Fundação Cidade das Artes

Notícias » Musical 'A cor púrpura' estreia no Rio com temas que fazem pensar no Brasil de hoje

Setembro de 2019

dia 02, Segunda

Musical 'A cor púrpura' estreia no Rio com temas que fazem pensar no Brasil de hoje

Elenco de 17 atores negros comanda texto que trata de violência contra a mulher e o poder de transformação do amor.


Por Leonardo Lichote, O Globo
02/09/2019

 

RIO - Negra no sul dos Estados Unidos na primeira metade do século XX, Celie é constantemente humilhada pelo marido. Num desses momentos ele a agride dizendo, em tom de desprezo, que ela é pobre, feia, preta e mulher. Ela responde reafirmando que sim, é pobre, feia, preta e mulher: “mas eu existo”.

O diálogo de “A cor púrpura” , que estreia sexta-feira na Cidade das Artes, condensa boa parte da atmosfera que se materializa nas pouco mais de duas horas do musical — haverá ensaios abertos gratuitos na quarta e na quinta-feira, às 20h30. Com um elenco de 17 atores negros, protagonizado por mulheres, o musical — primeira montagem brasileira do espetáculo que chegou à Broadway em 2005 — retrata uma história de dor e opressão. E, mais do que isso, de redenção pelo amor. Uma saga que, na visão do diretor Tadeu Aguiar, dialoga diretamente com o Brasil contemporâneo.

— “A cor púrpura” fala essencialmente da questão humana, do poder de transformação pelo amor, que está em falta hoje. Vivemos uma era de haters — explica o diretor. — Além disso, a questão da representatividade está posta quando você vê 17 atores negros no palco. E trata da violência contra a mulher, outro debate profundamente atual.


Inspiração premiada

Escrito por Alice Walker e lançado em 1982, o romance “A cor púrpura” rendeu à autora um prêmio Pulitzer — o primeiro para uma escritora negra . Três anos depois, a história chegou ao cinema com direção deSteven Spielberg e Whoopi Goldberg no papel de Celie.

Aguiar assistiu ao musical nos EUA em 2016 e lembra de ter ficado paralisado de emoção ao fim do espetáculo. Mas não pensou em montá-lo na hora. A sugestão veio depois, de uma amiga diretora da agência que detém os direitos da peça, quando ele procurava “um texto com apelo junto a patrocinadores e que dissesse o que a gente quer dizer”.


“Não queria uma reprodução do espetáculo americano. Fizemos uma leitura brasileira de luz, cenografia, figurino... O cenário lá são apenas 17 cadeiras. Aqui, resolvemos embrulhar melhor”

TADEU AGUIAR
Diretor do musical 'A cor púrpura'


Cenário


O cenário brasileiro é baseado no esqueleto de um casarão típico do sul dos Estados Unidos, ladeado por escadas que adquirem diferentes configurações. A ideia de não ter portas e janelas, explica Aguiar, busca revelar mecanismos normalmente velados na dinâmica social — mais marcadamente o racismo e a violência contra a mulher.

— A peça que toca o coração das pessoas pela história, ao mesmo tempo em que aborda questões latentes, como feminicídio e masculinidade tóxica — defende Letícia Soares, que vive Celie. — E tudo do pelo ponto de vista de Celie, a perspectiva do amor, que rompe a cadeia de violência, que perdoa. No livro, em nenhum momento ela fala da dor, é sempre um olhar de esperança num porvir. Tudo isso sem bandeiras panfletárias, com uma luz incrível, música linda, beleza... Ao mesmo tempo, tudo visto no palco é uma bandeira erguida.

Lilian Valeska, que faz o papel de Sofia (personagem vivido no cinema porOprah Winfrey ), resume:

— Na peça, a violência e o amor são tratados de forma visceral.


Jornada musical

A música que atravessa os 40 anos de ação testemunha a presença do negro na cultura americana nas primeiras décadas do século XX no Sul dos Estados Unidos. Há spirituals, blues, work songs, ragtime , tudo executado ao vivo pelos oito músicos da orquestra. A exigência vocal é atlética, na tradição americana de grandes vozes — as partituras de Celie, por exemplo, cobrem duas oitavas e meia.

As letras foram vertidas para o português por Artur Xexéo. O colunista do GLOBO enfrentou o desafio de lidar com versos que, ele conta, têm papel dramático fundamental no original.

— Costumamos dizer que no musical as canções entram para avançar a trama, para ajudar a definir um personagem, essas coisas, mas quase nunca é verdade — brinca Xexéo. — Mas em “A cor púrpura” é assim. Então você não pode delirar na versão, senão deixa de contar a história. Ao mesmo tempo, me preocupei em fazer isso mantendo a maior semelhança fonética com o original, pensando nos atores. Porque se uma frase termina com uma vogal aberta, pra cima, e você na tradução bota uma vogal fechada, pra baixo, isso fica desconfortável pra interpretação.

Xexéo também recorda desafios mais prosaicos:

— Há muitas citações à Bíblia, que não conheço muito. Então tive que escrever as versões com a Bíblia do lado — diz o tradutor. — Em determinado momento, um personagem fazia referência a uma certa Brown Betty, com quem havia passado à noite, e isso não fazia muito sentido na trama. Deixei assim até que um dia acordei pensando nisso e decidi investigar. Descobri que é uma sobremesa, mas além disso é uma gíria para a maconha. Então tudo fez sentido.

Flávia Santana, atriz que faz o papel da cantora Shug, elogia as versões:

— Em inglês, qualquer “honey honey hall” fica bonito, é difícil fazer essas canções soarem bem em português —que destaca esse como um dos aspectos “libertadores” do espetáculo. — “A cor púrpura” é a carta de alforria para nos libertar de vários paradigmas do teatro musical brasileiro.
 

+Mais informações http://cidadedasartes.rio.rj.gov.br/programacao/interna/1088

Demais notícias

Novembro de 2019

dia 12
Terça

As melhores peças em cartaz no Rio

Remontagem de "Roda viva" e musical da dupla Möeller e Botelho estão entre destaques da programação O Globo 12/11/2019 - 14:01 / Atualizado em 12/11/2019 - 14:02 Musical, comédia ou drama? Qualquer que seja a sua escolha, há boas opções em cartaz nos teatros cariocas. Lista inclui peça embalada por sucessos da bossa nova, espetáculo da dupla Charles Möller e Claudio Botelho e  remontagem do clássico "Roda viva", entre outros.

[+] leia mais

Novembro de 2019

dia 11
Segunda

Depois dos 80, tem que acelerar, diz Francis Hime, que comemora aniversário com novo álbum

O compositor Francis Hime Foto: Divulgação/Nana Moraes Bolívar Torres O Globo - 11/11/2019 - 04:30 / Atualizado em 11/11/2019 - 09:38 RIO — Oitenta anos completados em agosto, Francis Hime não quer olhar para trás. É o momento presente que alimenta o seu mais novo álbum, “Hoje”, que será lançado nesta quarta-feira, às 20h, na Grande Sala da Cidade das Artes.

[+] leia mais

Novembro de 2019

dia 07
Quinta

'Roda viva' volta ao Rio com o Grupo Oficina em esquema de guerrilha com crowdfunding e hospedagens improvisadas

Alvo de violência e censura quando estreou há meio século, o musical de Chico Buarque reestreia na cidade nesta sexta-feira Pedro Tinoco, Especial para O GLOBO Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo 07/11/2019 - 04:30 / Atualizado em 07/11/2019 - 11:08 RIO — Só podia ser 1968 . Nos tempos beligerantes de ditadura, a peça de estreia do jovem astro da MPB ganhou montagem provocadora, e militantes à direita sentiram-se à vontade para silenciar os atores na base do sarrafo.

[+] leia mais

Novembro de 2019

dia 07
Quinta

Exposição 'O dia seguinte' aborda emergência climática e futuro dos centros urbanos na Cidade das Artes

Mostra é gratuita e termina no domingo (10/11). Mais de 25 mil pessoas já passaram visitaram o evento gratuito.

[+] leia mais

Outubro de 2019

dia 25
Sexta

Funcionamento da Sala de Leitura durante o HACKTUDO

Devido às múltiplas atrações do festival HACKTUDO, nossa sala de leitura estará fechada neste final de semana (26 e 27/10).     O espaço volta à sua programação normal na próxima terça-feira (29/10), de 10h às 18h.

[+] leia mais

Outubro de 2019

dia 10
Quinta

Funcionamento da Sala de Leitura no Fim de Semana do Dia das Crianças

Informamos que a Sala de Leitura não funcionará nos dias 12/10 (Dia das Crianças) e 13/10. O funcionamento seguirá normalmente a partir de terça-feira 15/10 às 10h.

[+] leia mais

Setembro de 2019

dia 18
Quarta

Roda do Bem! Abrace o projeto que troca tampinhas de garrafas por cadeiras de rodas!

O Projeto Rodando com Tampinhas, lançado no dia 10 de julho numa parceria entre a Obra Social e Abrace o Rio, coordenada pela primeira-dama da cidade Sylvia Jane; a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, a Secretaria Municipal de Educação e a Subsecretaria Municipal da Pessoa com Deficiência, além de contar com a participação da Reitoria do Cristo Redentor, quer incentivar a doação de tampas de garrafas e outros objetos como tampas de remédios, vitaminas, pasta de dentes e alimentos, que são depois vendidos para a reciclagem. O valor arrecadado serve para a compra de cadeiras de rodas, que serão destinadas à Associação Brasileira Beneficente de Reabilitação (ABBR).

[+] leia mais

Junho de 2019

dia 19
Quarta

RIOH2K: Funcionamento da Sala de Leitura, Exposição Permanente da Maquete de LEGO® do Rio de Janeiro e Bilheteria

Informamos que a Sala de Leitura não abrirá de 20 de junho (quinta-feira) a 24 de junho (segunda-feira) devido ao evento RIOH2K, voltando a funcionar normalmente na terça-feira, dia 25 de junho. A exposição de LEGO estará fechada para visitação no período de 20 de junho (quinta-feira) a 25 de junho (terça-feira), retornando na quarta-feira dia 26 de junho.

[+] leia mais

Maio de 2019

dia 08
Quarta

Dia das Mães com Duo Santoro e no Bistrô da Cidade das Artes

Quer fazer um programa especial com sua família no Dia das Mães? Então aproveite para proporcionar um dia inesquecível e convide a sua mãe para apreciar o lindo concerto "Duo Santoro para mães e filhos” e logo depois saborear um delicioso almoço no novo Bistrô Café das Artes.   O restaurante terá um cardápio especial e vai oferecer um desconto de 50% nos ingressos para o espetáculo.

[+] leia mais

Abril de 2019

dia 29
Segunda

Rio2C termina neste domingo e movimenta R$ 250 milhões em negócios

Por Matheus Rodrigues, G1 Rio 28/04/2019  Rafael Lazarini, CEO e criador da conferência, disse ao G1 que foram 7,5 terabytes de informação compartilhada nos seis dias de evento na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca. No último dia da Rio2C neste domingo (28), a organização do maior evento de criatividade e inovação da América Latina divulgou que o volume de negócios fechados nos seis dias da conferência chegou a R$ 250 milhões.

[+] leia mais