Fundação Cidade das Artes

Programação » Roda Viva | Teatro

Evento Encerrado

Roda Viva | Teatro



RODA VIVA

Em cartaz desde dezembro de 2018, a peça já foi assistida por aproximadamente 30 mil pessoas.

Criado coletivamente há seis décadas, por quase dois mil artistas, a companhia completou 60 anos em 2018. A travessia do Teatro Oficina Uzyna Uzona aposta na paixão popular que sagrou a encenação de RODA VIVA, de Chico Buarque em 1968, reconsagrada em temporada de sucesso em 2018 e 2019.

Chico Buarque de Holanda escreveu RODA VIVA depois de assistir O REI DA VELA. O espetáculo de 1967, que revolucionou a encenação teatral no país, é considerado pela crítica como a primeira encenação essencialmente brasileira pois acrescentou em sua montagem elementos anti literários da cultura nacional: circo, revista, literatura surreal, carnaval, a chanchada, a anarquia, o deboche. Lendo RODA VIVA, compreende-se a peça como uma resposta, ou uma proposta alternativa de continuidade para a peça de Oswald de Andrade encenada por José Celso, que foi quem o jovem Chico, com 24 anos, convidou para encenar seu primeiro texto teatral, juntamente com o cenógrafo e figurinista Flávio Império. 


SINOPSE

A dramaturgia de Roda Viva é a ascensão e queda de Benedito Silva (Roderick Himeros), cantor e compositor de sucesso inventado e fabricado pela mídia. A trama se desenvolve pelas intervenções do Anjo da Guarda (Gui Calzavara e Marcelo Dalourzi) e do Capeta (Joana Medeiros), que fazem de Benedito o cantor de grande sucesso popular Ben Silver. Mané (Marcelo Drummond), amigo de juventude do protagonista, durante todo o espetáculo fica na mesa de bar, como um fio terra de Benedito que tem sua genialidade fabricada e ininterruptamente monitorada e redirigida pelos índices de popularidade. Assim, Ben Silver, o herói pop é transformado em Benedito Lampião, cantor “bem brasileiro, bem violento, cantando baião e marcando o ritmo na queixada”. Quando ele enfim é devorado pelo coro, sua esposa Juliana (Camila Mota), o substitui como novo ícone da cultura, mas liberta da formatação, com um acordo cosmopolítico de produção.

Da dramaturgia original, canções que depois tornaram-se famosas no repertório do autor, como Roda Viva e Sem Fantasia. Na montagem de 2018-19 foram incorporadas a obra prima de 2017 Caravanas e a bossa nova Cordão.

* Conteúdo relacionado a sexo, nudez, drogas e sátira política. *

 

 

FICHA TÉCNICA

Texto: Chico Buarque

Versão 2018: Zé Celso 

e Coro Teatro Oficina 2018

Diretor: Zé Celso

Conselheira Poeta: Catherine Hirsch

Diretor musical: Felipe Botelho

Direção de produção: Camila Mota, Marcelo Drummond e Zé Celso

Produção executiva: Anderso Puchetti

Assistente de direção: Beto Eiras

 

Benedito Silva: Roderick Himeros

Juliana: Camila Mota

Anjo: Guilherme Calzavara

Capeta: Zé Ed

Mané: Marcelo Drummond

 

O Coro:  Cafira Zoé

               Clarisse Johansson

               Cyro Morais

               Danielle Rosa

               Fernanda Taddei

               Gabriela Campos

               Isabela Mariotto

               Kael Studart

               Kelly Campello

               Marcelo Dalourzi

               Mayara Baptista

               Nolram Rocha

               Sylvia Prado

               Tony Reis

               Tulio Starling

               Wallie Ruy

 

A Banda: Violoncelo: Amanda Ferraresi

                 Bateria: André Santana

                 Percussão: Carina Iglecias

                 Baixo: Felipe Botelho

                 Piano: Giuliano Ferrari

                 Percussão: Ito Alves

                 Guitarra: Moita Mattos

 

Preparação vocal: Beth Amin

Preparação rítmica: Ito Alves

Sonoplasta: Gustavo Lemos e Clevinho Ferreira

Coreógrafo:  Ibrahima Sarr

Preparação dos corpos Seneafrica e Höröyá: Ibrahima Sarr, André Ricardo, Birima Mbaye, Moustapha Dieng e Aziz Mbaye

Desenho de Luz: Guilherme Bonfanti

Diretor de Cena: Otto Barros

Arquitetura Cênica e Direção de Arte: Carila Matzenbacher, Marília Gallmeister e Marcelo X

Coordenador de Cenotecnia: Alício Silva

Equipe De Cenotecnia: Cleiton Willy, Reginaldo Nascimento, Francolino Gomes,

Renato Silva, Igor Gomes, Leandro Bruno, Claudemi Bruno, Gilberto Feli, Sabino Orosco e Cássio Omae

Pirâmide: Fina Serralheria

Objetos Cênicos TVs, Nets, Mulher Veneno, Boneco Ben Silver: Ricardo Costa.

Assistentes: Abmael Henrique e Rafael Lopes

Máscaras do coro das macacas: Osvaldo Gabrieli e Mateus Rosa

Cata-Vento Fachada: Fernando Brettas – Ono-Zone Estúdio

Pintura Artística: Vincent Guilnoto

Maquiagem e Figurino: Sonia Ushiyama

Assistente de Maquiagem: Lenin Cattai

Assistentes de Figurino: Selma Paiva e Marcio Tassinari

Camareira: Cida Melo

Assistentes de Iluminação: Luana Della Crist, Pedro Felizes e Padu Palmério

Operadora da Luz: Cyntia Monteiro

Operadores de Canhão Seguidor: Ana Gabriela Rossetto, Angélica Taize e Filipe Sampaio

Estagiários da Luz:  Ananda Giuliani e Guilherme Soares

Movings Lights: Camilo Bonfanti

Criação em 3D: Daniele Meirelles

Conselheiro Poeta da Luz: Chico Turbiani

Montadores de luz: Gabriele Souza, Diego F F Soares, Alexandre Souza e Vinícius Hideki Ramos

Agradecimento a Grissel Piguillem

Operadora de Som: Camila Fonseca

Assistente de Som e Microfonista: Clevinho Ferreira

Cinema ao vivo: Cecília Lucchesi e Igor Marotti

Direção de Produção e Estratégia: Camila Mota, Marcelo Drummond e Zé Celso

Produtor Executivo e Administrador: Anderson Puchetti

Produtores: Ana Sette e Tati Romel

Comunicação, Editoração do Programa e Textos: Brenda Amaral, Cafira Zoé e Camila Mota

Design Gráfico e Publicidade: Igor Marotti

Projeto Gráfico do Programa: Igor Marotti, Cecília Lucchesi e Marcelo X

Transcrição da entrevista com Zezé Motta: Danielle Rosa

Pesquisa de Imagiário e Makumbas Gráphicas: Cafira Zoé e Camila Mota

Assessoria de Imprensa: Brenda Amaral

Fotografias e produção: Jennifer Glass

Tradução para inglês e revisões de texto: Maria Bitarello

Operação de legendas ao vivo: Maria Bitarello 

Arquivista: Thais Sandrin

Teatro

Informações Gerais

Datas

08/11 a 01/12

Horários

Sexta – 20h

Sábado e domingo – 19h

* Conteúdo relacionado a sexo, nudez, drogas e sátira política.

 

 

Plateia e frisas

Inteira - R$120,00

Meia - R$60,00

 

Galerias baixas e altas

Inteira - R$90,00

Meia - R$45,00

Local

Cidade das Artes

Sala

Grande Sala

Classificação Etária

14 Anos

Em caso de compra de ingresso pelo call center ou pelo site é possível escolher somente o setor que você deseja. O próprio sistema identifica as cadeiras livres no setor escolhido e emite os ingressos referentes aos lugares vagos. Comprando o ingresso diretamente na bilheteria da Cidade das Artes é possível escolher setor e cadeira.

Demais Eventos da Programação

Acompanhe nossa Programação On-line 17/04 a 28/12 Projetos CDA Você #ficaemcasa e a gente te entrega ao vivo: CULTURA, EMPREENDENDORISMO, CONHECIMENTO, ARTE, GASTRONOMIA, MÚSICA E MUITO MAIS.   Acompanhe a programação online que preparamos para você em nossas redes sociais: Facebook: cidadedasartes Instagram: cidadedasartes_ Twitter: fundcda Youtube: CidadedasArtes   Você é nosso convidado! Vem com a gente! [+] saiba mais FAÇA SUA DOAÇÃO - Drive Thru Social 22/04 a 30/06 Projetos CDA SUA CONTRIBUIÇÃO É UM PRATO CHEIO. A Cidade das Artes está realizando uma ação especial durante o período da quarentena: o DRIVE THRU SOCIAL. Você pode trazer as suas doações, e entregá-las sem sair do carro, todos os dias, próximo ao ponto de embarque e desembarque, das 10h às 18h. Participe doando: - Alimentos não perecíveis, - Água mineral, - Itens de higiene pessoal e, - Produtos de limpeza. As doações serão entregues às famílias do projeto Arte Vida Arte, da Cidade de Deus, que forma jovens de 7 a 14 anos por meio da educação pela arte.   Espalhe solidariedade! Não é por um, é por todos!   Para mais informações ligue 3325-0102.   [+] saiba mais Mart´nália Canta Vinicius de Moraes 15/08 Música NOVA DATA: Devido às medidas de prevenção e contenção ao contágio do novo CORONAVÍRUS, a Fundação Cidade das Artes, informa que o show “MART´NÁLIA CANTA VINÍCIUS DE MORAES”, que aconteceria no sábado, dia 16 de maio, tem nova data, dia 15 de agosto.   A partir de 21/03/2020 a Bilheteria da Cidade das Artes fecha por tempo indeterminado devido às medidas de prevenção e contenção ao contágio do novo CORONAVÍRUS. Dúvidas e informações relacionadas a ingressos, favor entrar em contato diretamente com a Ingresso Rápido.   SAC apenas whatsapp (11) 94925-7737 e-mail: sac@ingressorapido.com.br         Show homenageia o poeta, em única apresentação no dia 15 de agosto   Nada poderia representar melhor o coração inflamado do carioca do que unir Vinicius e Mart’nália. A cantora já gravou e interpretou nos seus shows muitas coisas lindas. E sempre cantou Vinicius de Moraes, sua paixão e eterno “poetinha”, que tem uma obra vasta e surpreendente. Sua mãe Anália, quando ficava brava mandava logo um vai pra “Tonga da Mironga”... E Martinho, seu pai, assovia canções dele o tempo todo. E foi assim que ela cresceu! Por isso mesmo, o CD escolhido e o show prazerosamente cantado é VINICIUS DE MORAES. O álbum foi produzido musicalmente por Arthur Maia (6 faixas) e Celso Fonseca (6 faixas), e acaba de ganhar o GRAMMY LATINO de 2019 de melhor disco de samba. O show tem direção geral de Marcia Alvarez e Mart’nália, e arranjos de Jorjão Barreto, que também participou do CD. A luz será assinada por Daniela Sanchez. No repertório, a cantora traz ainda outras canções já gravadas por ela, como: “Para que Chorar”, “Mulata do Sapateado”, “Tempo Feliz”, “Sei Lá - a Vida Tem Sempre Razão”, e outras mais... Enquanto isso, na plateia, o público poderá cantar e se emocionar!   “Mart’nália cantando VINICIUS na Lapa salva o BRASIL. Sabe Você, Chega de Saudade, Você e Eu, Canto de Ossanha, Eu Sei Que Vou Te Amar, Tarde em Itapuã, tudo em intensa beleza. Tão delicado e tão contundente! Música. Aconchego com a banda. Saudade de Arthur Maia transformada em felicidade eterna. Martina sambando! Sua irmã sambando! Cada fração de segundo é uma vivência de suingue e paixão. O Circo voou. O Rio se redimiu. O Brasil vai rolar. Grande artista é isso: refaz a realidade em suas profundezas. Mart’nália faz. Ela é. Carlos Lyra, Tom Jobim, Baden, Toquinho, todos os parceiros de Vinicius tiveram seu talento iluminado pela musicalidade natural, impensada, libertadora de Martina. Nós todos que pudemos estar lá reaprendemos a viver”. Caetano Veloso em seu Instagram, sobre o show do Circo Voador - Rio, realizado em 23 de agosto de 2019.   A BANDA: Mart’nália – voz e percussão; Jorjão Barreto – vocal e teclados; Humberto Mirabelli – violão e guitarra; Rodrigo Villa – contrabaixo; Flavio Santos – bateria; Macaco Branco – percussão; Analimar Ventapane – vocal.   [+] saiba mais