Fundação Cidade das Artes

Notícias » 'O Rei da Vela' volta ao Rio, 50 anos depois, em noite histórica

Abril de 2018

dia 15, Domingo

'O Rei da Vela' volta ao Rio, 50 anos depois, em noite histórica

José Celso Martinez Corrêa em cena de 'O Rei da Vela', na Cidade das Artes: financiamento via crowdfunding - Foto: Divulgação


Publicado no SEGUNDO CADERNO
POR FÁTIMA SÁ 15/04/2018 19:07 / atualizado 16/04/2018 13:28


RIO — “A cultura teatral brasileira está no fundo de um precipício", desabafou Fernanda Montenegro, emocionada, ao fim da estreia carioca de “O Rei da Vela”, na noite de sábado.


“Há muito tempo os nossos palcos não apresentam nada igual. Há uma comoção geral na plateia, silenciosa, porque há uma necessidade de renascermos. Nós temos que renascer nos nossos palcos.” Da oitava fileira, voz empostada, dirigindo-se a José Celso Martinez Corrêa e ao elenco do Teatro Oficina, que permaneciam no palco, a maior dama do teatro brasileiro resumiu o sentimento geral que tomou a Grande Sala da Cidade das Artes.


Logo, arrumaram-lhe um microfone. E a atriz, que começara falando que “o Brasil está numa hora triste, e o Rio de Janeiro, numa hora tristíssima”, seguiu chamando a noite de “cerimônia” para retomar a vida.


“Temos que renascer, com grupos que realmente saiam dos monólogos, dos diálogos. Quando se trata de um triálogo, já é uma multidão. Zé, estamos vivendo numa catacumba em matéria de teatro. Mas vamos sair do buraco da catacumba. E uma noite como esta é uma esperança absoluta.”


Foi histórico, sim. E não só porque era “O Rei da Vela” 50 anos depois. Nem porque a plateia reunia, além de Fernanda Montenegro, nomes como Marieta Severo, Paulo José, Rosamaria Murtinho e Helio Eichbauer, criador dos icônicos cenários da montagem original e que voltam à cena agora.


Teve também a lamentável constatação de que a alegoria de Brasil escrita por Oswald de Andrade em 1933 e exposta no palco pela primeira vez em 1967 em São Paulo continua encontrando eco no Brasil de hoje.


E teve Zé Celso, 81 anos, atuando como a aristocrática Dona Poloca, cantando, dançando, discursando e incluindo no texto referências atuais e ironias a Silvio Santos, João Doria, Geraldo Alckmin, Marcelo Crivella, Janaína Paschoal e até à série “O mecanismo”.


“Marielle, presente. Hoje e sempre!”, grito-clamor dos palcos e plateias da cidade, também se fez ouvir ali. Contando os três atos do espetáculo (com dois intervalos), os desabafos e discursos de noite de estreia, foram quatro horas em que o tempo parou. Até se soltar na farra final do Oficina, com todos cantando os versos de José Miguel Wisnik que pareciam escritos para a noite: “A primavera é quando ninguém mais espera/ E desespera tudo em flor/ A primavera é quando ninguém acredita/ E ressuscita por amor”.


“O Rei da Vela” , não custa lembrar, só está aqui por insistência. A turnê carioca nasceu de uma campanha de crowdfunding movida por artistas como Fernanda Torres, Julia Lemmertz e a produtora Paula Lavigne (“Que agora é uma mulher completamente doida, maravilhosa. Ela sempre foi chata, mas agora tá ma-ra-vi-lho-sa”, brincou Zé Celso).


Não fosse assim, não haveria peça no Rio, onde ainda há seis sessões nos próximos finais de semana. Os ingressos, aliás, estão acabando rápido. Mas o sonho da trupe é levar a peça, com elenco encabeçado por Marcelo Drummond, Tulio Starling, Sylvia Prado e Camila Mota, ao Teatro João Caetano, na Praça Tiradentes, onde o Oficina apresentou “O Rei...” em 1968.

Demais notícias

Julho de 2018

dia 02
Segunda

Funcionamento da Cidade das Artes na Copa do Mundo em jogos do Brasil

A Cidade das Artes está com funcionamento alterado nos dias dos jogos da Seleção Brasileira durante a Copa do Mundo na Rússia, seguindo o decreto da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. Desta forma, no dia 02 de julho não haverá expediente administrativo na Cidade das Artes.

[+] leia mais

Junho de 2018

dia 28
Quinta

Aviso de Seleção F-ARTES - Nº 02/2018

AVISO DE SELEÇÃO para escolha da melhor proposta de preço para utilização, na modalidade PERMISSÃO  DE  USO, da área destinada à Cafeteria da Grande Sala, localizado na Av. das Américas,  nº 5300 – Barra da Tijuca/RJ.

[+] leia mais

Junho de 2018

dia 20
Quarta

Funcionamento da Cidade das Artes na Copa do Mundo em jogos do Brasil

A Cidade das Artes estará com funcionamento alterado nos dias dos jogos da Seleção Brasileira durante a Copa do Mundo na Rússia, seguindo o decreto que determinou ponto facultativo total no dia 22 (sexta-feira) e parcial no dia 27 (quarta-feira). Desta forma, no dia 22 não haverá expediente administrativo na Cidade das Artes, incluindo o funcionamento da Sala de Leitura.

[+] leia mais

Junho de 2018

dia 08
Sexta

Cidade das Artes realiza sorteio especial no Dia dos Namorados

A Cidade das Artes preparou uma promoção para celebrar o Dias dos Namorados. A casa vai sortear ingressos duplos para a apresentação do Quarteto Brasiliana, que acontece dia 16, no Teatro de Câmara; um voucher de R$ 150,00 para jantar no Restaurante Abraccio; além de uma hospedagem gratuita, com direito a café da manhã, no Hotel Best Western Premier.

[+] leia mais

Maio de 2018

dia 30
Quarta

RIOH2K: Funcionamento da Sala de Leitura, Exposição Permanente da Maquete de LEGO® do Rio de Janeiro e Bilheteria

Informamos que a Sala de Leitura não abrirá de 31 de maio (quinta-feira) a 04 de junho (segunda-feira) devido ao evento RIOH2K, voltando a funcionar normalmente na terça-feira, dia 05 de junho. A exposição de LEGO estará fechada para visitação no período de 31 de maio (quinta-feira) a 05 de junho (terça-feira), retornando na quarta-feira dia 06 de junho.

[+] leia mais

Maio de 2018

dia 26
Sábado

Rio H2K 2018 confirma apresentação do Cão Sem Plumas | Cia Deborah Colker

A produção do evento RIOH2K CONFIRMA a realização dos espetáculos do Cão Sem Plumas da Cia Deborah Colker HOJE, sábado, 26 de maio, às 18h e 21h.   Esperamos por você! .

[+] leia mais

Maio de 2018

dia 26
Sábado

Com instalações renovadas, teatros públicos se reinventam

Cidade das Artes - Marcos de Paula / Agência O Globo Três casas de espetáculos da rede municipal do Rio se destacam positivamente em meio a cenário desolador POR PAULA AUTRAN 26/05/2018 4:30 O GLOBO - Teatro e Dança   RIO - Nem só de dramas vivem os 19 teatros públicos da cidade do Rio de Janeiro. Em meio a um cenário muitas vezes desolador — por conta da escassez de recursos públicos e de casos como o do Villa Lobos, incendiado em 2011 e até hoje não reconstruído —, pelo menos três casas de espetáculos se destacam positivamente: Cidade das Artes (que, além da grande sala, tem um teatro de câmara e a sala eletroacústica), na Barra; o teatro do Centro Cultural João Nogueira (antigo Imperator), no Méier; e a Sala Municipal Baden Powell, em Copacabana, têm administrações diferenciadas, instalações renovadas e programação que vem conquistando público fiel.

[+] leia mais

Maio de 2018

dia 23
Quarta

Rio H2K traz companhias de dança brasileiras e coreógrafos internacionais para workshops no Rio

Oitava edição do festival internacional de dança acontece entre os dias 25 de maio e 3 de junho na Cidade das Artes. Evento também terá espetáculos, 'batalhas' e apresentação de documentários.

[+] leia mais

Maio de 2018

dia 18
Sexta

Empresários discutem potencialidades de Portugal no Rio

Por Igor Lopes Mundo Lusíada ( https://www. mundolusiada.

[+] leia mais

Maio de 2018

dia 15
Terça

Festival Portugal 360: Alteração do horário de funcionamento da Sala de Leitura

Informamos que a Sala de Leitura, na semana de 17 a 20 de maio, será o espaço de alguns Workshops que fazem parte do Festival Portugal 360. O acesso a mesma só será permitido aos inscritos nas atividades do Festival.

[+] leia mais