Fundação Cidade das Artes

Notícias » CRÍTICA: “Contos Negreiros” é espetáculo obrigatório

Março de 2018

dia 13, Terça

CRÍTICA: “Contos Negreiros” é espetáculo obrigatório

Por  Dâmaris Grün  - 5 de Março de 2018 - site https://aplausobrasil.com.br
 

RIO DE JANEIRO: “Não sou escravo de nenhum senhor/ Meu Paraíso é meu bastião/ Meu Tuiuti, o quilombo da favela/ É sentinela na libertação” (samba enredo da escola Paraíso do Tuiuti). Começo esse texto sobre o espetáculo Contos Negreiros do Brasil exortando os versos do samba enredo da escola de São Cristóvão, que sagrou-se vice campeã do carnaval usando a escravidão como temática central. Traço esse paralelo porque são dois grandes espetáculos que tratam sobre o povo negro e sua condição no Brasil.

A escola de São Cristóvão abriu seu desfile com uma encenação realista de como eram tratados os negros escravizados no Brasil. Açoites, correntes, tortura, dor. O realismo das fantasias, da atuação dos atores/foliões, da coreografia dessa comissão de frente nos emocionou e nos fez dizer “sim, é isso”. Essa é a mesma sensação que temos quando começa Contos Negreiros do Brasil. Idealizado pelo sociólogo e filósofo Rodrigo França (que também está em cena), pelos atores Aline Borges, Milton Filho e pelo diretor Fernando Philbert, o espetáculo remete logo de cara ao recente desfile da Tuiuti. O sociólogo se dirige à plateia: “O Brasil é um país racista”. É possível ouvirmos também aqui “sim, é isso”. São dois prólogos impactantes, belos e que contém um discurso de urgência.

Em seguida, Rodrigo França faz um depoimento pessoal. Fala da sua origem, sua família, sua trajetória, sua condição de negro num país racista. A partir daí ele começa a apresentar estatísticas alarmantes. Essa aula é intercalada pela encenação dos 12 contos de Marcelino Freire em Contos Negreiros.

Os contos do autor pernambucano possuem uma estrutura narrativa com forte carga de oralidade, funcionando como monólogos de vozes que narram o sofrimento da condição do negro na sociedade. Essa carga dramática contida no texto proporciona uma relação direta entre o ator e o espectador, sendo esse último um interlocutor ativo dessa dor narrada, como se estivesse nele o sujeito confidente mas também agente da dor do personagem marginalizado. Esses monólogos fazem um jogo bastante dinâmico com o realismo dos dados, já que funcionam como uma espécie de ficcionalização dos mesmos. A composição dos personagens é mimética, muito bem delineada pelos atores, que materializam os corpos e gestos dos sujeitos contidos nos contos de Freire -como uma mulher negra marginalizada, o trabalhador braçal, a anciã, o homossexual – com bastante carga dramática.

O espetáculo segue essa lógica de aula, exposição didática, exposição documental em cena através de projeções de fotos dos artistas, de familiares, de ativistas da luta negra, de documentos pessoais caros aos artistas ali envolvidos.

No final, cada ator se dirige ao público e faz seu depoimento pessoal a partir de sua condição. Esse documento pessoal reitera e reverbera os dados de forma muito mais contundente, emocionante e real do que os próprios contos encenados. Nesse momento, o espetáculo ganha mais sentido porque a experiência dos atores repartida com o público possui uma dimensão afetiva e empírica que só os documentos vivos, os atores e suas histórias, podem nos dar. Não há nesse momento composição de personagens. Há atores sociais falando diretamente através de suas experiências.  Aqueles contos, aqueles dados, agora, no documento vivo dessas falas diretas, dos atores-sujeitos da ação ganham um tom trágico que coloca o espetáculo na urgência referida no título.

Não há muito o que escrever sobre esse espetáculo urgente e obrigatório. É preciso vê-lo, senti-lo, pensá-lo, digeri-lo, indicá-lo a todos. É política em cena. É resistência. É nossa obrigação falar sobre o tema.

“Hein seu branco safado
Ninguém aqui é escravo de ninguém”

(Canto primeiro, TRABALHADORES DO BRASIL, Contos Negreiros, de Marcelino Freire)

+ Informações: Acesse nossa programação

 

Demais notícias

Dezembro de 2018

dia 12
Quarta

Edital de concessão de uso do Bistrô

FUNDAÇÃO CIDADE DAS ARTES AVISO DE SELEÇÃO Nº 03/2018     Processo Nº: 12/800. 364/2018 Data: 26/12/2018 HORÁRIO: 12:00h.

[+] leia mais

Dezembro de 2018

dia 11
Terça

Nota de Pesar

A Cidade das Artes lamenta profundamente o falecimento de Sérgio Knust, um dos nossos colaboradores mais queridos e presentes. Neste momento de dor imensa, nos colocamos ao lado dos familiares e amigos em solidariedade.

[+] leia mais

Dezembro de 2018

dia 10
Segunda

Dia 11/12 teremos Trufas no Comida, Diversão & Arte

Nosso Comida, Diversão e Arte dessa semana receberá um convidado que traz a alegria para nosso espaço da Cidade das Artes diariamente. Nesta terça-feira receberemos o Leonardo, funcionário da casa que produz doces e sobremesas variadas que alegram todos ao seu redor! Um pouco da história do Leo: Diante de tantos pedidos de tamanhos, formas e sabores diferentes e da dificuldade financeira para realizar todos esses desejos, lembrei das ocasiões que passei na casa da minha madrinha assistindo-a fazer os ovos e coelhinhos para suas encomendas de pascoa e pensei, também posso fazer!! E foi assim desde a primeira Páscoa, há 7 anos.

[+] leia mais

Dezembro de 2018

dia 07
Sexta

Cidade das Artes apoia Campanha Natal do Bem

  CIDADE DAS ARTES APOIA CAMPANHA NATAL DO BEM A Cidade das Artes será um dos pontos de coleta de doações endereçadas à campanha Corrente do Bem, cujo objetivo é beneficiar centenas de famílias que vivem abaixo do nível de pobreza na região do Jardim Gramacho. Os interessados poderão doar brinquedos, leite em pó, garrafas de água, eletrodomésticos, fraldas, medicamentos e ração para gatos e cachorros.

[+] leia mais

Dezembro de 2018

dia 06
Quinta

Espetáculo King - Eu Tenho um Sonho celebra os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos

Neste fim de semana, espetáculo King - Eu Tenho um Sonho celebra os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos   No próximo final de semana, dias 08 e 09 de dezembro, o ator luso-brasileiro, Thiago Justino dará voz ao emblemático discurso Eu Tenho um Sonho, de Martin Luther King. O espetáculo nos mostra que o discurso proferido em Washington, em 1963, permanece vivo e, sobretudo, reflete liberdades fundamentais atemporais.

[+] leia mais

Novembro de 2018

dia 27
Terça

Dia 08/12 tem Lançamento do livro “Música como necessidade humana: Reflexões para a Educação” Comida, Diversão & Arte

     Nesta tarde de sábado, promoveremos um encontro de arte com a autora do livro “Música como necessidade humana: Reflexões para a Educação”, Eliete Gonçalves, com concerto musical, bate-papo sobre a temática e sessão de autógrafos. Refletir sobre o humano, cultura, vida e música se constitui a proposta desse livro, e a partir daí toma-se diversos caminhos que tem um único fim: Educação, ou seja, os caminhos da formação humana que sempre atravessam necessariamente a via poética da música.

[+] leia mais

Novembro de 2018

dia 26
Segunda

Dia 27/11 teremos panetone no Comida, Diversão & Arte

  Aula de gastronomia | Como fazer deliciosos sabores de Panetone   Em mais uma edição do Comida, Diversão & Arte, a Cidade das Artes apresenta, no dia 27, às 16h, mais uma receita interessante para enriquecer a gastronomia do dia-a-dia. Desta vez, aproveitando a proximidade das festas de final de ano, entraremos um pouco no clima natalino com receitas deliciosas.

[+] leia mais

Novembro de 2018

dia 20
Terça

Funcionamento da CDA durante o Feriado do dia 20/11

Dia 20 de novembro (feriado), a sala de leitura não funciona. A bilheteria está funcionando no horário normal de 13h às 19h.

[+] leia mais

Novembro de 2018

dia 19
Segunda

Quantas cores tem o elefante?

A expressão elefante branco, surgida no antigo Reino de Sião (atual Tailândia), descrevia um animal raro, sagrado, com alto custo de manutenção e de pouca utilidade prática. E o que a Cidade das Artes tem a ver com isso? No bojo da polêmica que rondou a sua construção, o carioca, com seu humor característico, logo associou aquele gigante que surgia na Barra da Tijuca ao tal elefante pálido e sem função.

[+] leia mais

Novembro de 2018

dia 06
Terça

Dia 13/11 teremos reaproveitamento de alimentos | Bolo de Casca de Banana no Comida, Diversão & Arte

  Na terça-feira dia 13/11/2018 receberemos a chef Adriana Almeida fundadora da empresa Tempero da Dri Refeições Saudáveis. Adriana está se especializando em cursos relativos a alimentação saudável e funcional.

[+] leia mais