica coral na vida dos integrantes e principalmente durante a pandemia. Regente e Professor André Miranda Cantor, arranjador e regente coral. Formado em Licenciatura em Música pela Unirio, e Regência Coral pela Pro-Arte. Foi integrante do grupo vocal Ordinarius, com o qual gravou três discos. Como regente, está á frente do Coro Oficina de Canto APABNDES, Glee Club, Quarteto TPM e Canto das Artes, além de ministrar todos os anos oficinas de canto coral no SESC Rio. Participou de festivais corais no Brasil e no exterior, como o Cantapueblo (Mendoza/ARG), FEPAC (João Pessoa/PB), Cantáguas (São Lourenço/MG) e o Festcoros Bahia (Salvador/BA). Como arranjador, escreveu para diversos coros e grupos vocais. Coordenadora Mila Schiavo Graduada em percussão pela Berklee College of Music (Boston/EUA), Mestrado em Administração pela PUC RJ e MBAs em Gestão Pública e Agenciamento Cultural pela Fundação CECIERJ – SEC/RJ e em Gestão Empresarial pela PUC/RJ Produtora Cultural: Vencedora do edital FOCA 2022 com o projeto Visitinha nas Artes, atualmente em cartaz na Cidade das Artes. Abriu sua escola, Mi La Musica, e durante a pandemia criou os cursos The Brazilian Virtual Choir Lab (Laboratório de Coral Virtual Brasileiro) e o Bossa Nova BootCamp, programas online de imersão cultural na música brasileira voltado para alunos estrangeiros. O curso já teve alunos da Austrália, EUA, França, Holanda, Itália e Brasil. Além dos cursos internacionais, a escola tem cursos de percussão, bateria, Canto Coral, entre outros. Reconhecida no meio musical, Mila Schiavo trabalhou com Roupa Nova, Barão Vermelho, Leny Andrade, The Brooklyn Philharmonic Orchestra, Titãs, Iza, Guilherme Arantes, David Byrne, Howard Levy, Paulo Moura, Virgínia Rodrigues, Caetano Veloso, Nelson Motta, Vinicius Cantuaria, Nico Rezende, Bebel Gilberto, Antonio Adolfo, Roberto Gnattali, entre outros.   Aprovada pela LIESA para atuar como julgadora no quesito bateria nos desfiles das Escolas de Samba do Grupo Especial no Carnaval 2022. Foi a primeira vez, em 90 anos de desfiles, que uma mulher julga o quesito bateria.  Pioneira na divulgação e ensino da percussão no Rio de Janeiro, foi produtora do Festival de Percussão da UERJ no ano 2000, o primeiro no gênero no Rio de Janeiro e fundou no mesmo ano a primeira escola de percussão e bateria da cidade, a Maracatu Brasil.   [+] saiba mais Oficina de Teatro Inclusivo | Um reencontro com a arte 07/06 a 24/11 Arte e Conhecimento Artes cênicas, técnicas de yoga e reiki serão oferecidas, de forma gratuita, aos idosos e pessoas com deficiência intelectual. A Escola Pé na Arte apresenta a Oficina de Teatro Inclusivo, projeto que oferece aulas gratuitas para idosos e pessoas com deficiência intelectual, visando levar a cultura do teatro, além de desenvolver e ampliar as habilidades funcionais. A oficina terá início em junho e será realizada na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca (RJ), duas vezes por semana. Sabemos que a arte teatral tem o grande poder de mudar a forma como as pessoas interagem com o mundo, desenvolvendo habilidades, promovendo integração e rompendo as barreiras sociais. Foi pensando nisso que o ator e arte educador Zecarlos Moreno, diretor da Escola Pé na Arte, criou a Oficina de Teatro Inclusivo. A partir de sua experiência com o grupo de teatro inclusivo o qual ministra aulas, e que seguiu online durante a pandemia, Zecarlos imaginou ser esse um caminho para alcançar mais pessoas, promovendo a cultura e a socialização: “Quando falamos de teatro inclusivo, estamos abordando não somente os preconceitos sociais, mas também os relacionados à idade e às deficiências intelectuais. Com a oficina visamos, através das artes cênicas, colaborar para que os alunos inscritos possam se encontrar no ambiente cultural, proporcionando autoconhecimento, equilíbrio, criatividade e entrosamento em grupo.” A Oficina de Teatro Inclusivo reforça que o acesso às artes é relevante para viabilizar a inclusão humana e para o reconhecimento das diferenças como potencialidades. Outro ponto importante é a territorialização do edital, que privilegiou projetos culturais da Zona Oeste. “A oficina estará disponível para todos, mas queremos dar preferência para alunos de Jacarepaguá, em especial aqueles que não teriam condições de pagar por um curso com esta estrutura”, conta Roger Almeida, produtor executivo do projeto. Com aulas de junho à novembro, todas as terças e quintas, das 14h às 17h, a Oficina de Teatro Inclusivo apresenta uma metodologia teórica e prática das artes cênicas com jogos teatrais, improvisação, meditação, exercícios respiratórios, técnicas de yoga e reiki, ministradas por profissionais especializados em educação inclusiva. As inscrições são gratuitas e estão abertas na plataforma Sympla. O projeto conta com patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura e apoio cultural da Cidade das Artes. Oficina de Teatro Inclusivo, transformando vidas através da Arte. [+] saiba mais Que baleia é essa? | Exposição 08/06 a 30/12 Arte e Conhecimento A exposição "Que baleia é essa?" apresenta ao público um grande esqueleto de Baleia-Cachalote pertencente à espécie Physeter macrocephalus. Esta baleia encalhou na Praia de Curimãs, município de Barroquinha-CE, em 1 de janeiro de 2014. Tratava-se de um animal adulto, do sexo masculino, com 15,7 m de comprimento. O cachalote ( Physeter macrocephalus ), ou chacharréu, é o maior dos cetáceos com dentes, bem como o maior animal contendo dentes que existe atualmente (podendo medir até 20 metros de comprimento). Este esqueleto está montado no Foyer na Grande Sala. A parceria para sua aquisição foi feita pela instituição Aquasis junto ao Museu Nacional em dezembro de 2020. A Aquasis representa a única instituição licenciada no Ceará para atendimento de encalhes de mamíferos marinhos, incluindo a autorização para coleta e transporte de amostras biológicas in situ e ex situ. Dessa forma foi possível ter acesso ao espécime que é o foco desta exposição. Através deste exuberante exemplar de baleia cachalote, o Museu Nacional/UFRJ pode explorar alguns aspectos relacionados a Biologia e Biodiversidade, que são temas diretamente relacionados com algumas das pesquisas científicas de excelência desenvolvidas na instituição. A opção em expô-la atende a missão institucional de comunicação e divulgação científica. Conheça um pouco mais sobre o mundo dos cetáceos e das baleias. Agora conheça um pouco mais do universo da baleia que movimentou o romance Moby Dick de autoria do escritor estadunidense Herman Melville, que imortalizou a cachalote na literatura e no cinema, tornando-a um animal que movimenta o imaginário popular. [+] saiba mais MASK | Performance 12/08 a 21/08 Dança Espetáculo Mask reflete sobre máscaras sociais femininas   Em performance inédita, bailarina “dança” com drone no palco   Refletir sobre as diversas máscaras sociais que as mulheres precisam assumir para sobreviver em sociedade, nos quatro cantos do mundo. Essa é a proposta do espetáculo “Mask”, que será apresentado pelo coletivo de dança Muanes, na Cidade das Artes Bibi Ferreira. Apesar da discussão ser sobre máscaras sociais femininas, a idealizadora do projeto e diretora artística, Denise Zenicola, faz uma relação entre elas e as físicas, usadas para proteger do vírus. A apresentação de dança contemporânea mescla técnica de dança afro, em 13 cenas, com duração de 58 minutos. No palco, seis bailarinas e um bailarino compõem a companhia de dança dialogam com recursos físicos, audiovisuais e tecnológicos. O Coletivo Muanes atua com dança afro diaspóricas há 16 anos. As máscaras retratadas em cena são sociais, mas em alguns momentos são representadas por físicas de diversas origens, como a africana, europeia e ameríndia. Até a maquiagem e figurinos são usados como recursos alusivos, a exemplo de uma burca reproduzida no rosto das bailarinas para simbolizar esse instrumento de controle da mulher. “Optamos por não contar uma única história, porque a cada cena tem um campo sensível próprio ativado dessa relação mulher-máscara, máscara social-máscara física, a relação das mulheres com a sociedade, quais são as máscaras que elas cotidianamente, simbolicamente, são obrigadas a usar”, justifica a diretora artística. Um dos momentos mais emblemáticos é quando uma das bailarinas “dança” com um drone no palco. A diretora artística conta que a experiência é inédita, pois não se tem notícia de algo semelhante em um espetáculo de dança. Para realizá-la, foi necessário testes com uma empresa especializada em operação de drones. O espetáculo trabalha com textos de acessibilidade e inclusão com áudios gravados com falas de mulheres importantes sobre o universo feminino. Conceição Evaristo, Frida Kalo, Clarisse Lispector, Anaïs Anin, mas também traz algumas da diretora artística Denise Zenicola e de uma das bailarinas, Débora Campos, presente desde o início da companhia de dança. “Mask é uma realização do Coletivo Muanes, Zenicola Produções, Sucessivas Produções, Funarte, Governo Federal, Ministério do Turismo, Secretaria Especial de Cultura, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro,  Secretaria Municipal de Cultura, Comissão Carioca de Promoção Cultural, Fomento - Lei do ISS, Cidade das Artes, RioTur e Faperj.  Ficha Técnica: Idealização e Direção Artística: Denise Zenicola Assistente de Direção: Ivana D’Rosevita Coreografias: Denise Zenicola, Coletivo Muanes e Sabrina Chaves Bailarinas /Pesquisadoras: Debora Campos, Ivana D'Rosevita, Gika Alves, Leticia Bento, Maiara Viana, Cristiane Moreira, Robson Martins Músico: Marcos Rum Composição Musical: Chico Rota e Marcos Rum Ambientação Cenográfica: Zenicola Produções Figurinos: Regilan Deusamar e Gisele Alves Assistente de figurino: Gisele Alves Iluminação: Paulo Cesar Medeiros e Gilson Santos Máscaras: Maria Adélia, Karol Schittini e Maiara Viana Preparação Musical em tambor e Doum Doum Dance: Sabrina Chaves Produção Executiva: Roy D'Peres Direção de Produção: Zenicola Produções e Sucessivas Produções Administração Financeira: Marise Lopes Fotografia: Renato Mangolin Video: Lucas Zenicola, Gabriel Japa e Erick Dias Identidade Visual: Lucas Zenicola Social Mídias: Laura Rosa Assessoria de Comunicação: Luciana Cavalcante Realização: Coletivo Muanes Dançateatro, Zenicola Produções e Sucessivas Produções [+] saiba mais Orquestra Sinfônica Brasileira | Concerto Especial de Aniversário 17/08 Música Ministério do Turismo e Instituto Cultural Vale apresentam: Orquestra Sinfônica Brasileira comemora 82 anos com concerto na Cidade das Artes Bibi Ferreira, dia 17 de agosto Obras de José Siqueira, João Guilherme Ripper e Gustav Holst estão no programa que será conduzido pelo maestro Stefan Geiger Em 17 de agosto de 1940 era fundada a Orquestra Sinfônica Brasileira. 82 anos depois, o grupo, que se sustenta na posição de orquestra mais tradicional do país, sobe ao palco da Grande Sala, na Cidade das Artes Bibi Ferreira, para celebrar a data. No programa, obras dos brasileiros José Siqueira e João Guilherme Ripper e do inglês Gustav Holst. A condução estará a cargo do maestro convidado Stefan Geiger. Abrindo o programa, uma obra do fundador da Orquestra Sinfônica Brasileira, o maestro José Siqueira. A “Abertura Festival”, extraída da peça Festas Natalinas do Nordeste, imprime o tom celebrativo da ocasião. Na sequência, a obra “Jogos Sinfônicos”, de João Guilherme Ripper, traz para o programa a valorização da música brasileira contemporânea, uma das missões da OSB. Fechando a apresentação, o público ouvirá a suíte “Os Planetas”, do inglês Gustav Holst. A ORQUESTRA SINFÔNICA BRASILEIRA: Fundada em 1940, a Orquestra Sinfônica Brasileira é considerada um dos conjuntos sinfônicos mais importantes do país. Em seus 82 anos de trajetória ininterrupta, a OSB já realizou mais de cinco mil concertos e é reconhecida pelo pioneirismo de suas ações, tendo sido a primeira orquestra a realizar turnês pelo Brasil e exterior, apresentações ao ar livre e projetos de formação de plateia. Composta atualmente por mais de 70 músicos brasileiros e estrangeiros, a OSB contempla uma programação regular de concertos, apresentações especiais e ações educativas, além de um amplo projeto de responsabilidade social e democratização de acesso à cultura. Para viabilizar suas atividades, a Fundação conta com a Lei Federal de Incentivo à Cultura, tem o Instituto Cultural Vale como mantenedor, a NTS - Nova Transportadora do Sudeste, como patrocinadora master, e Vibra, Sergio Bermudes Advogados e Brookfield como copatrocinadores, além de um conjunto de apoiadores culturais e institucionais. PROGRAMA: José Siqueira – Abertura Festiva (Festas Natalinas do Nordeste) João Guilherme Ripper – Jogos Sinfônicos I. Distâncias II. Velas III. Dribles Gustav Holst – Os Planetas I. Marte, o Portador da Guerra - Allegro II. Vênus, o Portador da Paz - Adágio III. Mercúrio, o Mensageiro Alado - Vivacidade IV. Júpiter, o portador da alegria - Allegro giocoso V. Saturno, o portador da velhice - Adágio VI. Urano, o Mago - Allegro VII. Netuno, o Místico - Andante.Allegretto   [+] saiba mais BORA RIR | Rir é um Ato de Resistência 19/08 Teatro O “BORA RIR” CONTINUA COM A TEMPORADA 2022 COMÉDIA STAND-UP NA CIDADE DAS ARTES BIBI FERREIRA. O espetáculo de comédia Stand-Up BORA RIR (@borarirstandup) serão realizados às sextas-feiras, a cada 15 dias, às 20H30, na CIDADE DAS ARTES BIBI FERREIRA.   Sempre um Show diferente:   Além de dirigir Paulinho Serra também se apresenta nas edições do Bora Rir, junto com humoristas consagrados da comédia nacional, que se revezam pelos shows, fazendo com que cada espetáculo seja sempre diferente. O  oitavo elenco da temporada 2022 do “Bora Rir” “ Rir é um ato de resistência” STAND-UP COMEDY trás os fenômenos da comedia carioca  como: Paulinho Serra, Ju Querido, Cris Pompeo, Felipe Menezes e Rômulo Muzy. O Borarir é um projeto de Stand Up Comedy itinerante. A ideia é ocupar todo o Rio de Janeiro com os melhores humoristas do cenário nacional, valorizar a cena carioca e servir de palco para revelação de novos talentos.   SOBRE CEZAR MARACUJÁ Cezar Maracujá ficou famoso depois de interpretar vários personagens no Canal Parafernália e Canal IXI, dono de um humor diferenciado, amado e aclamado pela legião de fãs que conquistou através do seu carisma que é peculiar, participou de várias peças no teatro até resolver encarar seu show solo. Em 2017 estreou o primeiro show solo com nome de um dos seus bordões criados e que viralizou, Pikatoofly. Em 2019, depois de percorrer o Brasil com o Pikatoofly, sendo sucesso por onde passou,resolve fazer um novo show, mais intimista, com cenário, mas sem perder a pegada do humor dar-se o nome do seu segundo show solo, Cezar Maracujá em Refletindo O Meu Subúrbio – Stand Up Comedy, levando para o palco sua maior paixão que é osubúrbio. Esse tem essa motivação, pois mesmo depois da fama, ele nunca quis sair de sua origem. Maracujá, morador de Realengo, faz a platéia se divertir e conhecer o cotidiano carioca.   SOBRE JU QUERIDO Ju Querido é atriz e comediante.  Atuou em comerciais e espetáculos como Terapia do Riso, Querida Comédia, #sóprarir, Comédia Ao Vivo, O Despertar da Primavera... Já participou de programas no Multishow como Fábrica de Talentos e Tô de Graça. E garota propaganda da "Stone" juntamente com o canal Porta dos Fundos. É produtora, diretora e roteirista dos espetáculos Querida Comédia e Comédia de VênusO "Com todo respeito!" é o primeiro solo de Stand-up Comedy da comediante Ju Querido que venha se consolidando no cenário de humor carioca e acumula mais de seis anos de carreira e participações nos principais programas de humor do Brasil. Participou de vídeos na “Porta dos Fundos", esteve em cartaz com filme "Juntos e Enrolados" no cinema em janeiro de 2022, entre outros trabalhos. . É integrante do premiadíssimo espetáculo Comédia em Pé e viaja pelo Brasil fazendo shows. É integrante do premiadíssimo espetáculo Comédia em Pé e viaja pelo Brasil fazendo shows.   SOBRE CRISTIANA POMPEO Cristiana Pompeo é atriz, comediante  e cantora. Cristiana se formou na CAL (Casa das Artes de Laranjeiras). Integrou  o elenco do programa “Tv Xuxa ”em  2005 (Rede Globo), como atriz e dubladora. Como cantora, gravou diversas paródias musicais para o programa “Casseta e Planeta” (Rede Globo) ao longo de três anos.  Esteve no elenco dos musicais “Um violinista no telhado” (2011), “O Mágico de Oz”, com Lúcio Mauro Filho e Maria Clara Gueiros (2012)  , “Como vencer na vida sem fazer força”, com Luiz Fernando Guimarães e Gregório Duvivier (2013), “Os Saltimbancos trapalhões” (2015), com Renato Aragão e Dedé Santana, todos dirigidos pela  dupla  Charles Möeller  e  Claudio Botelho.“ Em 2016, atuou no musical” “Como eliminar seu chefe” (Teatro Carlos Gomes) e” Cinderela” (musical também da Broadway, dirigida por Moeller e Botelho), onde foi indicada ao 5º prêmio Botequim Cultural como melhor atriz coadjuvante, pelo papel de “Gabriele”. Em 2018, fez “Pippin” (Moeller & Botelho), onde foi indicada pelo Prêmio Reverência como melhor atriz coadjuvante pelo papel de Catharina. Também é co-criadora e atriz do espetáculo musical “O meu sangue ferve por você”, estando há 7 anos em cartaz, tendo recebido ótimas críticas. Também participou do primeiro longa-metragem “Minha mãe é uma peça” ( Paulo Gustavo). Desde 2009 fez parte do elenco fixo do programa humorístico “ Zorra Total “ (direção, Maurício Sherman) e também do programa  “Zorra”, sob direção de Marcius Melhem e Maurício Farias. Seus últimos trabalhos na Rede Globo foram na série “A cara do pai” (2016), onde atuou ao lado de Leandro Hassum e na novela “Deus salve o rei” (2018), com direção de Fabrício Mamberti. Recentemente atuou no elenco fixo dos humorísticos, “A Vila” e “Treme Treme”, ambos do Multishow.  SOBRE FELIPE MENEZES Felipe Menezes, natural do Rio de Janeiro no bairro de Santa Cruz. Nasceu numa família cristã tradicional, eu era um menino tímido, me sentia diferente dos demais da minha idade, contudo sempre usei o humor para me aproximar das pessoas, era uma forma de sobrevivência, mas nunca imaginei ser um artista, pois o que me motivava era tornar o dia das pessoas mais feliz. No ano de 2021 decidi finalmente me aventurar no mundo da comédia stand up, enfim encontrei o meu caminho. Em 2022 fiquei em terceiro lugar no Concurso de Stand up Comedy em São Paulo, Desafio a 1000 com Fábio Lins, onde além do prêmio em dinheiro e troféu, me abriram portas para diversas oportunidades, como abrir o show do Grande Comediante Igor Guimarães no teatro Miguel Falabella.Meu texto no show aborda de forma irreverente assuntos sobre minha infância com minha mãe, relatos da minha adolescência na escola e minha vida cotidiana, sempre gerando identificação com a platéia; E ainda tendo um diferencial como Locutor e imitador.   SOBRE ROMULO MUZY Nascido e criado em São João de Meriti, na Baixada Fluminense RJ, mágico, ator, comediante. Começou na mágica em 2010 e desde então tem se destacado incluindo  humor no gênero stand up comedy nas suas apresentações . Com textos biográficos e referência da grande personalidade do humor nacional, o ator, Paulo Gustavo . Proporcionando ao palco uma homenagem a personagem Dona Hermínia levando para público boas risadas e  trazendo à memória. Rômulo também possui um personagem de autoria própria, chamado “Juninho”,  sucesso de 2.6M de seguidores na plataforma do tiktok. Atualmente  encontra-se em cartaz com o espetáculo “Escola de Magia", um show de mágica inspirado em Harry Potter, nos melhores teatros do RJ. Mágico mais humor, sua melhor terapia.   FICHA TÉCNICA Obs.: O elenco está sujeito a mudanças sem aviso prévio. Fique atento aos canais de comunicação oficiais para possíveis alterações. Grato pela compreensão. Direção Artística: Paulinho Serra Direção Executiva: André Binnios Produção Executiva: A Costa       [+] saiba mais Anavitória e Orquestra Ouro Preto 20/08 Música Anavitória e Orquestra Ouro Preto    Concerto, que integra o projeto SulAmérica Sessions, terá única apresentação no dia 20 de agosto, na Cidade das Artes, às 21h; ingressos já estão à venda   A dupla Anavitória está de volta ao Rio de Janeiro e em boa companhia. Desta vez, Ana Caetano e Vitória Falcão se unem à excelência e versatilidade da Orquestra Ouro Preto para a gravação do SulAmérica Sessions 2022. A apresentação, que celebra toda a beleza do trabalho das artistas através da música de concerto, acontece no palco da Cidade das Artes, no dia 20 de agosto, às 21h. Os ingressos estão à venda no Sympla.    Nomes influentes da nova geração da música popular brasileira, com referências que passeiam pelo pop até o folk, Ana Caetano e Vitória Falcão conquistaram o público e a crítica com a delicadeza de suas vozes e composições, além de acumular em poucos anos de carreira diversos prêmios e milhares de visualizações em todas as plataformas digitais.    Somando agora a essa trajetória, um encontro inédito com a música de concerto, emprestando a canções de enorme apelo popular as notas orquestradas sob a regência do maestro da formação mineira, Rodrigo Toffolo. Um repertório escolhido para encantar os fãs e, ao mesmo tempo, surpreender o público.     No setlist, sucessos como “Singular”, “Trevo (Tu)”, “Amarelo, Azul e Branco”, “Explodir” e muitos outros. A escolha das músicas partiu de uma curiosidade das duas artistas em descobrir como tais canções soariam com orquestra, já que pareciam sob medida para ganhar novas cores e possibilidades no encontro com a música de concerto, com os arranjos assinados por Paulo Malheiros.     “Será uma grande alegria esse encontro com as Anavitória. É sempre bom estar ao lado da nova geração, com a nossa missão de democratizar o acesso à arte. Quem estiver conosco no concerto com certeza irá se surpreender com a potência dessa união e possivelmente sairá com o desejo de conhecer ainda mais sobre a música de concerto”, garante Toffolo.    Criado em 2021, o Orquestra Ouro Preto SulAmérica Sessions inicia sua temporada 2022 de forma presencial. É a primeira vez que as gravações dos encontros entre grandes nomes da música brasileira e o conjunto orquestral mineiro se dará com a presença do público, o que promete tornar essa união nos palcos com Anavitória ainda mais emocionante.    Patrocinado pela SulAmérica, o projeto foi criado durante o período de pandemia e se tornou um sucesso de visualizações, somando mais de 3 milhões de telespectadores entre canais de televisão e YouTube. Em 2021, o programa recebeu mensalmente artistas convidados que se destacam no cenário da música brasileira. Ao lado da Orquestra, já se apresentaram Fernanda Takai, Diogo Nogueira, Ana Carolina, Alceu Valença e Lulu Santos.    “A SulAmérica tem muito orgulho de fomentar a arte e a cultura no país por meio de projetos maravilhosos como a Orquestra Ouro Preto”, afirma Simone Cesena, diretora de Marketing da empresa. “Nós acreditamos que a música tem o poder de transformar a vida das pessoas e nos trazer bem-estar. Incentivar a cultura brasileira por meio dos alunos apoiados pelo projeto e ainda estar ao lado de profissionais incríveis que fazem o espetáculo acontecer tem um significado muito importante para todo o time SulAmérica. Estamos aqui para melhorar a vida das pessoas e ações como esta tornam real este propósito”, completa.       [+] saiba mais Orquestra Rio Villarmônica | Bach, Villa & Piazzolla 20/08 Música Orquestra Rio Villarmônica retorna à Cidade das Artes em seu segundo concerto do ano Com regência do maestro e um dos seus fundadores Mario Barcelos, nova orquestra apresenta, desta vez, obras de Bach, Villa-Lobos e Piazzolla, com a participação das solistas Luisa de Castro (violinista) e  Ludmilla Bauerfeldt (soprano) A pouco menos de três meses de seu concerto de estreia na Cidade das Artes, a recém-criada Orquestra Rio Villarmônica retornará ao mesmo palco da Barra com o mesmo despojamento e frescor, no sábado, dia 20 de agosto, às 19h, apresentando, desta vez, um programa dedicado a Johann Sebastian Bach, Heitor Villa-Lobos e Piazzolla. Sob regência de Mário Barcelos – um dos seus fundadores ao lado do maestro Tobias Volkamnn e da produtora Isabel Zagury – o grupo proverá ao público uma nova oportunidade de conhecer sua forma de fazer música: com a liberdade que o carioca traduz tão bem e desde já buscando estabelecer uma tradição de repertório de qualidade. Tendo como solistas as cariocas Luisa de Castro (violino) e Ludmilla Bauerfeldt (soprano), o programa desperta curiosidade por reunir três compositores aparentemente distintos. De diferentes maneiras e temporalidades, as obras dos três compositores estão conectadas pela influência de um outro gênio da música: o veneziano Antonio Vivaldi. Bach teve contato com a música de Vivaldi, muito difundida e admirada na primeira metade do século XVIII, e transcreveu alguns de seus concertos para instrumentos de teclado, como o cravo e o órgão. Esta era a maneira da época de estudar a música de um grande mestre: copiar ou transcrever. É muito provável que Bach e seus filhos tenham executado várias obras de Vivaldi na Alemanha. O “Concerto de Brandemburgo nº 3”, que integra o programa na Cidade das Artes, traz muitos elementos dos concerti grossi, gênero musical extremamente virtuosístico do qual Vivaldi foi o grande mestre. Vivaldi e Bach praticamente caíram no esquecimento logo após sua morte, fruto das rápidas mudanças no gosto musical da época. Ainda assim, é inegável a influência na música dos grandes gênios que os seguiram, como Mozart e Beethoven. O interesse por suas obras ressurgiu muito tempo depois e passou a influenciar novas gerações de compositores, inclusive no século XX, como foi o caso de Heitor Villa-Lobos. Sua série Bachianas Brasileiras é a prova inconteste e sua destreza ao incorporar elementos da música brasileira ao estilo bachiano nos brindou com nove obras-primas, sendo a de nº 5 a mais conhecida, que será apresentada pela Villarmônica na voz de Ludmilla Bauerfeldt, a grande voz brasileira do momento. Por fim, o argentino Astor Piazzolla – assim como Villa, o mais conhecido compositor de seu país. Suas “Cuatro estaciones porteñas” são o “alter ego tanguero” das famosas estações de Vivaldi, escritas primeiramente em separado e, depois de prontas, convencionou-se apresentá-las em conjunto. Originalmente escritas para conjunto de tango (bandoneón, piano, violino e contrabaixo), o arranjo para orquestra de cordas e solista aponta ainda mais para o concerto grosso como gênese dessas obras. Ambos Villa e Piazzolla não tiveram o reconhecimento imediato em seus países de origem. Especialmente Piazzolla, por seus experimentos, era considerado um herege pelos compositores puristas do tango tradicional. Mas o tempo tratou de mostrar como artistas com a coragem, criatividade e inovação associadas à inspiração em grandes obras de arte do passado podem nos oferecer novas maravilhas da música! Mario Barcelos Mario Barcelos é um apaixonado pela música. A carreira como regente profissional começou tarde, mas com muita intensidade. A criação da Orquestra Rio Sinfônica marcou esse início com um concerto aclamado na Grande Sala da Cidade das Artes. A partir deste momento foram vários outros concertos paralelos a um processo de estudo para aprimorar a técnica e ampliar o conhecimento. Estudou com o maestro Ricardo Rocha e depois com maestro Tobias Volkmann. Participou também da Academia do Porto e de várias master classes de regência na Alemanha, Lituânia, em Praga e Nova Iorque. Barcelos tem acrescentado seu conhecimento de engenharia e negócios para junto com Isabel Zagury e Tobias Volkmann criarem a Orquestra Rio Villarmônica, um projeto conceitual muito bem definido de valorizar a música clássica nacional, que pretende ser a cara do Rio de Janeiro e manter sua tradição de qualidade musical. Luisa de Castro (violino) Mestre pela Northwestern University e bacharel pela Unirio, a violinista carioca foi receptora do Anna Schauffler Lockwood Award for Excellence in String Music e do Eckstein Fund Grant. Também recebeu o primeiro prêmio no 12º Concurso Nacional de Cordas Paulo Bosísio. Como membro do Quarteto Kalimera, recebeu o prêmio de Melhor Intérprete de Música Erudita pela Rádio MEC. Foi aluna de Shmuel Ashkenasi, Almita Vamos e Paulo Bosísio. Já participou de festivais dentro e fora do Brasil, tais como: Pacific Music Festival, Chautauqua Music Festival e Youth Orchestras of the Americas. Já se apresentou como solista à frente da Johann Sebastian Rio, Orquestra Sinfônica Nacional, entre outras. Atualmente é spalla da Orquestra Sinfônica Nacional, membro da Johann Sebastian Rio e do Quarteto Kalimera. Ludmilla Bauerfeldt (soprano) Detentora de vários prêmios nacionais e internacionais de canto, a carioca Ludmilla Bauerfeldt formou-se na prestigiada Academia do Teatro Alla Scala (Milão – Itália), onde protagonizou as produções Don Pasquale (Donizetti) e La Scala di Seta (Rossini).Vem desenvolvendo carreira como solista em concertos e festivais na Itália (Teatro Filarmonico), Suíça (Opera Viva), Rússia (Svetlanov Hall, Musical Olympus) e Alemanha (Bad Kissingen, Dresdner Musikfestspiele e Stars and Rising Stars). Presença frequente nas principais casas de ópera no país, seus últimos trabalhos incluem a estreia brasileira de Orphée, de Phillip Glass no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, a premiére mundial dos Translieder de Flô Menezes e a 8ª Sinfonia de G.Mahler, ambos junto à Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, além da aclamada montagem de L’Italliana in Algeri, de Rossini, no Theatro São Pedro, em São Paulo. [+] saiba mais @CESSO 2022 | Workshop de produção em eventos culturais 24/08 a 26/10 Arte e Conhecimento As ações de webconteúdo ligadas ao Rio WebFest possibilitam que tenhamos um panorama anual de cerca de 4.000 conteúdos. Através deste recorte mapeamos novos modelos de produção, comunicação, representatividade e networking. Assim criamos uma metodologia para formação de lideranças. Dez encontros, agendados por três meses, nos quais debatemos os princípios do Empreendedorismo Digital. Nosso desejo é que cada aluno venha a ser um vetor de empreendedorismo dentro de suas comunidades. O Projeto @cesso nasceu em 2018, em parceria com o setor de Arte Educação, como contrapartida do Rio WebFest à Cidade das Artes. Em 2022 realizaremos a 5º Edição. Pré-Inscrições: 05/08 a 19/08 30 vagas Link: https://forms.gle/jVdsmsWtqqa5gyjt7   Chamada dos participantes selecionados: 20/08 a 22/08 Data de Início do projeto: 24/08/2022 - 10 encontros de 3h30 Horário: 09h às 12h30 Em parceria com a Cidade das Artes, o maior festival internacional de webseries do mundo - Rio WebFest, apresenta a chamada para quinta turma do projeto @cesso, um curso de qualificação com o objetivo de instrumentalizar pessoas com noções inicias de produção em eventos culturais através dos princípios do empreendedorismo digital. Todos os alunos receberão passaportes para os eventos do festival que acontece na Cidade das Artes em novembro. Os alunos receberão certificado de participação que será entregue na Abertura Oficial do evento, além de haver uma seleção de talentos para integrar a equipe do Rio WebFest 2022. O Projeto atenderá prioritariamente jovens provenientes das comunidades carentes da Zona Oeste, mas está aberto a inscrições de todo município do Rio de Janeiro. É importante informar se houver casos de necessidades especiais para avaliarmos e nos prepararmos para uma possível adaptação das aulas ao aluno. O fundador do Rio Webfest, Sp WebFest e Rio Web Mercado, Daniel Archangelo, estará à frente do @cesso. Daniel também é proprietário da Dendrobates Cultura, é diretor formado pela Escola de Comunicação da UFRJ e ator formado pela Escola de Teatro Martins Pena, sócio da Charlote Produções Culturais e da Tentáculos Espetáculos.   Bonificação aos participantes: > Mentoria com profissionais do mercado, autoridades e empresários. > Certificação de conclusão recebido no palco da Abertura Oficial do Rio WebFest. > Destaques da turma são convidados a integrar a equipe do Rio WebFest em novembro. Equipe Auxiliar Glenda Severo - Diretora de Comunicação em eventos. Palestrantes Leandro Silva - Audiovisual Douglas Vidal - Estratégias e Recursos Beatriz Santa Rita  -  Iluminadora e Produtora. Deuza Souza - Composição de Equipe. Conteúdo Encontro 1 - Realização Encontro 2 - Produção Encontro 3 - Comunicação Encontro 4 - Imagem Encontro 5 - Dinheiro e Recursos Encontro 6 - Liderança  Encontro 7 - Linguagens Encontro 8 - Projetos Encontro 9 - Mentoria  Encontro 10 - Ações Resultados Esperados Cada indivíduo que faz o projeto torna-se um agente potencial de transformação e realização. Instrumentalizado com as diretrizes do empreendedorismo, e ciente das ferramentas de criação de conteúdo, irá reverberar estes conhecimentos em seus projetos e em suas comunidades. Mais detalhes sobre o evento: (21) 3325-0448 [+] saiba mais